Segunda-feira, 1 de Dezembro de 2008

A MENTIRA EM CONTÍNUO

luzdequeijas

Segunda-feira, 30 de Julho de 2007
Gato Fedorento Assim Não(Recordar)

Mais uma grande peça deste grupo, com uma brilhante imitação do Professor Marcelo.

 


 

 


 

 

 

Análise dos principais argumentos
ARGUMENTO DE SÓCRATES: «porque não quero que as mulheres que fazem aborto continuem a ser presas». Segundo dados estatísticos, são milhares as mulheres que todos os anos fazem aborto. Primeira questão: Já houve alguma mulher que tenha sido presa por ter interrompido a gravidez nas primeiras dez semanas? Não. Segunda questão: com a despenalização do aborto defendida por José Sócrates, o aborto deixa de ser crime e as mulheres deixam de responder criminalmente? Também não. Com efeito, as mulheres que abortem, após as dez semanas, continuam a ser julgadas. Ou seja, com a lei que está em vigor, as mulheres não são presas e, com a nova lei, as mulheres que abortem não deixam de continuar a ser julgadas.
ARGUMENTO «CONTRA A HIPOCRISIA I»: «então se as mulheres já não são presas, para quê manter a criminalização do aborto?» É um bom argumento desde que seja extensível a todos os outros casos. Quantas pessoas, em Portugal, cometem todos os dias o crime de injúrias e difamação? E quantas pessoas conduzem sem carta? E quantas pessoas já deram uma bofetada no seu cônjuge ou noutra pessoa? E quantas pessoas já foram presas por isso? É que, se o critério for a prisão, temos de acabar com a maior parte dos crimes.
ARGUMENTO «CONTRA A HIPOCRISIA II»: «se não abortaste, conheces algum familiar ou amigo que já o fez». Este é o mais estúpido de todos. Com efeito, o facto de alguém ter recorrido ou conhecer alguém que já recorreu ao aborto não pode ser o critério para defender a despenalização de uma conduta. Se assim fosse, a esmagadora maioria das pessoas teria de defender a despenalização das injúrias, da difamação, das ofensas corporais simples e por negligência, da violência doméstica, da corrupção, da condução em estado de embriaguês, da condução sem carta, do crime de desobediência, etc. Porque todos nós ou já praticámos estes crimes ou conhecemos familiares ou amigos que já os praticaram. Quem é que não chamou já nomes a uma pessoa, disse mal de outras, conduziu em excesso de velocidade ou com um copito a mais, deu uma nota a um funcionário, meteu uma cunha, bateu em alguém, etc? E por termos já feito alguma dessas coisas, somos obrigados a achar que essa conduta está correcta ou a defender a sua despenalização? Não somos santos e, por isso, muitas vezes fazemos o que não devemos, mas isso não significa que fiquemos vinculados a ter de fazer a apologia dessa conduta.
ARGUMENTO «IDA À ESPANHA»: «quem quiser abortar, basta ir a Espanha, pelo que não existe qualquer motivo para manter a actual lei». Mas a lei espanhola não é idêntica à actual lei portuguesa? Aliás, se existe alguma lei mais restritiva, quanto ao aborto, é a espanhola, donde se conclui que o problema não reside na lei. Como é óbvio. E se não reside na lei, não se vê por que razão a lei há-de ser alterada.
ARGUMENTO «A BARRIGA É MINHA»: este é, sem sombra de dúvida, o argumento mais reaccionário ou não viesse ele do Bloco de Esquerda. Com efeito, ao longo dos séculos, o argumento do «porque é meu» tem servido para justificar todo o tipo de barbaridades e violações, desde os direitos humanos aos direitos dos animais, passando pelos atentados ecológicos e urbanísticos. Por que é que os homens batem nas mulheres? Porque «a mulher é minha». Por que é que os pais espancam e violam os filhos? Porque «o filho é meu». Por que é que os donos maltratam os animais? Porque «o animal é meu». Por que é que existem tantos atentados urbanísticos? Porque «a casa é minha» e «o terreno é meu». Só mesmo o Bloco de Esquerda, no seu reaccionarismo primário, seria capaz de conceber um tal argumento.
ARGUMENTO «NÃO SE SABE QUANDO COMEÇA A VIDA HUMANA»: então se não se sabe, o melhor é aguardar mais uns meses para se ter a certeza.
ARGUMENTO DA «LEI DA NATUREZA»: «na natureza, quando não se pode manter a ninhada, são as próprias mães que eliminam algumas crias para as outras poderem sobreviver». Este é o argumento utilizado por Miguel Sousa Tavares e, como não sou religioso, confesso que é aquele que considero mais difícil de rebater. Mas este argumento serve também para justificar a pena de morte e a eutanásia. Como dizia um amigo meu, a diferença entre o aborto e a pena de morte é que, no aborto, mata-se um indivíduo que ainda não nasceu e, na pena de morte, mata-se um indivíduo que nunca devia ter nascido. Sendo certo que o risco de matar quem não se deve é muito maior no aborto do que na pena de morte. Por outro lado, se o nascimento de um filho indesejado representa um encargo difícil de suportar para famílias pobres e numerosas, manter um idoso acamado ou um doente em fase terminal ainda é pior. E todos nós sabemos o destino que a natureza dá aos velhos e aos doentes…

publicado por luzdequeijas às 11:57
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds