Terça-feira, 19 de Maio de 2009

GRANDE MISTÉRIO

 
 
Fevereiro 17 2009

Surpresa é talvez a reacção mais natural perante os números do desemprego divulgados hoje pelo INE: 437,6 mil indivíduos desempregados e uma taxa de desemprego de 7,8 por cento para o 4.° trimestre de 2008, o que implica um número médio de apenas 427,1 mil indivíduos desempregados em 2008 para uma taxa anual de apenas 7,6 por cento. Digo apenas, face aos números esperados.
E a surpresa é maior quando temos presente as inúmeras notícias que todos os dias nos dão conta de uma onda generalizada de despedimentos e de um número cada vez maior de indivíduos desempregados que acorrem aos centros de emprego. E, se aqui cheguei a referir que sobre este facto havia uma grande confusão em toda a Comunicação Social, ele não deixava, no entanto, de ser um indicador que não pressagiava nada de bom  para a evolução do emprego em Portugal.
Mas a surpresa aumenta quando nos lembramos das previsões de Bruxelas e do próprio Governo. Tal como aqui tive oportunidade de referir, uma previsão de uma taxa de desemprego de 7,9 por cento para o ano de 2008, segundo Bruxelas, pressupunha uma taxa de desemprego de 8,5 por cento para o último trimestre e um número de desempregados superior a 480 mil. E a previsão de 7,8 do Governo apontava para uma taxa de desemprego de 8,1 por cento e um número de desempregados superior a 460 mil. Tudo números muito superiores aos divulgados pelo INE.
Alguns economistas justificam estes números, ainda conservadores, pelo facto de o mercado de trabalho estar desfasado em relação ao andamento da economia, que como se sabe entrou em recessão técnica desde o quarto trimestre do ano passado e se estima irá permanecer em recessão ao longo deste ano.
No entanto, as notícias com despedimentos que chegam todos os dias empurram-me para outro lado. As estatísticas são o que são. Apenas estatísticas, números que obrigam a muitas leituras e releituras.

A mim, por exemplo, perturba-me a linearidade da evolução das populações activa, inactiva e empregada verificada ao longo dos últimos anos. Como se a população activa e inactiva evoluíssem apenas em função da população empregada.

E que representa uma alteração significativa ao comportamento destes indicadores até ao ano de 2004. A partir de 2006, verifica-se mesmo uma sobreposição das curvas de evolução da população desempregada e da taxa de desemprego. Nestas alturas, ponho-me a pensar. E quando dou por mim já não sei onde acaba a realidade e começa a ficção.
É que se a população activa no último trimestre de 2008 fosse igual à população activa do 2.° trimestre e o a evolução da população empregada tivesse evoluído de acordo com os números do INE, hoje, estaríamos a falar de uma taxa de desemprego de 8,2 por cento no 4.° trimestre de 2008 e de 461,6 mil desempregados. Para o ano de 2008, teríamos uma taxa de desemprego de 7,8 por cento, que é, provavelmente por mero acaso, igual à previsão do Governo. É que, segundo o INE, desde o 2.° trimestre de 2008, desapareceram da população activa 24 mil indivíduos, que, ao desaparecerem, dominuíram naturalmente o número de desempregados. Não é a primeira vez que aqui levanto esta questão.  A alteração de comportamento da evolução da população activa a partir de 2004 e da sua influência na evolução da taxa de desemprego já aqui me mereceu alguns comentários.
Mas quanto mais lemos os números, mais a surpresa aumenta. É que apesar de uma ligeira diminuição da população empregada, quer em relação ao trimestre anterior, quer em relação ao trimestre homólogo de 2007,  o número da população empregada por conta de outrem aumentou – mais 11 mil do que no trimestre anterior e mais 44 mil do que em 2007 – e esse aumento fez-se com o aumento dos contratos sem termo – mais 58 mil do que em 2007 – e uma diminuição dos contratos a termo – menos 14 mil. Afinal, nada com uma boa crise e um Código do Trabalho rígido para acabar com a frigidez.

Em 2008, segundo os dados agora revelados pelo INE, a economia gerou 28,1 mil novos empregos, em 2007, gerou apenas 10,2 mil, em 2006, gerou 36,9 mil e, em 2005, gerou zero. Ou seja, nos últimos quatro anos, a economia gerou 75 mil novos empregos, metade do número que Sócrates prometeu, mas o que fica bem claro é que não foi a crise que o impediu de cumprir a promessa. Bem pelo contrário. Em ano de crise, os resultados foram muito superiores a 2005 e a 2007. A não ser que os números hoje divulgados pelo INE não passem de pura ficção. Ou será que, com tanto branqueamento, tudo ficou cor-de-rosa?

 

á de moura pina

publicado por abrasivo às 16:46
publicado por luzdequeijas às 17:26
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub