Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

1 ª TRAVESSIA AÉREA DO ATLÂNTICO SUL

 

 

 

30/03/

 

Nonagésimo Aniversário da Partida

 

30 de Março de 1922

 

 

Uma manhã meio farrusca e o «Lusitânia» pronto a levantar voo diante da Doca de Pedrouços, então afeta à Aviação Naval.

 

O hidroavião, cuidadosamente selecionado o fabricante, foi um Fairey, especialmente adaptado para a Travessia, com uma envergadura maior do que a dos convencionais (que se lhe seguiram) de modo a melhorar a sua sustentação e assim se reduzir o consumo e aumentar a carga (combustível) e mesmo assim a sua adopção, por não cumprir nos testes de voo os requisitos contractuais, deveu-se ao imperativo das datas e a um recálculo optimista da viagem entre a Praia (Cabo Verde) e Fernando Noronha (Brasil)

 

Mesmo assim tiveram de desembarcar o Rádio, para assegurar mais uns quilos de combustível? quando à última da hora receberam do camarada e amigo, Santos Moreira, uma máquina fotográfica e uma garrafa de Vinho do Porto que deveria ser entregue no Rio de Janeiro e que, apesar de tudo, ? foi.

 

De duas cartas, uma a de Sacadura Cabral a este, também Aviador Naval, retiramos, datada de «Penedo S. Pedro 7-5-22? O aparelho faltou ao que prometera? levantar 18 horas de combustível e consumir 18 galões por hora. Em Las Palmas fiquei desconfiado disso? |mas decidi| correr a chance de encontrar no Pendo um mar de rosas. ?Noblesse oblige?? |mas| encontrei um ?mar e ? peras?? levou-me um dos flutuadores como se fosse de vidro?|e| A amaragem ia boa? nem um pingo de água apanhámos? O Bagé chegou com outro Fairey |convencional|?».

 

Da outra, de «Fern. Noronha 27 Maio? no final nem podia voar a seguir doze horas? não me chega o tempo para responder devidamente às centenas de cartas que recebi?» assinada por Gago Coutinho e enviada ao mesmo.

 

Note-se que não se põe em causa o encontrar os Penedos!

 

O ensaio no ano anterior, no Raid à Madeira, tinha provado a eficiência do Sistema de Navegação Astronómica Aérea desenvolvido por Gago Coutinho.

 

Recordemos, como nos assinala o nosso Amigo Cte Ferreira da Silva, que o 1º tenente Read (USA), quatro anos antes tentara atravessar o Atlântico Norte ? da Terra Nova a Plymouth, passando pelos Açores e Lisboa ? com três aviões bimotores, cada um com cinco homens, mas em que só um alcançou Lisboa.

 

Substancialmente diferente foi a sua Navegação que teve o apoio de 35 navios de guerra da USNavy, (balizadores; 21 colocados entre Terra Nova e Açores e 14 entre os Açores e Lisboa), cerca de 100 milhas entre cada um, e mesmo com tal balizagem dois aviões se perderam na? orientação.

 

Foi nesse encontro em Lisboa que Sacadura Cabral se lembrou de Gago Coutinho, o seu antigo chefe na demarcação geodésica de fronteiras em Moçambique, e lhe propôs a pesquisa dum método autónomo de Navegação Aérea.

 

Funcionou em pleno a mútua confiança nas respetivas competências e, da avaliada solidez dos seus caracteres, a forte amizade que os unia e de que o Almirante de Armada deu provas de fidelidade até falecer.

 

Foi assim que pegando no sextante de nível artificial de bolha o redesenhou para encontrar uma imagem virtual que tornasse fixa, apesar das oscilações dos aviões da época, a linha do horizonte? referência para se ler as Alturas dos astros a observar.

 

Vencida esta etapa de estudo de Óptica Aplicada, havia que melhorar a rapidez dos Cálculos Astronómicos dada a velocidade dos aviões que era, então, de cerca de 70 nós (c. 126 Km/h!). Assim desenvolveu um pré-cálculo que permitia em minutos obter a posição astronómica da aeronave.

 

Não foi tudo! Com Sacadura Cabral desenvolveu um Corrector de Rumos a prevenir ventos laterais.

 

Se considerarmos um hidroavião de madeira, forrado de lona, apenas com o motor, um RR ( Rolls-Royce Eagle) de 350 cavalos com uma ?pele? de metal, é legítimo que se fale de coragem e de valentia desde que se não esqueça à partida a Investigação Científica e o Desenvolvimento Tecnológico envolvidos porquanto partiram cientes mais do seu ?trabalho de casa? do que da máquina que não cumpriu.

 

A Viagem acabou por testar a precisão do conjunto de soluções, por isso a designação de Sistema de Navegação Aérea Astronómica, e o êxito da Viagem no Brasil, conforme o Espólio da sua ?afilhada? brasileira, Maria Elisa Ramalho Ortigão, depositado na Sociedade de Geografia de Lisboa atesta, foi de verdadeira loucura.

 

A Imprensa nacional da época registou o sucesso também com assinalável relevo em Portugal e em diversas capitais europeias onde foram aclamados pelo seu feito.

 

Só em Outubro de 1945, quase 25 anos depois, é que a «American Export Airlines» se tornou a primeira linha aérea a oferecer voos comerciais regulares entre a América do Norte e a Europa. Imperativamente usou o Sistema de Navegação de Gago Coutinho, como os Americanos o terão usado nos raids que do Alasca atingiram o Japão.

 

Mais interessante é que o Sistema só foi ultrapassado c.1972, pela Navegação por Inércia (1.º voo em 1927) sendo utilizado sobre os Oceanos e sobre alguns Continentes.

 

A TAP usava-o sobre o Atlântico e na travessia da África, entre Angola e Moçambique, nos quadri-reactores Boeing 707 (1010 Km/h). Presume-se que fosse utilizado no sobrevoo da Sibéria .

 

Os Americanos e os Ingleses adaptaram?no, durante a II GG, para as suas Marinhas de Guerra. Em Portugal foi introduzido, em 1960, na Escola Naval e na Escola Náutica pelo, então, Cte Pinheiro de Azevedo, com a designação de Traçado Rápido de Rectas de Altura.

 

No monumento em Belém refere-se que a viagem foi completada por três aviões, exactamente a razão por que não figura nos Anais da Aviação. De facto testava-se um Sistema de Navegação e não uma máquina que? falhou.

 

Como falha a inscrição que assim sublinha o lado supostamente negativo sem realçar, com todo o seu peso, o lado positivo de antecipação de 25 anos e que durante 50 anos foi único a nível mundial.

 

Em 1997 ainda havia a nível mundial muitas centenas de Navegadores que o utilizaram? mas lamentavelmente as comemorações, tentadas por três entidades, falharam graças à estreiteza de vistas dos políticos da época.

 

Escrevemos isto em memória do Cte Silva Soares, Membro da Academia de Marinha, Oficial da Armada, Piloto Naval e Cte da TAP onde exerceu os mais altos cargos.

 

Rui Ortigão Neves

 

Presidente da Direcção do GAMMA

Grupo de Amigos do Museu de Marinha

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 14:26
link | comentar | favorito

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. O CONCEITO DE SERVIÇO PÚB...

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. COSTA V.S MERKEL

. MANHOSICES COM POLVO, POT...

. " Tragédia Indescritível"

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds