Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

JORNALISTAS DIGNIFICAM-SE

                                    EM DEFESA DO JORNALISMO

No dia 31 de Março de 2004 o então primeiro-ministro Durão Barroso sentou-se na cadeira do apresentador do “ Telejornal” da RTP e disse : “ Hoje, vou apresentar um telejornal só com notícias positivas. Os presentes, que o acompanhavam na inauguração das novas instalações da televisão pública, riram da graça de um político que não tem entre as suas qualidades o sentido de humor.
Na realidade a coisa era bem mais séria do que aquilo que provavelmente todos imaginavam. O que Durão Barroso tinha dito correspondia a uma ideia de fundo e antiga que parte da classe política tinha, e tem, da sua relação com os media. A saber, de que estes têm a obrigação de alinhar na construção de uma nova e diferente imagem da realidade : o país positivo.
Para esta ideia o Portugal reflectido pelos media deveria ser uma mistura de Suécia com a Quinta do Lago, de excelentes serviços públicos e turismo de cinco estrelas, de Estado eficiente e clima mediterrânico. Neste paraíso os hospitais não tinham lista de espera, as escolas ensinavam, a sinistralidade era inexistente, a corrupção uma miragem e a miséria uma recordação distante do salazarismo.
Como há sempre uns teimosos a olhar para a realidade como ela é, foi adicionada àquela ideia uma outra, menos voluntarista. A de que o poder político, sendo legitimado pelo voto popular, se deve impor aos poderes não eleitos. Entre estes encontra-se a comunicação social, o chamado quarto poder, o qual estaria a assumir um peso na sociedade que colocava em causa a sua legitimidade de poder eleito.
Esta tese aplica-se igualmente a outros poderes que não vão a votos, como o económico e o judicial. Inscreve-se numa discussão, que não existe em Portugal, sobre a essência da democracia, a qual reside no equilíbrio e independência dos poderes constitucionalmente consagrados, sejam eles eleitos ou não. Como essa discussão não existe, estas ideias fizeram o seu caminho. Do lado do poder esse caminho foi feito até hoje pelo reforço do condicionalismo legal ao livre exercício do jornalismo e pela descarada tentativa de controlo dos media. Isto a somar a uma sofisticada organização de tudo o que está a montante do jornalismo, ou seja, assessores , consultores, analistas, técnicos de imagem e outros especialistas em “ marcar agenda “, condicionar os jornalistas e, sobretudo, dar-lhes aquilo que eles precisam, ou seja, a “ informação trabalhada “ . Que tipo de informação já é outra história.
Do lado do jornalismo a evolução foi em sentido contrário. Face à brutal campanha feita contra os media os jornalistas passaram à defesa, incapazes de reflectir, como grupo, sobre o que se estava a passar do outro lado, de perceber que as fontes se tinham armado com conhecimento e meios para tratar, manipular e condicionar a informação. Esta atitude defensiva soma aos problemas estruturais da actividade de : grupos de media frágeis, redacções no limite, grande rotatividade de jornalistas, precariedade de emprego e a chocante promiscuidade dos profissionais que transitam entre redacções e assessorias de imprensa, deixando pelo caminho um rasto de suspeição. Este texto não tem espaço para citar todos os grandes pensadores que defenderam a liberdade de expressão como uma matriz vital da própria liberdade ou enumerar os grandes estadistas que por ela se bateram. Só um regime democrático fraco e doente teme a liberdade, incluindo a liberdade de imprensa. É mil vezes preferível o excesso dessa liberdade que a mordaça que lhe querem colocar. Infelizmente é neste ponto que estamos.
Luís Marques – Expresso - Economia
  
publicado por luzdequeijas às 22:50
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub