Terça-feira, 10 de Março de 2009

Instituições Bancárias

(Clicar acima para ver)

 

MALES MENORES

Se exceptuarmos Fernando Ulrich, que normalmente diz o que tem a dizer de modo que toda a gente percebe, os banqueiros são lacónicos e usam uma linguagem complexa que escapa ao comum dos mortais. Daí que os gestores da Caixa Geral de Depósitos tenham precisado de duas semanas para explicar a compra de acções da Cimpor, muito acima do preço de mercado, ao empresário Manuel Fino. Um " mal menor" para a Caixa, diz agora o seu Presidente. Mas, além de lacónicos, os banqueiros cultivam um notável espirito de corpo. Tanto que nenhum gestor da CGD pôs em causa as decisões dos antecessores que emprestaram 500 milhões a Manuel Fino e sabe-se lá quantos milhões mais a outros "investidores" para os aplicarem .... na Bolsa. Mais grave ainda: nenhum se comprometeu a não realizar operações semelhantes no futuro, de modo a evitar " males menores" como o que agora teve de ser corrigido com esta ninharia que são, para os gestores da Caixa, 62 milhões de euros.

Expresso - Fernando Madrinha 2009-03-07  

publicado por luzdequeijas às 15:10
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Março de 2009

O Grande Líder

Alterar tamanho de letra
D.R.  Fila começa às 06h00 e prolonga-se até ao fim do quarteirãoFila começa às 06h00 e prolonga-se até ao fim do quarteirão
                                      09 Março 2009 - 00h30

Crise: Multidão começa a chegar de madrugada

Filas à porta dos centros de emprego

Ao sol ou à chuva começa a ser habitual, no início de cada mês, uma fila que já dá a volta ao quarteirão, onde cerca de cem pessoas procuram tirar uma senha para se inscrever no centro de emprego de Sintra.

Por volta das 08h30, é possível ver uma aglomerado de pessoas que esperam, ao longo de mais de 100 metros de distância do centro de emprego de Sintra, pela abertura de portas do edifício. Algumas das pessoas que se encontravam no local, quarta-feira, adiantaram que esta é uma prática cada vez mais habitual nos primeiros dias de cada mês, devido ao facto de as empresas dispensarem pessoal precisamente no final do mês.

Carlos Manuel da Costa, desempregado há três dias, foi a primeira pessoa a chegar às portas do centro de emprego, depois de no dia anterior ter chegado às 06h00. 'Estou desempregado e vim para ver se me inscrevo no fundo de desemprego. Já estive cá ontem, mas faltava-me um documento, portanto voltei cá hoje ainda mais cedo, às 05h30 da manhã', referiu o munícipe, de 58 anos.

Segundo os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional, em Janeiro estavam inscritas no centro de emprego de Sintra 14 204 pessoas, sendo que 5466 se encontram nessa situação há mais de um ano.

P.H.G. com Lusa
 
» COMENTÁRIOS
09 Março 2009 - 10h34  | desiludido
Só espero que este quase milhão de desempregados sejam inteligentes e não votem em quem os prejudicou. Já agora....
09 Março 2009 - 10h27  | desiludido
Isto é desumano srs. PS! As pessoas já estão a sofrer por falta de emprego e ainda têm de se sujeitar a este absurdo?
09 Março 2009 - 10h25  | desiludido
Os do governo nada fazem para melhorar a vida dos cidadãos e depois ainda há os otários que vão votar neles a correr!
publicado por luzdequeijas às 11:48
link | comentar | favorito

PORTUGAL A SAQUE

Alterar tamanho de letra
Madalena Lino  O estabelecimento prisional Pinheiro da Cruz permitiu um lucro de 81,2 milhões de eurosO estabelecimento prisional Pinheiro da Cruz permitiu um lucro de 81,2 milhões de euros
                                                              CM _ 09 Março 2009 - 00h30

Imóveis: Alienações do Estado batem recorde no ano passado

Encaixe de 680 milhões

O início foi tímido. O Estado vendeu em 2005, primeiro ano de governação Sócrates, oito imóveis pela ‘módica’ quantia de 227 mil euros. A alienação de património continuou com 272 imóveis vendidos entre 2006 e 2007, que permitiram um encaixe aos cofres do Estado de 350 milhões de euros. No ano passado o Estado tornou-se numa verdadeira imobiliária, ao vender apenas 75 imóveis mas com um lucro de 332 milhões de euros. Tudo somado, são 680 milhões de euros que o Estado arrecadou.

Poucos são os tipos de imóveis que escaparam à decisão de venda do Governo. Prisões, palácios, hospitais, edifícios na avenida 24 de Julho e na avenida da República, em Lisboa, bem como quartéis.

A maioria das vendas feitas em 2008, ano de crise financeira internacional que provocou um certo caos no mercado imobiliário, teve um único comprador: a Estamo. Uma empresa pública, tutelada pelo Ministério das Finanças, que funciona como uma holding que fica encarregue de depois vender ou alugar os imóveis a entidades públicas a que comprou os edifícios. Por exemplo, os serviços do Ministério da Educação na av. 24 de Julho que passaram a pagar renda.

A Estamo comprou no ano passado por 147 milhões de euros nove imóveis com um valor de mercado de 130 milhões. O negócio, desfavorável para a empresa pública, mas vantajoso para o Estado, é criticado por Santana Lopes, que considera que 'a venda de imóveis do Estado à empresa pública Estamo, imóveis esses depois arrendados pelo próprio Estado, de modo a diminuir o montante do deficit, é esclarecedora sobre o descaramento reinante'. No seu blogue, pergunta 'será que o Banco de Portugal já iniciou o processo de análise a estas receitas fictícias, a estas operações de engenharia orçamental?'

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA ALIENA HERDADES E PRÉDIOS URBANOS

O Ministério da Agricultura vendeu dez imóveis no ano passado, entre herdades e edifícios urbanos, que geraram um total de 43,1 milhões de euros. O valor mais elevado foi conseguido com a alienação do edifício do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária (LNIV), na Estrada de Benfica, em Lisboa, por 16 677 750 euros. Este serviço do Instituto Nacional dos Recursos Biológicos (INRB) será instalado em Oeiras. Do valor total das transacções concretizadas em 2008, foram afectos aos organismos do Ministério da Agricultura mais de 19 milhões de euros, dos quais 4,2 milhões à Secretaria Geral.Com as alienações concretizadas em 2008, são já 25 os imóveis vendidos pelo Ministério da Agricultura desde 2006.

DEFESA LIDERA COMPRAS EM 2008

O Ministério da Defesa lidera as aquisições de património imobiliário no ano passado, com nove compras num total de 13 realizadas ao nível estatal. O Ministério de Severiano Teixeira adquiriu vários prédios rústicos na ilha Terceira, no arquipélago dos Açores, onde se encontra a base militar das Lajes. No total, foram gastos 259 mil euros pela Defesa. No total, o Estado gastou 1,6 milhões em 2008 em aquisições.

OS MAIS CAROS (valores em milhões de euros)

1 Estabelecimento prisional de Pinheiro da Cruz: 81,2

2 Prédio na 24 de Julho: 34

3 Hospital Curry Cabral: 20

4 Casal doz Zunidos, em Sintra: 20

5 Quartel de São Francisco: 16

6 Laboratório Nacional de Investigação Veterinária: 16,6

7 Prédio na Avenida da República: 10,7

8 Prédio na Rua Angelina Vidal, Lisboa: 9,9

9 Instalações da Faculdade de Medicina Veterinária: 7,5

10 Largo da Academia Nacional de Belas Artes: 7,4

- Prisões, hospitais, laboratórios de veterinária: todos foram vendidos por valores elevadíssimos

 

Pedro H. Gonçalves
publicado por luzdequeijas às 11:38
link | comentar | favorito

DAR OS ANÉIS

Alterar tamanho de letra
                            CM _
 
09 Março 2009 - 00h30

Dia a dia

Operações fictícias

O encaixe de centenas de milhões por parte do Estado com a venda de património não passa de uma manobra fictícia para aumentar as suas receitas e baixar o défice. Tribunais, prisões, quartéis, hospitais e muitos outros edifícios foram vendidos pelo Estado a uma empresa imobiliária do mesmo, a Estamo.

Com as devidas ressalvas, estas operações não são muito diferentes de alguns negócios realizados por Oliveira e Costa e seus ajudantes no universo nebuloso do BPN.

Com a crise do mercado imobiliário, que é notória, apesar de ser muito mais suave do que a crise do ladrilho em Espanha, nem sequer há a garantia de que a empresa pública esteja a pagar o preço adequado.

Pode haver o risco de a Estamo pagar demasiado pelos imóveis e um dia aparecer mais um gigantesco buraco financeiro numa empresa pública, que será pago pelos condenados do costume: os contribuintes.

Mas também há o risco, igualmente grave, de os edifícios serem baratos e serem posteriormente revendidos a privados em esquemas pouco transparentes. O Estado tem por obrigação gerir bem o seu património. Não deve ser nenhum tabu a venda de um terreno público, mas é fundamental que haja transparência sobre todo o processo. Neste tipo de negócio a falta de transparência é a via mais rápida para a corrupção.

 

Armando Esteves Pereira
publicado por luzdequeijas às 11:33
link | comentar | favorito

Magalhães sem Concurso

Alterar tamanho de letra
 
                               CM _ 09 Março 2009 - 00h20

Opinião

Blog

O assunto podia não ir além da anedota, mas convém retê-lo como exemplo. Para o governo e para os entusiastas do Ministério da Educação, o computador ‘Magalhães’ era o essencial – o resto não passava de pormenor.

O que se fazia com ele, o aproveitamento dos alunos, a perda de contacto com a realidade, isso não interessava, desde que o ‘Magalhães’ aparecesse ao lado do primeiro-ministro e as crianças das escolas o utilizassem fosse para o que fosse.

Esqueceram-se do que vinha lá dentro: ‘aplicações interactivas’ cheias de erros de Português de palmatória, uma autêntica vergonha. Espera--se que sirva de lição, mas não há grande esperança porque o Ministério fez pouco ou nada pela melhoria do ensino do Português. É, em grande medida, um Ministério que se preocupa com intendência.

Chega às livrarias o novo livro de Jorge Listopad, ‘Deslizamento’ (QuidNovi) – textos curtos, cruzamento de géneros, observações meteorológicas, recordações literárias. Um estilo cultivado por Listopad há muito tempo. E com proveito.

FRASES

"O lema deste governo é quem não está comigo está contra mim" (Manuela Moura Guedes, ontem no CM)

"A existência de um dia da mulher é uma marca sexista e discriminatória" (Rodrigo Moita de Deus, no blogue 31 da armada)

 

 

Francisco José Viegas
publicado por luzdequeijas às 11:26
link | comentar | favorito

Política de Baixo Nível

Alterar tamanho de letra
               CM _
 
09 Março 2009 - 09h00

Estado do Sítio

Estado de Sócrates

O ainda chamado Partido Socialista completou ontem o espectáculo iniciado há uma semana em Espinho com a eleição da Comissão Política e do Secretariado Nacional. Como se esperava, o órgão máximo é completamente dominado por fiéis do grande líder. O partido do Largo do Rato, que o secretário-geral diz ser de esquerda, moderado, democrático e popular, sem que ninguém lhe pergunte o que é que tudo isto quer dizer, instalou-se no Estado e nos negócios de uma forma invulgar nesta democracia com 34 anos.

Tudo gira à volta do grande líder, que não se engana e manifestamente não tem quaisquer dúvidas sobre o que anda a fazer neste sítio cada vez mais pobre, muito manhoso, hipócrita quanto baste, deprimido e cada vez mais mal frequentado. As vozes críticas são excepções não só no partido do senhor engenheiro como na sociedade civil.

Os militantes procuram não desagradar ao chefe, que lhes dá lugares em tudo o que é administração pública e nas listas para as eleições que aí vêm, e os empresários gravitam à volta do senhor presidente do Conselho porque sabem que os negócios são todos decididos em São Bento, com ou sem concursos públicos, e quem desagradar ao chefe corre o risco de ficar fora da lista dos privilegiados. O grande líder não ouve ninguém, só ele tem ideias para resistir à crise, é o pai e a mãe dos indígenas, das famílias e das empresas.

No meio deste deserto de princípios e de coragem aparecem, uma vez por outra, alguns corajosos que ousam pôr o dedo na ferida e dizer que o rei vai nu. Belmiro de Azevedo é um deles. O outro é Alexandre Soares dos Santos, dono da Jerónimo Martins, que já afirmou que a demagogia irresponsável do grande líder estava a agravar a tremenda crise do sítio e que esta semana voltou ao ataque quando disse que o senhor presidente do Conselho está cansado, mal assessorado e obcecado por Francisco Louçã e o seu Bloco de Esquerda. Alexandre Soares dos Santos disse mais.

Numa altura em que o desemprego dispara e lança milhares de pessoas no desespero, o empresário não percebe por que é que o Governo não ouve nem discute medidas concretas de defesa do emprego com as empresas e seus gestores. Alexandre Soares dos Santos não percebe. Ou melhor, percebe bem de mais. Como vão percebendo muitos portugueses. O Partido Socialista assaltou o Estado de uma forma nunca vista e usa os dinheiros públicos para comprar apoios e castigar quem ousa pôr em causa o grande líder.

 

António Ribeiro Ferreira, Jornalista
publicado por luzdequeijas às 11:15
link | comentar | favorito
Sábado, 7 de Março de 2009

O Bébé Magalhães

 

Jogos educativos do “Magalhães” repletos de erros de português
 
Um softwere gratuito por iniciativa de um emigrante com a 4.ª classe está incluído nos 200 mil computadores já entregues às crianças
O ministério da Educação deu ontem ordem para as escolas retirarem dos computadores “ Magalhães” o softwere de jogos didácticos que estão cheios de erros de português. A indicação foi dada depois de o Expresso confrontar o Executivo com mais de 80 erros clamorosos de ortografia, gramática e sintaxe nas instruções dos jogos incluídos no ambiente de trabalho Linux. Trata-se de softwere gratuito que foi incluído no “ Magalhães” e cuja tradução para português foi feita por um emigrante em França que tem a 4.ª classe e escreveu, por exemplo, “ um disco de cada vês”, “ os dados que caêm”, “gravar-lo”e “ puxando-las”. O deputado José Paulo Carvalho, que detectou o problema, já pediu explicações ao Governo. PS
Expresso 7 de Março de 2009
 

 Nota : Tradutor tem a quarta classe

O tradutor da versão portuguesa do softwere tem quase as mesmas habilitações que as crianças que utilizam o Magalhães: José Jorge tem a 4.ª classe e vive em França desde os 10 anos. “ O problema da tradução é que nenhum português de Portugal se dedicou a ela”, lamenta o emigrante. José Jorge diz que “ ninguém até hoje” reviu a versão que ele criou. O softwere educativo da GCompris está disponível na net e pode ser actualizado por qualquer cibernauta.
publicado por luzdequeijas às 18:13
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Socrates foi raptado

 

 

João Relvas/Lusa
O ministro Manuel Pinho classificou o plano tecnológico como a bandeira do Governo para resolver o problema do crescimento

Sacrifício do investimento público é "o grande erro"
Ministro da Economia promete controlo orçamental sem recessão económica
Por Lusa
31.05.2005
O ministro da Economia e Inovação afirmou hoje que o Governo quer proceder ao ajustamento orçamental sem provocar a entrada da economia em recessão.
 

Num seminário organizado pelo “Diário Económico”, Manuel Pinho disse que esta preocupação levou o Executivo a evitar o aumento da fiscalidade sobre as empresas e garantiu que o investimento público não vai baixar.

Classificou mesmo o sacrifício do investimento público como "o grande erro dos governos anteriores". Nessa linha de actuação, o ministro reafirmou a manutenção do plano tecnológico e a persistência de um discurso virado para o futuro e o crescimento. "Temos de acreditar", sintetizou.

O ministro classificou o plano tecnológico como "a bandeira deste Governo para resolver o problema número um: o crescimento". Avisou, porém, que "este problema não é exclusivo de Portugal, mas afecta toda a Zona Euro".

Em todo o caso, anunciou que o conjunto de medidas que corporizam o plano tecnológico será "apresentado no Outono".

Manuel Pinho esclareceu que para se crescer "não se deve nem pode estimular o consumo e aumentar gastos públicos nem pensar que a transformação da economia não implica ganhadores e perdedores". O ministro alertou que "alguns ficarão para trás, e terão de ser apoiados".

O responsável não deixou de relativizar as expectativas em relação ao plano tecnológico, ao adiantar que este "não assegura sucesso, mas é meio caminho andado".

Neste sentido afirmou que o crescimento económico, para além da inovação, precisa de um "forte investimento" das empresas.

Neste particular adiantou que o programa de investimentos em infra-estruturas, ao longo da legislatura, está estimado em 20 mil milhões de euros, a realizar através de investimentos privados, públicos e público-privados. Montante a que há que acrescentar os designados projectos privados de interesse nacional que, disse, já somam cinco mil milhões de euros.

Sobre as finanças públicas, considerou que a situação revelada pelo relatório Constâncio é "assustadora" e que o seu ajustamento também implica ajustamentos na esfera privada, como uma "maior flexibilidade dos horários de trabalho".

O ministro anunciou ainda que "dentro de poucas semanas" será aprovado um pacote governamental para a energia designado Concorrência e Eficiência Energética e que se deslocará à Argélia e à China no mês de Julho no quadro do esforço de internacionalização da economia portuguesa.

 

publicado por luzdequeijas às 16:06
link | comentar | favorito

Politica do croquete

 

( clicar acima para aumentar e ver )

 

 

publicado por luzdequeijas às 16:02
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 5 de Março de 2009

150 mil postos de trabalho ?

O desânimo está no auge ? O COACHING pode ajudar, já que Sócrates mentiu ....... então procure o coaching e não desanime . Deus é grande !

 

http://www.videos.iol.pt/consola.php?projecto=151&mul_id=13117230&tipo_conteudo=1&id_conteudo=1047067&tipo=2&referer=1

 

          ( clique acima para arranjar emprego )

 
   
 



O que é o 'coaching'?



Miguel Pina e Cunha
Director de MBA da Universidade Nova de Lisboa
 
Ocoaching corresponde a uma buzzword recente no domínio da liderança. A sua prática, no entanto, é antiga. Corresponde a actuações do líder norteadas por um valor supremo: ajudar os outros a trilharem o seu próprio caminho de autodesenvolvimento. Estamos, portanto, perante um entendimento da liderança baseado numa relação "adulto-adulto". Já não é ao líder que compete descobrir o que é melhor para os subordinados - isso é algo que compete a cada um deles. Cabe-lhe ajudar cada colaborador a descobrir a forma de expressar melhor os seus talentos. Dois significados do termo coaching ajudam a compreender a sua aplicação ao mundo das organizações: por um lado, coach é o treinador, aquele que ajuda os seus pupilos a desenvolverem as suas capacidades. Por outro, é um meio de transporte, o que explica o processo de autodesenvolvimento como uma viagem de descoberta e melhoria.

O coaching pode ser tomado como um processo que visa fomentar no colaborador o conhecimento de si mesmo e impulsionar o desejo de melhorar ao longo do tempo, bem como a orientação necessária para que a mudança se produza.

Trata-se, portanto, de uma filosofia de liderança que assenta na ideia de que o desenvolvimento e a aquisição de competências são processos contínuos e da responsabilidade de todos, e não apenas episódios limitados no tempo e espoletados pela hierarquia. A lógica do coaching tende pois a ser privilegiada nas organizações genuinamente aprendentes, nas quais a responsabilidade pelo desenvolvimento é pessoal, embora apoiada e enquadrada pela organização.

Como actua, na prática, um coach na relação com o seu colaborador? Múltiplas acções podem ser consideradas:

- Ajuda-o a aprender - mais do que ensina; ajuda-o a descortinar as áreas em que o seu potencial de desenvolvimento é maior; ajuda-o a desenvolver a sua inteligência emocional; ajuda-o a fazer opções, a descortinar e a definir as suas metas; ajuda-o a analisar os erros, as suas raízes e os modos de ultrapassá-los; coloca-se ao serviço - não controla; faculta-lhe as pistas que lhe permitam superar-se a si próprio; faculta-lhe guias de actuação, informações e pistas que lhe permitam optar e decidir; faz-lhe crítica construtiva, fornece-lhe feedback; gera-lhe orgulho nas realizações e reconhece-lhe o mérito; impele-o a aproveitar todo o seu potencial; inspira confiança, monitoriza o seu desempenho, motiva-o, não lhe impõe soluções, não julga, reconhece a independência e a autonomia do colaborador; é competente e empenhado; é prudente; respeita-o e é sincero na relação; transmite-lhe desafios concretizáveis, assim como sentimentos de segurança; revela abertura de espírito; e é paciente - mas sem perder o norte na proactividade.

Em suma, o coaching refere-se a uma categoria de comportamentos assentes num claro conjunto de valores, nomeadamente: autodesenvolvimento, respeito, autonomia. A sua popularidade "explode", não por acaso, num momento em que os elevados níveis de educação dos profissionais tornam desaconselhados os modelos tradicionais de chefia, nos quais um mandava e outro obedecia. O coaching é, nesta perspectiva, mais um sintoma da grande mudança em curso no mundo das empresas que têm no conhecimento o seu recurso principal: organizações complexas com pessoas simples vão dando lugar a organizações simples com pessoas complexas - e capazes de apostar no seu próprio desenvolvimento, com o apoio da organização onde trabalham, para bem do seu emprego actual e da sua empregabilidade futura. C
 

 

publicado por luzdequeijas às 14:35
link | comentar | favorito

TAXAS EURIBOR

Alterar tamanho de letra
                                             
Arne Dedert, EPA  Jean-Claude Trichet pode optar por mais descidas no futuro Jean-Claude Trichet pode optar por mais descidas no futuro
05 Março 2009 - 00h30

Dinheiro: Taxas Euribor renovam mínimos abaixo dos dois por cento em véspera de decisão do BCE

Baixa histórica de juros

O mercado antecipou a reunião de hoje do Banco Central Europeu (BCE), na qual se prevê novo corte nos juros, e as taxas Euribor renovaram mínimos, abaixo dos dois por cento em todos os prazos. Segundo as previsões da maioria dos analistas, a descida da taxa de referência deverá ser de 0,5 por cento, o que vai aliviar as prestações do crédito das famílias mas, de acordo com a DECO, prejudicar as poupanças.

A concretizar-se a descida prevista, o conselho de governadores do BCE desce pela quinta vez desde Outubro, o preço do dinheiro, para 1,5 por cento, o valor mais baixo de sempre. Os analistas acreditam que os cortes não ficarão por aqui, devido ao enfraquecimento da actividade económica. Há ainda quem preveja que o corte seja de cem pontos-base, atirando a taxa para um por cento.

Como a taxa do BCE serve de referência para as taxas de juro de mercado, as Euribor, é de esperar que a decisão tenha efeitos na descida na prestação da casa. Os contratos com taxa variável que forem revistos em Abril já beneficiam do impacto do corte dos juros. Os que forem revistos neste mês de Março ainda não serão beneficiados com este corte, apesar de já poder haver descidas no empréstimo bancário devido a cortes anteriores.

Para quem tem depósitos e outros produtos de poupança as notícias já não são tão agradáveis, dado que as Euribor que estão a antecipar o corte do BCE, também estão indexadas a esses produtos, o que os torna menos atractivos. De qualquer modo, com o corte na prestação da casa, o rendimento disponível das famílias aumenta.

PORMENORES

PEDIDO DE EXPLICAÇÕES

O CDS-PP vai pedir ao Governo e ao regulador que expliquem no Parlamento por que razão os juros estão a descer e os spreads cobrados pelos bancos a subir.

EXPECTATIVAS

Os 55 economistas contactados pela Bloomberg estimam que o Banco Central Europeu faça descer meio ponto percentual nos juros, para os 1,50%.

BANCO DE INGLATERRA

O Banco de Inglaterra também reúne hoje, sendo pro-vável um novo corte nos juros.

AGRAVAMENTO

Os peritos dizem que o agravar da situação económica na Zona Euro e a queda das Bolsas justificam nova descida dos juros.

 

Pedro
publicado por luzdequeijas às 14:09
link | comentar | favorito

ENTREGA DOS OBJECTIVOS

Alterar tamanho de letra
Vítor Mota 
04 Março 2009 - 18h50

Para esclarecer consequências da não entrega de objectivos individuais

Ministra da Educação chamada ao Parlamento

A Ministra da Educação vai ter de prestar explicações na Comissão de Educação e Ciência (CEC) da Assembleia da República sobre as consequências para os professores da não entrega dos objectivos individuais, no âmbito da avaliação de desempenho.

O PSD propôs hoje à comissão que Maria de Lurdes Rodrigues seja chamada e já fez saber que se o PS inviabilizar esse pedido a presença da ministra será imposta, através do agendamento potestativo. Terça-feira a CEC volta a reunir e nessa altura saber-se-á qual a posição do PS.

O anúncio, feito pelo deputado do PSD Pedro Duarte, surgiu durante a audição na CEC de representantes de movimentos independentes de professores e de 212 presidentes de conselhos executivos, que apelaram a uma clarificação por parte do Governo. 'Neste momento está instalada a arbitrariedade nas escolas', denunciou Octávio Gonçalves, do movimento Promova.

A 17 de Fevereiro, a CEC deliberou, por unanimidade, questionar por escrito a ministra sobre as consequências legais e disciplinares da não entrega dos objectivos, mas até ontem a resposta não tinha chegado. António José Seguro, presidente da CEC, explicou que 'o prazo regimental é de 30 dias' com Pedro Duarte a considerar a demora 'inaceitável num Estado de Direito Democrático'. 'Devia responder em duas horas. Ou a ministra não sabe a resposta ou sabe e não diz para manter a ameaça no ar', disse o deputado social-democrata, considerando que 'está instalado nas escolas um clima de pântano em que não se sabe a regras do jogo'. Duarte revelou que 'nestes quatro anos nunca o PSD teve uma reunião com o Ministério da Educação', considerando que 'seria positivo haver consensos em matérias que mexem com a vida de muita gente como o Estatuto da Carreira Docente': 'Se o PSD ganhar as eleições terá de alterar o estatuto e depois vem o PS e muda outra vez, uma matéria não pode andar ao sabor da alternância política'.

Contactado pelo CM, Rui Nunes, assessor do Ministério da Educação, garantiu que a pergunta 'será respondida dentro do prazo'.

Recorde-se que dia 3 de Fevereiro Lurdes Rodrigues esteve na CEC mas escusou-se sempre a responder aos deputados e aos jornalistas sobre as consequências da não entrega dos objectivos, afirmando apenas que 'as consequências estão estabelecidas nos decretos-lei e decretos-regulamentares'.

Para Isabel Legué, presidente do conselho executivo da Escola Rainha Dona Amélia, em Lisboa, 'quando a lei é clara não temos dúvidas mas as ambiguidades e omissões desta dão azo a todo o tipo de aplicações diferentes'.

Os movimentos de professores (APEDE, MUP e Promova) apelaram ainda aos deputados para apresentarem ao Tribunal Constitucional um pedido de fiscalização abstracta e sucessiva da constitucionalidade dos decretos que regulam a avaliação de desempenho, mas nenhum dos partidos se comprometeu nesse sentido. Ricardo Silva (APEDE) pediu ainda para o Governo esclarecer o que sucede a quem não entrega a ficha de auto-avaliação, fase posterior do processo. 'Eu e outros colegas estamos dispostos a resistir até ao limite. Já me congelaram três anos e estou disposto a perder mais dois mas quero saber se posso ser despedido por não fazer a auto-avaliação', disse.

O deputado do PS Luís Fagundes Duarte admitiu que há problemas com o modelo de avaliação. 'Embora seja deputado do PS não sou cego. Não é preciso ser muito inteligente para perceber que alguma coisa não está a correr bem', disse.

Bernardo Esteves
publicado por luzdequeijas às 11:20
link | comentar | favorito

"Bobbyys" e "Tarecos"

05 Março 2009 - 00h30
 

Bilhete Postal

Truques idênticos

A teima na ‘campanha negra’ visa intimidar quem faz informação. Note-se que essa lengalenga foi usada no Freeport, mas alastrou para os projectos da Guarda, para as nebulosidades da licenciatura e do caso da Cova da Beira.

Sempre que alguém fica perplexo com o peculiar percurso de Sócrates, o próprio ou os que escolheram o pouco distinto papel de serem os seus ‘Bobbys’ e ‘Tarecos’ – os ministros Santos Silva e Silva Pereira – surgem a gritar que sinistros ‘poderes ocultos’ conspiram "contra a democracia".

Curiosamente, do lado do PSD, Pacheco Pereira faz coisa semelhante aos que não crêem nas virtudes da liderança de Ferreira Leite. Um dos dramas da fossa em que estamos é que os piores defeitos de quem manda parecem ser os talentos de quem quer mandar.

Carlos Abreu Amorim, Professor universitário
publicado por luzdequeijas às 10:11
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Março de 2009

JOÃO PEDROSO

Alterar tamanho de letra
                            
Duarte Roriz  João Pedroso (na foto) foi contratado pelo ministério de Maria de Lurdes Rodrigues para compilar legislação da áreaJoão Pedroso (na foto) foi contratado pelo ministério de Maria de Lurdes Rodrigues para compilar legislação da área
04 Março 2009 - 00h30

Investigação: Contratos com João Pedroso motivam buscas ao ministério de Lurdes Rodrigues

Suspeita de abuso de poder na Educação

O Ministério Público está a investigar suspeitas de crimes de abuso de poder e de participação económica em negócio no âmbito de contratos celebrados entre o Ministério da Educação e João Pedroso, no total de 265 mil euros, mais IVA.

Segundo apurou o CM, o inquérito, que corre na secção do DIAP de Lisboa – que investiga os crimes económicos e financeiros –, ainda não constituiu arguidos, mas já apreendeu dezenas de documentos, designadamente na sequência de uma busca ao ME no final do mês passado, que estão agora a ser analisados.

Em causa estão dois contratos, celebrados em 2005 e 2007, no âmbito dos quais João Pedroso recebeu uma pequena fortuna, apesar dos trabalhos pedidos ao advogado não terem sido cumpridos. Em causa estava a compilação de legislação dispersa sobre a Educação e a criação de um manual sobre direito da Educação, entre outros serviços.

O não-cumprimento do contratado levou a tutela a rescindir o contrato no final de 2008, exigindo a devolução de metade dos valores pagos. O CM sabe que Pedroso requereu o pagamento em prestações dos honorários.

Nos recibos passados por João Pedroso, a que o CM teve acesso, a indicação da actividade exercida pelo advogado varia: em alguns é jurista, noutros é professor/jurista e até surge como professor/jurisconsulto.

O contrato de Pedroso com o Ministério da Educação já foi, aliás, motivo para a instauração de um inquérito pela Universidade de Coimbra, instituição na qual o irmão de Paulo Pedroso dá aulas em regime de exclusividade.

O CM tentou um esclarecimento de João Pedroso, mas não foi possível até ao fecho da edição.

APONTAMENTOS

IRMÃO DE EX-MINISTRO

João Pedroso é advogado e irmão de Paulo Pedroso, deputado socialista e ex-ministro.

CRIMES COM PRISÃO

A participação em negócio é punida com cinco anos de prisão e o abuso de poder com três.

 

Ana Luísa Nascimento / Edgar Nascimento
publicado por luzdequeijas às 16:22
link | comentar | favorito

POBREZA NO MUNDO

Alterar tamanho de letra
                                          
 
04 Março 2009 - 09h00

Cozido à Portuguesa

Dívidas e democracias

Nos últimos vinte anos, o Ocidente viveu uma orgia de crédito. Empresas e famílias endividaram-se até à exaustão, e com isso mantiveram altíssimos níveis de consumo. E o que compravam? Além de casas e respectivas mobílias, compravam também carros, televisões, electrodomésticos, DVD e viagens.

E a quem compravam esses produtos? A países emergentes, que vão desde o Sudoeste Asiático até à América Latina, passando pela Europa de Leste. Foi portanto a orgia de crédito do Ocidente que permitiu que muitos países de outras regiões exportassem muito mais, e portanto que milhões de pessoas, nessas regiões, saíssem da pobreza. Além disso, muitos desses países, nos últimos 20 anos, deram passos largos no sentido da democracia. Embora a China e a Rússia sejam excepções importantes, pode-se dizer que há uma relação forte e directa entre o endividamento ocidental e a democracia noutros locais do mundo. E há certamente uma relação directa entre o endividamento ocidental e a saída da pobreza de milhões de pessoas, e aqui se incluem chineses e russos.

Enquanto o Ocidente vivia o seu período de turbocapitalismo, ‘alavancado’ pela dívida e pelo crédito, partes importantes do resto do mundo saíam da miséria. Na Polónia, na Hungria, na Bolívia, no Brasil, na Indonésia, na Malásia, na China, na Ucrânia, na Índia ou na Rússia, milhões elevavam-se a uma classe média com mais capacidades económicas. Quantos mais gadgets, carros e televisões plasma o Ocidente comprasse, mais milhões de pessoas melhoravam a sua vida.

Contudo, um dia a orgia chegou ao fim. Estamos todos a viver uma aterragem forçada, agarrados aos cintos de segurança e com os sacos de oxigénio na cara. O turbocapitalismo estoirou e os bancos fecharam a torneira do crédito. No Ocidente, vive-se uma retracção forte, mas talvez saudável, para níveis de consumo menos obscenos e exagerados. Só que a paragem do exagero a Ocidente vai levar a uma retracção igualmente forte no resto do mundo. Se exportarem muito menos, os países do Sudeste Asiático, da Europa de Leste e da América Latina vão sofrer fortemente, e milhões de pessoas podem voltar a recuar para a pobreza.

A grande incógnita é esta: será que as democracias jovens desses países vão resistir? Quem, na Europa de Leste, na América Latina, no Sudoeste Asiático, vai aguentar o regresso à abjecta miséria do passado sem revolta? Menos dívida a Ocidente é certamente mais pobreza no mundo. Será também menos democracia?

Domingos Amaral, Director da ‘GQ’
publicado por luzdequeijas às 16:18
link | comentar | favorito

MÉDIO PRAZO ? DIA A DIA !

Alterar tamanho de letra
d.r.  Cavaco mostrou-se com medidas proteccionistasCavaco mostrou-se com medidas proteccionistas
                                                           CM 04 Março 2009 - 15h17

De médio prazo

Cavaco alerta para definição de metas

O Presidente da República, Cavaco Silva, alertou esta quarta-feira para a necessidade de não perder de vista os desafios e metas de médio prazo, sob pena de se abrir a porta a novas crises porventura ainda "mais graves".

'Não podemos dar-nos ao luxo de perder de vista os desafios e metas de médio prazo, dos quais destacaria não apenas a reformulação da arquitectura e governação do sistema financeiro internacional, mas, sobretudo, as questões do combate às desigualdades sociais e ao terrorismo, da criação de emprego e do crescimento sustentável', afirmou Cavaco Silva no encerramento do seminário económico 'Alemanha/Portugal: Juntos criamos riqueza', que decorreu num hotel em Berlim.

Se se colocarem de lado estas metas e desafios, segundo o Chefe de Estado, poderá estar-se a 'abrir a porta a novas crises, porventura de carácter ainda mais grave para a solidez e estabilidade das relações internacionais'.

Para o curto prazo, Cavaco Silva defendeu que os Governos devem minimizar as consequências da escassez de crédito e restaurar a confiança dos mercados financeiros. O Presidente rejeitou ainda o regresso a 'novas formas de proteccionismo', considerando que a História já ensinou que 'trazem consequências bem mais nefastas do que as crises originais'. 'Restringir, de forma explícita ou implícita, o grau de abertura das economias nacionais seria uma resposta contraproducente, em termos económicos, como perigosa em termos políticos', sublinhou.

De igual forma, Cavaco Silva insistiu na necessidade de combater as manifestações de 'nacionalismo económico e financeiro', por considerar que 'representam um risco para o funcionamento do mercado interno e, por essa via, para o futuro do modelo de integração e afirmação da Europa'.

publicado por luzdequeijas às 16:06
link | comentar | favorito

POVO E PAÍS ENDIVIDADOS !

Manuel Moreira  O crédito ao consumo tem cada vez mais peso no endividamento O crédito ao consumo tem cada vez mais peso no endividamento

                                             CM _ 04 Março 2009 - 00h30
 

Em Janeiro e Fevereiro

Duplicam famílias com dívidas excessivas

A crise económico-financeira está a arrastar cada vez mais famílias para situações de sobreendividamento: só em Janeiro e Fevereiro deste ano o número de agregados familiares com a chamada ‘corda na garganta’ ascendeu a um total de 2436 casos, um aumento de 107 por cento face aos 1176 casos registados em igual período de 2008.

Fique a saber mais na edição de hoje do jornal 'Correio da Manhã'.

 
 

» COMENTÁRIOS
04 Março 2009 - 13h23  | kek
As mesmas familias que tem telemoveis e GPS nos BMW a serem pagos as prestacoes de 10 euros? Nao tenho pena.
04 Março 2009 - 12h40  | João José Humberto Campina
Não é de espantar! Agora, o governo devia ir buscar aos corruptos e ladrões da banca, dinheiro para ajudar esta gente.
04 Março 2009 - 12h33  | Carla
estão c dividas!?mas querem ostentar grandes vidas.n deixam d ir de férias e ter belos carros e casas..sejam orientados!
04 Março 2009 - 11h56  | ceu mota
Os mais antigos com menos dinheiro deixam casas, terrenos aos filhos estes deixam dívidas aos os filhos!!!
04 Março 2009 - 11h54  | ceu mota
O Governo nisto tudo tem culpa é de não travar o crédito a estas pessoas que não têm aonde cair mortas!!!
04 Março 2009 - 11h52  | ceu mota
VERGONHA Sr. Bruno Londres, é estes "portuguesitos" adquirirem coisas e não terem dinheiro para elas!!!
04 Março 2009 - 11h52  | Pipa
Quem não tem $ não tem vícios! Uma coisa é ter um azar, um problema de saúde, outra coisa é gastar mais do que se pode!
04 Março 2009 - 11h42  | Zé Cardoso
Viver acima das possíbilidades, dá nisto. Passam fome em casa, mas têm um carrão, e vão para o estrangeiro de férias!
04 Março 2009 - 11h32  | Maria
Sempre achei que o crédito fácil ia dar nisto,as pessoas querem + do que podem ter, agora arreiem !!
04 Março 2009 - 11h13  | jorge
pois é , toda a minha gente quer tomar o pequeno almoço no café da esquina, quer ir de férias, quer um LCD HD...
publicado por luzdequeijas às 16:02
link | comentar | favorito

INVESTIGADA DEMORA ?

Alterar tamanho de letra
Sérgio Freitas  Conselho Superior do Ministério Público vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias do arquivamento do processoConselho Superior do Ministério Público vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias do arquivamento do processo
04 Março 2009 - 00h30

Braga: Investigada demora na conclusão do inquérito

Mesquita ouvido oito anos depois

Mesquita Machado só foi ouvido pela Polícia Judiciária do Porto oito anos depois da denúncia do ex-vereador do CDS-PP na Câmara de Braga que dava conta do enriquecimento ilícito do autarca e lançava suspeitas sobre a restante vereação.

O presidente da Autarquia não chegou sequer a ser constituído arguido, nem tão-pouco as restantes testemunhas também inquiridas. Os vereadores da Câmara tão--pouco chegaram a ser confrontados com os elementos recolhidos pela investigação que esteve parada por longos períodos de tempo.

Por exemplo, numa informação de serviço da PJ do Porto, datada de Março de 2007, são explicadas as 'razões para o atraso da investigação' – termos usados no documento a que o CM teve acesso. E a culpa é atribuída ao 'processo dos liquidatários', mas também ao ‘caso Apito Dourado’, 'que exigiu a afectação de toda a brigada'. Em suma, fica claro que o caso de Mesquita Machado ficou para segundo plano e no documento é ainda esclarecido que a investigação começara em 2000 e que a primeira fase terminou apenas três anos depois, altura em que foram fornecidos os últimos dados bancários.

Na altura, a coordenadora da investigação assumia que em Outubro de 2006 a investigação tinha sido retomada e previa a sua conclusão no final de 2007. Mas o prazo foi novamente ultrapassado, tendo sido concluído quase um ano depois.

PORMENORES

APURAR MOTIVOS

O procurador-geral da República quer 'apurar as razões para os longos períodos de ausência de movimentação do processo' de investigação a Mesquita Machado e colaboradores na Câmara de Braga.

POUCOS AVANÇOS

Em Setembro de 2007, uma informação do Ministério Público de Braga ao procurador da República admitia que, 'volvidos que são mais de sete anos, pouco ou mesmo quase nada se fez em termos de investigação'. Sublinhava que 'importava mobilizar meios e redobrar esforços na investigação para mostrar que existia vontade de averiguar' a verdade.

 

Liliana Rodrigues / Tânia Laranjo
publicado por luzdequeijas às 15:58
link | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Março de 2009

INGLÊS TÉCNICO

http://www.youtube.com/watch?v=OnZVROX7q0g

 

              ( clicar acima para ver )

Folha A4 com cartão do Governo
Sócrates aprovado em Inglês Técnico com trabalho feito em casa, revela o "Sol" 
17.04.2007 - 17h07 PUBLICO.PT
A aprovação de José Sócrates na cadeira de Inglês Técnico na Universidade Independente (UnI) foi obtida com um trabalho feito em casa numa folha A4, enviado ao reitor e acompanhado de um cartão com o timbre do seu gabinete de secretário de Estado, avança hoje o site do jornal "Sol".

De acordo com o site, esta é uma das revelações que a UnI pretendia fazer na conferência de imprensa que tinha marcado para hoje e que adiou para amanhã, às 18h00.

A cadeira de Inglês Técnico foi uma das cinco que o primeiro-ministro fez nesta universidade para completar a sua licenciatura em Engenharia Civil.

A folha A4, com um pequeno texto em inglês, e o cartão agrafado, foram encontrados no dossier de aluno de José Sócrates, escreve ainda o "Sol", num texto assinado por Graça Rosendo e Felícia Cabrita.

O texto em inglês é o único documento de avaliação que consta do dossier de aluno de Sócrates e, de acordo com o jornal, responde a menos de uma dúzia de alíneas.

No cartão de José Sócrates, subscrito enquanto secretário de Estado adjunto do ministro do Ambiente, foi manuscrito: "Meu caro, como combinado aqui vai o texto para a minha cadeira de Inglês".

O "Sol" contactou o gabinete do primeiro-ministro, que disse que qualquer comentário sobre esta notícia ficará para depois da conferência de imprensa anunciada pela Universidade Independente.

 

publicado por luzdequeijas às 16:08
link | comentar | favorito

PROCESSO REABERTO

 

Alterar tamanho de letra
d.r.  Mesquita MachadoMesquita Machado
03 Março 2009 - 00h01

Processo deverá ser reaberto

PGR investiga caso Mesquita Machado

O arquivamento do inquérito ao presidente da Câmara Municipal de Braga, Mesquita Machado, cujo processo esteve parado quatro anos, vai ser investigado pelo Ministério Público. A decisão foi ontem tomada pelo Conselho Superior, presidido pelo procurador-geral da República, que irá nomear um inspector para "apurar as razões para os longos períodos de ausência de movimentação do referido processo".

Esta deliberação, que deverá levar à reabertura da investigação, surge na sequência de notícias divulgadas pelo CM. O processo esteve na PJ do Porto durante oito anos e foi alvo de vários despachos intercalares dando conta da paragem das investigações durante quatro anos. A PJ justificava-o com o volume de trabalho (e a disponibilidade de meios na investigação do ‘Apito Dourado’), mas poucas ou nenhumas diligências foram feitas. Da análise às contas bancárias verificou-se uma disparidade entre os vencimentos dos autarcas e os depósitos nas contas.

 

Ana Luísa Nascimento / Tânia Laranjo
 
publicado por luzdequeijas às 11:13
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 2 de Março de 2009

VITIMIZAÇÂO

Alterar tamanho de letra
 
02 Março 2009 - 00h01

Marcelo analisa Congresso do PS

“Sócrates vai vitimizar-se com o Freeport”

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou ontem, no seu programa semanal da RTP 1, que o primeiro-ministro mostrou no Congresso do PS "como vai ser a sua campanha eleitoral". "Ele vai vitimizar-se com o caso Freeport", avançou o comentador, sublinhando que José Sócrates "está convencido que vai ser brevemente ilibado, mais mês menos mês".

Outra das linhas de acção da campanha socialista, antecipa Marcelo Rebelo de Sousa, passará por evitar a palavra "crise", dando maior visibilidade às medidas para a ultrapassar. "Já se percebeu que [José Sócrates] vai fazer uma campanha com base no social, para cobrir a fuga de votos para o BE", atirou o antigo líder do PSD, admitindo também que a estratégia do primeiro-ministro passa por "jogar com o medo de uma crise no meio da crise", acenando ao eleitorado de centro com o risco de uma grande subida do BE nos resultados eleitorais.

Sobre o Congresso do PS, que decorreu durante o fim-de-semana em Espinho, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que se tratou de um "grande espectáculo", ainda que "sem conteúdo nenhum". "Não houve debate e as intervenções foram laudatórias", concluiu o social-democrata.

Diana Ramos
publicado por luzdequeijas às 18:37
link | comentar | favorito

A FORÇA DA MUDANÇA

 

02 Março 2009 - 00h30
 

Visto à Esquerda

Para menores de cinco

Num congresso de encenação, que abjurou qualquer ideia, venham os slogans. Primeiro, era ‘A Força da Mudança’. Como, se o único projecto do PS é manter o poder? Alguém acredita que melhorámos desde 2005?

Se o primeiro slogan é ficção, o segundo choca. Escolheram ‘Vencer 2009’, ganhar eleições, enquanto o País agoniza. É por isso que se ataca o Bloco. O objectivo não é vencer a crise. É bater (n)as esquerdas. E estar à defesa. Na socratolândia, as eleições já não escolhem o melhor para governar, mas o combatente de eventuais campanhas negras. Para isso mostrou-se o líder pronto. E não para enfrentar a crise, colocando-se ao nível de certos autarcas... Sócrates pressupõe mesmo que a Democracia está em perigo quando o primeiro-ministro é investigado? Se é assim em Democracia, imagine-se em ditadura!

O congresso foi um comício-campanha de três dias, com a entronização do chefe, rodeado de louvaminheiros e um viveiro de boys & girls (daí o silêncio sobre o desemprego...) Afinal, a altura em que se fez mais luz foi com o apagão. Calaram-se. Ah, não, houve uma ideia. A universalização do ensino escolar. Mas Sócrates, em 2005, prometeu garanti-lo a todas as crianças com 5 anos. Esqueceu-se?! Enfim, é o socialismo que resta. Para menores de 5.

Joana Amaral Dias
publicado por luzdequeijas às 18:32
link | comentar | favorito

Destino do PS

Alterar tamanho de letra
                       
 
02 Março 2009 - 00h30

Bilhete Postal

Alegre apagão

Sexta-feira, Sócrates foi igual ao pior de si próprio quando se voltou a vitimizar e a repisar, pela enésima vez, a historieta da ‘campanha negra’. Num momento sul-americano, fazendo ameaças veladas a directores de televisões e de jornais e com um tom que lembrava um Mesquita Machado sem barba ou uma Fátima Felgueiras sem o penteado, Sócrates revelou a sua peculiar noção de Estado de Direito: "Em Democracia é o povo quem mais ordena."

Ou seja, o voto popular inocentá-lo-á se o caso Freeport der para o torto. Esta táctica política desvaloriza a investigação em curso e amarra o destino do PS ao seu, aconteça o que acontecer.

O discurso de ontem, por seu turno, foi o tiro de partida da campanha eleitoral. Sobre a luta contra a corrupção, claro, nem uma palavra.

Carlos Abreu Amorim, Professor universitário
publicado por luzdequeijas às 18:26
link | comentar | favorito

A CHAMA APARECERÁ

02 Março 2009 - 09h00
 

Estado do Sítio

A gasolina e o fogo

Não vale a pena andar a tapar o Sol com a peneira. Não vale a pena andar por aí a chamar estúpidos aos indígenas. Não vale a pena tratar os cidadãos como atrasados mentais. Não vale a pena pensar que as pessoas reais deste sítio real se deixam enganar com discursos, bonitas palavras de esperança, sinais animadores.

 

A crise aí está, com o seu rol de desgraças. E muito provavelmente ainda não chegou ao fundo, isto é, provavelmente ainda chegará a casa de muito mais pessoas nos próximos tempos. As conversas fiadas do senhor governador do Banco de Portugal são isso mesmo. Conversas fiadas muito pouco fiáveis. Quando Vítor Constâncio admite que a economia lusa chegou ao fundo no último trimestre de 2008, é de temer o pior no primeiro trimestre de 2009.

Quando Manuel Pinho embandeirou em arco com os números do desemprego em 2008, a realidade do número de novos inscritos em Janeiro no Instituto de Emprego mostrou até que ponto se exige aos políticos prudência nas palavras e muito recato nos sinais exteriores, sejam eles quais forem. O mesmo se diga de José Sócrates, que aproveita qualquer previsão ou estatística para correr até ao espelho mais próximo para perguntar, vaidoso, se há no Mundo melhor primeiro--ministro do que ele.

Nestes tempos de angústia e desespero para milhares de famílias, todo o cuidado é pouco com o que se diz e com o que se faz. É evidente que quem assim fala nunca passou provavelmente por muitas dificuldades na vida. É evidente que andam por aí muitas almas condoídas com o sofrimento de alguns cidadãos que perderam milhões e milhões no mercado de capitais. É evidente que é muito difícil para a classe política e dirigente deste sítio deprimido, pobre, hipócrita, manhoso e cada vez mais mal frequentado perceber o que vai na alma e no corpo de quem está sem trabalho, sem dinheiro e sem qualquer perspectiva para o futuro.

Algumas palavras, alguns sorrisos, alguma arrogância, alguma ostentação, algum desprezo pela situação desesperada de muitos cidadãos podem ser gasolina deitada em cima de uma fogueira que, por enquanto, arde em lume brando. E, como a crise anda a uma velocidade estonteante e faz milhares de vítimas todos os dias, o melhor mesmo é prevenir. Os bombeiros de serviço e os seus eventuais substitutos sabem perfeitamente que não têm meios para combater um incêndio provocado por uma multidão de novos desesperados.

António Ribeiro Ferreira, Jornalista
publicado por luzdequeijas às 15:26
link | comentar | favorito

HUGO CHÁVEZ V:S OBAMA

Alterar tamanho de letra
d.r. 
02 Março 2009 - 00h43

 

Hugo Chávez: Desafio a Obama

O presidente venezuelano, pediu ao seu homólogo Barack Obama que “não se meta” com ele, referindo-se a relatórios de Washington sobre direitos humanos e tráfico de drogas na Venezuela.

 
publicado por luzdequeijas às 15:21
link | comentar | favorito

chefinhos do PS

Alterar tamanho de letra
 
02 Março 2009 - 00h30

Dia a Dia

O novo cavaquismo

O Congresso do PS confirmou aquilo que há muito se previa. Sócrates e o PS chegam ao final da primeira maioria absoluta totalmente cavaquizados. Um e outro repetem aquilo que foi o PSD no ciclo de poder de Cavaco Silva, particularmente nas duas maiorias absolutas, e que deixou o próprio enfastiado do partido, como se percebe nas suas memórias.

O congresso de Espinho foi uma celebração vazia de elogios balofos e reverentes a Sócrates. Foi um conclave dedicado ao culto da personalidade, montado ao milímetro para o líder projectar a sua imagem e lançar, sem qualquer espécie de mácula, os ataques que melhor servem a sua própria vitimização: a campanha negra, um director de jornal, uma televisão, os cobardes das cartas anónimas, grande metáfora de diabolização de quem – polícia e magistratura – deu seguimento a tais denúncias. Tudo faz lembrar aquele infeliz congresso de Cavaco, aí por inícios da década de 90, sobre as 'forças de bloqueio'.

O culto do líder e a eucaliptização total do PS, pelo efeito da afirmação de um líder com personalidade tão abrasiva, são os ingredientes deste novo cavaquismo. Que se multiplica em centenas de zelosos pequenos chefes pela máquina do Estado e em obedientes chefinhos no PS. Resta saber se o partido vai ficar em tantos cacos como o PSD pós-cavaquista...

 

Eduardo Dâmaso, Director-adjunto
publicado por luzdequeijas às 15:15
link | comentar | favorito

SÓCRATES NA OPOSIÇÃO

 
 
Uma ampola de "Sargenor"...

... só para avivar a memória!

 

Existem pessoas muito perigosas .....................
 

publicado por luzdequeijas às 15:04
link | comentar | favorito

O CONGRESSO DO PS

Congresso Nacional do PS

Terminou o XVI Congresso Nacional do PS e, por isso, aqui deixo o meu contributo...

 

 

E ainda há quem diga que "ele" mente...!


 

publicado por luzdequeijas às 12:59
link | comentar | favorito
Domingo, 1 de Março de 2009

SOCIAL - DEMOCRACIA

 

Será a Social-Democracia a ideologia que encerra em si, que incorpora, o princípio da unidade dialética entre o ser social e o ser individual, tendo como expressão de Estado a Democracia Politica, um homem um voto e a vontade politica dos cidadãos expressa nos resultados de eleições democráticas ?

 

Seja ou não, analisemos a notícia que segue :
 
                 “ Malhar nos Sociais Democratas “
Paulo Rangel foi a um encontro do Partido Popular
 Europeu ( PPE ), mas ouviu em Bruxelas o que não esperava, Othmar Karas, o austríaco que dirigiu a reunião, passou o tempo a “malhar” ( como diria o ministro Santos Silva ) nos “ Sociais democratas “. À primeira, Rangel sobressaltou-se. Mas depois sorriu – afinal, só em Portugal é que social-democrata designa um partido de centro-direita ; no resto do mundo é ser de esquerda. Quando Karas criticava a falta de soluções dos sociais-democratas para a crise, não se referia ao PSD em particular, mas à esquerda europeia. No fim, Rangel até aplaudiu. – Expresso   28-02-09
 
Assim, ser social-democrata é ser centro-esquerda em toda a Europa, com excepção de Portugal. Ser socialista é praticamente ser de direita ! 
 
É claro que esta análise não está a levar em conta outras influências determinantes, mas, o eixo político em Portugal está, claramente, desviado para a esquerda, considerando os conceitos europeus. Em consequência disto, no nosso país, não existe um bloco centro-direita / direita forte, em oposição ao muito maior bloco centro-esquerda / esquerda, ao contrário dos outros países da U E. Estamos condenados à influência da raiz marxista dos paridos socialistas / sociais-democratas / Bloco de esquerda / comunista, obrigando a verdadeira direita a esconder-se ou ser escondida na esquerda, para poder exercer a sua influência ! ..... Tudo isto faz lembrar aqueles  miudos que usam a sacola da escola sempre no ombro esquerdo. Esquecem-se ou ninguém os ensina de que têm um ombro direito. Resultado, ficam para toda a vida com desvios graves na coluna vertebral, que os vão impossibilitar, muito cedo, de uma vida normal. Na escola e na vida, teria sido importante para eles, que a sociedade lhes ensinasse que se têm lado direito e esquerdo, devem utilizar com moderação os dois. Não sendo assim, não irão conseguir tirar todo o proveito na vida, de tudo daquilo que Deus lhes deu. Ficam diminuídos para sempre.
 
Isto é mau .... muito mau . Veja-se o estado da economia portuguesa e da credibilidade da política nacional. Nunca mudará sem que, de forma transparente, ensinem a população a utilizar a esquerda e a direita, alternadamente. É um princípio da democracia. Alternância no poder. Quando se vota ao centro não há alternância, embora pareça que mudando de partido isso se consegue !
publicado por luzdequeijas às 22:56
link | comentar | favorito

PODER INCONTORNÁVEL

 

“ A EMINÊNCIA PARDA “
 
Quando em 1985 , sofreu a mais terrível derrota do PS numas legislativas – a dos 22 por cento – prometeu que só voltava se fizesse falta como « homem de consenso » . Treze anos depois , ocupa o segundo lugar do Estado e a verdade é que nunca deixou de ser necessário. 
Em 1990 , viviam-se os tempos de brasa dos escândalos do cavaquismo e Duarte Lima , então líder parlamentar do PSD , escolheu Almeida Santos para emitir um parecer sobre a prisão de Costa Freire . Santos irritou o PS mas vestiu a pele do eminente jurista coimbrão e fez-se ouvir : a prisão era ilegal . Na altura Lima explicou as razões que o inspiraram e melhor que ninguém definiu Almeida Santos : « Se alguém pensa que o homem mais poderoso de Portugal é o Cavaco , engana-se ».
O poder de Almeida Santos tem pouco a ver com os lugares que ocupa e veêm-lhe de outras auras . E o próprio exibe os galões dos lugares que nunca teve : «Deve haver pouca gente como eu que nunca pertenceu a um conselho de administração , um conselho fiscal , um conselho geral ou mesmo a uma fundação . E nunca fui condecorado por ninguém » .
Não lhe terá feito falta . É certo que não conseguiu o lugar cimeiro cujo caminho ajudou a abrir para o seu amigo Mário Soares , mas chegou a Presidente do Parlamento , preside ao PS e , conseguiu ascender à elite dos que são olhados como « pater famílias » .
Não precisou ser o líder do PS para ter um poder incontornável nas horas decisivas . Não precisou pertencer a conselhos de administração para ter poder , que assume , e abrir portas aos seus amigos empresários .
Das suas ligações aos meios empresariais e a Macau permanecem rastos difusos . Das suas responsabilidades em projectos de comunicação falhados , restam fracas memórias . Da derrota de 85 , nem se fala . Mas do seu poder ninguém duvida .
Beirão de origem , estudou Direito em Coimbra , onde começou a luta pela democracia , mas nos anos 50 deixou-se seduzir pelos encantos de Moçambique, e partiu . Advogado de prestigio , defendeu muitos africanos , fez nome e amigos . Os amigos são aliás um elemento fundamental na vida dos « pater ».
Em 74 , regressa a Portugal e adere ao PS no segundo congresso do partido , o que não impede de ser olhado como um dos seus fundador . Amigo fiel de Mário Soares , partilha com ele vários governos e a capacidade de tornear os seus próprios «calcanhares de Aquiles».”
No parlamento , é um tribuno de excepção e , quando discursa , é ouvido em silêncio . Como quando canta o fado . Inspira a admiração dos homens brilhantes e o respeito dos homens poderosos . E aqueles que lhe apontam o dedo – como no caso da visita a Moçambique – ficam-se pela surdina .
Aos que o atacam , Almeida Santos responde com a impressionante displicência dos intocáveis . E aos amigos vai dizendo que « se pudesse trocar a fortuna que tem por aquela que dizem ter fazia um negócio da China ».
 
                  Expresso      23   Maio 98
 
publicado por luzdequeijas às 19:20
link | comentar | favorito

A FUNDAÇÃO

 

A Fundação
A relação de Lopes Barreira com a FPS começou com a sua presença na reunião de 2 de Fevereiro de 1999 , na sede dos Bombeiros Voluntários de Oeiras , onde os fundadores decidiram instituir um órgão para a prevenção e segurança rodoviária . Na segunda acta da FPS Fernando Lopes Barreira já participou como presidente da Mesa da Assembleia Geral .
Segundo fontes próximas do processo, a relação de Barreira com Tomé Falcão , presidente da fundação , e Armando Vara , ex-ministro do Desporto e ex-secretário de Estado-Adjunto de Jorge Coelho na Administração Interna , começa precisamente em Bragança , o distrito onde nasceram os três . A amizade de Lopes Barreira com Armando Vara e Tomé Falcão facilitou o convite a Barreira para ser um dos membros fundadores da FPS . 
  
O almoço com o general
Apesar de conhecido nos meios socialistas , o nome de Lopes Barreira só chegou ao conhecimento da opinião pública quando o general Garcia dos Santos , em declarações na comissão de inquérito à JAE, no final de Março de 1999 , identificou Barreira como sendo o empresário que tentou pressioná-lo a dar lugar aos militantes do PS na junta autónoma , em detrimento dos social-democratas , que então dominavam a JAE .Passados dois meses , o homem de negócios socialista foi à comissão desmentir Garcia dos Santos , embora admitisse que tinha almoçado com o militar de Abril na data referida por este.
“ Isso ( as acusações ) não corresponde rigorosamente à verdade “ , afirmou .
Mas afinal , o que aconteceu naquele almoço ? Segundo fontes próximas de ambos , Barreira afirmou mesmo que era necessário colocar militantes socialistas nos lugares-chave da Junta. “ A JAE está nas mãos dos gajos do PSD . É preciso mudar isso “ afirmou Lopes Barreira a Garcia dos Santos , então presidente daquela . O general não se ficou , respondendo-lhe logo de seguida : “ Eu não lhe admito que você fale assim comigo . Você é meu amigo , mas eu não lhe admito essas coisas ! “
Na manhã seguinte , após Garcia dos Santos ter feito essas declarações na comissão de Inquérito – Á porta fechada e sob sigilo - , as rádios noticiaram as declarações do ex-presidente da JAE . Barreira telefonou para Garcia dos Santos , dizendo que era um “ empresário que nada tinha a ver com a política “ e que o general lhe tinha “ arruinado a sua vida empresarial “ . A partir desse telefonema , os dois nunca mais se falaram .
Ambos se conheciam desde os tempos em que o general tinha a sede da sua empresa de informática na Av. da República , em Lisboa , no mesmo edifício que a firma de Barreira . Já nessa altura o empresário da Consulgal se orgulhava de ter “ boas relações com Jorge Sampaio , António Guterres e João Cravinho”.
Uma empresa que teve relações comerciais com a Consulgal de Lopes Barreira , foi , de acordo com fontes das obras públicas , a Planvia . Esta é mais uma empresa de projectos . A sindicância à JAE apontou-a como uma das empresas que tinha como colaboradores funcionários da ex-Junta . Um dos sócios desta empresa era António Ramos Preto , marido da então chefe de gabinete de Jorge Coelho , Ana Cristina Bordalo , quando este foi ministro da Administração Interna .
 
O Grupo
 
O minigrupo de que Fernando Lopes Barreira é um dos accionista dá pelo nome de Consulgal,
o mesmo
da sua principal firma , a Consulgal – Consultores de Engenharia e Gestão , S.A. . A actividade desta empresa consiste na execução e fiscalização de projectos de construção civil e obras públicas . Entre outras , a Consulgal fiscaliza as polémicas obras da Linha Ferroviária do Norte . Na sua carteira conta ainda com trabalhos da mesma natureza executados nos aeroportos de Santa Catarina ( Funchal ) e do Porto Santo , na Madeira . Em termos de facturação , e de acordo com o “Diário Económico “ , este grupo teve em 1998 resultados de cerca de três milhões de contos , estando presente em África , Macau e no Médio Oriente .
O Independente tentou contactar Fernando Lopes mas , até ao fecho desta edição , as nossas tentativas não tiveram sucesso . “                           
 
O INDEPENDENTE 22 Dezembro 2000
publicado por luzdequeijas às 19:15
link | comentar | favorito

FUNDAÇÃO de PREVENÇÃO E SEGURANÇA

“ IGAE ÀS VOLTAS COM CASO FSP “

 
“As obras na quinta de Santo António , cedida pelo MAI à Fundação para a Prevenção e segurança , são um “ quebra cabeças “ .
A INSPEÇÂO- GERAL da Administração do Interna ( IGAE ) chegou a um beco sem saída no caso da Fundação para a Prevenção e Segurança , Desde Fevereiro deste ano que está a investigar a razão de ser das obras feitas na Quinta de Santo António na Pontinha – um edifício pertencente ao Ministério da Administração Interna ( MAI ) que o ex-secretário de Estado Armando Vara ofereceu para sede da Fundação para a Prevenção e Segurança ( FPS ) – e não conseguiu , até agora , apurar quem as mandou fazer , a quem se destinavam , quanto iam custar na totalidade e porque razão foram , entretanto , suspensas .
Apesar disso , revela um relatório que esta semana chegou à Comissão Parlamentar de Inquérito a este caso , gastaram-se quase 40 mil contos de dinheiros públicos num edifício do Estado que continua inactivo .
O inspector encarregado do processo de inquérito que há cerca de duas semanas pediu para ser substituído , detectou , no entanto , algumas “ estranhas coincidências “ . Como a de que o processo para iniciar as obras foi aberto 11 dias antes de Armando Vara ceder à FPS os direitos de utilização daquele imóvel .
 É que elas foram interrompidas em meados do ano seguinte ( Julho de 2000 ) , alegadamente por ordem de outro ex secretário de Estado , Luis Patrão , por causa da polémica pública em que se viu envolvida a Fundação – isto quando , diz a IGAI, a primeira notícia sobre a FPS só saiu em Novembro desse ano .
O final do inquérito continua a ter uma incógnita .”     
 
Expresso 04 Agosto 2001
 
publicado por luzdequeijas às 19:11
link | comentar | favorito

IPE

 

“ Uma casa para todos gostos “
 
“O mais poderoso « lobby » do bloco central “ é a forma como o IPE é visto por alguns participantes da cena político-económica . Para além do caso do ex-primriro-ministro António Guterres , quadro desde 1983 , há que considerar a presença entre os quadros da casa socialista como o antigo ministro da Agricultura Gomes da Silva ou o ex-deputado Nuno Brederode dos Santos . Mas as tendências políticas dentro do IPE são mais amplas: entre os administradores do IPE ( Instituto de Participações do Estado ) , encontram-se nomes sociais-democratas como os dos ex-ministros Arlindo de Carvalho ou Faria de Oliveira . Ou de quadros menos conhecidos , como o antigo director-geral da Educação , João Bartolo , o ex-secretário de Estado da Saúde , Jorge Pires , e Vasco Reis , também ligado ao sector da saúde . Sem contar o ainda responsável pelo sector das águas , Mário Lino , antigo militante comunista dado como muito próximo de Joaquim Pina Moura . Mais difíceis de classificar mas nem por isso mais distantes do universo político , aparecem a vice-presidente do IPE , Maria José Constâncio , mulher do presidente do Banco de Portugal , e José Neto , um dos mais antigos na « holding » , capaz de dialogar bem com governos socialistas ou sociais-democratas .
Nos corredores do IPE parecem conviver com grande cordialidade universos tão dispares como a maçonaria ou a Igreja Católica mais conservadora .
Não tivesse o IPE sido criado pelo Conselho da Revolução em 1975 . A este nascimento estiveram associados nomes como o de Salgado Zenha , Luciano Sousa Franco , Vítor Constâncio , António Sousa Gomes e Nandim de Carvalho .
Sinais de uma convivência de culturas que permanece até hoje . Será com esta espécie de acordo de cavalheiros de co-habitação que João Talone terá de lidar para levar a sua missão a bom porto . « São pessoas com uma mesma visão do Sector Empresarial do Estado e com uma autonomia do poder político », afirma um ex-governante socialista . Para alguns responsáveis sociais-democratas próximos da equipa de Durão Barroso esta é « a primeira vez que o Executivo está a cumprir de facto uma medida de fundo inscrita no Programa de Governo » . A ideia de extinção do IPE foi sugerida pelo Gabinete de Estudos do PSD e causou grande polémica no período eleitoral . Mas , na primeira vez que o desmantelamento foi abordado , coube a Amaro de Matos – sob a tutela do então ministro das finanças , Miguel Beleza – eliminar várias das participadas . Agora , caberá a outro ex-ministro das Finanças , Miguel Cadilhe , ficar com a IPE Capital , o capital de risco e os parques empresariais do IPE . “                                           Expresso 10 Agosto 02 
 
publicado por luzdequeijas às 19:03
link | comentar | favorito

FUGIR do PÂNTANO

 

“ NO PÂNTANO”
 
“O PÂNTANO político – o « marais » , como lhe chamam os franceses há dois séculos – é um terreno propício à gestação de monstros. A História está cheia de exemplos. O «marais» é o centro grisalho e medíocre onde as opções políticas fundamentais tendem a esbater-se e a diluir-se , tornando-se mais ténues e obscuras , menos contrastadas e visíveis .
A tentação irresistível de agradar aos eleitores flutuantes e marginais , cujos votos poderão ser decisivos para alcançar o poder, acaba por enfraquecer os partidos políticos dominantes. O pêndulo eleitoral passa a oscilar entre o centro-direita e o centro-esquerda – já não entre a direita e a esquerda . Instala-se o rotativismo político a uma velocidade de cruzeiro , a gestão do poder transforma-se numa alternância sem alternativas , a vontade do eleitorado vai-se dissipando no « nevoeiro » do centrismo , aumenta a apatia política e generaliza-se o conformismo .
A combinação entre a fraqueza e a força dos partidos que dominam o sistema e o centrismo insípido , incolor e inodoro que caracteriza o poder , restringe progressivamente a influência dos cidadãos na vida política . Quando a crise espreita e aumentam as incertezas em relação ao futuro , o conformismo generalizado acaba por se transformar em contestação , repúdio e revolta . O voto de protesto torna-se inevitável e é canalizado para os extremos do espectro político . É o tempo dos demagogos , dos agitadores populistas , dos « homens providenciais » que ameaçam restabelecer a ordem e reabilitar a pátria com a força do ”braço direito”
 
 .                                                                              Expresso 27 Abril 2002
 
publicado por luzdequeijas às 18:48
link | comentar | favorito

RELEMBRAR FAZ BEM

 

Este Governo – como em geral todos os Governos – prometeu aos fracos aos pobres, aos desprotegidos, pois ai esta a maioria que vota e depois começou a ceder aos fortes, aos ricos e aos privilegiados, pois é aí que está o dinheiro e o poder.
 
João Paulo Guerra
DE 10-07-2002
 
O problema agravar-se-á se aqueles que estão constituídos em orientadores da Comunidade Nacional se desviam dos princípios enunciados, se procuram o caminho fraudulento sob a aparência da legalidade; Se não assumem as responsabilidades que juraram na sua tomada de posse respeitar e cumprir. Um dos aspectos mais graves, a meu ver, desta nossa crise é os Homens de Estado nem sempre se tornarem como tais.
 
D. João Alves
Diário de Coimbra 24-12-2003
 
 
Com um regime largamente desprestigiado, com partidos que o Pais despreza, com uma economia pobre e sem estratégia, com universidades de segunda ordem, com isto e aquilo, como haverá elites? Os príncipes que nos governam reflectem fielmente a desgraça nacional.
 
Vasco Pulido Valente
DN 3-11-2002
“Um alto responsável do governo socialista confidenciou-nos que Cravinho tem referido em privado a intenção de se reformar mal saia do Governo em Outubro . Seria uma espécie de retiro político numa casa que tem no Algarve . Constituiu isto fonte de preocupação para o Governo e Partido Socialista que temendo o pior de um João Cravinho reformado , depois de ter visto António Vitorino passar-lhe à frente na corrida para comissário europeu. O Eng. Cravinho vai ter que continuar a integrar o” Sistema” ,afirmou –nos fonte muito próxima de António Guterres ,”                                                           
 
 Expresso   01 Maio 99
 
O poder político degrada-se e corrompe-se como nunca. A confiança dos cidadãos e das economias desvanece-se. A política insiste nas mesmas formulas...
Jorge Ferreira
DN 02-04-2003
 
«JORGE SAMPAIO , em entrevista , alerta para a necessidade de reformas de fundo . Presidente da República há cinco anos , Jorge Sampaio diz , que «os interesses em Portugal são mais fortes » do que o « fraco » poder político . Por isso pede aos partidos que vão para além do « eleitoralismo permanente » , de modo a avançar com reformas estruturais e evitar a criação de « problemas sérios a médio prazo ».                
Diário Económico     26 Dezembro 2000
    
“ Malhar na Direita “
 
“ OS DONOS DO MUNDO “ - CRAVINHO , GRILO E SAMPAIO PARTICIPAM NA REUNIÃO DO GRUPO DE BILDERBERG - Ministros de Guterres estão em Sintra na reunião secreta do grupo de Bilderberg .
 
Discutem a Nato , a crise Asiática , e o futuro da Rússia com banqueiros , presidentes de multinacionais , e políticos da Europa e dos Estados Unidos . À porta fechada e obrigados a segredos . A lista dos participantes , as estratégias do Governo do Mundo , e a segurança dos poderosos: CRAVINHO , MARÇAL GRILO , JORGE SAMPAIO , RICARDO SALGADO , MURTEIRA NABO , BALSEMÃO , SANTOS SILVA, REUNEM COM O PODEROSO GRUPO DE BILDERBERG . A NATA DO CAPITALISMO.”
 
O Independente, 12 Marco 1999
 
 
E hoje ........ ?
 
Por uma cultura de desapego à cor partidária. PR ( Jorge Sampaio ) ouviu duras criticas ao funcionamento dos partidos. Que não só subscreveu como apoiou.
 
João Morgado Fernandes
DN 3-11-2002
No sistema português as máquinas partidárias têm um peso atrofiante e excessivo.
 
Pedro Norton de Matos
Visão 30-01-2003
 
“ Inventário , precisa-se”
 
“Aos partidos pede-se que tenham a capacidade de transformar o País “
 
 Entrevista de Manuel Maria Carrilho ao Expresso 14 Setembro 2002
 
“Marcelo Rebelo de Sousa desaconselha a abertura de um novo processo de revisão constitucional por achar que os resultados seriam «magros». Marcelo foi ontem ouvido pela comissão parlamentar para a reforma do sistema político onde defendeu que a chave da mudança está mais na organização interna dos partidos do que em qualquer processo legislativo .”
                                                                        Expresso   14 Setembro 2002
 
 
“Sou favorável a que haja correntes no partido , assumidas como tais , o que é muito mais saudável do que insinuações sobre a existência de «clãs», de «famílias», etc.”  
Manuel Maria Carrilho    Noticias-Magazine    22 SET   2002
                                          
“A principal organização de ( Mário Soares ) não é , ao contrário do que se pensa , o PS : são os seus “amigos”».  
 
António Barreto
 
Diário de Coimbra 24 Dezembro 2000
 
NA DECLARAÇÃO em que anunciou que não se candidataria à Câmara do Porto, o ex-presidente , Nuno Cardoso , acusou os partidos políticos de serem:  “ clubes de amigos , clubes de interesses , quase clubes de mafiosos “ .
                                                                                                   
EXPRESSO   5 Outubro 2001
 
“ Crânio desaparece “
 
“ O Processo relativo à morte de um ex-vereador de António Saleiro na Câmara de Almodovar, António Colaço, vai ser reaberto.
Colaço faleceu num acidente de automóvel, em 1997, já depois de ter rompido com Saleiro, tendo a sua morte permanecido misteriosa. Ordenada a exumação do cadáver pelo Ministério Público, verificou-se a falta do crânio, elemento considerado fundamental para a descoberta da verdade
 
Expresso 26/10/2002
 
“ SOARES e a Internacional Socialista “
 
“ Mário soares está em grande forma . No recente encontro do grupo parlamentar do Partido Socialista Europeu , que decorreu em Brugge , a dado momento o presidente do PSE , Baron Crespo , referiu-se ao encontro que tivera com Tony Blair , primeiro-ministro britânico , e às suas ideias sobre a Convenção Europeia . Mas , questionado por um jornalista , sobre as ideias de Blair , coincidiam com as do PSE nessa matéria , Crespo respondeu com um diplomático « Blair pertence à Internacional Socialista ». Soares , ao lado , foi cáustico e acutilante : « Depois , tens de me explicar que organização é essa , embora eu seja presidente honorário dela .»”         
 
 Expresso 8 Junho 2002
 
Recordar hoje Sá Carneiro não é só evocar os seus triunfos , é também sublinhar as angustias e as sete solidões que amassaram o seu destino .”  
 
José Freire Antunes
 
“ NARCISO DENUNCIA EXISTÊNCIA DE SINDICATOS DE VOTO NO PS “
                                                                                          
Público 16 Junho 2002                            
 
 
                                “ A mentalidade neofascista “
 
“ Pedroso fez mesmo uma analogia com o processo de limpeza dos cadernos eleitorais levado a cabo pelo anterior governo para justificar a bondade dessa , “ limpeza “ . E considerou que não serve de nada «ter um partido formalmente muito grande ( com muitos militantes ) , mas a sua actividade estar limitada aos órgãos executivos ».Marcado por algumas trocas de palavras mais azedas entre militantes e por denúncias de situações existentes nalgumas secções ( um militante chegou mesmo a acusar dirigentes socialistas de terem « uma mentalidade neofascista » , a sessão serviu , sobretudo , para Paulo Pedroso fazer um ponto da situação das reformas internas que estão a ser preparadas pelos socialistas .”                                                  
 
PÚBLICO 16 Junho 2002
 
“Um Governo de coligação PS-PSD seria uma traição aos eleitores que vão votar nos dois partidos.”
 
Fernando Madrinha
Expresso 19-01-2002
 
“Agora para progredir na carreira já não serve o “Cartão Laranja “ , só sobem os que têm o “ Laranja Gold “.  
 

 Expresso 12 Novembro de 1993

publicado por luzdequeijas às 18:45
link | comentar | favorito

CONGRESSOS PARTIDÁRIOS

 

                         “ Os partidos e os interesses “
 
“ À medida que a sociedade avança , os factores de distorção do nosso regime são cada vez mais notórios e mais limitativos do exercício da democracia representativa , tal como foi pensada e praticada , durante anos e anos , nas mais diversas nações .

Os partidos são pressionados por dois tipos de interesses perfeitamente distintos . De um lado , os pequenos interesses , representados por aqueles que dominam as suas estruturas e as fecham à sociedade e , do outro , os grandes interesses representados pelos que dependem dos seus negócios com o poder , seja ele central , regional ou local .Os primeiros são os principais responsáveis pela degradação da qualidade da classe política . Os segundos, por decisões , cujo principal pressuposto não é o interesse público , mas sim outro , normalmente antagónico . Um e outro degradam o regime , retiram-lhe eficácia e prejudicam sobremaneira o regime .

Rui RIo - A Política in Situ

publicado por luzdequeijas às 18:36
link | comentar | favorito

DESCOLONIZAÇÃO DE BOA MEMÒRIA

Alterar tamanho de letra
 
28 Fevereiro 2009 - 00h30

Confidencial

Socialistas e Moçambique

Moçambique é, cada vez mais, o destino de investimentos com ‘rosto’ socialista. Armando Vara, vice-presidente do Millennium bcp, foi àquele país africano negociar um aumento de capital do Banco de Investimento de Moçambique (BIM).

No final de 2008, foi a vez de Jorge Coelho, como administrador executivo da Mota Engil, ter falado com o presidente Armando Guebuza e a primeira-ministra, Luísa Dias Diogo, a propósito da construção da ponte Maputo-Catembe.

Também no ano passado, o presidente do Partido Socialista, Almeida Santos, em sociedade com o magnata do jogo de Macau, Stanley Ho, inaugurou o Moza Banco, para investir em projectos em Moçambique. O último hóspede frequente do Hotel Polana tem sido António Vitorino.

- Mesmo os maus resultados da banca não impedem as administrações de utilizar os jactos privados nas deslocações profissionais.

- A CP, empresa pública, vendeu a empresa TEX. O valor do negócio foi considerado "confidencial".

- Amado da Silva e Fernando Serrasqueiro estão em rota de colisão por causa da tarifação ao segundo das chamadas. As operadoras continuam a fintar a lei.

Miguel A. Ganhão
publicado por luzdequeijas às 17:23
link | comentar | favorito

BAIXA DE IMPOSTOS

01 Março 2009 - 00h30
 

Líder do PSD lembra que união europeia fechou os olhos a restrições orçamentais

Ferreira Leite defende baixa de impostos

Não é a primeira vez que a líder do PSD admite uma baixa de impostos. Em entrevista à Rádio Renascença, Manuela Ferreira Leite foi um pouco mais clara. "Há uma margem que não havia, porque deixou de haver a restrição orçamental", declarou a presidente social-democrata. E acrescentou: "A União Europeia, direi, fechou os olhos às restrições orçamentais."

A presidente social-democrata garante que defrontará José Sócrates nas Legislativas, e insistiu nas explicações sobre o negócio entre a Caixa Geral de Depósitos e o empresário Manuel Fino.

Por fim, confrontada com o casamento entre homossexuais e a eutanásia, afirmou: "Às vezes penso que estão a brincar connosco", ou seja, os temas não são prioritários. Quanto à coligação com o CDS em Lisboa, avisou que a solução pode ser "algo que não seja o resultado do debate das distritais".

C.R.
 

» COMENTÁRIOS
01 Março 2009 - 16h32  | Marco Castro
O azar dos contribuintes está no facto de ser apenas a oposição a pedir a baixa de impostos.
01 Março 2009 - 14h26  | Manuel Bravo - Alcobaça
Eu gostava mesmo era do Alberto João Jardim à frente deste partido, para bem de Portugal!
01 Março 2009 - 13h45  | iluminado
esta senhora aumentou os impostos porque não havia outra solução para o buraco deixado pelo GUTERRS DO PS
publicado por luzdequeijas às 17:09
link | comentar | favorito

PME castigam

 

Alterar tamanho de letra
Lusa 
01 Março 2009 - 00h30
Voto: Estudo de opinião feito pela Universidade Fernando Pessoa revela
PME castigam José Sócrates
Os apoios delineados pelo Governo de José Sócrates para dinamizar as PME num período de crise e de forte abrandamento económico parecem não corresponder às expectativas dos pequenos empresários. Um estudo de opinião realizado pela Universidade Fernando Pessoa em parceria com a Associação Nacional das PME mostra que, se as eleições fossem agora, empresários e trabalhadores puxariam do cartão amarelo para avaliar as políticas do primeiro-ministro.

Segundo o estudo, que traça a intenção de voto nas empresas com menos de 250 funcionários e volume de negócios inferior a 50 milhões de euros, se empresários e trabalhadores fossem chamados a pronunciar-se em Fevereiro (mês em que decorrem as entrevistas), o PSD alcançaria um resultado de 31,4 pontos percentuais, surgindo o PS como o segundo partido mais votado, alcançando 30% dos votos.
Aliás, a avaliar pelos resultados, os patrões figuram como a fatia mais descontente com José Sócrates: só 4,6% votariam no PS, encaminhando-se os votos para os dois partidos à direita: o PSD, com uma intenção de voto de 79,8%, e o CDS-PP, com 20,9%.
Curiosamente, são os trabalhadores que mais confiança depositam num novo Governo liderado pelo actual primeiro-ministro. Apesar da crise e dos receios da perda do emprego, certo é que 45,8% dos operários votariam no PS se as eleições fossem hoje, surgindo como alternativa o BE que soma 21,1% das intenções de voto.
Em termos globais, as mulheres teriam como primeira escolha o PS, seguido pelos sociais-democratas, invertendo-se a tendência no caso dos homens.
"TRABALHADORES VIVEM SITUAÇÃO DE INSEGURANÇA" (Augusto Morais, Presidente da Ass. Nacional das PME)
Correio da Manhã – Que avaliação política faz destes resultados?
Augusto Morais – Como parceiros do estudo não podemos fazer juízos de valor sobre os aspectos políticos do estudo. Até porque temos associados de todos os quadrantes políticos.
– Mas ficou surpreendido com a intenção de voto dos empresários nos partidos da Direita?
– Não, acho natural. Os empresários estão fartos de ouvir falar em promessas para o sector que nunca chegam. Os pequenos e médios empresários estão desiludidos e, olhando para os últimos resultados eleitorais do PS, o primeiro-ministro leva uma cartolina amarela. Ele está a pedir uma maioria absoluta que não pode ter.
– E como vê os votos dos trabalhadores?
– Os trabalhadores estão numa situação de grande insegurança. Por isso, apesar de manterem o voto no PS, também é muito expressiva a subida do BE.
SONDAGEM: COMO VOTARIAM AS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS  
Nr. total de votos: 1.066
PPD/PSD: 31,4%
PS: 30,0%
BE: 13,4%
PCP: 13,1%
CDS/PP: 9,7%
Outro: 1,6%
NS: 0,8%
POR FUNÇÃO NA EMPRESA (em %)
publicado por luzdequeijas às 17:03
link | comentar | favorito

GANGs de Criminosos

Alterar tamanho de letra
d.r.  O Primeiro Comando de Portugal apresenta-se como uma ramificação do grupo criminoso brasileiro que nasceu em São Paulo O Primeiro Comando de Portugal apresenta-se como uma ramificação do grupo criminoso brasileiro que nasceu em São Paulo
                                      01  Março 2009 - 00h30

Informação policial

EUA apontam máfia brasileira em Portugal

As autoridades brasileiras notaram um crescente envolvimento nos narcóticos e contrabando de armas pelo PCC de São Paulo e CV do Rio de Janeiro. Estes gangs organizados de criminosos têm uma presença internacional crescente em países como a Bolívia, Paraguai e possivelmente Portugal".

'Correio da Manhã'.
 
publicado por luzdequeijas às 16:47
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub