Sexta-feira, 18 de Junho de 2010

ESTRANHA SOCIEDADE

Casa Pia

Foto que safou Pedroso alterada

Inspector da PJ garante que rapazes identificaram socialista em imagem nítida – e não numa foto escurecida que entretanto foi parar ao processo.

Conheça todos os desenvolvimentos deste caso na edição papel do jornal 'Correio da Manhã'.

 

CM   18-06-2010

publicado por luzdequeijas às 12:21
link | comentar | favorito

ESCANDALOSO !!!!

FISCO ATACA JUROS DAS POUPANÇAS

 

 

Aumento do imposto sobre depósitos a prazo e Certificados de Aforro permitirá à Administração Fiscal uma receita de quase 20 milhões de euros !!!!

 

 

Este governo continua a empobrecer os "bons cidadãos", aqueles que não vão ao estrangeiro, não esbanjam, mas poupam. Por isso são castigados !!!!

O Governo dá Rendimento Mínimo aos assaltantes, presos e marginais, mas perante a falência do Estado, paga juros de 10% no dinheiro que pede no estrangeiro e pelas poupanças dos portugueses, pobres, dá de juros 0,89% !!!

Claro que são estes que vêm as suas poupanças a diminuir, que ainda pagam impostos sobre elas. É a moral pública cheia de imoralidade !!! Pobre país.

publicado por luzdequeijas às 12:05
link | comentar | favorito

DUAS ESCOLAS DE PENSAMENTO

Vamos longe

Viver em Portugal é viver em anestesia: entre nós, dizem-se as coisas mais extraordinárias e o povo, mergulhado na bovinidade, nem pestaneja. Se dúvidas houvesse, bastaria invocar a ‘polémica’ sobre o pagamento da nova sobretaxa de IRS. Haverá retroactividade na lei, ou seja, inconstitucionalidade evidente? Duas escolas de pensamento começaram a perorar por aí. Para uns, a medida é justa, legal e necessária.

 

Por:João Pereira Coutinho, Colunista

publicado por luzdequeijas às 11:44
link | comentar | favorito

MAIS VOTOS

Justiça

Estado dá rendimento mínimo aos reclusos

Recebem 96 euros por cada membro do agregado familiar. Traficante tem direito a 400 euros.

 

CM - 18-06-2010

publicado por luzdequeijas às 11:38
link | comentar | favorito

CAÇA AO VOTO

Justiça

Estado dá rendimento mínimo aos reclusos

Recebem 96 euros por cada membro do agregado familiar. Traficante tem direito a 400 euros.

 

CM

    
publicado por luzdequeijas às 11:23
link | comentar | favorito

ÉLITES "PROGRESSISTAS"

A esquerda nacionalista

O nacionalismo está a voltar à esquerda. Por essa Europa fora, a pulsão soberanista está a ganhar espaço nas elites "progressistas". Vai haver muitos "Le Pen" de esquerda.

Henrique Raposo (www.expresso.pt)
10:00 Sexta-feira, 18 de Junho de 2010
 
publicado por luzdequeijas às 11:11
link | comentar | favorito

DECLARAÇÃO DE VOTO

 

Hoje   Na sua declaração de voto, Pacheco Pereira diz que era fácil concluir a partir das escutas que o primeiro-ministro mentiu, e afirma que a Comissão de Inquérito será julgada politicamente por ter sido impedida de chegar à verdade, avança a edição do SOL desta sexta-feira

publicado por luzdequeijas às 11:06
link | comentar | favorito

A VERDADE É COMO O AZEITE ...

Governo/TVI
Oposição aprova hoje relatório final que conclui que Sócrates «tinha conhecimento» do negócio
A comissão de inquérito à actuação do Governo na tentativa de compra da TVI aprova hoje o relatório final, que conclui que José Sócrates «tinha conhecimento» do negócio quando afirmou no Parlamento desconhecer a operação
publicado por luzdequeijas às 11:04
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Junho de 2010

O FUNDO DO MAR

publicado por luzdequeijas às 19:07
link | comentar | favorito

EDUCAÇÃO SEXUAL

A família é a primeira comunidade responsável pela educação das crianças, dos adolescentes e dos jovens. É o lugar privilegiado onde, de forma vivencial e com o esforço de todos os seus membros, se estabelecem relações interpessoais, cada um se descobre a si próprio, se desenvolvem e assumem valores como “a generosidade, a disponibilidade para partilhar, a compreensão, a tolerância, o perdão, a contínua abertura à reconciliação, a solidariedade na ajuda mútua, a fidelidade às pessoas e ao projecto comum, o respeito pela vida e pela dignidade de cada elemento que integra a comunidade familiar, a intimidade construída na ternura e na doação” 

 
Os pais têm o direito e o dever de educar os filhos, inclusive no referente à sexualidade. O exercício desse direito-dever é anterior à intervenção de outras instituições, para além da família, designadamente a escola. Essa responsabilidade, inalienável e insubstituível, envolve o período da vida dos filhos desde o nascimento à idade adulta.

 

Os pais são o primeiro modelo dos filhos, educando-os através do seu comportamento e atitudes e do clima familiar que existe em suas casas, nomeadamente na relação existente entre o pai e a mãe, e de cada um destes com cada filho ou filha. Também educam para a sexualidade no contexto das orientações e pedidos gerais que, habitualmente fazem aos filhos, desde muito novos, e das respostas às questões e dúvidas que estes lhes vão apresentando.

  

Esta tarefa exige dos pais preparação adequada e contínua, de modo a capacitá-los para o diálogo, em clima de simplicidade e abertura à comunicação, que permita esclarecimento e orientação dos filhos. Mas, acima de tudo, espera-se dos pais o testemunho dos valores da sexualidade, o que implica o esforço permanente por a viverem com equilíbrio e sentido. Reconhecemos e louvamos a generosidade e a coragem de tantos casais que, perante as pressões do clima geral de permissividade e de indiferença ou hostilidade perante a instituição familiar, lutam por manter a fidelidade ao compromisso matrimonial que um dia firmaram e assumem a educação dos filhos como uma das primeiras prioridades na organização da vida familiar.
As outras instituições nunca podem substituir os pais, mas devem ajudá-los no cumprimento da sua missão educativa.

 

Conferência Episcopal Portuguesa

publicado por luzdequeijas às 14:51
link | comentar | favorito

POR FAVOR, RESPEITEM A NOSSA CIVILIZAÇÃO !

«NIGÉRIA

 


Mulher grávida condenada à morte por lapidação


Um tribunal islâmico da cidade de Bauchi, norte da Nigéria, condenou uma mulher grávida de 29 anos à morte por lapidação por cometer adultério, informou hoje a imprensa local.
( 21:50 / 13 de Outubro 04 )

publicado por luzdequeijas às 14:43
link | comentar | favorito

LENA AJUDA SÓCRATES !!!

Grupo de Leiria traça uma nova estratégia

Grupo Lena vai despedir 200 trabalhadores e cortar despesas

17.06.2010 - 08:39

Até ao final do ano, o grupo Lena vai reduzir 200 postos de trabalho, num universo de cerca de cinco mil colaboradores, directos e indirectos.
<p>A construção de estradas tem forte presença do grupo Lena</p>

A construção de estradas tem forte presença do grupo Lena

publicado por luzdequeijas às 14:31
link | comentar | favorito

ANDAM ÀS TURRAS

TURRAS NO GOVERNO: TEIXEIRA JÁ ESTÁ FARTO DO SILVA

 

É uma guerra surda no Governo. Tudo começou com o PEC. O ministro das Finanças e o seu colega da Economia andam verdadeiramente às turras. Vieira da Silva não perde a oportunidade de desmentir em público Teixeira dos Santos. A última cena aconteceu por causa da legislação laboral. O segundo admitiu uma revisão, o primeiro disse que não estava na agenda. Teixeira dos Santos não gostou e já desabafou com Sócrates que começa a ficar farto do colega ‘esquerdista’ da Economia.

 

CM 17-06-2010

publicado por luzdequeijas às 12:43
link | comentar | favorito

GERIR NÃO É AGREDIR

estranho

Já se sabe que o primeiro-ministro não é um homem fácil no trato com os seus adjuntos e assessores. A fama já vem de longe, dos tempos em que era ministro do Ambiente.

 

Por:António Ribeiro Ferreira (correioindiscreto@cmjornal.pt)

 

Mas as coisas têm vindo a piorar desde que está à frente do Governo. E esta crise económica e financeira parece estar a ser a gota de água para os nervos de José Sócrates. Que o digam empresários e sindicalistas que, de vez em quando, têm pela frente o primeiro-ministro nas reuniões de concertação social. Habituados a uma ministra do Trabalho educada, simples, que conduz os encontros com grande cordialidade, ficaram seriamente preocupados quando foram convocados de emergência para uma reunião em que o primeiro-ministro ia explicar o pacote de austeridade, já conhecido de todos pela comunicação social. Sócrates falou e passou a ouvir os parceiros sociais. Nessa altura, o primeiro-ministro inclinou a cabeça sobre a mesa e assim ficou durante largo tempo. A dado passo, de forma inesperada, levantou a cabeça e desatou a berrar com tudo e com todos, particularmente com aqueles que teceram críticas ao pacote. Sentada ao seu lado, Helena André, ministra do Trabalho, não queria acreditar.

publicado por luzdequeijas às 12:36
link | comentar | favorito

GERIR NÃO È SORRIR !

Discurso directo

“Má gestão no Serviço Nacional de Saúde”

José Manuel Silva, candidato a bastonário da Ordem dos Médicos sobre o tempo excessivo de espera para cirurgias.

Por:Cristina Serra

 

Correio da Manhã – Qual a sua opinião sobre as conclusões do Relatório da Primavera, que apontam para uma espera de quatro meses para uma cirurgia muito urgente aos olhos?

José Manuel Silva – Não conheço o relatório porque à hora da divulgação estava a apresentar o programa da minha candidatura. Porém, posso dizer que no anterior Governo o Ministério da Saúde, com um pequeno investimento, instituiu com bons resultados um programa nacional de recuperação das listas de espera em oftalmologia para a cirurgia da catarata.

– Considera então que o ministério devia repetir esse programa?

– Seria a resposta para as necessidades dos doentes. O que é preciso é rentabilizar as estruturas existentes e o mesmo critério pode ser usado para outras patologias. O que é importante é dar cuidados de qualidade ao doente e de uma forma atempada. Se para isso for necessário contratualizar com a iniciativa privada para complementar o Serviço Nacional de Saúde, então não vejo por que não se avança.

– Em época de crise, e depois de a ministra da Saúde, Ana Jorge, pedir uma redução de 50 milhões de euros até ao final do ano, acha que há condições para haver novas contratualizações?

– Acho que sim, mas o problema é que há má gestão no Serviço Nacional de Saúde e os conselhos de administração continuam a pautar-se por critérios políticos.

– O que defende?

– Há necessidade de instituir políticas que privilegiem a qualidade.

– Quer dar exemplos?

– Se a Central de Compras estivesse a funcionar em pleno permitiria poupar muitos milhões de euros. O Tribunal de Contas arrasou o SUCH [Serviços de Utilização Comum dos Hospitais], que apresentou um défice de milhões de euros, e há um desbaratamento de dinheiros públicos com as novas faculdades de medicina, que não são de todo necessárias.

publicado por luzdequeijas às 12:30
link | comentar | favorito

NENÚFARES GOVERNANTES

Limpar Portugal

O Ministério da Justiça limpou 15 mil crimes com armas de fogo da sua base de dados. O País ficou muito mais seguro com esta extraordinária limpeza. O procurador-geral da República acha que Portugal não é um País de corruptos.

 

Por:António Ribeiro Ferreira, Jornalista

 

Com estas singelas palavras limpou milhares e milhares de crimes das bases de dados de polícias e tribunais. O Presidente da República afirmou no 10 de Junho que os portugueses querem limpar Portugal. Uma sentença temerária e altamente improvável num País que acumulou lixo atrás de lixo nos últimos 36 anos. Limpar Portugal é uma tarefa ciclópica, quase impossível. O melhor é deixar tudo como está e não entrar em aventuras que podem dar péssimos resultados. O pântano de Guterres está bem e recomenda-se. Basta ver como estão viçosos os nenúfares que nos governam.

publicado por luzdequeijas às 12:21
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Junho de 2010

RETÓRICA E DEMOCRACIA

Qualquer definição que queiramos fazer de "retórica", nunca poderá ficar desligada da antiga cultura grega. Da faculdade específica que o homem tem de falar e, desse modo, tratar dos assuntos públicos e dirimir os conflitos. Daqui, extrairam os gregos a democracia e o regime político da maioria. O ditador ou os oligarcas mandavam pela força, na democracia o poder obtinha-se pela palavra convincente nas assembleias populares. Tinham de convencer o povo com argumentação sólida e de uma forma directa, ao contrário daquilo que hoje acontece, onde tudo é decido nos gabinetes. Tomam-se as decisões mais absurdas e depois vão justificar as mesmas no parlamento, servindo-se da retórica de um primeiro-ministro, impregnada de sofisma. 

Já esse tinha sido o caminho escolhido pelos "sofistas": a retórica seria apenas um instrumento de persuação dos outros. fosse para que fim fosse. Persuadir todos pela palavra, e transformando depois os mesmos, com esse poder, em seus escravos.

 

Na crítica ao uso da retórica "Todorov" considerava que um regime político que assentava na força da persuasão, tinha um preço demasiado alto, a insegurança de cada cidadão. A democracia mal-entendida e fundada somente na eloquência, representava um risco para a sociedade. Continuava afirmando que essa grande eloquência de outrora, era filha do desregramento a que os tolos chamavam liberdade.

 

Porém, a retórica não poderia ser confundida com outras formas de linguagem, nomeadamente a conversa e a dialéctica. As antigas assembleias teriam de ser palco de intensos debates. Na defesa da democracia e no combate à retórica, todo o homem podia falar sem distinção de fortuna, nem de profissão, mas precisava de provar estar no gozo dos seus direitos políticos, não ser devedor ao Estado, ser de costumes puros, estar legitimamente casado, haver cumprido todos os deveres para com os seus pais, ter feito todas as expedições militares para as quais fora escolhido, e provar não ter deixado no campo, em nenhum combate, o seu escudo.

 

Depois de tomadas estas precauções contra a eloquência, o povo abandonava-se-lhe em seguida inteiramente.

 

Parece claro entender de que estes pressupostos para legitimamente deixar fluir a eloquência e retórica de um político, não estão a ser cumpridos na democracia portuguesa! Os líderes falam com eloquência para uma assembleia repleta de gente cuja legitimidade como verdadeiros representantes do nosso povo não convence ninguém ! Os políticos que falam e usam e abusam da retórica, não foram antecipadamente escrutinados, ou seja, ninguém tem a certeza de que não terão deixado em campo, em nenhum combate, o seu escudo. Isto quer queiram quer não, é muito mau para o país, para o povo e para a democracia. Fica aberto o caminho para o uso desregrado da retórica e com ele da falta de qualidade da nossa democracia!  

 

António Reis Luz 

publicado por luzdequeijas às 16:47
link | comentar | favorito

PORTUGAL ANDA DOMINADO PELA RETÓRICA !!!

"A definição de retórica é conhecida: é a arte de bem falar, de mostrar eloquência diante de um público para ganhar a sua causa. Isto vai da persuasão à vontade de agradar: tudo depende (...) da ca

A retórica é a técnica de convencer o interlocutor através da oratória, ou outros meios de comunicação. Classicamente, o discurso no qual se aplica a retórica é verbal, mas há também o discurso escrito e o discurso visual.

A oratória é um dos meios pelos quais se manifesta a retórica, mas não o único. Pois, certamente, pode-se afirmar que há retórica na música ("Para não dizer que não falei da Flores", de Geraldo Vandré: retórica musical contra a ditadura), na pintura (O quadro "Guernica", de Picasso: retórica contra o fascismo e a guerra) e, obviamente, na publicidade. Logo, a retórica, enquanto método de persuasão, pode manifestar-se por todo e qualquer meio de comunicação.

A retórica aristotélica, de certa forma herdeira daquela de Sócrates, procura fazer o interlocutor convencer-se de que o emissor está correcto, através de seu próprio raciocínio.
Retórica não visa distinguir o que é verdadeiro ou certo mas sim fazer com que o próprio receptor da mensagem chegue sozinho à conclusão de que a ideia implícita no discurso representa o verdadeiro ou o certo.  Inês Guereiro -Estudante

publicado por luzdequeijas às 14:56
link | comentar | favorito

DESISTIR DE PORTUGAL

A chamada fuga de cérebros dos países pobres para os ricos é uma realidade conhecida há muito. Por exemplo, larga percentagem do pessoal médico formado na Índia emigrou durante anos sucessivos para a Grã-Bretanha e para os Estados Unidos.


Os países de origem que investiram na formação dos “cérebros” vêem, assim, escapar-lhes o retorno que esperavam desse investimento.

O fenómeno já atinge Portugal. Uma parte dos melhores alunos que saem das universidades portuguesas procura ir para o estrangeiro. Isto, note-se, apesar dos esforços que têm sido desenvolvidos pelo ministro Mariano Gago para fixar no país os mais promissores cientistas e investigadores.

E houve progressos na disponibilidade, em Portugal, de meios de investigação que evitem a emigração dos jovens académicos. Só que o problema é mais fundo: há gente que emigra, não tanto por pressão económica ou por não encontrar no país condições de trabalho, mas sobretudo porque acha que Portugal estagnou, perdendo vitalidade e ambição.

Por isso, alguns desistem de Portugal. É isso que importa mudar.
 
Rádio Renascença
publicado por luzdequeijas às 14:36
link | comentar | favorito

O MUNDO DE SÓCRATES É ESQUISITO!

Vice-governador do Banco de Portugal confirma

Bancos vão passar por dificuldades

O vice-governador do Banco de Portugal, Pedro Duarte Neves, afirmou esta quarta-feira que os bancos nacionais vão passar por dificuldades no médio prazo.

 

Por:Diana Ramos

 

Aos deputados da Comissão de Orçamento e Finanças, o responsável pela supervisão bancária admitiu que "há alguma dificuldade para as perspectivas de rentabilidades das instituições portuguesas", traçando um cenário negro para o sector.

No entender de Pedro Duarte Neves, "não há grandes margens para crescimento interno" e "a introdução de novos serviços será difícil". O vice-governador está também convicto de que "não há músculo para desenvolver iniciativas em mercados externados", ao mesmo tempo que "as poupanças adicionais de custos serão difíceis". E recorda que "os incumprimentos, que já são elevados, tenderão a aumentar".

Sobre o reforço da solidez financeira dos bancos, o vice-governador sugeriu ainda que, "no momento actual, é difícil recolher montantes adicionais de capital dada a baixa rentabilidade do sector".

publicado por luzdequeijas às 14:27
link | comentar | favorito

ENCERRAMENTO DE ESCOLAS

 

  
 
  
 

Escolas pequenas fechamerramento de escolas

Governo cria agrupamentos gigantes

A decisão de encerrar as escolas do 1º ciclo com menos de 21 alunos e a extinção de agrupamentos de escolas constituídos exclusivamente por estabelecimentos do mesmo nível de ensino podem criar mega-agrupamentos com milhares de alunos.

 

Por:J.V.

 

"Do ponto de vista pedagógico não há justificação". Esta é a posição de Manuel Grilo, da Federação Nacional da Educação (FNE), em relação à resolução do Governo publicada ontem em Diário da República.

"Vinte e um alunos é um número aleatório. Há três anos, o Ministério afirmou que escolas com menos de 10 alunos não eram viáveis, agora são 21. Para o ano serão 30? 40?".

Apesar de o Governo destacar a relação entre a dimensão reduzida de escolas e o insucesso escolar, Manuel Grilo acredita não existir nada que comprove tal facto. Aponta mesmo disposições legais que permitem a uma escola pedir a redução do número de alunos de forma a aumentar o sucesso escolar.

Para a FNE, a concentração de escolas irá apenas provocar o despedimento de professores.

publicado por luzdequeijas às 14:12
link | comentar | favorito

SE ISTO NÃO É MÁFIA?......

Negócio PT-TVI

Nova escut

5 milhões para apoio de Figo e Mourinho

A nova escuta revela mais dados. Rui Pedro Soares tinha cinco milhões do Taguspark para investir na adesão das duas estrelas à campanha do PS.

publicado por luzdequeijas às 14:07
link | comentar | favorito

ESTRANHAMENTE AGARRADO AO PODER ?

Demita-se por favor

O desemprego volta a atingir novo recorde e o Governo, indiferente a tudo e a todos, continua a dizer que o famigerado TGV e a terceira travessia sobre o Tejo irão para frente, custe o que custar.

 

Por:António Ribeiro Ferreira, Jornalista

 

Enquanto a vidinha é cada vez mas difícil para milhões de portugueses, o maior partido da oposição anda muito entretido a discutir as mentiras e verdades do negócio da PT com a TVI e, nos intervalos, faz apelos lancinantes ao senhor engenheiro relativo para abandonar São Bento pelo seu próprio pé.

A situação é esquizofrénica. Por causa da crise não mexem um dedo para o pôr na rua. Por causa da crise querem que saia de livre vontade. Triste sina esta. No poder está um bando de arrogantes irresponsáveis e moribundos. Na oposição uns tantos abutres à espera dos cadáveres dos primeiros.

publicado por luzdequeijas às 13:53
link | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Junho de 2010

SUCESSO ESTATÍSTICO

Mais um sucesso estatistico do governo socialista

Arquivado em: Diversos — Miguel @ 08:27
publicado por luzdequeijas às 17:10
link | comentar | favorito

AVALIAÇÃO PERMANENTE

Relatório de avaliação

Bruxelas quer que Portugal especifique medidas de austeridade para 2011

15.06.2010 - 15:56 Por Ana Rita Faria

A Comissão Europeia considera que as medidas de austeridade anunciadas por Portugal e Espanha são “apropriadamente ambiciosas”, mas pede aos dois países que especifiquem o que irão fazer em 2011 para reduzir o défice orçamental.

Num comunicado divulgado esta tarde, no qual são avaliados os planos de austeridade anunciados em 12 países da zona euro, a Comissão Europeia (CE) destaca que, tanto no caso de Portugal como de Espanha, “as metas são apropriadamente ambiciosas e reflectem uma consolidação orçamental substancial”.

Contudo, Portugal e Espanha têm de “especificar as medidas a serem incluídas nos seus orçamentos de 2011, no montante de 1,75 por cento e 1,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), respectivamente, a fim de atingir as novas metas”, considera a Comissão.

Para os outros 10 países avaliados – Bélgica, República Checa, Alemanha, Irlanda, França, Itália, Holanda, Áustria, Eslovénia e Eslováquia – a CE considera que, em geral, “as medidas anunciadas são suficientes para atingir os objectivos fixados para 2010 e, na maioria dos casos, pediu-se uma justificação, o mais breve possível, sobre as medidas que estão previstas para depois de 2010”.

O Governo português quer reduzir o défice dos 9,4 por cento registados em 2009 para 7,3 por cento do PIB este ano e chegar aos 4,6 por cento no próximo. Já Espanha prevê cortar o défice para 9,3 por cento em 2010 e para os seis por cento em 2011.

 

PÚBLICO

publicado por luzdequeijas às 17:05
link | comentar | favorito

NA LINHA HABITUAL

PS “apaga” conclusões de Semedo e iliba Sócrates

15.06.2010 - 16:31 Por Nuno Simas

O PS apresentou hoje as suas propostas de alteração ao relatório sobre a o negócio PT/TVI e é radical: “apaga” as 20 conclusões do relator, o bloquista João Semedo, e substitui-as por cinco novas conclusões. Uma delas é que não se provou nem que o Governo nem o primeiro-ministro deram orientações à PT para a compra da Media Capital, que detém a TVI, nem José Sócrates mentiu ao Parlamento a 23 de Junho de 2009 ao dizer nada saber do negócio.
O PS diz que não se provou que o primeiro-ministro deu orientações à PT para a compra da Media Capital
O PS diz que não se provou que o primeiro-ministro deu orientações à PT para a compra da Media Capital (Daniel Rocha)

PS “apaga” conclusões de Semedo e iliba Sócrates 15.06.2010 - 16:31 Por Nuno Simas Votar | 0 votos 5 de 5 notícias em Política « anterior O PS apresentou hoje as suas propostas de alteração ao relatório sobre a o negócio PT/TVI e é radical: “apaga” as 20 conclusões do relator, o bloquista João Semedo, e substitui-as por cinco novas conclusões. Uma delas é que não se provou nem que o Governo nem o primeiro-ministro deram orientações à PT para a compra da Media Capital, que detém a TVI, nem José Sócrates mentiu ao Parlamento a 23 de Junho de 2009 ao dizer nada saber do negócio. O PS diz que não se provou que o primeiro-ministro deu orientações à PT para a compra da Media Capital (Daniel Rocha)

publicado por luzdequeijas às 17:00
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Junho de 2010

O LADO OPOSTO DO "MAGALHÃES"

Arnal Apenas 15 resistentes à vista de Vila Real

Por Paula Lima

Aldeia transmontana na serra do Alvão ainda aguarda por saneamento básico. Junta de freguesia quer estancar a fuga para a sede do concelho

 
O primeiro olhar é desconfiado, mas depressa o rosto de Alberto da Cruz se abre num sorriso ao recordar os bailes, os gritos das crianças ou o barulho do gado que há uns anos animavam a aldeia transmontana de Arnal. Mas isso era "no antigamente". Agora vivem apenas 15 pessoas nesta aldeia da serra do Alvão, a cerca de dez quilómetros da cidade de Vila Real. Ao contrário da maioria dos seus vizinhos, Alberto escolheu ir viver para Arnal depois de ter passado uma década emigrado no Rio de Janeiro. "Vim para Portugal com ideias de voltar ao Brasil, mas acabei por ficar". Agora, aos 82 anos, tornou-se uma testemunha do tempo. Desde que chegou, viu a escola primária fechar as portas, viu morrer muitos vizinhos, enquanto outros emigravam à procura de melhores condições de vida, assistiu ao fim dos bailes e ao abandono dos terrenos agrícolas. Algumas cabras e vacas ainda cruzam as ruas da aldeia, mas estas são já em número reduzido. Trás-os-Montes tem perdido gente em cada censo. Mas se esta hemorragia demográfica tem sido até contrariada nalguns centros urbanos, como Bragança, Régua ou Vila Real, o cenário nas aldeias é cada vez mais desolador. O abandono dos campos ao longo dos anos não tem sido compensado com qualquer regresso de novas gerações. Até porque não há emprego e os acessos difíceis e desnivelados transformam qualquer quilómetro numa maratona de curvas que desanima quem quer viver na terra e trabalhar na cidade.

O silêncio tomou conta dos dias em Arnal. É preciso percorrer uma estrada estreita e íngreme para chegar ao topo da serra, que no Inverno fica por inúmeras vezes isolada devido à neve ou ao nevoeiro. "Não adianta bater à porta. A maior parte destas casas está abandonada ou fechada e só reabre com a chegada dos emigrantes no Verão", diz António Gouvinhas, de 42 anos. Alberto da Cruz concorda e explica que no "tempo quente" aparecem também pela aldeia muitos turistas que gostam de ver a paisagem e as casas típicas de granito. Os irmãos Maria Deolinda, de 49 anos, e Francisco Peixoto, de 43, nasceram em Arnal e dizem que nunca pensaram em sair da aldeia. "Estamos habituados a este ritmo e ao trabalho no campo", justifica Maria Deolinda, entre sorrisos. A sua filha mais nova, de 16 anos, foi a última criança a nascer na aldeia.

"Nós ainda fizemos a primária aqui, mas as minhas filhas já tiveram que ir lá para baixo. Dantes havia mais gente na aldeia, agora não se vê quase ninguém", lamenta, com o olhar triste e suspenso na encosta onde três vacas pastam à chuva. O seu irmão, Francisco, gosta de passar o tempo livre pela serra, entre as hortas, onde cultiva quase tudo o que se come em casa, e o pastoreio do gado. Por isso, "é raro" descer à cidade. Vila Real quase se avista no fundo do Alvão, mas em Arnal parece demasiado distante. "Eu só vou à cidade para ir ao médico. Primeiro gostava de ir às feiras ou ao Santo António. Agora já não há forças para isso", acrescentou o octogenário Alberto da Cruz.

Câmara dá "pouca atenção"

Quando precisa de fazer umas compras ou quer passear por Vila Real, António Gouvinhas vai a pé até Agarez para apanhar o autocarro. "São poucos quilómetros. O pior é quando está frio e este último Inverno foi demasiado longo e rigoroso", diz. A batalha para manter a "aldeia viva" foi assumida pela junta de freguesia, mas o dinheiro escasseia. O presidente da Junta de Vila Marim, João Paulo Nóbrega, quer melhorar os acessos, levar até lá cima o saneamento básico e alterar as regras do Plano Director Municipal para alargar a área de construção. Mas, apesar da boa vontade, o autarca lamenta a "pouca atenção" dada pela Câmara de Vila Real às aldeias "mais despovoadas". Até porque a sede de concelho tem também crescido à conta desse mesmo despovoamento. "São poucas as pessoas que lá vivem, mas têm os mesmos direitos que os outros. Queremos também que mais ninguém se vá embora por não poder construir casa e a partir do Verão vamos dar um incentivo financeiro a todos os bebés que nasçam na freguesia", promete João Paulo Nóbrega.
 
Da Agência Lusa
 
PS - Com estas muitas centenas de aldeias abandonadas morre Potugal! Pouca gente sabe entender a riqueza que elas poderiam representar para a riqueza nacional. Tal como as pescas e a agrícultura, as nossas aldeias, recuperadas, teriam um alto valor acrescentado no campo económico e do turismo. E esse turismo não é só praia, deveríamos pensar no turismo de gente reformada de toda a Europa, atendendo ao nosso clima e beleza natural. Gente de muitos recursos. Muitos outros motivos de atracção turística e investimento, existem nestas aldeias, basta pensar e agir. São investimentos com muito retorno. Verdadeiros PIN (Projectos de Interesse Nacional), sem recurso a contra-partidas!
publicado por luzdequeijas às 16:11
link | comentar | favorito

SOMOS UM TODO

IMPERIOSO ACAUTELAR AS FRACTURAS SOCIAIS 

 

Em todo e qualquer país, em todas as sociedades civis, há um fio condutor que assegura o seu progresso e a sua existência. Este fio condutor é composto fisicamente de duas realidades diferentes ; uma de natureza humana e outra de natureza sobrenatural. Esta última representa o seu passado e os milhares de pessoas que o serviram, mas que já morreram. A natureza humana representa aqueles que estão vivos e a representam.

 

Este fio condutor obedece a regras inscritas, talvez, na natureza. Aquela parte do fio de condição humana pode aguentar esforços de distensão rápida ou mesmo de estagnação ou compressão, mas nunca de rupturas. De qualquer modo, deve estar sempre atenta à componente a que chamei de natureza sobrenatural, muito extensa, que representa aqueles já desaparecidos, ou seja, o passado do país ou da sua sociedade civil.

 

Quem tem a incumbência de tomar decisões se não respeitar esta realidade, ou até se rir dela, pode provocar rupturas de grande dimensão e, muitas vezes, a ruptura de tal fio e das realidades e projectos que ele assegurava.

 

De certo modo foi isso que aconteceu em Portugal depois da Revolução dos Cravos. Os capitães tiveram muitos seguidores, embora de natureza mais moderada, mas que cometeram e continuam a cometer erros de estratégia na tomada de decisões. Isto acontece pela total desresponsabilização com que se passa uma esponja aos sistemáticos maus decisores.

 

Quando por exemplo se aposta numa revolução informática é preciso saber que tipo de licenciados temos produzido e fazer nascer esta realidade em largo tempo e , enquanto isso, manter a coesão das várias gerações nas suas competências e saberes adquiridos.

 

Num momento em que a nossa adesão à UE levou a drásticas reduções no tecido laboral, por vezes, nos limites da sua quase extinção, casos da agrícultura ou das pescas, teria sido preciso garantir que muita dessa gente atingida, ainda tivesse podido ter sido muito útil ao nosso país. No fundo, poucos países têm tanto mar disponível como nós, e há muitas formas de pescar, e muita riqueza nele por descobrir, para desperdiçar tanto talento e experiência. Na agricultura passa-se o mesmo. Por vezes nem é uma questão de dinheiro, mas sim de respeito pelo Homem. E esta falta de respeito paga-se muito cara em termos de falta mobilização e perda de criatividade.

 

António Reis Luz - 2003

publicado por luzdequeijas às 15:57
link | comentar | favorito

EMARANHADO DE INTERESSES

sábado, 29 de Maio de 2010  
Endogamia do poder socratino .

Endogamia



A partir deste poste agudo de Carlos Nunes Lopes, no 31 da Armada, «Soltem a parede», que citou o post «Fim de ciclo», de Fernando Moreira de Sá, no Albergue Espanhol sobre motoristas nomeados para o Gabinete do primeiro-ministro, chega-se ao Diário da República.

E nesse diário, ou diária, por acaso, repara-se em mais um facto crítico do inner circle socratino, inscrito no Despacho n.º 8345/2010, relativo ao Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, publicado no Diário da República, 2.ª série, N.º 96, de 18 de Maio de 2010, pp. 26930-26931:
«3- Fica autorizada a designação da adjunta do Gabinete, Dr.ª Mariana Guimarães Vieira da Silva, para substituir o chefe de gabinete nas suas ausências e impedimentos.»
O Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro é o Dr. José Manuel Gouveia Almeida Ribeiro (cujo currículo, incompleto, pode ser consultado no Portal do Governo), maître-à-penseréminence grise e master spy, do primeiro-ministro José Sócrates, meticuloso pesquisador de informações e excepcional analista de informações, «técnico coordenador» do Serviço de Informações de Segurança (SIS), adjunto do primeiro-ministro e alegado organizador de dossiês sobre adversários políticos (como Santana Lopes, no Inverno de 2007 - DN, de 6-11-2007) e que, segundo o DN, de 12-4-2006, acompanhava pouco discretamente o primeiro-ministro «praticamente em permanência»... Um sucessor aggiornato da velha tradição portuguesa da polícia e repressão política no centro do poder.
 
Filha de sapo sabe nadar.

Publicado por António Balbino Caldeira em 5/29/2010 05:23:00 PM   
publicado por luzdequeijas às 15:44
link | comentar | favorito

O ENSINO DEGRADA-SE !!!!

Três em cada quatro alunos copiam e alguns começam os "treinos" na escola primária

10:16 Lusa

 

Nas universidades, três em cada quatro alunos assumem copiar nos exames e 90 por cento destes já o faziam no liceu. Às cábulas tradicionais vieram juntar-se métodos partilhados na internet.

publicado por luzdequeijas às 15:30
link | comentar | favorito

ENTRETANTO PORTUGAL E ESPANHA AFUNDAM-SE!

Taxa de desemprego de Portugal é a quarta mais alta da OCDE

11:15 PÚBLICO

 

A taxa de desemprego em Portugal chegou aos 10,8 por cento em Abril passado, a quarta taxa mais elevada da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

publicado por luzdequeijas às 15:27
link | comentar | favorito

OS SÍMBOLOS QUE DESESPERAM OS SOCIALISTAS

                                                                                                    

 

O que significam os símbolos da Bandeira Nacional?

A esfera armilar manuelina, que já fora adoptada como emblema pessoal de D. Manuel I, consagra a epopeia marítima dos descobrimentos portugueses.

O escudo branco com as quinas representa a bravura, tenacidade, diplomacia e audácia com que foi efectuada a defesa na nacionalidade portuguesa.

As cinco Quinas, a azul que estão no escudo, representam as primeiras batalhas na conquista do País (os cinco reis mouros vencidos na Batalha de Ourique por D. Afonso Henriques). Em cada uma das quinas estão cinco pontos brancos que representam as chagas de Cristo que ajudou D. Afonso Henriques a vencer esta batalha.

Os sete castelos amarelos que estão na faixa carmezim que rodeia o escudo representam os castelos tomados aos mouros por D. Afonso III.

 

Os símbolos da Bandeira Nacional encontram-se protegidos pela lei podendo ser punido criminalmente em casos de desrespeito e afronta (Artigo 332º do Código Penal). De igual modo, espera-se que qualquer cidadão Português demonstre o seu respeito pela Bandeira Nacional com o descobrir a cabeça e manter-se de pé aquando do hastear e arrear da Bandeira (o mesmo comportamento que se deve ter quando se toca o Hino Nacional). Aos militares exige-se um compromisso muito maior:

 

"A Bandeira, o Estandarte e o Hino Nacionais, como símbolos da Pátria, estão acima de toda a hierarquia militar. Todos os militares têm portanto, a obrigação de lhes fazer continência, quando uniformizados, e de se descobrirem e perfilarem, quando em trajo civil, nas circunstâncias previstas nos artigos 52º e 56º."

(Regulamento de Continências e Honras Militares, Artº 10º, nº 1)

publicado por luzdequeijas às 15:12
link | comentar | favorito

CRUCIFIXOS ENFURECEM SOCIALISTAS

O Governo espanhol prepara uma lei sobre a liberdade de religião que prevê que o Estado respeite uma estrita "neutralidade" em matéria de religião.

Segundo um projecto-lei em elaboração, os crucifixos vão desaparecer das escolas públicas, dos hospitais e de todo o espaço público, enquanto os membros do Governo não mais deverão prestar juramento perante uma cruz durante as cerimónias de investidura. Também os funerais de Estado deverão realizar-se sem qualquer cerimónia de carácter religioso (a).

 

LUSA

 

(a) E A VONTADE DAS FAMÍLIAS DOS MORTOS? SERÃO ELES PROPRIEDADE DO ESTADO? E SERÁ O ESTADO PROPRIEDADE DE TAIS GOVERNANTES SOCIALISTAS? SE PERDEREM AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES PARA QUEM PENSE DIFERENTE, MUDA-SE A LEI RAPIDAMENTE? OU NÃO? TUDO ISTO REPRESENTA TACANHÊZ E FALTA DE SENTIDO DE ESTADO. É O SÓCRATES NO SEU PIOR !

publicado por luzdequeijas às 14:53
link | comentar | favorito

ESCUTAS ARRASADORAS

Sócrates pediu compra da TVI

Conversas com primeiro-ministro apagadas do documento

 

Documento ignorado por Mota Amaral tem mais de 50 folhas e é um resumo das 173 conversas gravadas pela PJ. Juiz sugeriu envio de cópias dos CD com conversas integrais.(...)

 

 

" A 28 de Maio, Paulo Penedos diz a Américo (Thomati) que está muito curioso com o que vai dar esta m.... da TVI. Américo diz que também está muito curioso. Penedos diz que Zeinal Bava já arranjou maneira de , não dizendo que não ao Sócrates, fazer a operação em termos que ele nunca aparece.

CM - 14-06-2010

publicado por luzdequeijas às 14:40
link | comentar | favorito

LIGAÇÕES ESTREITAS 1

VISÃO

 

Quem é Rui Pedro Soares, o administrador da PT que surge nas gravações como o alegado pivô do negócio TVI? 
 
Os dois momentos mais altos da sua, curta, carreira - tem 36 anos - tinham, até agora, sido estampados em T-shirts. E são a melhor ilustração da passagem dos anos por este jovem do Porto que integra o restrito conselho de administração onde se sentam os 25 executivos de topo de uma das maiores empresas portuguesas, a Portugal Telecom (PT). Foi de Rui Pedro Soares a ideia de estampar em centenas de T-shirts a imagem de Che Guevara e o poema que Manuel Alegre dedicou ao revolucionário argentino ("O foco guerrilheiro existe sempre / Em cada um de nós existe um foco / Uma guerrilha possível, uma insubmissão"), que a Juventude Socialista (JS) de Lisboa, então liderada por este jovem estudante de Gestão de Marketing, exibiu nas acções de campanha para as eleições legislativas de 2002. O PS perdeu, mas Rui Pedro, que já propusera a mudança da cor das bandeiras da jota de amarelo para vermelho, e que se candidatara à liderança da organização com a moção "Nós vamos pela esquerda", fez a sua declaração política.

Sete anos mais tarde, Rui continua a imprimir letras em T-shirts. Mas noutro campeonato. É ele quem negoceia os patrocínios da PT aos três grandes do futebol, Benfica, Sporting e Porto, o seu clube do coração que já lhe retribuiu o gosto com uma insígnia: é Dragão de Ouro e presença assídua no camarote presidencial do estádio portista. Nada que o tenha impedido de financiar os 11 milhões de euros gastos pelo Sporting em jogadores, no mercado de Inverno.

A sua biografia, no site da PT, é clara: "Rui Pedro Soares integra a Portugal Telecom em 2001, empresa onde tem vindo a consolidar a sua carreira profissional." A "consolidação" levou-o ao Olimpo da empresa, por indicação do accionista Estado, em 2006, onde aufere um montante anual de um milhão e duzentos mil euros, segundo contas do Diário Económico, a partir da tabela de remunerações fornecida pelas empresas do PSI-20, em 2009. Ou seja, Rui Pedro ganhará, por mês, 16 vezes mais que José Sócrates.

Como chegou ali? Essa era uma das perguntas que gostaríamos de lhe colocar, mas o administrador da PT não aceitou falar com a VISÃO. O deputado Sérgio Sousa Pinto, que o conhece há 16 anos, não lhe poupa elogios: "Tenho a maior consideração pessoal e profissional por ele. Acho muito injusto a imprensa estar a retratá-lo como um boy. Ele é alguém com muito valor, inteligência e muito capaz. Claro que a nomeação dele como administrador é fruto de um voto de confiança de quem o nomeou."


publicado por luzdequeijas às 12:16
link | comentar | favorito

LIGAÇÕES ESTREITAS 2

VISÃO

 

SALTO Á VARA

A sua ascensão acaba por se assemelhar à de Armando Vara, outro socialista de quem se fala no processo Face Oculta, e que passou de administrativo a administrador da Caixa-Geral de Depósitos e, mais tarde, do BCP. Ambos estavam na empresa e, graças aos contactos partidários, "consolidaram" a sua posição.

Quando, em 2004, os jornalistas falaram com ele, durante a campanha interna para a liderança do partido (que opôs Sócrates a Alegre e a João Soares), Rui Pedro foi descrito como um "informático". Era ele que geria a página online do candidato que acabaria por vencer. Mas perderia, nessa altura, um dos seus mais importantes aliados internos: João Soares, que não terá perdoado a "traição" do seu ex-discípulo - levara-o às listas para a Câmara de Lisboa (2001) e a um lugar de vereador sem pelouro, após a (imprevista) vitória de Santana Lopes. Aí, Rui Pedro tratou de fazer política concelhia, contra os rivais internos, Miguel Coelho e, sobretudo, Jorge Coelho, que ainda mandava no "aparelho".

Era a consequência de uma série de "guerras" na JS, após a saída do seu líder, Sérgio Sousa Pinto, em 2000. O secretariado cessante da Jota (que integrava, entre outros, os actuais secretários de Estado Marcos Perestrello, Rocha Andrade e o porta-voz do PS, João Tiago Silveira)   passou, de armas e bagagens, para a candidatura de Ana Catarina Mendes. Rui Pedro, quase sem apoios, candidatou-se. Ficou em último e, surpreendentemente, acabou por apoiar a candidata Jamila Madeira, na segunda volta. A JS quase que se partia. E Rui Pedro ficou "proscrito".
Além do trabalho político na concelhia de Lisboa, teve uma curta passagem pela direcção de marketing do banco Cetelem, uma sucursal de crédito ao consumo (com juros altos) do Banque Nationale de Paris/Paribas. Depois foi para a PT, tendo começado na antiga TV Cabo.

"Provavelmente, até fui eu quem o apresentou ao engenheiro Sócrates, assim como também apresentei [a Sócrates] o Marcos Perestrello e os outros que vieram a fazer a campanha dele para a liderança do PS, em 2004", recorda Sérgio Sousa Pinto. Na altura, José Sócrates não tinha apoios entre os jovens do partido. E o velho secretariado da JS reúne-se em seu redor. 

Meses antes, Rui Pedro colaborara com Luís Nazaré, no Grupo de Estudos do partido, durante a liderança de Ferro Rodrigues. Mais uma vez, tratou-se de um apoio técnico. "Prestou colaboração na área das telecomunicações, visto que ele era quadro da TV Cabo. Lembro-me, por exemplo, do enorme contributo que deu para a criação do site do Gabinete e em relação às múltiplas plataformas em que nos poderíamos alojar. Esteve connosco apenas alguns meses. Telefonou-me um dia a dizer que havia sido promovido na empresa e que deixaria de ter disponibilidade para continuar a colaborar. Achei perfeitamente normal que ele tenha ido à sua vida. Fiquei com a ideia de um rapaz de vinte e tal anos que queria evoluir profissionalmente naquela área e se calhar também politicamente", recorda Nazaré.


publicado por luzdequeijas às 12:13
link | comentar | favorito

LIGAÇÕES ESTREITAS 3

VISÃO

 

A LIGAÇÃO A PENEDOS

De facto, em dois anos, Rui Pedro foi promovido inúmeras vezes. De "consultor do conselho de administração" passou a "administrador executivo da PT Compras", em 2005, depois, a "presidente do conselho de administração da PT Imobiliária", em 2006 e, por fim, a membro executivo do conselho de administração da empresa. É ele que vai buscar o seu velho amigo Paulo Penedos, da JS, para assessor jurídico do seu gabinete. E é através das escutas montadas a Penedos que é "apanhado" na suspeita de "atentado ao Estado de Direito" que sobre si recai, depois de divulgados, pelo semanário Sol, os despachos do magistrado do Ministério Público de Aveiro e do juiz de instrução criminal do baixo Vouga, mandados arquivar pelo procurador-geral da República, por ausência de indícios criminais.

Sempre foi um político "de bastidores". Reservado, pouco dado à oratória, discreto. O oposto do seu amigo Penedos, visto como um "fanfarrão", que se gaba de conhecer meio mundo e se exibiu, numa campanha eleitoral autárquica, ao volante de um Ferrari vermelho.
Nas legislativas de 2005, conta um membro do staff de Sócrates, mantinham conversas regulares ao telemóvel: "O Paulo Penedos, enquanto membro da máquina de campanha, fartava-se de ligar ao Rui Pedro para ele, lá na PT, lhe arranjar telemóveis para o Sócrates - partia-se pelo menos um por semana", devido às "fúrias" do candidato, acrescenta.


publicado por luzdequeijas às 12:10
link | comentar | favorito

LIGAÇÔES ESTREITAS 4

VISÃO

O PLANO INCLINADO 

Maio de 2009. A PJ tem os telemóveis dos socialistas Armando Vara e Paulo Penedos sob escuta, por causa das suas supostas ligações ao sucateiro Manuel Godinho, no âmbito do processo Face Oculta. Mas das conversas entre o administrador do BCP e o consultor da PT ressalta para os investigadores a existência de um suposto esquema para controlar a TVI e tirar do ecrã Manuela Moura Guedes e as notícias sobre o Freeport. A 26 desse mês, dá-se o primeiro contacto entre Penedos e o seu correligionário Rui Pedro Soares, administrador da PT e que, alegadamente, se torna o pivô da compra da estação televisiva pela Portugal Telecom. As escutas trazidas à estampa pelo jornal Sol referem diversas idas de Rui Pedro a Madrid a fim de acertar com a direcção da Prisa - dona da TVI - os detalhes do negócio. Que não veria a luz do dia, após a polémica instalada pela divulgação da operação na imprensa, tendo o primeiro-ministro assegurado que, se a PT insistisse na compra, o Estado usaria a sua golden share para vetar o negócio. Sócrates garantiu sempre nunca ter sabido da intenção da PT de adquirir a TVI, mas, nas escutas, há referência a um jantar entre Rui Pedro Soares e o chefe de Governo e é insinuado em outras conversas o conhecimento que este último teria de todo o alegado esquema para controlar a TVI. Foi o que achou quer o procurador de Aveiro quer o juiz de instrução titular do caso Face Oculta. Só que enquanto o magistrado judicial afirmava existirem indícios muito fortes da existência de um plano, no qual Sócrates estaria envolvido, visando o controlo da estação, o procurador-geral da República, a quem foram remetidas as certidões para validação, desvalorizou esses elementos, tendo Pinto Monteiro decidido não avançar com um inquérito, alegando a falta de "indícios probatórios" da prática do crime de atentado ao Estado de Direito.


publicado por luzdequeijas às 12:06
link | comentar | favorito

NA MINHA CASA MANDA A FAMÍLIA

O Estado enquanto educador sexual
Inserido em 14-06-2010 08:48


 
Falhada a utopia de construir uma sociedade sem classes, os defensores da tese tentam agora construir uma sociedade igualitária, de preferência sem referências culturais, religiosas ou ideológicas.


A ideia é convencer as gerações futuras de que viver em liberdade é prescindir de optar; é, basicamente, tomar como certo e sem alternativa um modelo de sociedade que é enfiado na cabeça dos mais novos, desde tenra idade, no banco da escola.

Na senda deste projecto, entra em cena, no próximo ano lectivo, a educação sexual contada pelo Estado, por este Estado que não perde oportunidade ou poupa recursos para explicar às nossas crianças o que é o sexo. Uma matéria que o Estado conhece mais do que qualquer pai ou qualquer mãe que queiram ensinar outras coisas aos filhos. Isso, diz o Estado, é pôr ideias retrógradas nas cabeças das crianças.

É assim que este nosso querido Estado benfeitor quer construir uma sociedade moderna e sem complexos e, já agora, se puder ser, também sem capacidade de pensar pela própria cabeça.

Se tudo correr bem, espero que os meus filhos chumbem por faltas às disciplinas em que lhes quiserem ensinar aquilo que o Estado não tem direito de ensinar.

Está na hora de explicar ao Estado quem manda na nossa casa!



Raquel Abecasis

publicado por luzdequeijas às 11:58
link | comentar | favorito
Domingo, 13 de Junho de 2010

COM OU SEM MICROFONES !!

Obras públicas acendem o rastilho entre Cavaco Silva e governo Sócrates

 

Publicado em 05 de Maio de 2010   

 

Presidente da República recebe opositores das grandes obras. "É ao governo que compete governar", responde o ministro Vieira da Silva

 1318220.jpg

O Presidente da República recebe segunda-feira o grupo de antigos ministros das Finanças contestatários, em que se incluem Medina Carreira, Bagão Félix e Manuela Ferreira Leite, entre outros. Todos com a mesma opinião, pelo adiamento das grandes obras, a começar pelo comboio de alta velocidade. Ontem o ministro das Obras Públicas, António Mendonça, respondia que os ex-ministros “tiveram o seu tempo”. Deste modo: “Quero salientar que se trata de ex-ministros, que tiveram o seu tempo e as suas responsabilidades próprias, o tempo presente e as responsabilidades pertencem, neste momento, ao governo e aos ministros.”
O TGV conseguiu reacender o rastilho do confronto entre governo e Presidência, com o PS ao fundo. Depois de Cavaco Silva pedir a reavaliação dos grandes investimentos públicos e de ser conhecido o encontro de segunda-feira com os ex-ministros das Finanças, Vieira da Silva, o ministro da Economia que faz parte do chamado núcleo duro do primeiro-ministro, afirmou ontem: “As opiniões são livres no nosso país e têm sido expressas de forma muito intensa por muitos economistas e responsáveis”, mas “é ao governo que cabe governar”.
Também o vice-presidente da bancada parlamentar do PS, Ricardo Rodrigues, dizia ontem à TSF que o Presidente da República “quer entrar nessa contenda” e não pode “dizer que, ao receber um grupo de pessoas muito respeitáveis, todas elas ex-ministros e que já anunciaram que são contra os investimentos públicos do governo, que isto não tem significado político”.

 

 


publicado por luzdequeijas às 22:22
link | comentar | favorito

OUTRA EUROPA

A Europa deixou de ser um mito: é agora uma realidade, complexa e limitada. Não esperemos demasiado. Se as instutuições da integração aguentarem e contribuirem para preservar a paz, a democracia e os mercados no continente durante a agonia inevitável do actual Estado Social, já não seria mau. Ou antes: seria mesmo muito bom.

 

Rui Ramos

publicado por luzdequeijas às 22:15
link | comentar | favorito

A GLOBALIZAÇÃO E O NOSSO FUTURO

UMA VISÃO COM ALTA PROBABILIDADE

 

A "Globalização", tal como foi concebida, vai determinar a derrocada económica do ocidente que passará para segundo plano e será ultrapassado pelas novas superpotências que a globalização ajudou a criar: a China, a Índia e outros países. O Ocidente caiu na armadilha da globalização que interessava às grandes Companhias que pretendiam aproveitar-se dos baixos custos de produção no oriente. Todos sabem que o custo da mão-de-obra é insignificante no valor dos bens aí produzidos em virtude dos baixos salários e da inexistência de quaisquer obrigações sociais. Os países ocidentais perderam a aposta quando aceitaram a "globalização selvagem" sem exigirem aos países do oriente que prestassem às suas populações melhores condições sociais, como: regras laborais justas, melhores salários, menos horas e menos dias de trabalho, férias anuais pagas, assistência na infância, na saúde e na velhice. A única alternativa será a de nivelar os salários e as condições sociais no ocidente pelas do oriente e é a isso que estamos a assistir neste momento, enquanto algumas empresas não resistem à concorrência e fecham as portas por falência, outras fecham portas para se deslocarem para oriente. De qualquer maneira o resultado será sempre mais desemprego no ocidente em favor do oriente. Quanto aos trabalhadores, será que vão aceitar trabalhar a troco de um ou dois quilos de arroz por dia sem direito a descanso semanal, sem férias, sem reforma na velhice, etc? Não! Por isso o ocidente está já a iniciar um penoso caminhar em direcção ao caos: a indigência e o crime mais ou menos violentos irão crescer e atingir níveis inimagináveis apenas vistos em filmes de ficção que nos põem à beira do fim dos tempos como consta nos escritos bíblicos. Para desincentivar a deslocalização de empresas começam a ser-lhes dadas facilidades fiscais e de isenção nas contribuições para a Segurança Social, que serão cada vez mais pagas apenas por assalariados, pequenos comerciantes e pequenos industriais, o que não será suficiente para evitar as deslocalizações nem para financiar a SS com necessidades acrescidas. A democracia só é viável se existir uma classe média que assegure a manutenção do sistema económico; sem ela como esperam os políticos manter-se no poder? Como vão convencer os trabalhadores escravizados a votar neles? Será com o apoio de criminosos e outros marginais? Será que vão conseguir enganar a maioria dos trabalhadores e convencê-los de que a miséria é boa para eles?
Um dia esta convulsão irá estabilizar mas o centro do novo mundo económico estará então no oriente e a época áurea do ocidente pertencerá ao passado. As ruas encher-se-ão por cá de grupos de salteadores desesperados, sobrevivendo à custa do saque. Com o declínio da classe média, haverá apenas duas classes: a dos ricos (alguns à custa do crime violento e/ou económico), que habitarão autênticas fortalezas protegidas por todo o tipo de protecções e que apenas sairão rodeados por guarda-costas dispostos a matar ou a morrer pelos seus “senhores”; e a dos pobres, uma enorme mole de gente desocupada de mendigos e de salteadores lutando pela sobrevivência a todo o custo e cuja protecção apenas poderá ser conseguida quando em grupos. As ruas serão dominadas por bandos de marginais, ficando as polícias confinadas aos seus espaços e reservadas para reprimir as “explosões” sociais que possam surgir.
Os políticos, desonestamente, para justificarem o corte de regalias sociais, continuarão a lamentar a redução da "natalidade", num discurso perverso, escondendo que o desemprego será o futuro mais que provável para as futuras gerações, até porque a intervenção humana será cada vez mais desnecessária à produção face às novas tecnologias. E como não há uma melhor repartição da riqueza produzida (a nível global) não haverá a possibilidade de grande aumento de ocupações alternativas, como nas áreas do lazer, saúde, etc.
PS e PSD são os dois fiéis representantes em Portugal desta política,  de "Globalização", por isso não podem enjeitar os resultados que estão a surgir.

UM ANÓNIMO

publicado por luzdequeijas às 21:56
link | comentar | favorito

EM TRÊS TEMPOS - 1.º

CARTA ABERTA À FAMÍLIA ESPÍRITO SANTO

 

Cresci a ouvir falar da vossa família com uma reverência quase tão mística como a matriz bíblica do nome que vos designa. Em 1931, o vosso avô Ricardo foi mecenas de uma obra social fundada por minha avó, e é  em nome dessa memória afectiva que venho hoje galvanizar-vos.

Sabem? Herdeira genética do salazarismo, mas penitente pelos efeitos do seu regime, sinto-me hoje ludibriada por ter dado o benefício da dúvida a quem se perfilou na defesa das suas vítimas para agora as defraudar, apropriando-se de todos os tiques, luxos e vassalagens que, rusticamente, se associam à direita, e de que toda a Esquerda persistente deveria, ao menos, recatar-se.

Na verdade, devo a meu pai tudo o que sei de política: "Nenhum sistema ou nenhuma ideologia pode hoje considerar-se a salvo de suspeita".

Lição breve, mas que sobra para enxergar quando me enganam: o nosso primeiro-ministro está mais preocupado em encobrir o lóbi argentário que o assedia do que em escorar Portugal contra a calamidade mundial que afundará, em primeiro lugar, economias frágeis como a nossa.

Todavia, presenciar os ultrajes a que se presta - sem saber ou poder defender-se - não é um espectáculo menos triste do que assistir à demissão dos portugueses que, lesados, falidos e ultrajados por jogadas de bastidores, contam anedotas para expurgar a impotência.

 

RITA FERRO

 

PS: Uma pátria que ainda tem uma cidadã desta envergadura, não pode morrer. Mas, muito depressa, têm de ser afastados os desonestos, traidores e desumanos que nos afogam. Reis Luz

publicado por luzdequeijas às 16:28
link | comentar | favorito

EM TRÊS TEMPOS - 2.º

CARTA ABERTA À FAMÍLIA ESPIRITO SANTO

   

Sei que sabem: as "classes" acabaram finalmente, não por promessas de Abril - ingénuas nesta matéria - mas porque tantos operários como inteléctuais se irmanam hoje no garrote da penúria para que meia dúzia de plutocratas possam beneficiar-se com o que, em justiça, caberia a todos, segundo os chavões humanistas de que sempre se socorrem para burlar os eleitores.

Diverso, o vosso caso: o que se ouve neste momento, nas vossas costas,tanto nas salas como na rua, é que a força deste Governo não lhe advém dos cabelos, como em Sansão, mas da rectaguarda que o vosso Grupo lhe assegura para acautelar negócios que, com o alibi das metas europeias e a promessa de retornos delirantes, vão cavando a nossa sepultura. Refiro-me, claro, a todos estes investimentos - inoportunos nos prazos - em que Sócrates vem embarcando, com a chancela de consórcios financeiros onde, surpreendentemente, consta sempre o vosso Grupo: novas redes de auto-estradas, pornográficas para quem não tem que comer, o TGV para Madrid e a extravagância de uma terceira travessia sobre o Tejo; um aeroporto importante do ponto de vista logístico e estratégico, mas sem tráfego que justifique um projecto faraónico.

 

 RITA FERRO  

 

PS: Uma pátria que ainda tem uma cidadã desta envergadura, não pode morrer. Mas, muito depressa, têm de ser afastados os desonestos, traidores e desumanos que nos afogam. Reis Luz

 

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 16:03
link | comentar | favorito

EM TRÊS TEMPOS - 3.º

CARTA ABERTA À FAMÍLIA ESPIRITO SANTO  

 

É, pois, na qualidade de patriota angustiada, que vos rogo que recordem o seguinte a quem, de entre os vossos - tão endividado como nós, e a outra escala - possa também ressentir-se.

Ao contrário do vosso Grupo - e doutros modos claro, mas com menos pergaminhos - não teremos a Suiça como abrigo quando a lâmina da bancarrota nos cortar a jugular, pelo que será aqui mesmo, em solo lusitano, desonrados e perecendo entre escombros, que exalaremos o último suspiro.

Se nem isto os demover, pois então que se perfil, coerente, a fé cristã da família: estão em causa montantes capazes de salvar, literalmente, milhares de irmãos da desonra, da doença, da morte nos hospitais, sem cama nem assistência, e do recurso ao suicídio para o qual a Estatística nos tem vindo a alertar e que disparou, em flecha, desde o princípio da crise.

Confiem: lembrar-lhes isto seria o acto mais nobre da lealdade a Portugal, tratando-se de um Grupo que, desde o Estado Novo até hoje, tem podido prosperar graças à indulgência de todos os governos e à vista grossa de um povo já exangue.

Dirão que o GES está no seu papel e que cabe a Sócrates prevenir-se; direi eu, que estou no meu, que me cabe defender a minha pátria de quem quer que a ameace.

 

RITA FERRO

 

PS: Uma pátria que ainda tem uma cidadã desta envergadura, não pode morrer. Mas, muito depressa, têm de ser afastados os desonestos, traidores e desumanos que nos afogam. Reis Luz

 

publicado por luzdequeijas às 15:33
link | comentar | favorito

OUTRO TÍTULO DE JORNAL

CONSIDERO "NUNO CRATO" PESSOA DE MUITO BOM-SENSO, CONHECEDORA E COMPETENTE. ESSA É UMA RAZÃO PARA EU VALORAR MAIS AINDA TUDO O QUE ELE AFIRMA:

 

"OS ALUNOS BATERAM NOS MÍNIMOS. NÃO SÃO AVALIADOS PORQUE SE TEM MEDO DOS RESULTADOS"

 

Concluindo: " 5 000 GNR VIGIAM EXAMES"  - Desta vez, claro, acabou-se o medo, pois, 5 000 GNR para 260 mil estudantes desarmados, acho que devem chegar! Não acham ? Apesar de tudo parace-me que se esqueceram da "TROPA DE CHOQUE"

publicado por luzdequeijas às 15:13
link | comentar | favorito

TÍTULO DE UM JORNAL

"OS COMBOIOS JÁ NÃO PARAM NO ALENTEJO"

 

Agora sim. Agora já percebo a necessidade absoluta de implementar o TGV no Alentejo !!! Sem parar, mais vale o TGV, sempre anda mais depressa e não atrasa os passageiros que de MADRID vêm passar o fim-de-semana às praias da Costa da Caparica.

 

 

publicado por luzdequeijas às 14:55
link | comentar | favorito

DESASTRES

O psicólogo Eduardo Sá escreveu esta semana um texto no jornal ‘i’ que merecia mais ampla divulgação. Desde logo porque ele revela, nas suas linhas iniciais, o espírito que preside à ‘educação sexual’, uma disciplina que será obrigatória e que está pronta para entrar em vigor.

 

Por:João Pereira Coutinho, Colunista

 

Diz o dr. Sá: ‘A educação sexual nas escolas é algo que não merece discussão.’ Ora nem mais. Aqui temos o pluralismo e a abertura ao diálogo que define os especialistas na matéria. Um pluralismo e uma abertura que leva esta caridosa gente a fechar os filhos dos outros na sala de aula; e a distribuir pénis de esferovite pelo rebanho, com o simpático propósito de ensinar ‘afectos’. Pessoalmente, é-me indiferente que as escolas pátrias distribuam pénis de esferovite ou vaginas de contraplacado.

Mas ao tornar obrigatória uma disciplina que não respeita a sensibilidade e a autonomia dos pais, a ‘educação sexual’ é o exemplo paradoxal de como em nome da ‘abertura’ e da ‘tolerância’ se confere poder a pessoas manifestamente autoritárias e intolerantes. Uma receita para o desastre.

publicado por luzdequeijas às 14:33
link | comentar | favorito

ESPECIALISTA EM CRIANÇAS

A ASFIXIA SEXUAL

 

O ESTADO INSISTE em entrar pela minha casa a dentro. E já nem bate à porta: tem a chave. Qualquer dia intala-se, põe os pés em cima da mesa, monopoliza o comando, manda vir uma piza e dá ordens ao meu cão. O Estado insiste em dar educação sexual aos meus filhos e encomendou o serviço a uma associação qualquer sem me perguntar se quero. Devem achar que não dou conta do recado, que não sei. Cheira-lhes. Têm um dedinho que advinha, uma pulga atrás da orelha, foi um passarinho que lhes soprou ao ouvido. Qualquer coisa. Pergunto porquê? Conhecem-me de algum lado? Já agora, podiam fazer uma rusga pelo país para averiguar se os meninos comem a sopa em vez das gomas, ou se lêm os livros correctos, ou se lavam os dentes e as mãos. Podiam mesmo criar o Ministério do Grande Educador. Mas o defeito deve ser meu: esta crença cega na liberdade e na Democracia condiciona-me o raciocínio. Sendo eu uma perigosa democrata, acho que ninguém tem nada a ver com a educação sexual dos meus filhos, nem com a sua educação religiosa ou política. Muito menos o Estado, que não percebe patavina do assunto.

Uma das coisas mais irritantes da esquerda é esta mania alcoviteira de se meter na vida dos outros. Que seria apenas irritante se não houvesse poder à mistura. Mas há, o que a torna asfixiante e até perigosa. O resultado desta aventura da educação sexual é que a liberdade de escolha é só para os ricos. Os outros são obrigados a educar os filhos a meias com pessoas que não conhecem de lado nenhum. O Estado é que sabe. É A ESQUERDA,PÁ .

Inês Teotónio Pereira  

publicado por luzdequeijas às 13:56
link | comentar | favorito

DIVÓRCIO JUDEU

 

Divórcio judeu.

Antevéspera do Ano Novo Judaico. Boris Sylberstein, patriarca judeu, e a mulher, Sara,  moradores num Kibutz perto de Tel Aviv, visitam um dos seus filhos na capital de Israel:

─ Jacobzinho, odeio ter que te estragar o dia, mas o Pai precisa de te dizer que a Mãe e eu nos vamos separar, depois destes 45 anos!

─ O Pai enlouqueceu! O que é que está a dizer? ─ grita Jacob.

─ Já não conseguimos sequer olhar um para o outro. Vamos separar-nos e acabou-se! Liga à tua irmã Raquel a contar.

Apavorado, o rapaz liga para a irmã, que vive em Viena e conta-lhe a terrível notícia. Raquel fica em estado de choque, ao telefone:

─ Os nossos pais não podem separar-se de maneira nenhuma! Chama já o Pai ao telefone!

O ancião atende e a filha balbucia na maior emoção:

 ─ Não façam nada até nós chegarmos aí amanhã, ouviu? Vou telefonar também ao Moisés para São Paulo, ao Salomão para Buenos Aires, e à Ester para Nova Iorque, e amanhã à noite estaremos aí todos. Ouviu bem Pai?

Desliga, sem esperar pela resposta do Pai. O velho pousa o auscultador no descanso, vira-se para a mulher, e, sem que Jacob ouça, diz-lhe em voz baixa:

─ Pronto, Sara, vêem todos para a Ano Novo. Só que desta vez não temos de pagar as passagens!


 



 

 

publicado por luzdequeijas às 10:54
link | comentar | favorito
Sábado, 12 de Junho de 2010

NÃO, NÃO É MENTIROSO !!!!


Sábado, 12 de Junho de 2010
 

Um político que "não diz a verdade" não é "mentiroso". Talvez lhe pudessemos chamar de preferência "ALDRABÃO":

 


publicado por luzdequeijas às 22:21
link | comentar | favorito

DESORIENTAÇÃO TOTAL

Ninguém duvida de que o país atravessa uma situação complexa.

Todos percebem que ela não resulta de uma repentina mudança do mundo ou de um inesperado surto de desconhecidos especuladores. E também se sabe que só por insulto intelectual alguém pode afirmar que as medidas de austeridade que estão a ser adoptadas constituem a nossa abnegada contribuição para a salvação do euro! Do que se tem a certeza é de que estas medidas constituem um pesado sacrifício num horizonte temporal em que não se vislumbra o fim. Neste contexto, seria essencial que os cidadãos pudessem ter confiança no rumo que está a ser seguido. Mas a confiança não se decreta nem se impõe.

A confiança constrói-se. E para a construir é necessário, acima de tudo, que se defina uma estratégia coerente e clara das opções a tomar, uma linha de conduta sem hesitações. Ora, aquilo a que temos assistido não podia ser mais contrário a tudo isto.

Se existe algum plano, ele foi elaborado sem medir as consequências, sem avaliar os resultados e sem ponderar a sua execução. Quando o que é dito hoje é desdito amanhã e se atinge o ponto de se suspenderem medidas que nem chegaram a entrar em vigor, já tudo se espera, já nada nos espanta.

O que parece claro é que o ponto mais sério desta crise está na irremediável desorientação do Governo.

Manuela Ferreira Leite

Texto publicado na edição do Expresso de 29 de Maio de 2010

publicado por luzdequeijas às 21:47
link | comentar | favorito

DESERTIFICAÇÃO DO CONDENADO INTERIOR

Seja qual for a razão do ministro da Economia, o manifesto excesso da reacção enquadra-se, sim, na interminável espiral de disparates em que o Governo entrou e para a qual não se vislumbra bom termo.

De facto, mesmo que não pareça lá fora, o Governo tirou férias cá dentro.

E bem pode clamar Cavaco contra as ingerências da Comissão Europeia mais as suas recomendações – não fosse isso e não haveria esperança possível.

Este Governo já não governa ou, nos casos em que insiste governar, governa mal.

Sem timoneiro, os ministros e secretários de Estado andam completamente à deriva.

Semana após semana, tão depressa aparece um secretário de Estado a dizer coisa diferente do seu ministro (aconteceu com Bernardo Trindade, por exemplo, na questão do ‘vá para fora cá dentro’), como há ministros a desdizerem-se uns aos outros (veja-se como a flexibilização do Código Laboral pôs a ministra do Trabalho em clara contradição com o ministro das Finanças), já para não falar dos ministros que se negam a si próprios (é elucidativo o caso de Isabel Alçada e o fecha-não-fecha escolas com menos de duas dezenas de alunos – mais uma medida ou não-medida de incentivo à desertificação do condenado Interior).

É disparate e desgoverno a mais.

 

A crise não serve de desculpa para tudo. Nem os cálculos ou tacticismos eleitorais.

O PSD está obviamente interessado em prolongar a agonia de Sócrates e em livrar-se do ónus eleitoral das inevitáveis medidas de austeridade.

Mas o Governo do PS vegeta ante o estado comatoso do país.

A situação política degrada-_-se dia após dia e já roça a insustentabilidade.

A crise económica financeira desaconselha a precipitação de eleições antecipadas.

Até porque ninguém está interessado nelas: nem o Presidente, nem obviamente o partido do Governo, nem o principal partido da oposição, nem até os mais pequenos (que, assim, ainda têm um peso relativo, que podem muito bem perder a avaliar pelas sondagens).

Ora, se, como dizem os chineses, a crise também é uma oportunidade, há que saber aproveitá-la.

Porque, sinceramente, não se vê solução no curto prazo.

E depois das presidenciais pode bem ser tarde demais.

Por essa altura, muitos portugueses já não terão outro remédio senão limitar-se a passar férias cá dentro e ir procurar trabalho lá fora...

Publicadopor MRamires |
publicado por luzdequeijas às 19:21
link | comentar | favorito

TURISTAS PROFISSIONAIS

A China parece que deixa os ministros da Economia de Sócrates de olhos em bico.

Há um par de anos, Manuel Pinho foi crucificado por ter ido lá propagandear a mão-de-obra barata em Portugal como factor positivo para a competitividade e capacidade de atracção de investimento estrangeiro.

 

Agora, foi o também voluntarioso Vieira da Silva quem, em Xangai, resolveu atacar Cavaco Silva por exortar os portugueses a aproveitarem as férias para irem para fora cá dentro, porque, considerou o ministro, se todos os chefes de Estado resolvessem fazer semelhante apelo, Portugal ficaria a perder.

 

Nem Pinho nem Vieira da Silva disseram inverdade alguma. Simplesmente, um e outro foram absolutamente desastrados nas respectivas declarações.

Pinho já lá vai e já não importa, mas fica sempre mal a um responsável ministerial congratular-se com os baixos salários dos seus governados.

Vieira da Silva, além de ministro em funções, é político experiente e, por isso, devia saber medir as suas palavras, sobretudo tratando-se de reacção a afirmações proferidas pelo Presidente da República.

 

Porventura, Vieira da Silva achou que as declarações do Presidente se dirigiam aos próprios governantes, que andam numa roda viva pelo estrangeiro, tipo turistas profissionais, tentando convencer-nos de que a ‘diplomacia económica’ é a chave para a saída da crise.

 

E Sócrates vai à Venezuela de dois em dois anos assinar contratos que não saem do papel ou ao Brasil para, por junto, tomar café com Chico Buarque, seja lá a pedido de quem for; Teixeira dos Santos já parece que tem um part-time em Bruxelas para levar umas festas de Juncker na cabeça e uns valentes carolos dos comissários europeus nas Finanças e na Economia do país; e Vieira da Silva anda na China a dizer tontices...

 

Publicadopor MRamires |

publicado por luzdequeijas às 19:18
link | comentar | favorito

O FUTURO ESTÁ NEGRO

Os factores que potenciaram a crise nacional são irreversíveis – e a globalização não vai andar para trás.

Assim, vamos ter de nos adaptar à nova situação, o que significa de uma maneira simples trabalhar mais e ganhar menos.

Os salários vão baixar (lenta ou abruptamente) entre 10 e 30%, os horários de trabalho vão aumentar (com a abolição total das horas extraordinárias), o 13.º e 14.º meses vão ficar em causa, a idade da reforma também vai ser ampliada (para perto dos 70 anos), o rendimento mínimo garantido vai regredir drasticamente, o subsídio de desemprego também vai  diminuir, a acumulação de reformas vai ser limitadíssima.

 

Muitas ‘conquistas dos trabalhadores’ na Europa, obtidas no pós-_-guerra, vão regredir.

As leis laborais vão ter de ser flexibilizadas.

O sistema de saúde não  vai poder continuar a gastar o que tem gasto.

Preparem-se, porque não vale a pena protestar.

O que não tem remédio, remediado está.

Dizia há dias, com graça, Ernâni Lopes, a propósito do subsídio de férias: «Se dissessem a um americano: ‘Para o mês que vem não trabalhas e ganhas dois ordenados’, ele não acreditava».

Pois  há muitos anos é esta a situação: não trabalhamos nas férias e recebemos o dobro.

Isto vai acabar.

Publicadopor JAS |
publicado por luzdequeijas às 19:13
link | comentar | favorito

SEM CONCURSO PÚBLICO

A comissão Europeia informou, agora, estar «preocupada porque Portugal não cumpriu as suas obrigações ao não abrir à concorrência os contratos para o fornecimento de computadores portáteis a estudantes e professores» do programa e-Escolas e dá dois meses ao Governo português para «responder de forma satisfatória», sob pena de «levar o caso ao Tribunal de Justiça» europeu. No que diz respeito ao afamado minicomputador Magalhães, do programa e-escolinhas, Bruxelas suspendeu o procedimento sancionatório depois de o Executivo de Sócrates dar garantias de ter passado a sujeitar a concurso público o seu fornecimento.

 

E qual foi a extraordinária reacção do secretário de Estado das Comunicações perante tal admoestação? «As dúvidas terminaram!», exclamou um sorridente Paulo Campos. Que teve, ainda, o topete de acrescentar: «Quero congratular-_-me com a decisão da Comissão Europeia de arquivar o procedimento» relativo ao Magalhães. Ou seja, o Governo reage como um delinquente que, após ser julgado por uma falcatrua, sai do tribunal a exultar com o facto de ter sido condenado com pena suspensa. «Como vêem, não fui preso, o processo está arquivado e as dúvidas terminaram!», diria o risonho trapaceiro.

Acrescente-se que a comissão de inquérito parlamentar à distribuição dos computadores Magalhães acaba de concluir que o Governo violou as regras «de confidencialidade, de transparência e de sã concorrência» ao entregar, sem concurso público, à empresa JP Sá Couto a produção e distribuição de mais de 400 mil computadores Magalhães. O que diz a isto o impenitente secretário de Estado Paulo Campos? Que «é uma atitude mesquinha» da Oposição, que apenas quer fazer «combate político a um programa de sucesso do Governo».

 

jal@sol.pt

publicado por luzdequeijas às 19:05
link | comentar | favorito

POLÍTICA SEM VIRTUDE, NÃO !!!

A propensão deste Governo para o clientelismo partidário e o amiguismo empresarial é capaz de perverter e estragar até boas ideias, como foi a distribuição dos Magalhães aos alunos do Ensino básico.

E a tendência para negar a realidade e tentar desmentir os factos mais evidentes e incontroversos tornou-se um hábito incorrigível deste Governo já fora de prazo. O extraordinário Paulo Campos não se cansa de o demonstrar. Um verdadeiro malabarista.   

jal@sol.pt

 

publicado por luzdequeijas às 19:02
link | comentar | favorito

É DISTO QUE PORTUGAL PRECISA

DISTO, NÃO DAS OBRAS PÚBLICAS QUE ESSA CLASSE DE JOVENS IMBERBES DEFENDE, FEITOS GESTORES E POLÍTICOS COM A COBERTURA DE UM DETERMINADO BANCO, ATÉ AO LIMITE E À OFENSA DO POVO PORTUGUÊS!!!

 

80 amostras esgotaram

 

O primeiro perfume 'made in Açores' foi criado por quatro alunas da Escola Secundária Antero de Quental, em Ponta Delgada, num trabalho de área projecto cujo sucesso fez esgotar as primeiras 80 amostras do novo aroma.

Estudantes criam primeiro perfume ‘made in Açores’

"Foi uma aventura porque, quando decidimos fazer o trabalho, nem sabíamos bem como fazê-lo, fomos praticamente de olhos fechados", afirmou Patrícia Almeida, uma das criadoras do perfume, em declarações à Lusa.  

A ideia da disciplina de área projecto era desenvolver um trabalho de investigação, mas Patrícia Almeida, Carolina Aguiar, Elsa Pacheco e Andreia  Machado acabaram por conceber uma fragância para mulher, a que deram o nome  'Wish'.  

"Tentamos extrair óleos essenciais de frutos e plantas, mas não deu muito certo, pelo que decidimos comprar os óleos essenciais no comércio local e, através de mistura, chegar a uma fragrância", frisou Patrícia Almeida. 

O resultado final resultou de "uma mistura casual feita por uma aluna numa aula", depois de já terem tentado "mais de 30 combinações diferentes". 

Apesar de pretenderem manter "bem guardado o segredo" da composição do primeiro perfume açoriano, Carolina Aguiar revelou que "tem um aroma  adocicado e é composto essencialmente por uma combinação de óleos naturais", pelo que não deve provocar alergia.  

Quanto à escolha do aroma, teve em conta as "preferências" da comunidade escolar, na sequência de um questionário elaborado junto de alguns alunos. 

A embalagem escolhida para o 'Wish' resultou de um concurso promovido juntos dos alunos da área de Artes e a produção publicitária também contou  com o apoio de estudantes da Escola Secundária Antero de Quental.   

No final de "três períodos letivos de intenso trabalho", o 'Wish' foi  apresentado esta semana em Ponta Delgada, tendo Andreia Machado revelado  que "o nome representa o grande desejo de ver concluído o projeto".  

Nesta primeira fase, foram feitas sete embalagens de 36 ml, que foram oferecidas às entidades que apoiaram o projeto, e 80 de 8 ml, que esgotaram  com as vendas na escola, a 1,50 euros a unidade para "garantir alguma recuperação financeira" do investimento feito nos reagentes para a elaboração do perfume. 

Na próxima semana, vão ser fabricadas mais 40 amostras, que "já têm encomendas" na comunidade escolar.  

publicado por luzdequeijas às 17:05
link | comentar | favorito

UM PAÍS ENCALHADO

 

Este país à beira-mar plantado vive uma situação insólita. Quase toda a gente acha que o Governo já não tem condições para enfrentar e resolver os graves problemas que o afectam. Mas, as mesmas pessoas consideram que não há condições para substituir o Governo. Estranho, não é?

 

Uma crise política, dizem, em cima de uma crise económica seria desastroso, catastrófico, um verdadeiro fim do mundo. Por isso, mais vale continuar assim. Até quando? Até Maio do próximo ano, ou seja, até ao momento em que, após reeleito, o novo Presidente da República poderá convocar eleições.

 

Mesmo aqueles que defendem a não realização de eleições em 2010, acham que elas são inevitáveis algures em 2011. Ou seja, o que está em causa não é a questão de saber se há eleições antecipadas ou não. É quando é que elas irão ocorrer. Ora, se isto não é uma crise política é o quê?

 

O que temos, pois, é um Governo frágil a caminho da queda e uma oposição que ainda não pode ser governo, por meras razões tácticas. Esta é uma definição clássica de desagregação do poder. Noutros contextos históricos resultou em tumultos e até em revoluções, algumas com sucesso outras apenas tentadas.

 

Tudo isto se vai arrastar durante um ano, durante o qual assistiremos a uma guerrilha de desgaste, a manobras de bastidores e a um realinhamento das forças que directa ou indirectamente mandam no país. A táctica vai prevalecer sobre a estratégia, a intriga será mais importante do que a acção. Se isto não é uma crise política é o quê?

 

Não vale e pena esconder o sol com a peneira. O que temos é uma crise política em cima de uma crise económica. O que temos é uma crise política que resulta de um impasse político. O que temos é umas eleições presidenciais que condicionam a actuação de todos os partidos, sobretudo os da oposição. O que temos é um Presidente da República que não quer aborrecimentos até ser reeleito (se for, claro).

 

Isto é o que vamos ter durante um ano. Alguns chamam-lhe estabilidade. Como? Estabilidade? Nada há de mais instável para a economia, ou seja, para os agentes económicos que não saber com o que contar. É ter um governo em que não acreditam e que está a prazo. É ter um governo desorientado e em fim de ciclo, que hoje diz uma coisa e amanhã outra, que todos os dias anuncia novas medidas. Isto é instabilidade.

 

É anteciparem, ainda, que daqui a um ano, termos novo governo, uma nova política e novos interlocutores. De que ainda não sabem nada e, por isso, é melhor esperar para decidir. Isto é pior do que a instabilidade. É o impasse. É adiar o país por um ano.

 

É nas grandes crises que se forjam os grandes estadistas. A grande depressão dos anos 30 deu-nos um Roosevelt, a II Guerra Mundial um Churchill, a queda do muro de Berlim um Kohl. Só para dar alguns exemplos. A crise que estamos a viver na Europa é também uma crise de grandes homens de Estado. Líderes com carisma e coragem para mudar a história. Homens que não se resignem ao impasse, aos ciclos políticos e eleitorais. Políticos em quem as pessoas possam acreditar.

 

l.s.marques@sapo.pt

 

Texto publicado na edição do Expresso de 5 de Junho de 2010

publicado por luzdequeijas às 16:43
link | comentar | favorito

O FECHO DAS ESCOLAS

A ministra da Educação afirmou, peremtória, que o fecho das escolas tem em vista apenas o interesse das crianças. O fecho das escolas tal como o historial recente de fecho de centros de saúde, urgências e maternidades, no interior do país e na zona raiana de Portugal, devia ser motivo de grande reflexão. (... ) É como se houvesse um plano oculto que se desenvolvesse paulatinamente para a desertificação do país. Para o fecho do país. Resta-nos ver passar os comboios: de alta velocidade, para Madrid!

Filpa Campos - Belas

publicado por luzdequeijas às 16:22
link | comentar | favorito

O FASCISTA DOS MORANGOS

Meus caros, eu quero fruta nacional. Estou farto de não encontrar fruta portuguesa nos supermercados. Nem a Dona Felisberta, da mercearia que paga 10 euros de renda, tem morangos dos nossos. Ando e volto a andar, varro e volto a varrer as prateleiras com os olhos, mas não acho a bela nêspera portuguesa. As senhoras do "super" já me conhecem como o "neurótico da fruta" ( o que é triste, porque antes eu era o "giraço dos iogurtes"). Meus amigos capitalistas-donos-de-supermercados, eu prefiro apanhar o escorbuto a comer nêsperas e morangos espanhois. Sim, é verdade, sou um bocado de extrema-direita na minha frutinha. Nos moranguinhos, então, sou mesmo fascista.

Herique Raposo

publicado por luzdequeijas às 16:08
link | comentar | favorito

A NECESSIDADE DE UM NOVO AEROPORTO RUIU !!

COMO ERA DE ESPERAR HÁ UM RECUO NA UTILIZAÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO, MESMO SEM VULCÃO: ERA FÁCIL DE PREVER, PARA QUEM NÃO ESTÁ À ESPERA DE NEGÓCIOS

 

Tráfego aéreo na Europa caiu 15,8 por cento em Abril

11.06.2010 - 15:59 Por Raquel Almeida Correia

As 36 maiores companhias de aviação europeias foram prejudicadas pelas restrições aéreas impostas por causa da erupção do vulcão islandês. Portuguesa TAP teve quebra de 7,9 por cento.

 

publicado por luzdequeijas às 12:34
link | comentar | favorito

A MENTIRA CAMPEIA !!!

As últimas conclusões dispostas no relatório do deputado bloquista João Semedo concentram-se na intervenção do Governo na tentativa de compra da TVI pela PT - feita "em duas fases e de duas maneiras diferentes".

Notando que "desde data desconhecida e até 25 de Junho" o Governo não manifestou "qualquer reserva" face às negociações, Semedo frisa que a 25 de Junho, num momento em que a PT e a Media Capital prosseguiam as conversações, José Sócrates e Mário Lino, então ministro das Obras Públicas, manifestaram a sua oposição ao negócio, "perante o debate público desencadeado, a intervenção do Presidente da República e a discussão no Parlamento".

Ora, sublinha o relator, esta decisão foi tomada numa altura em que o primeiro-ministro e Mário Lino afirmavam não ter qualquer conhecimento sobre o negócio, "como os próprios reconheceram", e no mesmo dia em o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, disse que "segundo os intervenientes o negócio não se confirma". Aponta Semedo que estes mesmos intervenientes desmentiram Silva Pereira duas horas depois de o ministro ter feito estas declarações, no final de um Conselho de Ministros.

Face às palavras de Cavaco Silva e ao debate no Parlamento, o Governo, "por razões políticas do seu exclusivo interesse, viu-se forçado a acabar com o negócio, em contradição com as afirmações anteriores do primeiro-ministro: 'O Governo não dá orientações... sobre negócios que tenham em conta as perspectivas estratégicas da PT' e 'a PT é uma empresa com autonomia, pode e deve desenvolver os seus negócios com total autonomia'".

Posto isto, o relator escreve: "A intervenção do Governo conduz ao fim do negócio precisamente no dia em que a PT e a Prisa tinham inicialmente previsto a sua concretização e sem que qualquer uma delas tivesse declarado desistir da sua realização."

 

PUBLICO





publicado por luzdequeijas às 12:26
link | comentar | favorito

A COMUNICAÇÃO SOCIAL QUE TEMOS

A comunicação social pode e deve ter um importante papel em termos de informar e formar (não formatar) os cidadãos.

 

Por:António Martins, Presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses

 

O seu bom desempenho pode ajudar a uma maior consciência social e a uma melhor democracia. Mas não é isso que temos. A relação da imprensa com a justiça é patológica. Sempre à procura do sangue e da lágrima, do escândalo, nunca a ver o normal e, muito menos, o positivo.

Vem isto a propósito da auditoria da Medel sobre a justiça portuguesa, esta semana objecto de notícias, construídas à volta de "pressões" em relação a um juiz e uma menor articulação entre MP e PJ.

Passaram completamente à margem, como se não fizessem parte do relatório, outros aspectos aí salientados pelos peritos, que não constaram "observações que permitam falar em interferências extrajudiciais na independência judicial", que "os magistrados, bem como os advogados e os deputados assinalaram que os meios económicos para a justiça são insuficientes" e que "os advogados… não assinalaram a existência de nenhum problema de corrupção ligado à magistratura".

No dia em que os cidadãos olharem para a imprensa, com olhos de ver, a falência é o destino deste tipo de comunicação social.

publicado por luzdequeijas às 12:16
link | comentar | favorito

PURA HIPÓCRISIA

Mentira sem consequência

José Sócrates disse no Parlamento que não sabia do negócio PT-TVI. A proposta de relatório final da comissão de inquérito diz que o primeiro-ministro tinha conhecimento do processo, mas há uma expressão que não consta das mais de cem páginas de João Semedo, nem dos anexos: é a palavra "mentira".

 

Por:Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

 

Parece um exercício digno de uma escola de sofistas: o primeiro-ministro não contou a verdade, mas formalmente a comissão não o pode acusar de mentira, a palavra proibida que, levada às últimas consequências, obrigaria os partidos que votassem nesse sentido a aprovar também uma moção de censura ao Governo.

Pedro Duarte, coordenador do PSD na comissão, disse que é convicção do seu partido que houve uma operação política, com conhecimento do primeiro-ministro, no sentido de controlar vários órgãos de Comunicação Social. No entanto, o PSD parece não ter pressa. Marcelo disse que é "preciso esperar que passe esta crise para substituir o Governo". Nem o Presidente da República, que tem na mão a chave política nestas matérias, tem interesse em marcar até Setembro eleições legislativas antecipadas. Há quem chame "ética de responsabilidade" a estes exercícios de pura hipocrisia, mas é triste que a verdade seja demasiadas vezes torturada na política portuguesa.

publicado por luzdequeijas às 12:09
link | comentar | favorito

EM LUGAR DE SOFISMAS ::.

ALGUÉM LIBERTO DE CULPAS, MANDARIA PÚBLICAR TODAS AS ESCUTAS

 

Despachos: Magistrados dizem que ‘caso TVI’ só se percebe com escutas

Provas só com escutas

A divulgação das escutas relativas ao caso PT-TVI é defendida e aconselhada pelo procurador de Aveiro, Marques Vidal, e pelo juiz António Costa Gomes.

 

Por:Hugo Real

 

"Não temos dúvidas em afirmar que o ‘caso TVI’ apenas se percebe com a análise de tais produtos [escutas a Paulo Penedos e a Armando Vara]", diz o juiz Costa Gomes, que defende que o envio dos resumos das escutas à comissão de inquérito (CI) "não afecta o direito fundamental à palavra e intimidade da vida privada", uma interpretação que vai contra a decisão de Mota Amaral, presidente da comissão, que impediu que estes resumos fossem utilizados nos trabalhos da CI.

Marques Vidal partilha da opinião do seu colega, e vai mais longe. "O ‘caso TVI’ só tem induzido perturbações na investigação desenvolvida no processo ‘Face Oculta’, perturbações a que urge pôr termo com a divulgação, no mínimo, da participação de todos os despachos proferidos pelos magistrados do Ministério Público (MP) e judiciais que nele tiveram intervenção". Marques Vidal adianta que "não existe prejuízo para a investigação decorrente da divulgação dos despachos ", até porque o "caso TVI é uma questão incidental do caso ‘Face Oculta’".

Pelo contrário, diz que existe um "interesse objectivo na divulgação", já que o caso tem sido "a fonte principal de todas as manobras de descredibilização e de pressão mediática que se tem exercido sobre o grupo de investigação da PJ de Aveiro, sobre os magistrados e funcionários do DIAP da Comarca do Baixo Vouga, sobre o juiz de instrução e até sobre a própria estrutura hierárquica superior do MP". Estes despachos foram revelados pela comissão de inquérito, depois de Pacheco Pereira ter ameaçado torná-los públicos.

publicado por luzdequeijas às 12:02
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

A RETÓRICA DE ALGUNS POLÍTICOS

Olhando sobretudo a partir da crítica de Platão à retórica, poder-se-ia pensar que a retórica não passaria de uma técnica de domínio pela linguagem, extensível a qualquer actividade humana. Que essa foi, aliás, a compreensão e a aplicação que os sofistas fizeram da retórica como arte demagógica, aplicável tanto na democracia, como na tirania, ou em qualquer outro regime político.

A retórica seria apenas um instrumento de persuasão dos outros, fosse para que fim fosse, de persuadir pela palavra os Juízes no Tribunal, os senadores no Conselho, o povo na Assembleia, enfim os participantes de qualquer espécie de reunião política e, assim, com esse poder fazer seus escravos o médico e o professor de ginástica, até o grande financeiro. A democracia, necessariamente fundada na eloquência, representava um risco para a sociedade. Essa grande e gloriosa eloquência de outrora é filha do desregramento a que os tolos chamam liberdade. Os sofistas foram sem dúvida os grandes cultores da retórica. Daí também que a retórica seja frequentemente entendida como uma sofisticação, como um discurso de sofisma, de truques lógicos, jogos de palavras, que vencem, mas não covencem. É essa a imagem que os próprios gregos, nomeadamente filósofos e escritores como Sócrates, Platão e Aristófanes, dão dos seus retóricos. 

publicado por luzdequeijas às 19:46
link | comentar | favorito

SÓCRATES ABRIU O ODRE DOS VENTOS UIVANTES !

O VENDAVAL QUE PERCORRE O NOSSO PAÍS ARRASA TUDO !!!

 

Conta-se que Zeus, Deus dos céus e pai dos Deuses, deu a superintendência dos ventos a Eólo, que vivia na ilha flutuante de Eólia juntamente com Aurora, sua mulher, e os seus 6 filhos e as suas 6 filhas, casados entre si. Quando Ulisses saiu da ilha, foi-lhe dado um odre que continha os "os ventos uivantes" podendo ser libertados consoante as necessidades. O sopro de Zéfiro foi então enviado para ajudar os barcos a afastarem-se e a prosseguirem a sua odisseia. No entanto, a curiosidade e a ganância dos homens fez com que estes abrissem o odre, pensando que continha riquezas, libertando assim os ventos e desencadeando uma tempestade na qual se afundariam, salvando-se apenas Ulisses. Claro que na mitologia moderna a explicação é outra, mas Sócrates nunca se afastará destes tempos bem recuados, pois vive totalmente dependente da "retórica da cultura grega", e sem ela perde-se... e com ela também!!!

 

António Reis Luz

publicado por luzdequeijas às 19:19
link | comentar | favorito

NEM SERIA PRECISO COMISSÃO DE INQUÉRITO

28 Junho 2009 - 00h30

A Voz da Razão

O país das maravilhas

Na passada quarta, o primeiro-ministro garantiu aos portugueses que nada sabia sobre o negócio PT/TVI. A declaração no Parlamento já roçava o inacreditável: detentor de uma ‘golden share’ na PT, e tendo a Caixa Geral de Depósitos como uma das accionistas, era preciso viver dentro de uma caverna, isolado do mundo e dos homens, para que o eng. Sócrates pudesse alegar desconhecimento.

Ontem, pelo ‘Expresso’, o pormenor que faltava: o governo conhecia o negócio há, pelo menos, seis meses. No momento em que escrevo, não houve ainda desmentido da notícia, o que permite concluir duas coisas. Primeiro, que o primeiro-ministro terá mentido. E, segundo, que a mentira pública de um primeiro-ministro não perturba um único cristão. Portugal não existe. O que existe é um país das maravilhas.

João Pereira Coutinho, Colunista do CM   28-06-2009

publicado por luzdequeijas às 17:24
link | comentar | favorito

PORTUGAL MORREU ?

              

 

29 Junho 2009 - 09h00

Estado do Sítio

Offshore socialista

A última novidade do Governo socialista do senhor presidente do Conselho é uma coisa chamada Fundação para as Comunicações Móveis. Esta entidade, cozinhada no gabinete do ministro Lino ex-TGV e ex-aeroportos da Ota e Alcochete, foi a contrapartida exigida pelo Governo a três operadores para obterem as licenças dos telemóveis de terceira geração. É privada, tem um conselho geral com três membros nomeados pelo Executivo e um conselho de administração com três elementos, presidido por um ex-membro do gabinete do impagável Lino, devidamente remunerado, e dois assessores do senhor que está cansado de aturar o senhor presidente do Conselho e já não tem idade para ser ministro.

Chegados aqui vamos à massa. Os três operadores meteram até agora na querida fundação 400 milhões de euros, uma parte do preço a pagar pelas tais licenças. O Estado, por sua vez, desviou para esta verdadeira offshore socialista 61 milhões de euros. E pronto. De uma penada temos uma entidade privada, que até agora sacou 461 milhões de euros, gerida por três fiéis do ministro Lino, isto é, três fiéis do senhor presidente do Conselho. É evidente que esta querida fundação não é controlada por nenhuma autoridade e movimenta a massa como quer e lhe apetece, isto é, como apetece ao senhor presidente do Conselho.

Chegados aqui tudo é possível. Chegados aqui é legítimo considerar que as Fátimas, Isaltinos, Valentins, Avelinos e comandita deste sítio manhoso, pobre, deprimido, cheio de larápios e obviamente cada vez mais mal frequentado não passam de uns meros aprendizes de feiticeiro ao pé da equipa dirigida com mão de ferro e rédea curta pelo senhor presidente do Conselho.

Chegados aqui é legítimo dar largas à imaginação e pensar que a querida fundação, para além de ter comprado a uma empresa uma batelada de computadores Magalhães sem qualquer concurso, pode pagar o que bem lhe apetecer, como campanhas eleitorais do PS e dos seus candidatos a autarquias, e fazer muita gente feliz com os milhões que o Estado generosamente lhe colocou nos cofres.

Chegados aqui é natural que se abra a boca de espanto com o silêncio das autoridades, particularmente do senhor procurador-geral da República, justiceiro que tem toda a gente sob suspeita. Chegados aqui é legítimo pensar que a fundação privada criada pelo senhor presidente do Conselho é um enorme paraíso fiscal, uma enorme lavandaria democrática.

António Ribeiro Ferreira, Jornalista
publicado por luzdequeijas às 17:21
link | comentar | favorito

CANAIS DE DRENAGEM PARA "OFF-SHORES"

PODRIDÃO

Pântanos

11/02/09 00:01 | João Paulo Guerra 

 

O general Garcia Leandro, na qualidade de presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo - OSCOT, deu a entender que a criminalidade económica-financeira "eclodiu" no final do ano passado pelo que vai ser a grande revelação da terceira exposição do Observatório, depois de análises anteriores terem detectado e quantificado a criminalidade violenta e o crime contra o património.

 

A verdade é que a criminalidade económico-financeira é tão antiga que é mesmo anterior à velha moda dos colarinhos brancos. Em Portugal é antiquíssima e hoje será difícil aos limnólogos localizarem as origens exactas do pântano português.

É verdade que quem primeiro falou no pântano foi o engenheiro António Guterres. Disse em 2001, depois de perder as autárquicas, que se ia embora para evitar o pântano. Mas se algumas pantanosas figuras vêm dos tempos de Guterres, não é menos verdade que se revelam hoje paludosas criaturas anteriormente empantanadas, se não com a fama pelo menos com largo proveito. O pântano é riquíssimo em nutrientes e tem muitas outras vantagens: não passa nem exige facturas, não cobra IVA, não faz retenções nem pagamentos por conta, é discreto, surdo e mudo, não deixa rasto e tem canais de drenagem para ‘off-shores' pelo sistema de vasos comunicantes.

 

Claro que a podridão não será boa vizinhança. Mas, por definição, podridão é o estado do que é podre. Diferente será o podre do que é Estado e esse nem sequer tem cheiro. Pelo menos, as polícias e o Ministério Público por mais que cheirem não farejam nada que se veja. Quando muito, detectam alguma ventosidade que se ouça. Mas nesse caso há sempre a hipótese de as escutas serem consideradas inconstitucionais.

jpguerra@economicasgps.com

publicado por luzdequeijas às 17:16
link | comentar | favorito

ENXOVALHARAM QUEM DEFENDEU A PÁTRIA!

 

Junho 10, 2010

O 10 de Junho visto da fossa jugular

Arquivado em: Blogosfera,Justiça,Media,Política,Portugal — André Azevedo Alves @ 15:43

O autoclismo. Por Rui Crull Tabosa.

Hoje é um bom dia para passar pelos blogs de esquerda. O incómodo que sentem com Portugal e os seus valores é digno de pena. Os termos que usam para disfarçar a porcaria que vai naquelas cabecinhas, esses, são confrangedores.

10 de Junho de 2010. por Helena Matos.

 

António Barreto critica Estado e povo português por não tratar bem dos antigos combatentes

publicado por luzdequeijas às 12:43
link | comentar | favorito

ESTADO SOCIAL E A DEGRADAÇÃO MORAL !

Combates Antigos

Arquivado em: Portugal — Tomás Belchior @ 17:28


Um dos múltiplos factos deprimentes que eu ignorava acerca deste Portugal modernaço era que os nossos antigos combatentes não desfilavam na parada militar das comemorações do 10 de Junho. Fizeram-no pela primeira vez este ano. Segundo o presidente da Comissão das Comemorações do Dia de Portugal, António Barreto, isso aconteceria porque os nossos antigos combatentes eram alternativamente vistos como “colonialistas”, “fascistas” ou “revolucionários”.

É penoso ver os representantes do Estado a venderem tão barato a sua dignidade e a levarem-nos a todos pelo mesmo caminho. Esta malta rasteira que, ao abrigo de uma liberdade ressentida, queria fabricar uma sociedade solidária com recurso ao Estado Social, não fez mais do que propagar a degradação moral. Também neste domínio, o ninho que nos construíram condenou-nos à miséria.

Leitura complementar: o 10 de Junho visto da fossa jugular, o João Gonçalves e o discurso do Presidente da República.

 

Insurgente

publicado por luzdequeijas às 12:38
link | comentar | favorito

AS ESCUTAS DEVEM PROTEGER O POVO E SÓ ELE!

Pacheco Pereira ameaça divulgar despachos do Ministério Público

Maria José Oliveira

 

Pacheco Pereira entende que a comissão de inquérito sobre o negócio PT/TVI “deixou de ter um funcionamento democrático”. O deputado ameaça divulgar os despachos do procurador Marques Vidal.

 

PS : O pessoal dos "GRUPOS" que por aí se pavoneiam senhores de uma impunidade que ninguém sabe de onde lhe vem (da Contituição Polítida e da lei não é de certeza), atacam gente séria, honesta e competente, enquanto eles, foram recrutados exactamente por serem gente de mau carácter, desonesta e incompetente. Tudo a coberto de um segredo estranho e punível por lei. Então qual a razão de tantos pruridos com as escutas legalmente autorizadas? Quem ganha com tanta pureza de intenções são exactamente aqueles que defraudam o povo e nos levaram a esta miséria e ruína económica social e moral! Chega.

publicado por luzdequeijas às 12:06
link | comentar | favorito

AS TRAPALHADAS SOCIALISTAS !

1 milhão de dólares

Na candidatura presidencial de Alegre, existe uma questão que vale 1 milhão de dólares: como ser o candidato do PS e, ao mesmo tempo, apresentar-se ao país acima das trapalhadas do PS?

 

Por:João Pereira Coutinho, Colunista

 

A resposta não é fácil. Se se cala, Alegre consente. Se fala, Alegre atraiçoa. Perante este dilema, o bardo já encontrou uma estratégia: dividir salomonicamente os louros. Segundo palavras do próprio, Cavaco Silva é co-responsável’ pelo estado da economia portuguesa. A ideia de Alegre é simples: atribuir culpas a Belém é uma forma de aligeirar as responsabilidades de S. Bento.

Infelizmente, a estratégia de Alegre, para além de infantil, apenas revela um desconhecimento profundo sobre o alcance dos poderes presidenciais, uma fatalidade que não o devia recomendar para o cargo. O Presidente não governa; e a única forma de aplacar seriamente a acção nociva do executivo é acabando com ele.

Por isso voltamos ao início: para não ser ‘co-responsável’, será que Alegre considera que o Presidente da República já devia ter posto na rua o exacto governo que agora o apoia?

 

CM  11-06-2010

publicado por luzdequeijas às 11:58
link | comentar | favorito

EMPREGO SÓ POR CUNHA !!!

Acabou a ilusão

Há 25 anos, Portugal saiu de uma grave crise com a ajuda do FMI e das medidas de austeridade de Ernâni Lopes assumidas por Mário Soares, 1º ministro desse governo do Bloco Central.

 

or:Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

 

Mas após a adesão à então Comunidade Europeia, o País acreditou que esses tempos de austeridade ficariam definitivamente na história e só havia um caminho: a convergência ia com a Europa rica.

Ficámos tão convencidos desse destino, aumentado pela visibilidade das obras públicas, que o País se esqueceu de que também era preciso produzir. A agricultura e as pescas foram esquecidas; assistiu-se à desindustrialização. O Estado privatizou as principais jóias da coroa mas engordou a sua estrutura.

Da administração central à local, milhares de portugueses arranjaram emprego seguro graças a uma das mais antigas instituições nacionais: a cunha. A ilusão da prosperidade levou os políticos a injectarem mais dinheiro sempre que era preciso resolver um problema. António Guterres, em 2001, foi o primeiro político a saber o resultado desse caminho. Chamou-lhe o "pântano", e foi--se embora. Depois o monstro do défice e do endividamento tomou conta do País. Agora, o Presidente da República diz que chegámos a uma situação insustentável e pede um contrato de coesão nacional com especial responsabilidade dos agentes políticos, precisamente os irresponsáveis que conduziram o País a esta situação.

 

CM

publicado por luzdequeijas às 11:50
link | comentar | favorito

O CHEFE BERROU!

Face Oculta’

Granadeiro obrigado a mentir

Assessor de Sócrates disse a Paulo Penedos, numa conversa gravada pela PJ, que “Henrique portou-se bem, porque o chefe berrou”.

 

CM 11-06-2010

publicado por luzdequeijas às 11:43
link | comentar | favorito

O FIO DA MEADA!

Ver comunidade

Novas escutas provam que Armando Vara sabia de tudo

Novos elementos das escutas telefónicas do processo Face Oculta a que o SOL teve acesso demonstram que Armando Vara mentiu em várias respostas que deu à comissão parlamentar de inquérito ao negócio PT/TVI. Além disso, põem em causa as respostas do primeiro-ministro.

Ao contrário do que afirmou aos deputados, Armando Vara foi sendo informado dos contactos entre a PT e os espanhóis da Prisa (proprietária da estação), soube antecipadamente e discutiu as deslocações de Rui Pedro Soares (administrador executivo da operadora) a Madrid e conhecia o conteúdo das minutas do negócio.

O então vice-presidente do BCP chegou a dar orientações sobre quando é que José Eduardo Moniz e a mulher (respectivamente, director e pivô da estação) tinham de sair, e numa conversa com um dos seus interlocutores comenta-se que José Sócrates foi avisado «antes de fecharem o negócio».

Nos diálogos interceptados ao telefone de Vara – cujos resumos estão na posse da comissão de inquérito, mas que esta decidiu não usar (ver texto na página 6) – a entrada da PT na TVI surge com os contornos de uma operação de natureza política, destinada a afastar Moniz e Moura Guedes (tidos como incómodos para o Executivo) e rodeada de diversos cuidados conspirativos, para ocultar ao conhecimento público a ligação entre uma coisa e outra.

paula.azevedo@sol.pt e felicia.cabrita@sol.pt

publicado por luzdequeijas às 11:40
link | comentar | favorito

A corte DA ESQUERDA SOCIALISTA

10 Junho
 
‘PR não apontou caminhos para Portugal sair de situação insustentável’
O secretário-geral da CGTP acusou hoje o Presidente da República de não ter apontado caminhos para Portugal sair da «situação insustentável» que o próprio reconheceu que o país vive e reiterou a necessidade do combate ideológico
 
PS: Aquele que há décadas defende os trabalhadores não quer constactar que nada fez por eles ! Ataca CAVACO e nunca atacou SÓCRATES ou GUETERRES! Sabendo que CAVACO Já fez muito como primreiro-ministro, mas que agora não pode nem deve indicar seja o que for, pois, os ditos socialistas (moderados ou radicais) saltariam em cima dele por não serem essas as suas funções. Como PR pode e deve a cada momento julgar o estado do país, como o povo faz. Que nunca se coíba de o fazer, já que não tem mau carácter que lhe permita mandar gente sua para manifestações de portagens, nem fazer Presidências Abertas à maneira de Soares. Tente CS fazer o diagnóstico e mostrar aos portugueses que depois de os socialistas estarem 15 anos no poder nunca o povo perdeu tanto poder de compra, o desemprego foi tão grande e a moral do país esteve tão baixa! Sirva a classe trabalhadora e não a sua classe polítrica, porque essa já o mundo conheceu e bem! 
 
Reis Luz
publicado por luzdequeijas às 11:20
link | comentar | favorito

FECHAR O MAGALHÃES E ABRIR ESCOLAS

Magalhães
 
PSD exige ao Governo extinção da Fundação para as Comunicações Móveis
O PSD exigiu hoje ao Governo que proceda à extinção da Fundação para as Comunicações Móveis (FCM), no dia em que a comissão parlamentar de inquérito vai votar o relatório final sobre as conclusões dos deputados
 
SOL
publicado por luzdequeijas às 11:16
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Junho de 2010

ILUSIONISMO

OPORTUNIDADE IRREPETÍVEL

A farsa das "Novas Oportunidades"

 

No final do passado mês de Março, terminei o designado processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) que me atribuiu um diploma de conclusão do Ensino Secundário, ou seja, de equivalência ao 12.º ano de escolaridade.  Este procedimento foi realizado numa escola do ensino público, em Lisboa, sendo que a formalização da inscrição no respectivo Centro Novas Oportunidades (CNO) e o início de frequência remontam ao primeiro semestre de 2008.

Dir-se-á : com a duração aproximada de um ano, tratou-se de algo especialmente trabalhoso e com um grau de dificuldade assinalável. Nada mais enganoso.

De facto, somando todo o conjunto de requisitos e solicitações apresentados aos "formandos", a verdade é que, com um empenhamento mínimo, não teria sido necessário mais do que um mês para a sua conclusão. Quais, então, os motivos para esta dilação temporal, passível das mais falaciosas interpretações ?

A resposta é simples: sessões ( i.e., qualquer coisa parecida com as tradicionais aulas) marcadas com mais de um mês de intervalo e um trabalho final, consubstanciado numa autobiografia, baseada em parâmetros tão confusos quanto idiotas (vertidos num designado " Referencial de Competências- Chave" ) que até os próprios formadores, apesar do seu meritório esforço, têm nítida dificuldade em interpretar, gerando uma aplicabilidade meramente arbitrária.

Sinteticamente, trata-se de um processo medíocre, do qual nada mais resulta do que uma atribuição administrativa de equivalência escolar, sendo que a sua ilusória dificuldade consiste, para os "formandos"", apenas em não serem vencidos pelo cansaço e pela fadiga de muitas horas despendidas em trabalhos e procedimentos que, genericamente, não compreendem.

No meu caso pessoal, devo confessar que o diploma que me foi conferido em nada alterou a minha situação de indigente desempregado (apesar de constantes investidas, junto do Centro de Emprego, no sentido de conseguir um curso de formação adequado, um estágio profissional ou mesmo, por mais estranho que pareça, um emprego).

Por outro lado, como não tenho vocação para "figurante", tive que declinar o convite que, há uma dezena de dias, me foi endereçado pela responsável do CNO que frequentei, para ir receber das mãos do primeiro-ministro o mesmo diploma que já tinha sido atribuído. Provavelmente, deixei escapar uma oportunidade, esta sim, irrepetível.

Sol - 29-05-2009

publicado por luzdequeijas às 21:52
link | comentar | favorito

SITUAÇÃO MUITO MELINDROSA

 
Cavaco reconhece «situação insustentável» e pede «contrato de coesão nacional»

 

 

Hoje -  O Presidente da República reconheceu hoje que Portugal chegou a «uma situação insustentável», defendendo o estabelecimento de um «contrato de coesão nacional», no qual cabe aos agentes políticos uma «especial responsabilidade»

publicado por luzdequeijas às 19:31
link | comentar | favorito

GENTE DE CULTURA ERRADA !

HEDOISMO INDIVIDUALISTA

 

Na última crónica falei da falta de governança. Mas esse não é o único mal. A cultura hedonista, individualista e consumista, impregnada até à alma na sociedade, também constitui um mal que mina, de forma irreparável, os seus alicerces. O hedonismo individualista que busca o prazer material e físico como único bem que faz sentido na vida tem vindo a transformar a Europa (não fugindo Portugal à regra) num verdadeiro caos. O que temos é uma Europa do caos e não da ordem.

Por:Rui Rangel, Juiz Desembargador

 

Nenhum país se salva se estiver somente estruturado e organizado numa lógica mais virada para o ter do que para o ser. Esta atitude ante a vida, que respeita a materialidade e questiona o espírito e a ética de valores, vai condenar-nos a uma morte mais pobre e miserável. Morremos atolados até ao pescoço de bens e de prazer individual e, com esta alquimia desastrada, liquidamos um quadro de referências morais, espirituais e de valores centrados na dignidade do homem.

A proposta que a democracia capitalista nos faz, de abandono dos valores tradicionais, fazendo a defesa de um neoliberalismo exacerbado, assente na omnipotência mágica do mercado, é a grande responsável pela crise financeira que o mundo está a viver. Ninguém duvida de que se salva o planeta com desenvolvimento, com progresso, com uma cultura empresarial forte e agressiva e com competitividade. Mas esta é uma salvação de curto prazo se não for acompanhada por políticas mais justas, mais equitativas e solidárias. A salvação de longo prazo, com fundações seguras, só se alcança com justiça, com igualdade e com políticas que acabem, como diria Joseph Schumpeter, com "uma geração de individualistas vorazes, de sanguessugas carregadinhos de direitos e insensíveis ao apelo de qualquer dever moral porque não são uma garantia de paz e ordem, mas um barril de pólvora pronto a explodir numa irrupção caótica de exigências impossíveis".

A visão individualista do pensamento hedonista, que marca todo o sistema capitalista, destrói o próprio capitalismo. Esta nova mentalidade modernista, que drena até ao esgotamento os recursos do sistema, não traz paz. Fomenta a guerra.

Ninguém pode ser feliz sozinho diante de graves injustiças e misérias humanas. Cada vez mais dedicamos menos atenção a estes assuntos que são os mais importantes da vida. O silêncio, aqui, tem um "ruído" que nos envergonha. A lógica de que é "proibido proibir" vai-nos levar para o abismo.

E aqui, a comunicação social, que podia ter um papel decisivo, também não tem ajudado. Dá sempre muito eco a esta cultura do ter. Os interesses colectivos da comunidade, o seu bem-estar, devem estar acima dos inconfessáveis interesses individuais, da ganância e do egoísmo. A apologia do hedonismo cego, que dificulta a gradual inserção dos valores no nosso quotidiano e impede a compreensão do outro e a miséria humana, faz-me lembrar a teoria do sapo: se o puser numa panela com água quente ele salta, mas se for aquecendo lentamente ele fica lá parado e, quando perceber, morreu.

publicado por luzdequeijas às 19:11
link | comentar | favorito

UMA MINISTRA QUE SÓ SORRI !

 É MUITO POUCO, PRECISAMOS DE MUITO MAIS !
  
COMENTÁRIO MAIS VOTADO

"isto de facto estes nossos governantes são impagaveis,quer dizer a malta que ganha 3000€ levam os mesmos remedios de borla,que eu que tenho 270 de reforma,quem é que percebe isto era por aqui que o estado poderia poupar"

vitor manuel

 

09 Junho 2010

Saúde

Medicamentos grátis para todos

Farmácias estranham disponibilização de remédios gratuitos a todos os utentes, independentemente dos regimes de comparticipação.

 

Por:Sónia Trigueirão

 

Desde o dia 1 de Junho que o Estado está a comparticipar a 100% mais de mil medicamentos, sejam genéricos ou de marca, e a todas as pessoas, sejam pensionistas de baixos rendimentos, doentes crónicos ou utentes do regime geral. Este benefício tem abrangido todos os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que adquiram um remédio numa farmácia com a devida receita médica.

A medida gerou alguma confusão nas farmácias, que estranharam a dispensa, em apenas oito dias, de uma grande quantidade de medicamentos gratuitos e a pessoas que geralmente não beneficiariam de comparticipações a 100%. 'Do que me recordo, o diploma do Governo falava em comparticipações a 100% apenas para os pensionistas de menores recursos e para os cinco remédios com preço de venda ao público mais baixos', refere o técnico de uma das farmácias visitadas pelo CM, acrescentando que essa medida já está a funcionar. 'A sinvastantina 20-60 da Ratiopharm [genérico], que era gratuita para os idosos, passou a custar-lhes 7,40 euros', disse. O que estranhou foi nos antibióticos para o regime geral: 'O Clavamox DT 16, que é de marca, e o seu genérico da Mylan eram mais baratos para quem trazia a receita médica, mas agora são gratuitos e o mesmo aconteceu com o omeprazol'.

O Infarmed explica que 'o novo Decreto-Lei 48-A/2010, de 13 de Maio, prevê alterações no sistema de comparticipação de medicamentos, nomeadamente na área do Sistema de Preços de Referência'. Os cálculos da comparticipação passam a ser associados ao preço de referência e não ao de venda ao público. Segundo a Autoridade do Medicamento, as alterações legislativas implicaram uma actualização dos sistemas informáticos que ainda não actualizou os Preços de Referência, que se mantêm inalterados. Assim, durante o intervalo de tempo entre estas duas actualizações, poderão ocorrer situações em que os remédios adquiridos tenham um preço mais baixo ou tenham comparticipação de 100%. 

publicado por luzdequeijas às 19:00
link | comentar | favorito

SAÚDE CHEIA DE DIVIDAS

Dívida ao Instituto Português do Sangue corresponde a metade do seu Orçamento

Hospitais devem mais de 40 milhões em sangue

Os hospitais devem ao Instituto Português do Sangue (IPS) mais de 40 milhões de euros, quase metade do orçamento de que o Instituto dispõe para 2010 (80,8 milhões).

publicado por luzdequeijas às 18:53
link | comentar | favorito

QUE HOUVE COISA , HOUVE

Pimba! Lá foi tudo pelos ares

José Sócrates anda nervoso. Excepcionalmente nervoso. Os mais íntimos dizem mesmo que o primeiro-ministro e secretário-geral do PS parece um vulcão islandês a expelir lava por todos os lados. Uns acham natural.

 

Por:António Ribeiro Ferreira, Jornalista

 

A pressão é muita, a crise está para lavar e durar e vão ser necessárias mais medidas de austeridade, a bem ou a mal. Ainda por cima, a situação no PS não é das mais calmas. Alguns andam já a espreitar a oportunidade de o derrubar e o apoio a Manuel Alegre não foi nada pacífico. Talvez por isso, algo de muito estranho se passou no Altis, no dia da reunião da Comissão Nacional do PS. A dado passo, José Sócrates saiu da sala e foi à casa de banho. Até aqui tudo normal. O pior foi depois. Passados uns instantes ouviu-se um enorme estrondo, seguido de um silêncio mortal. Sócrates saiu e, logo de imediato, o pessoal do hotel de Fernando Martins encerrou a casa de banho. Que ficou interdita por um tempo razoável. Ninguém sabe ao certo o que se passou. Mas algumas fontes, geralmente bem informadas, garantem que algo foi pelos ares naquela casa de banho. Não se sabe o quê. Até porque quando reabriu estava tudo no sítio. Mas lá que houve coisa, houve.

publicado por luzdequeijas às 18:46
link | comentar | favorito

VAIAS AO PM

Na chegada das Comemorações do 10 de Junho

Sócrates vaiado em Faro

O primeiro-ministro, José Sócrates, foi esta manhã vaiado por dezenas de pessoas em Faro no momento em que chegou para participar nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, pouco depois das 10h00.

publicado por luzdequeijas às 18:42
link | comentar | favorito

DEMITA-SE

Desnorte

Numa conjuntura que desaconselha a crise política, só resta uma via: demita-se Senhor Primeiro-ministro.

 

Por:Paula Teixeira da Cruz, Advogada

 

O Governo de José Sócrates é um barco à deriva num mar da tempestade perfeita em que se conjugam a crise interna e a internacional. Os media anunciam a situação complexa do sistema bancário nacional, suportado em horizontes semanais pelo Presidente do Banco Central Europeu. Enquanto isso, o Governo paga a factura pesada de muitos milhões de euros diários pelas aposentações que, nos seus anos de governação, fomentou, em grande parte para "desorçamentar" os ordenados da Função Pública, agravando a sustentabilidade da Segurança Social.

Pese o aumento do desemprego e da insolvência das empresas, Sócrates afirma que o desemprego vai diminuir nos próximos meses, sabendo que é uma situação que todos os anos sucede, dado o aumento de postos de trabalho sazonal.

A Saúde atinge níveis escandalosos de doentes sem médico de família, de listas de espera de meses para consultas hospitalares. Os hospitais estão submersos em dívidas, evidenciando que a nomeação de gestores por critérios partidários, gerindo dinheiro dos contribuintes com pouco controlo, não é solução. Ao mesmo tempo, o Governo tenta iludir os Portugueses com um diploma que permite aos médicos com aposentação antecipada que voltem a trabalhar no SNS, de onde saíram, em grande parte fartos de uma gestão sem valores. O que vai suceder é a contratação dos mesmos médicos que já estão nas urgências através de empresas onde trabalham: saem por uma porta e entram por outra. Grande solução. Destrói-se, paulatinamente, o SNS, ao mesmo tempo que a Ministra afirma que é a proposta efectuada por largos sectores da sociedade, de os doentes terem livre escolha, que sepultará o SNS. Ignorância ou algo mais? A Senhora Ministra não pode deixar de saber que, nos países mais avançados da Europa, é esta a regra, mantendo a universalidade e gratuidade dos serviços, com menos gastos.

Na Educação, opta-se pela extinção de 900 escolas do Ensino Básico quando, ainda há pouco, se tinha encerrado várias, colocando as crianças longe das famílias e liquidando a política de proximidade.

Na diplomacia assiste-se à articulação, quase embevecida, com Hugo Chávez (provavelmente um referencial a silenciar órgãos de comunicação social). Em termos de confiança política, uma sucessão de casos duvidosos determina que se atinja o grau zero. Numa conjuntura que desaconselha a crise política, só resta uma via: demita-se Senhor Primeiro-ministro, para ser parte da solução e não do problema.

publicado por luzdequeijas às 18:29
link | comentar | favorito

A EDUCAÇÃO E A DESERTIFICAÇÃO DO INTERIOR

Mais do que subsídios ou isenções fiscais, o combate á desertificação deverá ser feito instalando no interior serviços prestados pelo Estado, não criados propositadamente, é óbvio, mas sim deslocalizando na medida do possível do litoral para o interior por exemplo, escolas, universidades, laboratórios e institutos, os quais ainda teriam a virtude de atrair massa cinzenta, que tanto tem fugido das cidades do interior. Naturalmente para tal, seria necessária coragem e vontade política, de contrário, daqui a uns anos, sem qualquer invasão, ouviremos falar castelhano na maior parte do território nacional! Nem me venham falar em regionalização para combater o problema. Primeiro fixem-se populações, antes que o interior seja efectivamente um deserto, ou que a fronteira se aproxime cada vez mais do litoral. Não se fale de equilíbrio demográfico, ou mesmo de robustecer as cidades do interior, esquecendo as suas aldeias. A fixação e manutenção demográfica, passa por elas.

Ouvir uma ministra da Educação, com ar muito seráfico, falar de cátedra aos portugueses sobre o encerramento de escolas do interior (4 000 já foram e 900 vão sê-lo), faz-nos dar voltas ao estômago. Escolas com menos de 21 alunos e nas quais serão afectadas 15 mil crianças das 470 mil que frequentam o 1.º ciclo. O Encerramento de escolas leva a uma “forte quebra da qualidade do ensino” e ao “aumento do desemprego”, considera em comunicado a Federação Nacional dos Professores.

Muitos outros problemas irão afectar estas crianças inopinadamente afastadas da sua família, dos seus carinhos e da sua vigilância local. Serão atiradas para tempos mortos em zonas de desafectos e perigosas, remetendo-as de vez, para a separação  definitiva do seu local de nascimento. As actuais cidades estão, hoje, cheias de gente que suspira pela segurança e quietude das aldeias que perduram nos seus sonhos. Era lá que preferiam morrer em paz.

Salta à evidência uma governativa e indómita vontade de mais “obras públicas”! Mais despesa, sempre mais despesa! Contudo, a senhora ministra, sempre de nariz empinado, dá a garantia de melhores condições para os alunos e assegura o transporte adequado. Como pode ela dar estas garantias, se afasta crianças indefesas para longe das suas famílias? Como pode assegurar transporte quando o que existe já dá uma tremenda despesa ao Estado? Desconhece certamente os montantes da responsabilidade do Estado, envolvidos em indemnizações compensatórias? Os elevados encargos com material circulante e combustível, sempre importados, por um país com uma dívida externa medonha. Desconhece a previsibilidade do crescente aumento do crude e sua escassez e da acrescida insustentabilidade dos próprios transportes público a curto prazo!

Tudo isto tendo pela frente uma normal situação do ensino, mais económica e segura, mais criadora de desenvolvimento do emprego local e manutenção do mesmo. Sem reter que perante as dificuldades em horizonte próximo, haverá sempre outras alternativas a não ignorar ou desvalorizar, tais como: Após as décadas de 1960/1970 a educação à distância, embora mantendo os materiais escritos como base, passou a incorporar articulada e integralmente o áudio e o videocassete, as transmissões de rádio e televisão, o videotexto, o computador e, mais recentemente, a tecnologia de multimeios, que combina textos, sons, imagens, assim como mecanismos de geração de caminhos alternativos de aprendizagem (hipertextos, diferentes linguagens) e instrumentos para fixação de aprendizagem com feedback imediato (programas tutoriais informatizados) etc.

Actualmente, o ensino não presencial mobiliza os meios pedagógicos de quase todo o mundo, tanto em nações industrializadas quanto em países em desenvolvimento. Novos e mais complexos cursos são desenvolvidos, tanto no âmbito dos sistemas de ensino formal quanto nas áreas de aperfeiçoamento profissional.”

O Magalhães está muito longe de satisfazer qualquer qualidade de ensino, pese embora, os elevadíssimos custos actuais. Mas estudar perto da família é muito importante. Eliminar a desertificação de Portugal também!

António Reis Luz

publicado por luzdequeijas às 18:19
link | comentar | favorito

A MORTE DAS ALDEIAS

Entre as centenas de estabelecimentos que vão fechar por terem menos de 21 alunos está a minha escola primária. Na década de 70 nunca teria menos de uma centena de crianças, agora está nesse limiar que segundo decisão do Governo a condena à morte.

 

Por:Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

 

Até se pode compreender o encerramento de escolas com menos de meia dúzia de estudantes, mas esta medida é um atestado de óbito a aldeias e pequenas vilas, a comunidades com história. O foral mais antigo de Folgosinho, a minha terra, tem 823 anos, assinado por D. Sancho I, ‘O Povoador’. Oito séculos depois, um primeiro-ministro que tem no registo de nascimento uma aldeia do Douro é o responsável pela decisão que mais despovoará. Professores e funcionários arriscam-se a ficar com horários zero e no quadro de mobilidade, vindo a perder uma parcela do rendimento. Os docentes serão obrigados a sair destas aldeias e desde a Primeira República que eles se encontravam entre as principais referências cívicas das localidades. O critério nem é económico, porque deslocar alunos e professores é mais caro. Parece que há mesmo a intenção do Estado de acabar com o mundo rural. Aliás, no que diz respeito a estas pequenas comunidades, as únicas coisas construtivas a que este primeiro-ministro está ligado são os mamarrachos que assinou e que estão espalhados pelo concelho da Guarda. Neste 10 de Junho convém lembrar que as aldeias de todo o País também são Portugal.

publicado por luzdequeijas às 18:09
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 9 de Junho de 2010

NÃO SÓ UMA, SÃO DUAS !

A PERDA DA CONFIANÇA
 
 
20 Abril 2009 - 00h30

Dia a dia

O monstro da crise

Os industriais e os comerciantes de produtos alimentares, em declarações à reportagem do CM no primeiro dia da maior feira do sector em Portugal, queixam-se de quebra nas vendas. Em tempo de crise, os portugueses poupam na comida e abdicam de alguns pequenos luxos.

A crise gerou um monstro psicótico: o medo da crise, que acaba por agravar o problema. Há neste ano um maior número de famílias com mais dinheiro disponível do que em 2008. É o caso de funcionários públicos e pensionistas, com um aumento de 2,9% no rendimento, que poupam nos combustíveis, que estão mais baratos, e na prestação do crédito à habitação, que para milhares de famílias permite poupanças de centenas de euros por mês.

Mesmo as famílias com mais dinheiro disponível gastam menos e poupam mais. Têm medo do futuro, por isso cortam nas despesas. Esta poupança representa menos negócios e mais desemprego na economia. Por exemplo, quando muita gente desiste de ir à pastelaria tomar o pequeno-almoço, os donos sentem o efeito na caixa registadora, reduzindo as encomendas. Desta equação resultam: menos emprego, mais falências, mais pessimismo e mais medo. A economia precisa mesmo de confiança, mas tal bem não está disponível no mercado nem se faz por decreto.

 

Armando Esteves
publicado por luzdequeijas às 19:56
link | comentar | favorito

ERA VERDADE !

Terça-feira, 28 de Abril de 2009
PROPAGANDA

SEDES acusa José Sócrates de governar para as eleições

É mais um documento muito duro para o Governo. A Associação para o Desenvolvimento Económico e Social (SEDES) – que em Fevereiro tinha alertado para um “mal-estar difuso” que se “alastra e mina a confiança essencial à coesão nacional” – vem agora a público, a propósito da discussão do Estado da Nação (quinta-feira, no Parlamento), acusar o executivo de José Sócrates de estar a governar pensando nas eleições de 2009 em vez de na administração do país.

Os membros do Conselho Coordenador da SEDES, no primeiro documento emitido desde que Luís Campos e Cunha lidera a associação (assumiu o cargo em Abril), não têm dúvidas em afirmar que a aproximação das eleições (europeias, autárquicas e legislativas) tem tido “consequências claras e visíveis na vida política portuguesa”. Essas consequências não são positivas. Para a SEDES, depois de três anos “de esforços de estabilização orçamental” e de “várias reformas que exigiram coragem política”, o executivo começa a recuar.

E dá como exemplos a “declaração do fim da crise orçamental”; “a ênfase nos investimentos públicos”; “a cedência à agitação social” e “as recentes baixas de impostos”.

07.07.2008 - 19h51 Luciano Alvarez
Público

publicado por luzdequeijas às 19:52
link | comentar | favorito

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DO DÉFICE ...

PORTUGAL DEVE CUMPRIR O DÉFICE?

 

A questão preocupa toda a gente. Os economistas discutem entre si - e a obstinação da ministra das Finanças em cumprir o défice é já apontada como causa importante das dificuldades que o país atravessa. O défice deve ou não ser respeitado? - É a pergunta que todos fazem. Esta pergunta ignora uma questão prévia: Portugal comprometeu-se perante as instituições europeias a não ultrapassar em mais de 3% o défice público. Ora, os compromissos são para se cumprir. Antes do debate sobre as vantagens ou prejuízos que daí resultam, há que ter em conta o seguinte: existe um contrato que o país subscreveu livremente e que, enquanto existir, deve respeitat.

Argumenta-se que a França e a Alemanha também não vão cumprir o défice. O problema é que a França e a Alemanha são duas potências europeias com imagens feitas - e Portugal é um pequeno país que entrou tarde para a UE e tem uma imagem a fazer.

Muitas vezes acusados de sermos pouco rigorosos, pouco responsáveis, pouco capazes de cumprir metas, temos de provar aos parceiros europeus e aos investidores estrangeiros que sabemos honrar os compromissos. No cumprimento do défice é, pois, a credibilidade do país que também está em causa. 

( ... ) O défice de 3% constitui um travão à nossa tendência para o «desregramento, para o deixa andar». Isso tem custos? Claro que tem. Atrasa a retoma? Quase de certeza. Impõe sacrifícios? Sem dúvida.

Mas não podemos ter tudo: não podemos querer disciplina orçamental, saúde financeira e, simultâneamente, facilidades. Não podemos querer equilibrar as finanças e, ao mesmo tempo, gastar à tripa forra. Tudo tem o seu tempo.

Agora é o momento de Portugal honrar os compromissos que assumiu perante a UE, ganhar credibilidade externa e conseguir equilíbrio orçamental.

O resto são cantos de sereia.

Editorial - Expresso 13-09-2003 

publicado por luzdequeijas às 18:47
link | comentar | favorito

ANTI-SEMITISMO

Uma sondagem da Comissão  Europeia, que o El País publica hoje, revela que 59% dos cidadãos europeus consideram Israel uma ameaça à paz mundial à frente de países como a Coreia do Norte e o Irão! ( ... ) 

 

A coberto de um apoio incondicional à chamada justa luta dos palestinianos, a Europa esconde tantas vezes um ódio indisfarçável a um povo que soube construir uma Nação e vingar nas cinco partes do mundo. De facto, a miséria humana, nas grandes e pequenas questões, não tem limites.

 

António Ribeiro Ferreira - dn 3-11-2003

publicado por luzdequeijas às 17:57
link | comentar | favorito

DIREITA, CENTRO, ESQUERDA

A minha inclinação para a direita basea-se no facto de que, quando era pequeno, ouvir os meus pais dizerem: Olha meu filho, quando entrares nas saulas de aula para os exames nunca entres com o pé esquerdo. Já antes desses exames, onde sempre entrei com o pé direito, tive lições de Catecismo, com imagens de Jesus Cristo crucificado, tendo à Sua direita, o Bom Ladrão. Mais tarde, soube que durante a revolução francesa, aqueles que queriam as cabeças de Luís XVI e Maria Antonieta, se situavam à esquerda do Presidente da Assembleia Francesa. Fiquei desta maneira, com o complexo da esquerda, durante muitos anos.

Mais tarde, verifiquei que a luta direita/esquerda está errada, ao ver que houve ditadores de direita, como Hitler, Mussolini, Franco etc. e ditadores de esquerda, como Estaline, Mao, Fidel, Pal Pot, etc. Na evolução da humanidade através dos tempos, noto que, tanto a direita como a esquerda foram necessárias para o avanço da humanidade. A esquerda avança, a direita trava e o centro é a embriagem, tal e qual, como funciona um automóvel : isto é quando a esquerda excede a velocidade, fora da lei, lá estará o travão da direita com a devida passagem pelo centro, que funciona de embraiagem. E assim tem sido o mundo, com a esquerda e a direita e por vezes, também o centro. Não podemos esquecer que o Credo, recitado no séc. I da nossa Era, e invocado pelos Apóstolos, afirmava: «Jesus está nos Céus sentado à direita de Deus». Credo que vigorava em pleno século XXI. Julgo que são mais os que passam da esquerda para a direita, do que da direita para a esquerda. Estará correcto?

J. Emídio Sommer Ribeiro - JN 10-02-2004

publicado por luzdequeijas às 16:55
link | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Junho de 2010

AS SUPOSTAS REFORMAS !

Junho 8, 2010

Costumavam ser mais coordenadinhos

Arquivado em: Economia,Política,Portugal — Miguel @ 18:36 - Insurgente

Parece que, apesar de as reformas das pensões e do mercado laboral já estarem todas feitas a tal ponto que constituem exemplo para o mundo e ser inconcebível aos comuns mortais imaginá-las mais ousadas, sempre é possível “aperfeiçoar” as reformas mais um bocadito.

Só não percebo como é que ainda não se vêem resultados nenhuns das supostas reformas.

publicado por luzdequeijas às 20:01
link | comentar | favorito

ONTEM E HOJE !!!

 

 


TRANSPARÊNCIA

 

 

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 14:47
link | comentar | favorito

HÁ MUITA VIOLÊNCIA

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

 

LEONOR FURTADO - A directora geral de Reinserção Social, Leonor Furtado, disse ontem que o espaço escolar é um local onde "há muita violência" e que os jovens utilizam armas brancas e de fogo.

CM

publicado por luzdequeijas às 14:18
link | comentar | favorito

NÓS VIMOS A SENHORA MERKEL A RIR

A Alemanha ganha sempre

Nas vésperas de outros mundiais dizia-se que o futebol eram 11 contra 11 e a Alemanha ganhava sempre. Na África do Sul, os germânicos já não serão assim tão candidatos, mas na economia a regra ainda se aplica. É certo que ontem a chanceler Merkel anunciou um draconiano plano de cortes na despesa pública, mas a economia alemã está a lucrar com esta crise.

 

Por:Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

 

O euro fraco favorece a indústria exportadora germânica, o motor mais saudável do crescimento. Mas nas Finanças Públicas, o governo da chanceler também lucra com o ataque à Zona Euro, porque enquanto os prémios de risco da dívida pública sobem para os países periféricos, com Grécia, Espanha e Portugal a serem severamente castigados, os alemães estão a pagar os juros mais baixos de sempre. Isto porque a credibilidade alemã funciona como refúgio dos investidores. Há 20 anos, quando a Alemanha se reunificou, as obrigações germânicas a dez anos (Bund) pagavam 10%, há uma década, quando nasceu o euro, baixaram para 5%, agora pagam cerca de 2,5% e nos títulos a cinco anos os juros são inferiores a 1,5%. Num país que tinha em 2009 uma dívida de 1,76 biliões de euros (mais de dez vezes o PIB português) e que vai engordar com o défice deste ano, a descida do preço do dinheiro é uma poupança considerável.

publicado por luzdequeijas às 14:13
link | comentar | favorito

AQUI FECHAM-SE AS ESCOLAS

E APLAUDE-SE O TGV !!!

Demência criminosa

É o maior plano de austeridade desde a II Guerra Mundial. O Governo alemão quer reduzir a despesa do Estado em 80 mil milhões de euros até 2014. Para isso vai cortar nos ordenados dos funcionários públicos, eliminar mais de 15 mil postos de trabalho no Estado e, claro, congelar as grandes obras públicas.

 

Por:António Ribeiro Ferreira, Jornalista

 

Tudo isto sem aumentar a carga fiscal dos alemães. Notável exemplo que não é seguido por estas bandas. Aqui aplicam-se impostos retroactivos, fazem-se festinhas na despesa pública e aumenta-se a dívida externa com TGV, travessias do Tejo e aeroportos. Merkel faz tudo para emagrecer o Estado, proteger os cidadãos e salvar a economia. O engenheiro relativo faz tudo ao contrário. Engorda o Estado, ataca os cidadãos e mata a economia. De forma demente e criminosa.

publicado por luzdequeijas às 14:07
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub