Quinta-feira, 7 de Novembro de 2013

AS PRESSÕES SOBRE JORNALISTAS

O jornalismo de hoje sofre as consequências da própria transformação dos media no espaço central da sociedade. Com a Internet e as redes sociais, o jornalismo transformou-se num ponto de passagem de toda a vida social e nesse aspeto transformou-se também num objeto a ser controlado e desejado, logo, palco e meio de luta pelo poder. Poder no seu sentido vasto, não apenas político, mas igualmente económico. Proliferam as pressões sobre o jornalismo e jornalistas. Nos anos 50 e 60 as coisas não eram melhores porque havia a censura e uma ditadura. Hoje, temos novas formas de constrangimentos que não são a censura, mas que são pressões de toda a ordem, que tornam muito complicada a missão do jornalista. Complicada, exigente e cheia de curvas perigosas…

Quando evidenciamos a integridade do jornalista, teremos de falar objetivamente da forçosa preservação da sua independência. O jornalista está sujeito no dia-a-dia a pressões de vária ordem, a tentativas de influências vindas do exterior, no sentido de ele publicar isto, ou não publicar aquilo. Temos que encarar como normal a existência desse tipo de pressões. Muitas entidades, individuais e coletivas, lutam por conseguir fazer passar a sua mensagem através dos media, porque isso pode ser parte importante na estratégia para a defesa dos seus interesses. Mas, normal será também os jornalistas saberem contornar essas pressões. Se isso não acontece, a integridade do jornalista está posta em causa, e ameaçada estará também a sua credibilidade.

A maioria das entidades que necessitam pressionar os media recorre, hoje em dia, a agencias de comunicação, às quais pagam valores, normalmente, avultados para fazerem esse trabalho por elas. Estas agências são, na maioria dos casos, formadas por antigos jornalistas e por especialistas de comunicação, conhecedores do circuito mediático por dentro, muito bem, para explorar as suas fragilidades e conseguir servir da melhor forma possível os clientes, que vão desde empresas interessadas em defender os seus interesses comerciais até políticos e partidos empenhados em melhorar a sua influência eleitoral. Numa sociedade cada vez mais dominada pela comunicação, também a existência destas agências deve ser encarada como normal. Os jornalistas devem também saber defender-se de influências vindas das agências, que podem introduzir desequilíbrios no seu trabalho e afetar a sua credibilidade. Tais agências cumprem a sua missão, mas os jornalistas não podem também deixar de cumprir a sua, na qual o interesse do seu público deve ser colocado à frente de qualquer outro.

Na verdade, o jornalista íntegro é aquele que atua seguindo e de acordo com a sua consciência e que assume um compromisso apenas com os seus leitores. Trabalha em ambiente de independência, imparcialidade e equilíbrio, com o máximo de objetividade, e é imune às pressões, deverá neste campo, ser mesmo insubmisso.        

publicado por luzdequeijas às 16:13
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub