Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

O PROBLEMA É SEMPRE O CAROÇO

 

“O Lado Lunar”, dos Heróis do Mar, também é bom.

Publicado por jcd em 30 Agosto, 2009

Jo_o_AguardelaNo Público:

“…Sócrates agradeceu a todos os artistas que actuaram ontem nos espectáculos do acampamento. E teve uma palavra especial para o músico dos Xutos & Pontapés José Pedro, a banda que lançou a música Sem Eira Nem Beira, que tem sido usada em manifestações sindicais contra o executivo e que, num protesto contra os governantes, diz: “Senhor engenheiro/Dê-me um pouco de atenção/Há dez anos que estou preso/Há trinta que sou ladrão/Não tenho eira nem beira/Mas ainda consigo ver/Quem anda na roubalheira/E quem me anda a comer”.

Dando a volta à forma como a música tem sido usada nos protestos, Sócrates confessou que os Xutos & Pontapés são uma “referência” da sua geração, para se despedir dos jovens socialistas citando outra música (Aqui ao Luar) da banda: “Aqui ao luar, ao pé de ti, ao pé do mar, fica agora o sonho e a convicção de um país que quer avançar”.

Publicado em Geral | 46 Comentários »

Vai-se a ver e afinal saiu asneira

Publicado por helenafmatos em 30 Agosto, 2009

«São as conjunturas que levaram o País e o mundo a estarem como estão. O engº Sócrates tem uma posição mais futurista com que me identifico. Muito mais do que a da oposição.» - O autor desta bela prosa é o Zé Pedro,  dos Xutos e Pontapés. Que o auto-denominado Zé Pedro  no seu meio século de vida  não tenha ainda percebido o que foi o futurismo apesar de passar a vida no mundo dito do espectáculo e da cultura já dá que pensar. Mas enigmático mesmo é que um blogue de apoio ao PS  cite esta baboseira da “posição mais futurista”  como um elogio a Sócrates. Pessoalmente não vislumbro futurismo algum quer no dito Zé Pedro quem em José Sócrates mas  se os simplexes fizerem questão até podemos ir por aí. Vai ser fantástico!!!

publicado por luzdequeijas às 22:18
link do post | comentar | favorito
|

ESTAMOS TODOS SEM CAROÇO

Caroços e caroços

Publicado por helenafmatos em 30 Agosto, 2009

No caso dos caroços e da empregada de Carolina Patrocínio há um óbvio problema de classe. Qual é o problema dela pagar a alguém para lhe tirar os caroços e as graínhas? Paga ou não paga? Cada um faz o que quer com o dinheiro que ganha e se ela acha que deve pagar para lhe fazerem tal serviço é um problema dela. Aliás do ponto de vista da empregada é certamente muito melhor ser paga para descaroçar cerejas do que para fazer outras tarefas domésticas. E nem sequer estou a pensar naquelas coisas mais óbvias tipo limpar o wc. Digam lá preferiam que lhes pagassem para passar a ferro ou para tirar a pele às uvas? E que tal descaroçar cerejas ou limpar um daqueles fornos que suposta e alegadamente têm auto-limpeza e que talvez por isso são dificílimos de limpar? Assim postas as coisas o que eu queria mesmo era que a Carolina Patrocínio na sua qualidade de mandatária de José Sócrates e não de patroa que o PS envergonhadamente mandou calar explicasse como é que deu pelo fim da recessão técnica. Quanto à redução do insucesso escolar igualmente saudada pela mesma Carolina desde já acho que aqui no Blasfémias nos disponibilizamos para descascar as uvas, as cerejas e, acrescento eu, os pêssegos e as ameixas enquanto discutimos o assunto.

publicado por luzdequeijas às 22:15
link do post | comentar | favorito
|

POLÌTICA VIRTUAL

 A irrealidade da campanha socialista

Arquivado em: Media, Política, Portugal — André Azevedo Alves @ 15:33
 

O mar de rosas. Por Paulo Tunhas.

Acabei de ver Sócrates a discursar para jovens do Partido Socialista não fixei onde. Sem ofensa, aquilo parecia uma navegação na pura irrealidade. O contacto com o mundo empírico dissolveu-se completamente. Aparentemente está tudo óptimo, tirando uma coisa ou outra, obviamente culpa dos pessimistas, que, como toda a gente sabe, são dotados de poderes malfazejos extraordinários. O que é fantástico é que, mesmo tratando-se de um comício para os seus (embora longamente transmitido pelas televisões), Sócrates não tenha por uma só vez referido a encrenca em que estamos metidos.

 

publicado por luzdequeijas às 22:12
link do post | comentar | favorito
|

GENTE SUPER MODERNA

 

POBRE PAÍS, QUE ESTÃO A FAZER DE TI ?

 

Notável. Em 1999, a modernidade chegava a Portugal pela mão do ministro José Sócrates e sob a forma de um europeu de futebol:

“Muito importante para Portugal se colocar no lote de países que são capazes de organizar grandes eventos desportivos”

“Sempre soube que a aposta no Euro 2004 era a aposta certa”

“Vitória do Portugal Moderno”.

Em 1999 Sócrates dizia do Euro 2004 o que hoje diz do TGV. O “colocar no lote de países que são capazes de organizar grandes eventos desportivos” é equivalente ao actual “ligar Portugal às redes europeias de alta velocidade".

Estou certo que o Simplex nos explicará quão importante é o investimento público no TGV usando as lições que se tiraram do importantíssimo investimento no euro 2004. Podem aproveitar para falar do estrondoso crescimento económico do ano de 2004 e seguintes, da queda do desemprego e do clima de felicidade geral que o país tem vivido desde então.

Note-se ainda que o interesse de Sócrates por arquitectura durante os anos 80 se transformou num interesse por “peças de design” nos anos 90.

Video via Tiago Moreira Ramalho no Corta Fitas.

publicado por luzdequeijas às 19:10
link do post | comentar | favorito
|

SEM PUDOR

 

O PSD acusou hoje o Governo de ter utilizado dinheiro público da empresa Rave para fazer propaganda eleitoral socialista a favor do TGV e anunciou que apresentou queixa desta situação à Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Em causa está um folheto de 12 páginas da Rede Ferroviária de Alta Velocidade (RAVE) que o PSD disse ter sido "publicado no sábado com o Jornal de Notícias e no domingo com o Correio da Manhã" e que exige que o Governo diga quanto custou.

Em conferência de imprensa, na sede nacional social-democrata, em Lisboa, o secretário-geral do PSD, Luís Marques Guedes, defendeu que a publicação do folheto constituiu uma "clara violação do dever de isenção e neutralidade das entidades públicas durante o período eleitoral".

"Pôr empresas e dinheiro do Estado ao serviço dos interesses partidários é uma vergonha e uma indignidade. O Governo age como dono das empresas públicas, que não é, e paga a propaganda eleitoral socialista com dinheiro dos contribuintes, que não é seu. Trata-se de uma atitude escandalosa que não pode passar em claro", declarou o secretário-geral do PSD.

Luís Marques Guedes anunciou em seguida que "o PSD entregou hoje uma queixa à Comissão Nacional de Eleições (CNE) para que seja devidamente punida esta clara violação dever de isenção e neutralidade das entidades públicas durante o período eleitoral". "E, através do nosso grupo parlamentar, exigimos do Governo a informação exacta da dimensão dos custos e do dinheiro dos contribuintes que foram desviados para esta acção de propaganda partidária", acrescentou, estimando um gasto de "milhares de euros dos contribuintes".
"Ouve-se muita coisa"
O folheto de 12 páginas da RAVE tem na capa o lema "Ouve-se muita coisa" e a pergunta "O que é que você sabe realmente sobre a Alta Velocidade?". No interior encontra-se um questionário sobre a necessidade e a vantagem de haver uma linha de TGV Lisboa-Porto, o tempo em que essa linha reduziria a viagem, o preço previsto para os bilhetes, entre outras questões. Na última página a Rave apresenta as respostas certas às questões colocadas e as respectivas pontuações.

De acordo com o secretário-geral do PSD, trata-se de "pura propaganda partidária em defesa do TGV", através de "informação manipulada e tendenciosa". "Esta atitude não nos surpreende totalmente porque vem um pouco na linha daquilo que é a utilização do aparelho do Estado como máquina partidária", referiu.

Luís Marques Guedes criticou também as declarações do ministro das Obras Públicas, Mário Lino, sobre o programa eleitoral do PSD feitas no sábado durante a inauguração do prolongamento da Linha Vermelha do Metro de Lisboa. Segundo Marques Guedes, Mário Lino não deveria estar "enquanto ministro a envolver-se directamente na pugna eleitoral, atacando directamente as posições PSD", porque "os contendores eleitorais são os partidos políticos". "Não são nem as autoridades públicas, nem as empresas públicas e muito menos é tolerável a utilização de dinheiros dos contribuintes para pagar propaganda partidária", rematou.

Em causa folheto da Rave
PSD faz queixa à CNE por Governo ter usado dinheiro público para propaganda ao TGV 
31.08.2009 - 18h00 Lusa
publicado por luzdequeijas às 18:24
link do post | comentar | favorito
|

CAMPANHA À PEDRADA

 

O dia do seu julgamento chegará. Vamos aguardar. Vem agora com uma espécie de moral de "trazer por casa" afirmar:

"Sócrates «afasta» governo de inaugurações."

No seu discurso, o chefe de Governo disse ainda que nenhum membro do Governo participará em inaugurações a partir de 27 de Setembro, dia oficial do início da campanha eleitoral para as autárquicas.

 «Não vai haver carrossel de inaugurações. Darei instruções para que a partir do dia oficial de início da campanha nenhum membro do governo participe em inaugurações», afirmou.

Segundo o líder socialista «nenhum autarca do PS precisa de ajuda do governo para ganhar as suas eleições».

PS : Mas ele candidato nas legislativas precisa e muito ....por isso tudo vai continuar até 27/09/2009. Há mais de uma ano que o Primeiro-Ministro, perante uma crise gravíssima, se lançou numa campanha deprimente, até para ele próprio, de uma espécie de inaugurações !!! Tem contado com a cumplicidade de uma comunicação social, ingénua (?), incompetente e confrangedoramente domesticada. Em boa verdade, Sócrates nada tem para inaugurar, com um mandato que foi o mais longo da democracia. Gastou o tempo todo, como ele diz, a "pôr as contas em dia", que agora estão pior do que nunca !!! Depois, desatou a pôr "pedras" no chão para fingir obras ..... a fazer não se sabe quando, nem com que dinheiro !!!!

 

 

SÓCRATES CONTINUA A JULGAR QUE OS PORTUGUESES SÃO BURROS 

publicado por luzdequeijas às 15:07
link do post | comentar | favorito
|

UNIÕES DE FACTO

 

 

 

 

 

               31 Agosto 2009 - 0
Jupiterimages  Manuel Morujão, da Conferência Episcopal, sai em defesa do casamento numa altura em que PS e PSD vincam clivagem nas uniões de factoManuel Morujão, da Conferência Episcopal, sai em defesa do casamento numa altura em que PS e PSD vincam clivagem nas uniões de facto
0h30

Uniões de facto: Críticas a qualquer equiparação ao casamento

“Não há equiparação”

A Igreja é contra qualquer equiparação entre uniões de facto e casamento. "Não há equiparação possível", afirmou ontem ao CM o secretário e porta-voz da Conferência Episcopal (CEP), padre Manuel Morujão.

Em nome dos princípios antropológicos, "o casamento é uma instituição ímpar, não pode ter sucedâneos alternativos", frisou Manuel Morujão, numa altura em que o PS sobe o tom da defesa dos direitos sociais de quem vive em união de facto, depois do veto do Presidente da República à legislação socialista sobre o tema.

"A Igreja fala em nome de princípios antropológicos e não se devem arranjar modelos alternativos: família A, B, C. Não há que arranjar um menu de família. A família é a única família, baseada na união entre um homem e uma mulher", argumentou o porta-voz da CEP.

Questionado pelo CM se a Igreja tenciona demonstrar a sua crítica, Manuel Morujão, sem se querer imiscuir na campanha eleitoral, recorda a nota pastoral ‘Em defesa do verdadeiro casamento’, emitida a propósito do casamento entre homossexuais: "Os sacerdotes e os leigos podem recordar esses princípios doutrinais e antropológicos comuns a crentes, a agnósticos e ateus, de esquerda, de direita ou de centro", porque a Igreja está para lá de ideologias ou partidos.

Já José Sócrates afirmou em Torres Vedras no sábado à noite: "Não foi possível aprovar essa lei [das uniões de facto] nesta legislatura, mas aprová-la-emos na próxima, se ganharmos as eleições."

publicado por luzdequeijas às 14:50
link do post | comentar | favorito
|

UNIÕES SEXUAIS FORTUITAS

 

 

 

Qualquer dia…

Arquivado em: Nanny State Watch, Política, Portugal — Miguel @ 11:18
 

“Aprovada lei das “uniões sexuais fortuitas” de Pedro Lomba (jornal i)

Sónia Catarina Mendes disse ao i que “há cada vez mais pessoas a escolher a união sexual fortuita como forma de vida: achamos que o poder político não pode ignorar o que se passa na sociedade”. Sobre as medidas da lei, a deputada referiu: “Queremos pôr cobro ao actual vazio legal, atribuindo direitos a estas pessoas, sobretudo às mulheres, muitas vezes vítimas de ludíbrios e falsas promessas.” Sandra Drago, deputada do Bloco de Esquerda, concorda. “As uniões sexuais fortuitas têm aumentado no nosso país, devido à abertura nos costumes, mas há problemas que o legislador tem de acautelar – gente que não telefona no dia seguinte, que não partilha despesas com hotéis, etc.”

A lei que irá ser agora enviada para a promulgação de Cavaco Silva estabelece medidas para dar mais “justiça” e “transparência” às “uniões sexuais fortuitas”. A partir de agora, antes de começarem uma “união sexual fortuita” as pessoas serão obrigadas a fazer uma declaração de intenções, por escrito.

publicado por luzdequeijas às 14:44
link do post | comentar | favorito
|

OS PILARES DA FAMÍLIA

 

 

 

 

 

Nuno Veiga/Lusa  O discurso de Manuela Ferreira Leite encerrou uma semana de formação de quadros políticosO discurso de Manuela Ferreira Leite encerrou uma semana de formação de quadros políticos
                 31 Agosto 2009 - 00h30

PSD: Críticas ao Governo PS em Castelo de Vide

“Diluíram-se os pilares da família”

A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, deixou ontem duras críticas ao Governo de José Sócrates no discurso de encerramento da Universidade de Verão social-democrata, em Castelo de Vide. A líder social-democrata afirmou mesmo que, com este executivo, "diluíram-se pilares da sociedade como a família e o casamento".

"Criou-se um ambiente de intriga e de falsas verdades, diluíram-se pilares da sociedade como a família e o casamento, para impor a verdade da lei onde devia prevalecer a liberdade individual", frisou Manuela Ferreira Leite.

As críticas à governação socialista não se ficaram por aqui. Na mesma intervenção, Ferreira Leite disse que se assiste "ao sabor amargo da oportunidade perdida" e ao "Estado que se transformou numa máquina ao serviço do poder".

Sem a força da habitual rentrée política do PSD – devido à apresentação do programa do partido a meio da semana – o discurso de Ferreira Leite serviu ainda para afirmar que as propostas sociais-democratas serão "rigorosamente cumpridas", visto que são "realistas", no oposto ao "marketing político", que diz ser a marca do PS. Defendeu, ainda, um Estado com menos peso, apelando à participação da sociedade civil na vida política activa.

Sobre o seu programa eleitoral, Ferreira Leite disse que apresentou ao País "uma ambição realista, porque quem promete tudo é porque não sabe o que vai fazer".

Pedro Galego
publicado por luzdequeijas às 14:36
link do post | comentar | favorito
|

A PATIR DE AGORA PODE SER...

Pode ser que comecemos a ser um país politicamente normal

Arquivado em: Política, Portugal — André Azevedo Alves @ 10:33
 

um país normal. Por Rui A.

O que me interessa, e resultou já do seu discurso de apresentação do programa de governo do PSD, foi que, pela primeira vez na história da nossa democracia, se deu uma clarificação e uma divisão de águas entre os dois principais partidos de governo: o PS que defende o Estado Social, e o PSD que põe em causa o Estado Social e o “estatismo asfixiante” que dele resultou. A partir de agora, se o PSD quiser, os cidadãos portugueses poderão claramente escolher entre esquerda e direita para governar o seu país. Acabaram-se as águas turvas e as meias-tintas do costume. As pessoas passaram a saber que o Estado Social não é o único caminho. E o Partido Socialista, que estava à espera das conversa habitual do centrão, também já o entendeu. Esse passou a ser, de resto, o seu receio principal.

Pode ser que, a partir de agora, comecemos a ser um país politicamente normal.

publicado por luzdequeijas às 14:31
link do post | comentar | favorito
|

VERDADE NUA E CRUA

                          31 Agosto 2009 - 00h30

Dia a dia

A lição de Medina

O artigo de Medina Carreira publicado ontem no CM traça um cenário sombrio sobre o futuro próximo de Portugal, mas infelizmente é um quadro muito realista de um País que parece não se preocupar muito em empobrecer lentamente. Medina Carreira é um verdadeiro senador, porque sabe, é livre, não depende de ninguém, nem está preocupado em agradar a qualquer poder. E faz um coisa extraordinária, aparentemente simples, mas rara em Portugal: faz contas. Com esta simplicidade, aponta que o rei vai ficar nu.
O trágico empobrecimento leva a que o Estado corra o risco de deixar de cumprir as suas funções e venha a tornar-se aquilo que outro senador da República, Adriano Moreira, designa de Estado Exíguo, que, por falta de recursos económicos e de liderança, já não consegue cumprir as suas obrigações. A ameaça do Estado exíguo está próxima. Medina Carreira considera que, sem resposta para o presente afundamento económico, a actual Democracia mergulhará o País numa confusão financeira e social e acabará por ser substituída. Provavelmente, entre 2015 e 2020.

O choque da verdade é duro, talvez por isso a campanha eleitoral se centre em outras questões menos importantes e menos decisivas para as nossas vidas, mas não é por esquecermos os problemas que eles desaparecem.

Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto
publicado por luzdequeijas às 10:32
link do post | comentar | favorito
|

IGUALDADE SOCIALISTA

               31 Agosto 2009 - 00h30

O Estado da Nação

Reformados do Estado recebem o triplo

Uma vida inteira de trabalho para depois, aos 65 anos, gozar da reforma sob uns raios de sol. É este o desejo da maioria dos portugueses, que está, no entanto, muito longe da realidade do País. O valor médio das pensões em Portugal é de 386 euros por mês. Apesar do pouco dinheiro, o desemprego está a empurrar cada vez mais os portugueses para a reforma antecipada, com penalizações.

'Correio da Manhã'.

publicado por luzdequeijas às 10:27
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 30 de Agosto de 2009

INAUGURAR A VERGONHA

 

           
 
 
30 Agosto 2009 - 00h30
Dia a dia

Um Metro de vergonha

Cinquenta anos após a inauguração, o Metropolitano de Lisboa já só pode constituir motivo de vergonha para os lisboetas e os políticos que têm administrado a capital do País. A abertura, ontem, de mais um troço de 2,2 km, que, enfim, liga de forma transversal a rede feita em Y, confirma as incapacidades. Demorou-se seis anos e a obra esteve parada a meio. Agiu-se com incompetência e desleixo perante as prioridades de desenvolvimento da zona metropolitana com dois milhões de habitantes.

O metro é o melhor transporte urbano. Permite deslocar milhares pessoas com rapidez, horários seguros e sem poluição. Paris tem metro há mais de 100 anos e transporta 4,5 milhões de passageiros por dia. Performances do mesmo nível existem nas outras grandes capitais. À nossa dimensão, Bruxelas, que nos anos 60 criou a via dos túneis que ainda hoje faz o sonho e a polémica das eleições para a Câmara de Lisboa, abriu em 1976 o seu metro, que rapidamente respondeu às necessidades com 59 estações.

A lentidão e as complicações do Metro de Lisboa são uma péssima imagem para o País. Pensar que o metro de Paris demorava mais de 600 anos a construir, à média que avança o de Lisboa, envergonha-nos. Em vez de se fazer campanha política com auto-estradas que levam onde já não há quase ninguém, era bom que se construísse um verdadeiro metro em Lisboa. O transporte ajuda à produtividade e à competitividade.

João Vaz, Redactor Principal
publicado por luzdequeijas às 15:52
link do post | comentar | favorito
|

A DIMENSÃO DO MINISTRO

 

FRASE :

"O PROGRAMA DE GOVERNO DO PRINCIPAL PARTIDO DA OPOSIÇÃO SOBRE A CRISE E A FORMA DE A COMBATER DIZ ZERO"

Mário Lino - Ministro das Obras Públicas

CM  - 30-08-2009

publicado por luzdequeijas às 15:26
link do post | comentar | favorito
|

OPINIÃO SEM SEGUIDISMO

Sábado, 29 de Agosto de 2009

PINA MOURA ELOGIA MANUELA

É um programa focado e clarificador

 

Joaquim Pina Moura, ex-ministro das Finanças e da Economia do Partido Socialista, diz que o programa do PSD " é clarificador e divisor de águas", mostrando que "há outros caminhos para responder à crise". Na sua opinião, no capítulo da política económica, o programa social-democrata " é mais duro e focado" que o do PS. E também nas políticas sociais Pina o considera mais realista, por ser um programa que "parte da assunção de que os recursos são escassos".

Expresso   29-08-2009

publicado por luzdequeijas às 15:24
link do post | comentar | favorito
|

A DIMENSÃO DO ESTADO

O ESTADO PORTUGUÊS é hoje um imenso exército de (respeitosos) mendigos !!! ESTE ESTADO não pode falir e deixar toda esta gente na miséria. LEMBREMO-NOS que dele dependem, mesmo empobrecendo cada vez mais: 

700 000 funcionários, cerca de 3 400 000 reformados, perto de 350 000 titulares de RSI, uns 500 000 desempregados, a despesa da saúde e da educação, da Justiça, da Segurança, das Forças Armadas, dos deficientes ( só invisuais rondam os 163 000 !!!) e muito, muito mais ....

TUDO ISTO dependente dos impostos dos trabalhadores e das empresas privadas ( as empresas públicas, no seu conjunto, dão enormes prejuízos !!!)

PARA QUE HAJA RIQUEZA QUE POSSA SALVAR TUDO ISTO é necessário reerguer a nossa economia, dependente de um mercado pequeno e pobre. Teremos que apostar nas exportações e para tal, mais impostos não são viáveis, em consequência da grande competitividade mundial.

É este ESTADO que Sócrates quer ainda tornar maior ? 

É dele que quer continuar a fazer OBRAS PÚBLICAS totalmente inoportunas ? O esforço nacional não terá de ser uma aposta na Economia Privada ( PME, mais económicas, funcionais e criadoras de riqueza com menos investimento), também mais empregadoras ?

publicado por luzdequeijas às 14:54
link do post | comentar | favorito
|

UM PEQUENO AVISO

OUVIR SÓCRATES é hoje um exercício que requer imensa paciência dos portugueses. Este "post" deve ser lido em conjunto com o artigo de opinião, inserido abaixo, e escrito pelo experiente economista de méritos firmados, de seu nome Daniel Bessa.

Enquanto Sócrates, dentro das suas banalidades, nos vai mimoseando com loas ao Estado, dono e senhor, no qual faz por encaixar louvores ao investimento público, Daniel Bessa mostra-nos exactamente o contrário, apontando o caminho estreito que temos pela frente no curto e médio prazo. Tal caminho só pode traduzir-se pelo empobrecimento progressivo dos portugueses, europeus e seus países !!!

Enaltece, ainda, a reforma mais levada a cabo por este Governo que foi a da Segurança Social, mas que assentou  na sistemática perda do valor das reformas e assistência social nas próximas décadas. " É dura a realidade, mas não há como fugir-lhe".

Todas as reformas a fazer terão de seguir neste sentido, pois, Portugal e os outros países da Europa Ocidental "correm sérios riscos de impossibilidade de solver compromissos assumidos, em particular na área social".

Vamos, pois, empobrecer progressivamente, quando muito, com mestria, poderemos ir reduzindo o grau de empobrecimento.

Até parece que esta reforma, tão enaltecida, foi feita pelo ministro nas costas de Sócrates. O Estado actual é incapaz de assumir as responsabilidades sociais e futuras. O caminho, é menos Estado mas melhor Estado.

Aumentar impostos é tornar a nossa economia, totalmente, fora da competitividade actual. 

Claro, que isto não agrada a socialistas como Sócrates e outros, que estão sentados à mesa, sem cerimónias. 

Meus senhores, os tempos mudaram, a crise internacional é só um pequeno aviso....

publicado por luzdequeijas às 14:51
link do post | comentar | favorito
|

A POLÍTICA É UMA ARTE

De entre todas as reformas estruturais prometidas pelo Governo em exercício de funções, a mais conseguida foi a da Segurança Social. Consistiu, no essencial, numa redução das pensões de reforma e na adopção de mecanismos que continuarão a reduzi-las, de forma quase automática, tanto quanto se revele necessário para devolver ao sistema uma expectativa de solvabilidade. É dura, a realidade, mas não há como fugir-lhe. Os Estados modernos, sobretudo os da Europa Ocidental, correm sérios riscos de impossibilidade de solver todos os compromissos assumidos, em particular na área social ( sistemas de pensões, sistema de saúde e sistema de ensino, por esta ordem, para referir apenas os três mais importantes). A resolução deste problema é muito complexa, exigindo a redução de direitos ou um aumento da carga fiscal que acabaria por se revelar asfixiante, e letal.

A maestria com que o Governo português resolveu o problema da Segurança Social justifica, muito justamente, a admiração mundial. Por maioria de razão, ao constarmos que conseguiu fazê-lo sem oposição à esquerda e sem protestos na rua - ao contrário do que se passou na saúde e na educação, por intervenções incomparavelmente menos agressivas. E ainda há quem diga que a política não é uma arte ....

EXPRESSO   29-08-2009   - DANIEL BESSA

publicado por luzdequeijas às 14:50
link do post | comentar | favorito
|

A MENTIRA INSIDIOSA

                          30 Agosto 2009 - 00h30

Coisas do Dinheiro

Descontos pesados

A redução de dois pontos percentuais prometida por Manuela Ferreira Leite da taxa social paga pelas empresas é uma boa notícia para os empregadores, que, caso se concretizasse, mesmo de forma provisória, até 2011, representaria um importante alívio na tesouraria.
Aliás, o actual modelo de financiamento da Segurança Social é um pesado encargo para as empresas, que têm de pagar mais 23,75% do salário bruto de cada empregado. Os trabalhadores descontam, por seu lado, 11% do salário. Se para as empresas a poupança é uma boa notícia, para o sistema de Segurança Social significa uma perda importante de receita, de muitos milhões de euros. A Segurança Social assegura o rendimento a uma grande percentagem de portugueses e milhões de trabalhadores descontam na expectativa de ter uma reforma descasada. Por isso não pode haver rupturas no financiamento.

É preciso encontrar alternativas numa equação difícil, mas não impossível, de assegurar o pagamento das pensões de reforma e de outras prestações sociais, sem penalizar as empresas que criam mais postos de trabalho. Os encargos da Segurança Social também provocam uma retracção da oferta de trabalho, e quem sofre mais são os jovens, vítimas do emprego precário.

Em Espanha a crise aperta,o que é uma má notícia para Portugal, dado ser o nosso principal parceiro comercial. E o governo de Madrid já anuncia aumento de impostos.

Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto
publicado por luzdequeijas às 11:29
link do post | comentar | favorito
|

BURACO NA DEFESA

 

30 Agosto 2009 - 00h30

Forças Armadas: Suborçamentação e promoções causam dificuldades

Buraco na Defesa é de 150 milhões

O Ministério da Defesa necessita de um reforço orçamental de 150 milhões de euros para fazer face a despesas com salários, pensões e saúde dos militares das Forças Armadas até ao final do ano. O próprio ministério de Nuno Severiano Teixeira reconhece que, "em momento oportuno, será solicitado reforço orçamental ao Ministério das Finanças, a exemplo do ocorrido em anos transactos".

Ao que o CM apurou, a insuficiência de verbas resulta, segundo garante fonte conhecedora, "por um lado, da suborçamentação que os ramos [das Forças Armadas] fazem na rubrica das Remunerações Certas e Permanentes [para salários], que sabem que têm de ser pagas e, por outro, das promoções de militares, em 2009, e do aumento do valor do Suplemento da Condição Militar, também este ano".

O Ministério da Defesa garante que "não há qualquer ruptura financeira em relação à rubrica Pessoal", mas deixa claro que "a previsão da despesa aquando da elaboração do orçamento da Defesa Nacional de 2009 não contemplou, nem poderia ter contemplado, o aumento dos vencimentos da Administração Pública e a valorização do Suplemento de Condição Militar". Por isso, remata o ministério de Severiano Teixeira, "este aumento de encargos está a ser gerido de acordo com o princípio da gestão flexível e, em momento oportuno, será solicitado reforço orçamental ao Ministério das Finanças".

A insuficiência de verbas ocorre num ano em que o orçamento do Ministério da Defesa para despesas com pessoal registou um aumento de 8,7 por cento: passou de 1,1 mil milhões de euros, em 2008, para 1,2 mil milhões de euros, em 2009. A dotação para pensões não foi reforçada, mantendo-se em 100 milhões de euros, mas a Saúde, onde tem havido dificuldades orçamentais, foi reforçada, ao receber 90 milhões de euros, um acréscimo de 29 por cento face aos 69,6 milhões do ano passado.

OUTROS DADOS

GASTOS COM PESSOAL

Em 2009, os custos com pessoal representam 53,8 por cento do total da despesa do Ministério da Defesa, que ascende a 1,2 mil milhões de euros.

SUPLEMENTOS SUBIU

A 1 de Janeiro de 2009, as Forças Armadas passaram a receber um Suplemento da Condição Militar de 17,5 por cento do salário-base. Antes era de 14,5 por cento.

VERBAS EM 2008

Em 2008, a Defesa enfrentou uma insuficiência de verbas de 100 milhões de euros.

António Sérgio Azenha
publicado por luzdequeijas às 11:15
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 29 de Agosto de 2009

LUCIDEZ APURADA

 

DISCURSO DIRECTO

 

O ESTADO

"É UM PROGRAMA PARA QUE O ESTADO NÃO GASTE DE MAIS, NÃO VIVA PARA A AUTOPROPAGANDA E NÃO MERGULHE NO DIRIGISMO ASFIXIANTE DE TUDO O QUE MEXE E É LIVRE"

 

VERDADE

" PORTUGAL PRECISA DE AMBIÇÃO, MAS REALISTA; DE CONFIANÇA; MAS CONSISTENTE; E DE ESPERANÇA, MAS NA VERDADE"

 

MANUELA FERREIRA LEITE

 

publicado por luzdequeijas às 17:47
link do post | comentar | favorito
|

CONFRANGEDOR SEGUIDISMO

 

AUGUSTO SANTOS SILVA, NO SEU PIOR ...

 

COM A ÉTICA ARREDIA

 

" OS ÚNICOS VERBOS QUE MANUELA FERREIRA LEITE SABE DECLINAR SÃO RASGAR; ROMPER; REVER; ADIAR; SUSPENDER"

 

famoso pela sua proverbial ponderação na declinação dos verbos ( que, já agora, não se declinam conjugam-se .... )

EXPRESSO      29-08-2009

publicado por luzdequeijas às 17:40
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

A GROSSERIA DO MINISTRO

MÁRIO CRESPO ENTREVISTADO

Ficou célebre a entrevista de Valentim Loureiro - no papel de presidente da Liga de Clubes - na SIC notícias. Das entrevistas com figuras ligadas ao mundo da política, foi uma das mais difíceis ?

Não teve qualquer dificuldade. Ele cometeu um erro como entrevistado, que foi entrar numa via agressiva. Já outros cometeram esse erro. Um desses casos aconteceu recentemente.

Está a referir-se a quem ?

Ao ministro Silva Pereira. Em termos de grosseria pura excedeu Valentim Loureiro. Começou a disparatar quando lhe perguntei se era verdade que uma sobrinha de Sócrates era sua secretária no Ministério do Ambiente.

Foram os dois ligados à política com mais falta de chá ?

Os dois mais grosseiros ? Não. Tenho uma impressão de que, em Jerusalém oriental, entrevistei um árabe particularmente grosseiro (risos). E, na Namíbia, também é capaz de ter havido algum militante da SWAPO (South-West Africa People´s Organization) mais entusiástico.

Já cumprimentou Silva Pereira e Valentim depois dessas entrevistas ?

Silva Pereira passou por aqui (SIC) noutro dia e claro que o cumprimentei. Antes da entrevista, insistiu muito que eu o tratasse por senhor ministro, portanto, para não o desapontar; lá lhe disse: "Como está senhor ministro ?"

Insistiu para ser tratado como senhor ministro ?

Sim. Ao telefone. Como ele vinha aqui (SIC) desde o frente a frente, ele tratava-me por Mário e eu tratava-o por Pedro - acho que continua a ser o seu nome. Nesse telefonema também quis saber por onde eu ia começar a entrevista. Não lhe disse. Limitei-me a recomendar-lhe que lesse o SOL.

Caso Freeport ?

Sim, a entrevista foi sobre o Freeport.

Enquanto jornalista, já foi obrigado a lidar com vários governos. tem sentido da parte deste uma atitude diferente no que diz respeito às tentativas de controlo da informação ?

Tenho. O comportamento de Silva Pereira foi paradigmático. A preocupaçãso que teve e a frequência de contactos que fez antes da entrevista mostrou-me que este Governo dá grande importância ao condicionamento dos jornalistas. E também noto que, quando tratamos uma notícia de uma determinada maneira, há sempre um David Damião qualquer (assessor de imprensa de Sócrates) a telefonar imediatamente e a dizer que a notícia não foi bem tratada e que não pode ser assim. Nos outros governos não vi, da parte das assessorias, uma acção tão vigorosa.

SOL   28-08-2009 

publicado por luzdequeijas às 19:21
link do post | comentar | favorito
|

ENTREVISTA DESASSOMBRADA

ENTREVISTA A MÁRIO CRESPO

(.... ) Como viu os ataques que Sócrates dirigiu à TVI na entrevista que concedeu à RTP ?

Achei absolutamente detestáveis. O homem não tem propriamente a ideia do funcionamento de uma sociedade civilizada. Não sabe onde está e não sabe quem é. Um primeiro-ministro não pode dizer aquilo.

O primeiro-ministro não pode criticar um órgão de informação ?

Naqueles termos, não. Não pode dividir o campo em jornalistas bons e jornalistas maus como fez.

Falou em jornalismo travestido ....

Esse foi um termo particularmente imbecil. Não pode dizer que o Diário de Notícias se comporta bem e que o Público se comporta mal.

No seu entender, esse comportamento dever-se-á ao facto de estar de cabeça perdida ou revela falta de carácter ?

Falta de carácter é um termo demasiado forte. Acho que revela carácter: Ele é assim.

Que balanço faz da legislatura ?

No início impressionou-me favoravelmente. Mostrou-se voluntarioso. Não gosto muito dos políticos que dizem que querem fazer um favor ao país ... isso vê-se muito no PSD. E Sócrates estava ali porque gostava do poder. Curiosamente, isso agradou-me. Depois, a bagunça que se começou a conhecer sobre a sua vida privada fez-me levantar algumas reservas.

Está a falar da questão do curso de engenharia, por exemplo ?

Por exemplo. Não era necessário estar a gratinar habilitações.

Então faz um balanço negativo destes quatro anos ?

Sim. Um dos elementos que me desagradaram enquanto cidadão e enquanto jornalista foi o comportamento de Sócrates em relação à TVI e ao Público.

Mas isso são matérias ...

... Laterais à governação ? Mas são definidoras de carácter. São definidoras de uma atitude democrática ou da sua ausência.

SOL  - 28-08-2009 

publicado por luzdequeijas às 17:19
link do post | comentar | favorito
|

VOZ RESPEITADA

MARQUES MENDES MARCOU a semana política com a sua intervenção na Universidade de Verão da JSD. Não só ao reforçar a importância e a urgência de critérios éticos para reabilitar a depauperada credibilidade dos partidos e dos políticos. Mas também ao apresentar propostas alternativas para alguns "pecados capitais" da democracia portuguesa. Uma intervenção assente nos princípios e em ideias, que marca a diferença em relação ao cinzentismo e à falta de convicções do discurso predominante na actual vida partidária. Uma voz cada vez mais respeitada.

SOL   José António Lima   28-08-2009

publicado por luzdequeijas às 17:07
link do post | comentar | favorito
|

É O QUE ESTÁ A DAR !!!

MOITA FLORES É CANDIDATO NUMA LISTA PSD.

Já disse que não votará no partido de Manuela Ferreira Leite nas legislativas e, agora, recebeu e medalhou Sócrates em Santarém, numa cerimónia de pré-campanha eleitoral. «Gabo-lhe a coragem» disse e repetiu Sócrates, comovido com a benesse. Coragem ? 

Coragem teria sido o recandidato a Santarém, face a tão graves e públicas divergências com o PSD, ter-se desvinculado desse apoio partidário e avançado com uma lista de independentes. Mas a coragem, pelos vistos, não chega a tanto.....

SOL - José António Lima    28-08-2009

 

PS : A «silly season» dá para tudo ! Moita Flores está altamente revoltado com a inclusão de António Preto nas listas do PSD/legislativas. Também estou. Contudo, ele não parece nada preocupado com as acusações que os ingleses fizeram a Sócrates, a ponto de o condecorar com honras, de permeio ! Será que sabe mais do aquilo que sabem OS PORTUGUESES ? Que estão suspensos, com tanta falta de informação sobre o caso Freeport?

Por último e como se vê, o próprio articulista, aconselha-o a «avançar com uma candidatura independente» !!! 

Estranho conceito, revoltado, viria para a rua com a mão estendida a pedir assinaturas, em lugar de se afastar desta política que ele, Moita Flores considera indigna, nuns casos e noutros não ! 

publicado por luzdequeijas às 16:42
link do post | comentar | favorito
|

OUTRA CANDIDATURA INDEPENDENTE !!!

ESTÃO A SER POLÍTICOS, EM LITÍGIO,  A SE NOMEAREM CANDIDATOS INDEPENDENTES, E NÃO GRUPOS DE CIDADÃOS COMO A LEI n.º 1/2001, DETERMINA

(..... )  "Narciso Miranda afirma que a sua candidatura “não é contra ninguém”, acredita que o “aparelho do partido” irá ouvir os matosinhenses e, depois disso, mudar de posição. O presidente do PS/Porto, Renato Sampaio, espera pelo resultado das eleições na concelhia. É este órgão, recorda, que ” apresenta os candidatos, em articulação com a distrital”. No entanto, “o candidato natural” é Guilherme Pinto , “com um excelente trabalho” à frente da autarquia.
Pedro Baptista, candidato à distrital do PS, não excluiu apoio à candidatura de Narciso Miranda, “um dos símbolos autárquicos nacionais do PS, agora marginalizado de uma forma inaceitável pelo partido”. Caso vença a distrital, apoiará o candidato da área do socialista mais bem colocado para conquistar a Câmara.”Não marginalizo hoje, não marginalizei ontem Narciso”, diz Pedro Baptista. Para tomar uma decisão justa, encomendará um estudo de opinião: “Tenho de me munir dos instrumentos de conhecimento objectivos sobre as intenções de voto, para que os socialistas não percam Matosinhos”.
O candidato à liderança do PS/Porto aconselha a concelhia a fazer o mesmo – “a respeitar as intenções dos eleitores” no momento da escolha do candidato.

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 15:25
link do post | comentar | favorito
|

O SÍMBOLO DOS INDEPENDENTES

O Tribunal Judicial de Oeiras recusou a inclusão do símbolo do movimento de Isaltino Morais no boletim de voto das eleições autárquicas, confirmou hoje o director de campanha do autarca, considerando que a decisão judicial "favorece os partidos e as coligações".

 

 

 

 
Paulo Vistas, considerou que esta lei "desfigura o conceito de igualdade que está assenta na Constituição Portuguesa", dado que, por aparecer o número romano I em detrimento do logótipo do movimento no boletim de voto, "as candidaturas independentes não estarão em pé de igualdade com os demais adversários".

 

Ao invés, em Matosinhos, o Tribunal local acedeu ao pedido de Narciso de Miranda, no sentido de que no boletim de voto aparecesse o símbolo escolhido, por si, na campanha !!!! Má decisão !!!

 

Numa análise verdadeiramente independente, aquilo que tais movimentos estão longe de ser, a decisão de Matosinhos é infeliz e levanta desigualdades impróprias numa democracia.

 

Por outro lado, a indicação no boletim de voto de um algarismo romano, que a lei indica, é por si demasiado abstrata e pouco esclarecedora.

 

Todavia a lei n.º 1/2001 encerra muitas virtualidades, que os candidatos independentes, desavindos com os partidos, parecem querer ignorar ! É que esta lei foi legislada para permitir a um grupo de cidadãos independentes (mesmo independentes ), insatisfeitos com a actuação local de um ou de todos os partidos, poderem constituir-se num movimento e como tal concorrerem a actos eleitorais autárquicos ( artigo 19.º da lei n.º 1/2001). A matriz destas candidaturas é sempre de "Um Grupo De Cidadãos Independentes) e nunca um político conhecido pelo bem ou pelo mal, a arvorar-se em independente, até num símbolo que tem o seu nome e a sua carga política. Ele pode, até, ser nomeado pelo grupo de cidadãos para liderar o movimento. O que nunca pode acontecer é tal individualidade, zangado com o seu partido, vir para a rua recolher assinaturas e relegar a imagem de tal grupo, que mobilizou e lhe serviu de apoio (muitas vezes inconsciente), para segundo plano. Muito menos num grupo de cidadãos aparecer o nome de um político desavindo. Esse não é, não pode ser o espirito do legislador. Não faria sentido.

 

Quanto ao resto, o símbolo escolhido pelo grupo de cidadãos em sua representação, deveria constar do boletim de voto.Nunca o símbolo de uma figura política, seja ela qual for, ou um número romano. Não é uma candidatura individual, mas, sim, colectiva, "UM GRUPO DE CIDADÃOS" que se afirma em alternativa, nomeando os seus representantes políticos.

Lembra-se, a propósito de muitas confusões, que a lei permite candidaturas de GRUPOS DE CIDADÃOS (Independentes) e não candidaturas de UMA PESSOA (Independente). 

publicado por luzdequeijas às 12:25
link do post | comentar | favorito
|

SERÁ DESTA ?

RESTAURAR VALORES ÉTICOS

.Manuela Ferreira Leite - Jornal de Notícias

 

( .... ) Manuela Ferreira Leite alegou ainda que o PSD se distingue do PS no combate à corrupção, declarando que, se formar Governo, "no plano criminal, todos os esforços serão feitos para uma luta sem quartel à corrupção, pondo fim às constantes hesitações e reticências do Governo socialista".

 

A presidente do PSD terminou a sua intervenção dizendo querer "mobilizar as dinâmicas da sociedade civil, dos cidadãos, das famílias e das empresas na assistência social, na saúde e na educação" e "um Estado que não gasta demais, que não vive para a propaganda ou para o auto-comprazimento e auto-elogio das lideranças".

A presidente do PSD acrescentou que quer "um Estado que vê o desafio tecnológico como um catalisador e libertador da iniciativa e das energias sociais e não como um instrumento sofisticado através do qual domina os cidadãos".

 

publicado por luzdequeijas às 12:12
link do post | comentar | favorito
|

OS DONOS DA DEMOCRACIA

A Geração TuTuTu
João Duque
8:00 Quarta-feira, 26 de Ago de 2009 


Tivemos, no futebol português, a designada 'Geração de Ouro', da qual faziam parte nomes como Figo, Rui Costa, Pauleta, Paulo Sousa, Abel Xavier, Sérgio Conceição, Fernando Couto ou Baía. Mas Portugal teve melhor: a 'Geração TuTuTu'.

Em 1974, um grupo de quadros médios, apoiado nas classes inferiores das organizações, e acusando de "fascistas" a elite dos quadros da superstrutura da sociedade política e empresarial, varreu da sua frente esses escolhos e sentou-se nas suas cadeiras.

Democraticamente, diziam muitas vezes "pá" e tratavam-se por "tu".

Cedo, essa geração chegou ao poder, alguns nem com 30 anos de idade. Ainda o alargou através da nacionalização de centenas de empresas, numa correria tal a que nem escapou uma barbearia da Baixa. Meia dúzia de comícios, umas manifs, uma passagem pela sede de um partido e a coisa resultava.

Quando foi preciso, mudaram de partido (para a direita) para manter o pezinho na pista de dança.

Receberam um país com um saldo líquido de activos sobre o exterior (posição de investimento internacional) acima de um terço do PIB (cálculo de Vítor Bento), venderam as empresas que entretanto nacionalizaram, receberam milhões da Europa, consumiram o que tinham e não tinham e reformaram-se, deixando como legado um saldo líquido de passivos sobre o exterior de quase 100% do PIB.

Isto é, receberam uma herança, juntaram-lhe outra vinda da Europa, nacionalizaram uma terceira, sumiram as três e deixaram uma dívida de um ano de trabalho. É obra para 35 anos!

Empurraram os outros da cadeira onde se sentaram, cuidaram-se bem na vida activa, e reformaram-se, alguns antes da idade dos agora impostos 65 anos, com reformas a 100% calculadas sobre os melhores anos das suas vidas contributivas.

Antes de saírem, para que os seus direitos adquiridos (reformas) se mantivessem, ainda foram a tempo de impor às gerações do futuro a reforma do sistema que lhes dará reformas muito menores.

Foi uma geração de ouro, a 'Geração TuTuTu': tudo quiseram, tudo tiveram, tudo... A esta geração juntaram-se-lhe as outras que a têm ajudado na rambóia.

Como membro de outra geração, quero agradecer à 'Geração TuTuTu' a Liberdade e a Democracia de onde escrevo o meu reconhecimento pelo vosso e nosso trabalho.

Mas a Democracia também pode ser competente.

João Duque , Professor Catedrático do ISEG

 

publicado por luzdequeijas às 11:56
link do post | comentar | favorito
|

COM DEUS E COM O DIABO

" Mas a par das maratonas de Sócrates, o PS inaugurou agora um novo modelo de estratégia eleitoral: pôr dirigentes socialistas a dizerem mal das medidas mais impopulares do Governo igualmente socialista. Marcos Perestrelo, membro do Secretariado NacionaL do PS, veio criticar a «atitude hóstil» da ministra da Educação para com os professores, a «rigidez» de Maria de Lurdes Rodrigues, que «transformou a determinação em obstinação». Espantoso.....

Que membros do Secretariado do PS se seguirão a Perestrelo ? Edite Estrela a arrasar a política do ministro Teixeira dos Santos pela perda do poder de compra e de apoios sociais dos funcionários públicos?

António Costa a demolir os números do desemprego ? No PS, em aflitivo tempo de eleições, parece que vale tudo. E o seu contrário .....

O SOL -  28-08-2009 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 11:28
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 27 de Agosto de 2009

A BORRADA

 

 

 ( Clique na imagem para melhor resolução )

 

 

publicado por luzdequeijas às 22:33
link do post | comentar | favorito
|

CIDADÃOS DEPENDENTES

 

publicado por luzdequeijas às 08:46
 

ACABE-SE COM OS MOVIMENTOS INDEPENDENTES
Cidadãos Independentes

 

Foi por influência do ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, que apareceu legislado o recurso a grupos de cidadãos, criarem Movimentos de  Independentes nas eleições autárquicas . Muita gente acreditou, e muito sinceramente, que a abertura às candidaturas de INDEPENDENTES, poderia vir a refrear este terrível salto do país para o abismo, em consequência da desastrosa actuação dos partidos . 
Tal salto acontece em razão dos grandes interesses económicos e pessoais e da actividade de grupos pecaminosos instalados na "vida escura". Também na sequência da luta pela obtenção dos "pequenos favores" que vão minando a credibilidade dos que andam na política !
Constituem-se, estes grupos, numa perigosidade, terrivelmente devastadora, montando todo o tipo de oportunismo e ilícito. Atropelamentos civicos, e até crimes de vária ordem!

 

Era toda esta situação nebulosa que , certamente,o legislador quereria combater ao elaborar a lei dos "Eleitos Independentes" ! Melhor dizendo, pôr as autarquias a funcionar com gente fora dos partidos, porque essa, dos partidos, na maioria dos casos, são o ninho do mal amado sistema político partidário.

 

Porém, os Movimentos de Independentes estão também já contaminados por tudo isto. Estão, até, piores que os partidos. Aqueles que detêm o poder (independentes ou não) já compraram com benesses, os mais fracos ou mais ambiciosos dentro dos partidos. É pena. Compraram-nos, com o nosso dinheiro, não com o deles ! 

Há militantes dos partidos a trabalharem para supostos movimentos independentes, mas há também gente dos movimentos "independentes" a minarem a pouca saúde dos partidos políticos.

 

Há gente que, de fora, domina as eleições dentro do partido ! A promíscuidade é tão grande, que já há de tudo. De tudo, menos vergonha !!!!

Afinal, que moralidade há nisto ? Independentes e partidos estão  entrelaçados. Salta à vista, mesmo para quem não quer ver!

 

Mas se por acaso, algum independente, que seja mesmo independente, for empurrado para liderar um Movimento de Independentes, não tarda a ser, oportunamente , escorraçado pelos independentes que afinal não o são.

 

Será que isto é democracia ? Claro que não. É uma grande confusão. Mas é assim mesmo. Então, sendo assim, porque é que todos se calam e acomodam ? 

Porque se perdeu o sentido ético da vida. Porque se perderam os valores mais básicos. Porque se perdeu a vergonha na cara !!!! 

 

Porém, é na vida autárquica que a política e os políticos se mostram mais de perto aos cidadãos, e onde os políticos de serviço, são escrutinados diariamente por estes. É aqui que, sem ler os jornais, ou ouvir os telejornais, muito antes disso, o povo detecta os mínimos sinais de riqueza exterior nos políticos de proximidade. É aqui que o mesmo povo se interroga da razão de certas pessoas, vestidas de políticos, independentes ou não, sem ou com méritos abonados, constarem sempre das listas eleitorais.

 

É aqui que podemos ver gente dos partidos a fazer as listas de candidatos dos movimentos independentes e, o contrário também é verdade. É aqui, que vemos essas pessoas serem protegidas pelos líderes partidários, sendo incluídos nas listas de candidatos nas eleições para a "Casa da Democracia" !!!! 

 

Não se discute o país, o concelho ou a freguesia. O debate político corre por fora dos partidos ! Estes também se entrelaçam. Parece no entanto, estar na altura dos verdadeiros cidadãos independentes darem as mãos e acabarem com esta "fantochada" ! E, como nunca ninguém saberá, ao certo, quem é ou não é independente, o MELHOR É RAPIDAMENTE ACABAREM COM OS MOVIMENTOS INDEPENDENTES.   Assine-se o necessário decreto para acabar com os independentes a mandarem nos partidos. De fora para dentro ou no sentido inverso. De resto, são, neste momento, "alguns políticos" bem conhecidos que "fabricam" os "grupos de cidadãos Independentes" e não estes a indicarem aqueles que querem ver como seus representantes no poder !!!

 

A isto, com propriedade, podemos chamar de "inconstitucionalidade", face aos termos da lei vigente. 

publicado por luzdequeijas às 22:30
link do post | comentar | favorito
|

O BAILE VAI COMEÇAR

 

  ( clique na imagem para melhor resolução )

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 20:42
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

FÚTILIDADES

 

 

publicado por luzdequeijas às 14:34
link do post | comentar | favorito
|

ESTRANHA SENSIBILIDADE

 

Capacidade eleitoral passiva (actualizado)

Publicado por PauloMorais em 26 Agosto, 2009

Moita Flores e Maria José Nogueira Pinto são candidatos pelo PSD nas eleições autárquicas e nas legislativas (respectivamente). Nestas, Moita Flores não vota PSD e, naquelas, Nogueira Pinto também não.
Sinal de independência dos candidatos? Ou sintoma de promiscuidade entre PS e PSD?
Pacheco Pereira, candidato em Santarém (AR), votará em Moita Flores (CM), que não vota em Pacheco Pereira. Este saiu de Lisboa para não votar em Santana Lopes (CM), que vota em Nogueira Pinto (AR), que por sua vez não vota Santana Lopes.

publicado por luzdequeijas às 14:24
link do post | comentar | favorito
|

ACABE-SE COM OS MOVIMENTOS INDEPENDENTES

Cidadãos Independentes

 

Foi por influência do ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, que apareceu legislado o recurso a grupos de cidadãos, criarem Movimentos de  Independentes nas eleições autárquicas . Muita gente acreditou, e muito sinceramente, que a abertura às candidaturas de INDEPENDENTES, poderia vir a refrear este terrível salto do país para o abismo, em consequência da desastrosa actuação dos partidos . 
Tal salto acontece em razão dos grandes interesses económicos e pessoais e da actividade de grupos pecaminosos instalados na "vida escura". Também na sequência da luta pela obtenção dos "pequenos favores" que vão minando a credibilidade dos que andam na política !
Constituem-se, estes grupos, numa perigosidade, terrivelmente devastadora, montando todo o tipo de oportunismo e ilícito. Atropelamentos civicos, e até crimes de vária ordem!

 

Era toda esta situação nebulosa que , certamente,o legislador quereria combater ao elaborar a lei dos "Eleitos Independentes" ! Melhor dizendo, pôr as autarquias a funcionar com gente fora dos partidos, porque essa, dos partidos, na maioria dos casos, são o ninho do mal amado sistema político partidário.

 

Porém, os Movimentos de Independentes estão também já contaminados por tudo isto. Estão, até, piores que os partidos. Aqueles que detêm o poder (independentes ou não) já compraram com benesses, os mais fracos ou mais ambiciosos dentro dos partidos. É pena. Compraram-nos, com o nosso dinheiro, não com o deles ! 

Há militantes dos partidos a trabalharem para supostos movimentos independentes, mas há também gente dos movimentos "independentes" a minarem a pouca saúde dos partidos políticos.

 

Há gente que, de fora, domina as eleições dentro do partido ! A promíscuidade é tão grande, que já há de tudo. De tudo, menos vergonha !!!!

Afinal, que moralidade há nisto ? Independentes e partidos estão  entrelaçados. Salta à vista, mesmo para quem não quer ver!

 

Mas se por acaso, algum independente, que seja mesmo independente, for empurrado para liderar um Movimento de Independentes, não tarda a ser, oportunamente , escorraçado pelos independentes que afinal não o são.

 

Será que isto é democracia ? Claro que não. É uma grande confusão. Mas é assim mesmo. Então, sendo assim, porque é que todos se calam e acomodam ? 

Porque se perdeu o sentido ético da vida. Porque se perderam os valores mais básicos. Porque se perdeu a vergonha na cara !!!! 

 

Porém, é na vida autárquica que a política e os políticos se mostram mais de perto aos cidadãos, e onde os políticos de serviço, são escrutinados diariamente por estes. É aqui que, sem ler os jornais, ou ouvir os telejornais, muito antes disso, o povo detecta os mínimos sinais de riqueza exterior nos políticos de proximidade. É aqui que o mesmo povo se interroga da razão de certas pessoas, vestidas de políticos, independentes ou não, sem ou com méritos abonados, constarem sempre das listas eleitorais.

 

É aqui que podemos ver gente dos partidos a fazer as listas de candidatos dos movimentos independentes e, o contrário também é verdade. É aqui, que vemos essas pessoas serem protegidas pelos líderes partidários, sendo incluídos nas listas de candidatos nas eleições para a "Casa da Democracia" !!!! 

 

Não se discute o país, o concelho ou a freguesia. O debate político corre por fora dos partidos ! Estes também se entrelaçam. Parece no entanto, estar na altura dos verdadeiros cidadãos independentes darem as mãos e acabar com esta "fantochada" ! E, como nunca ninguém saberá, ao certo, quem é ou não é independente, o MELHOR É RAPIDAMENTE ACABAREM COM OS MOVIMENTOS INDEPENDENTES.   Assine-se o necessário decreto para acabar com os independentes a mandarem nos partidos. De fora para dentro ou no sentido inverso. De resto, são, neste momento, "alguns políticos" bem conhecidos que "fabricam" os "grupos de cidadãos Independentes" e não estes a indicarem aqueles que querem ver como seus representantes no poder !!!

 

A isto, com propriedade, podemos chamar de "inconstitucionalidade", face aos termos da lei vigente. 

publicado por luzdequeijas às 08:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

LUTAR CONTRA A MENTIRA

 

 

Os principais blogues e movimentos de professores fazem apelo conjunto à participação na manifestação convocada para sábado, em Lisboa.

Nos últimos tempos, as divergências sobre os objectivos e métodos da contestação docente têm sobressaído nos blogues de professores, mas a três dias da última manifestação do ano lectivo tanto a blogosfera como os movimentos independentes decidiram avançar para um apelo inédito: "Sair à rua, todos juntos outra vez, é o que teme o Governo e é do que a escola pública precisa. Por isso encontramo-nos no próximo sábado".

No apelo recorda-se as três manifestações e as duas greves realizadas desde o ano passado."São momentos que não se esquecem e que despertaram o país. Os professores deixaram bem claro que não se deixam intimidar e que não sacrificam a qualidade da escola pública".

A situação é assim descrita: “Este governo desfigurou a escola pública”. Três momentos: "O modelo de avaliação docente é uma fraude que só prejudica alunos, pais e professores”; "partir a carreira docente em duas, de uma forma arbitrária e injusta, só teve uma motivação economicista e promove o individualismo”; “a imposição dos directores burocratiza o ensino”.

“É a educação que está a perder", frisam os subscritores, recordando que este é um momento em que se “debatem as escolhas para o país e para a Europa” e que os “professores têm uma palavra a dizer”.“Sair à rua em força é arriscar um futuro diferente”.

O apelo é subscrito pelos blogues A Educação do Meu Umbigo, ProfAvaliação, Correntes, (Re)Flexões, Educação SA, O Estado da Educação, Professores Lusos, Outòólhar e O Cartel. E pelos movimentos APEDE (Associação de Professores em Defesa do Ensino), MUP (Movimento Mobilização e Unidade dos Professores), PROmova (Movimento de Valorização dos Professores), MEP (Movimento Escola Pública) e CDEP (Comissão em Defesa da Escola Pública)

 

"Sair à rua em força é arriscar um futuro diferente"
Blogues e movimentos independentes apelam à participação na manifestação de sábado 
27.05.2009 - 11h46 Clara Viana
publicado por luzdequeijas às 08:34
link do post | comentar | favorito
|

FALAR VERDADE

 

O ex-líder do PSD Marques Mendes recomendou hoje ao partido que reforce as suas preocupações com a ética e voltou a defender uma lei que impeça políticos acusados ou condenados por crimes graves de se candidatarem a eleições.

“É um desafio que tenho feito a todos os partidos mas recomendaria de uma forma particular ao único partido em que tenho confiança, o meu partido, recomendaria em particular ao PSD que reforçasse cada vez mais as suas preocupações com a ética e a credibilidade da vida política”, afirmou Marques Mendes, num jantar-conferência na Universidade de Verão do PSD, que decorre em Castelo de Vide até domingo.

Apontando a falta de ética na vida política como um dos “pecados capitais” que mina e fragiliza a democracia, o antigo líder social-democrata voltou a falar das situações em que um político, autarca, deputado ou governante está condenado por um crime especialmente grave, nomeadamente corrupção ou fraude fiscal.

“Acho que a bem dele, a bem da instituição e a bem da política não deve poder candidatar-se a eleições”, defendeu, ressalvando, contudo, que para si esta não é tanto uma questão de leis, apesar de em alguma situações ser “bom haver uma lei”.

Recordando o fundador do partido que nos anos 70 disse que “a política sem ética é uma vergonha”, Marques Mendes classificou esse problema como uma “questão que está a corroer a nossa democracia”.

“Ninguém é obrigado a fazer política, só vem para a política quem quer mas quem vem para a política só pode estar de uma forma: com seriedade, com honestidade, com dedicação, com competência”, sublinhou.

Contudo, acrescentou, “não é preciso ser monge”, bastando ser um exemplo de seriedade, honestidade e credibilidade.

Marques Mendes reconheceu, porém, que isto nem sempre tem vindo a acontecer, tendo já existido situações que afrontam estes princípios.

Por isso, preconizou, só há uma solução: “Cortar a direito, custe o que custar, doa a quem doer”.

“Não pode ser de outra forma”, enfatizou, considerando que só em “situações limites” será necessário uma lei, já que a maioria dos casos trata-se de uma “avaliação exclusivamente política”.

“Na esmagadora maioria dos casos não é precisa lei nenhuma para colocar ética na política: basta que quem manda, quem decida, tenha a coragem de aplicar estes princípios, estes valores”, declarou, recordando que nas autárquicas de 2005, quando era líder do PSD afastou alguns candidatos “em nome da credibilidade”.

“Às vezes, é preferível saber que se vai perder uma eleição mas afirmar uma linha política de credibilidade, porque as convicções e a pureza dos princípios são muito mais importantes que os sentidos de oportunidade ou as lógicas de conveniência”, defendeu.

As listas eleitorais do PSD incluem dois arguidos em processos judiciais, António Preto e Helena Lopes da Costa, pelo Círculo de Lisboa, o que motivou duras críticas à direcção por parte do líder da Distrital Carlos Carreiras, entre outras pessoas ligadas ao partido.

Como outros “pecados capitais” que “minam a qualidade da democracia”, o antigo líder social-democarata apontou o défice de competitividade e solidariedade, a falta de liberdade de escolha na educação, a crise na Justiça e o actual sistema eleitoral.

Universidade de Verão do PSD
Marques Mendes volta a defender lei que impeça candidaturas de políticos a contas com a justiça 
25.08.2009 - 23h34 Lusa
publicado por luzdequeijas às 08:27
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

FILIPPA GIORDANO - SARAH BRIGTMAN & ANDREA BOCELLI

 

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 17:32
link do post | comentar | favorito
|

A PRIMA DE MAQUIAVEL

Podem crer, Maquiavel tem uma prima, residente no concelho de Oeiras, que parece sua "sósia". Esta mulher, por vezes, ainda consegue ser mais maquiavélica que o próprio Maquiavel ! Sabe-se que estas coisas correm no sangue, mas tal similitude é impressionante ! 

Tentemos, pois, descrever a natureza da criatura, através de uma das muitas histórias possíveis de contar: o caso acontece numa reunião de uma "secção política" dita de Algés. Eleições à porta, tudo vai servir para proteger amigos e afastar os outros .... escolher bons candidatos é coisa fora de moda !

Na dita reunião, acaba por ser aprovada uma determinação que estipula que um candidato a uma junta tem de ter pelo menos o 12.º ano. Da mesma forma, poderiam ter estipulado uma licenciatura, de resto, o objectivo, em si próprio, era impedir a recandidatura de uma actual presidente de Junta.

Nobreza de intenção !!!

Qual a legitimidade ou fundamentação é coisa desconhecida. Todavia, vale a pena reter da Constituição da República Portuguesa, o Capítulo I, artigo 125.º, (Elegibilidade), ou seja, quem pode ser elegível para Presidente da República Portuguesa:

 

"São elegíveis os cidadãos eleitores, portugueses de origem, maiores de 35 anos". 

 

Veja-se, bem, a legitimidade de tal exigência, sabendo-se que a tal personalidade "maquiavélica" diz ter uma licenciatura daquelas ( tiradas ao Domingo) e a sua adjunta que faz nomeações de candidatos é pura e simplesmente analfabeta. Acresce, ainda, lembrar do pouco efeito de tal medida, no momento em que, pessoas com mais de oitenta anos, vão às "Novas Oportunidades" e trazem de caminho um "diploma" do 12.º ano. São estes os partidos que temos e os políticos que fazem as nossas leis !!!!

publicado por luzdequeijas às 16:03
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

BOCA CALADA

 

                25 Agosto 2009 - 00h30
 

Heresias

Vocação 'controleira'

Ontem, o CM noticiou que as secretas, SIS e SIED estão a colocar espiões em organismos públicos. Qual o interesse em fazer espionagem nos hospitais, universidades, repartições da segurança social ou secretarias das direcções-gerais? Que benefícios resultam daí para o País ou para os cidadãos?
Bem à portuguesa, é bom de ver que os espiões vão apenas bisbilhotar as anedotas contra o ‘curso’ do primeiro--ministro e temas afins.

Nem mesmo em véspera de eleições este Governo refreia os seus instintos prepotentes – pôr o rapaz das fotocópias a espiar os colegas só mesmo de gente tragicamente desconfortável com a livre opinião. Ainda bem que as nossas secretas nos habituaram a fazer espionagem como o exército do saudoso Solnado praticava a guerra.

Carlos Abreu Amorim, Jurista

publicado por luzdequeijas às 12:52
link do post | comentar | favorito
|

EMPOBRECIMENTO DO PAÍS

                 
 
25 Agosto 2009 - 00h30

Dia a dia

Ilusão Estatística

A redução do insucesso escolar, anunciada com pompa e circunstância pelo Governo, é um estudo estatístico que pouco vale. Apenas indica que há menos alunos a chumbar, mas isso não significa que a escola ensine melhor e os estudantes aprendam mais.

O facilitismo dos exames e a pressão exercida sobre os professores para passarem alunos explicam esta ilusão estatística. Há o perigo da satisfação estatística com os resultados condenar milhares de jovens a uma vida de analfabetismo funcional , apesar de o sistema de educação lhes atribuir um diploma que pouco valerá.

Não é por determinação genética que entre os melhores alunos das escolas públicas portugueses se encontram os filhos dos imigrantes de Leste. A explicação reside nos hábitos de trabalho e de exigência, a que esses imigrantes estão habituados, mas que são raros em Portugal.

Não se aprende sem trabalho, nem exigência, e isso explica a razão por que grande parte dos alunos portugueses odeia a Matemática e nas comparações internacionais os portugueses têm péssimos resultados. Se a escola tiver o objectivo de passar alunos, só porque é politicamente conveniente, esquecendo--se de preparar os jovens para um mundo real difícil e competitivo, está a prestar um péssimo serviço e a contribuir para o empobrecimento do País.

Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

 

 

publicado por luzdequeijas às 12:47
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

CARA A CARA

 

Candidato sem rosto em Oeiras tem produzido grandes cartazes para as eleições autárquicas. O mais insólito de todos continua a ser o de Pedro Simões, autarca do PSD que afinal deixou de ser candidato a presidente da câmara, mas cujo rosto ainda saúda quem contorna a rotunda do Oeiras Parque. Simóes é o candidato fantasma de tipo I, aquele que ainda dá a cara mas já não dá o corpo. Isaltino Morais é diferente, assumindo-se como candidato fantasma de tipo II, isto é, alguém que ainda encarna uma candidatura mas que opta por não dar a cara por ela. A explicação é trivial, creio. Isaltino sabe que pede muito dos seus eleitores e que tem a imagem queimada. Quem votar nele deseja usufruir plenamente do secretismo do voto e preferirá não ser muito solicitado durante a campanha; afinal, o que move este eleitor até às urnas é o mote "it's a dirty job, but someone's gotta do it". Naturalmente, a campanha de Isaltino só podia começar com cartazes que apenas apresentavam uma mensagem simples e sem rosto. Mas na segunda fase da campanha, que arrancou depois de se saber que o autarca foi condenado, os criativos reforçaram esta estratégia e fazem algo que julgo ser inédito em Portugal. Os outdoors têm agora uma mensagem única - "eu voto em mim" - e um rosto, sim, só que em vez do rosto de Isaltino vemos o de uma cidadã ou cidadão de Oeiras. É um inspirado truque, isto de substituir um candidato condenado na Justiça e no espaço público pelo seu eleitor tipo. E com este exemplo, Isaltino ensina-nos que há uma diferença subtil entre ter vergonha de mostrar a cara e ter vergonha na cara. Pela originalidade, pelo desassombro e até pela pedagogia, temos um vencedor antecipado para o prémio da melhor campanha de 2009.

 

 

Ter vergonha de mostrar a cara não é o mesmo que ter vergonha na cara. 

Vasco M. Barreto
17:21 Sábado, 22 de Ago de 2009 - Aparelho de Estado
publicado por luzdequeijas às 18:01
link do post | comentar | favorito
|

DISPARATE DE VERÃO

Os deuses devem estar loucos...

 

Um assessor do chefe do Estado acusa, anonimamente, o Governo de vigiar o Presidente e nada acontece? Cavaco... cala-se; Sócrates diz que é um disparate de Verão. E nós? Rimo-nos?

A história é difícil de engolir. É tão inacreditável que seria preferível fingirmos que nunca existiu. Uma acusação, vinda de uma fonte anónima, de que o Governo anda a 'vigiar' o Presidente - ao não ser desmentida por ninguém - não é tolerável num país normal. Não é admissível o silêncio e a inacção de Cavaco Silva, nem que José Sócrates reaja com displicência e paternalismo, chamando-lhe disparate de Verão.

Imaginemos, por um momento, que este país era dirigido por estadistas, em vez de pessoas que parecem gostar de contribuir para a confusão e o descrédito da política e seus agentes.

Num país de estadistas, quando um assessor do chefe do Estado dissesse que o Governo estava a vigiar o Presidente da República, este, ou o desautorizava, ou convocava o Conselho de Estado para analisar as provas que existissem. E o primeiro-ministro - em vez de falar de brincadeira - averiguaria o facto e trataria do assunto com o próprio Presidente. Depois de apurada a verdade, ou era demitida a fonte de Belém ou o vigilante do Governo, ou ambos - e isto, no mínimo.

Mas Portugal é diferente; as coisas ficam sempre em meias-tintas. Esta história nasceu no 'Semanário' (jornal morto há mais de 10 anos, apenas com uma venda residual) que publicou uma notícia a dizer que assessores de Cavaco colaboram no programa do PSD (o único nome citado, Eduardo Catroga, já disse que não é assessor nem colaborou em programa nenhum). Nervoso, o PSD desmente que assessores de Cavaco colaborem com o partido (não se percebe porquê, sempre houve assessores de presidentes a colaborar com todos e mais alguns e toda a gente sabe que a equipa de Cavaco é composta, maioritariamente, por militantes ou simpatizantes do PSD).

Perante as acusações do PS, uma fonte de Belém reage de forma inédita: como sabem se assessores de Belém colaboram? - interroga-se - O Governo andará a vigiar a presidência? Um jornal publica este desabafo e continua, no dia seguinte, com a história de um tipo suspeito, que ninguém conhece, e um dia foi a uma viagem de Cavaco.

O Presidente, de férias, assobia para o lado e cala-se, para comprometer Sócrates; este comenta o facto, em tom jocoso (nunca o desmente formalmente), tentando diminuir Cavaco. A novela continua, com acusações e desmentidos a sucederem-se.

Tudo isto é mau de mais para ser verdade. O país tem uma crise económica enorme, uma crise social violenta - veja-se o desemprego - e uma crise política em perspectiva.

Como querem os seus principais responsáveis que os eleitores, confiem neles?

Assim não é possível!

 

publicado por luzdequeijas às 17:29
link do post | comentar | favorito
|

UM MUNDO CHEIO DE COLEGAS

 Diferença entre amigo e colega

Colega: nunca te viu chorar;

Amigo: teve sempre um ombro para tu chorares;

Colega: nunca pede nada para beber e comer;

Amigo: abre o armário e sente-se em casa;

Colega: pede-te para escreveres o teu número de telefone;

Amigo: pergunta-te o nº telefone dele (porque não se lembra)

Colega: pede alguma coisa emprestada e devolve uns dias depois;

Amigo: tem um guarda-roupa cheio de coisas tuas;

Colega: sabe algumas coisas sobre ti;

Amigo: poderia escrever a tua biografia;

Colega: não ficaria contigo se as outras pessoas não tivessem ficado;

Amigo: ficaria sempre contigo;

Colega: apagava esta mensagem;

Amigo: mandava-a para todos os Colegas ou Amigos;
 
Anónimo 
 

publicado por luzdequeijas às 12:31
link do post | comentar | favorito
|

POUCO MAIS DE 50 CÊNTIMOS !!!

D.R.  João Amaral TomazJoão Amaral Tomaz

                                                                    24 Agosto 2009 - 10h59
 

Nomeado João Amaral Tomaz

Banca: Mediador de crédito recebe salário de 7 mil euros

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, João Amaral Tomaz, nomeado pelo Governo como mediador de crédito vai auferir de um salário mensal de 6942 euros, avançou esta segunda-feira o jornal 'Público'. A remuneração será paga pelo Banco de Portugal.

Correio da Manhã

publicado por luzdequeijas às 12:15
link do post | comentar | favorito
|

POUPAR NOS TOSTÕES E PERDER NOS MILHÕES

             Correio da Manhão  - 24-08-2009

 

 

Processo de execução fiscal

Fisco: Dívida de 48 cêntimos podia congelar empresa

A Direcção-Geral de Impostos (DGCI) ameaçou congelar duas empresas do ramo imobiliário por uma dívida de 48 cêntimos, revelou esta segunda-feira o diário 'I'.
Vários fiscalistas afirmam que a lei tem falhas, nomeadamente quanto ao facto da cobrança de juros de mora: o Estado pode cobrá-los aos contribuintes mas não restituiu quantias aos mesmos que sejam inferiores a 25 euros. No entanto, nem que sejam cêntimos, cobra todas as quantias aos contribuintes.

 

O accionista principal das empresas em risco pagou a dívida de 48 cêntimos embora não possa precisar a razão desta dívida porque a mesma não foi especificada pela DGCI.

 

PS : Enquanto isto o Governo tem negociado investimentos estrangeiros, por milhões (quanbtos ninguém sabe !! ), muitos dfeles a fundo perdido. É um terreno muito pantanoso que tor ´ridículo um valor de 50 cêntimos.

 

 

D.R.  Dívida inferior a 50 cêntimosDívida inferior a 50 cêntimos
publicado por luzdequeijas às 12:02
link do post | comentar | favorito
|

TOMA QUE É DEMOCRÁTICO

 

 

 

 

 

D.R.  Cavaco SilvaCavaco Silva
                           24 Agosto 2009 - 11h40

Presidente quer discussão sobre a matéria

Cavaco veta legislação sobre Uniões de Facto

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vetou a nova legislação sobre as uniões de facto, considerando que no final de uma legislatura não é a altura oportuna para se fazerem alterações à lei. Por outro lado, Cavaco Silva diz que é necessária uma discussão profunda sobre esta matéria, algo que não aconteceu.
 
publicado por luzdequeijas às 11:57
link do post | comentar | favorito
|

SALAZAR NÃO MORREU !!!!!

 

 

 

 

 

direitos reservados  Júlio Pereira é secretário-geral do Serviço de Informações da RepúblicaJúlio Pereira é secretário-geral do Serviço de Informações da República
                     24 Agosto 2009 - 02h00  -  Correio da Manhã

Com direito a identidade falsa

Espiões alastram nos Serviços Públicos

Os serviços secretos estão a celebrar protocolos com os organismos públicos com vista à colocação de agentes do Serviço de Informações da República (SIS) e do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) com identidade codificada em instituições do Estado. A iniciativa está mesmo a ser acompanhada pelo Conselho de Fiscalização do SIRP (CFSIRP), como consta do parecer daquele órgão onde são apresentados os objectivos a que “dará especial atenção” em 2009.
 

 

publicado por luzdequeijas às 11:52
link do post | comentar | favorito
|

SONDAGENS ? MUNDO ESTRANHO....... !!!

                            24 Agosto 2009 - 09h00

Estado do Sítio

Empates técnicos

"A um mês da eleições Legislativas é perfeitamente legítimo começar a desconfiar do que aí vem em matéria de sondagens."
A um mês das eleições os partidos já têm as máquinas afinadas e preparadas para ir em força para a estrada na habitual e normal caça ao voto. A um mês das eleições ficaram para trás as polémicas sobre as listas de candidatos a deputados, velhas querelas de mercearia que normalmente animam as hostes antes da batalha final.

A um mês das eleições começam a conhecer-se os programas dos partidos, textos inúteis que só uma minoria tem a pachorra de ler, cheios de promessas e frases eloquentes sobre o sítio, que vão direitinhos para o lixo mal acabam os espectáculos de apresentação. A um mês das eleições já se disparam insultos a torto e a direito, com figuras e figurinhas a pôr-se em bicos de pés para justificar as suas candidaturas e agradar aos respectivos chefes. A um mês das eleições o senhor presidente do Conselho e líder do PS desmultiplica-se em lançamentos de primeiras pedras de hospitais, fontanários, túneis, estradas e auto-estradas. A um mês das eleições o senhor presidente do Conselho até perdeu o medo e foi à Madeira dizer que adorava os madeirenses numa festinha que os seus camaradas organizam com o engraçado nome de Festa da Liberdade. A um mês das eleições tudo isto acontece.

Mas a um mês das eleições é natural que surjam também muitas sondagens em todos os jornais, rádios e televisões. E como as eleições são daqui a um mês é bom que não se esqueça a vergonha das sondagens que antecederam as eleições europeias de 7 de Junho. A um mês das eleições importa lembrar que os indígenas deste sítio pobre, deprimido, manhoso, cheio de larápios, povoado de mentirosos e obviamente cada vez mais mal frequentado merecem algum respeitinho da parte das empresas responsáveis pelos estudos de opinião.

A um mês das eleições é importante repetir que as sondagens custam muito dinheiro às empresas de Comunicação Social que não podem andar por aí a vender gato por lebre aos seus clientes. A um mês das eleições não vale a pena começarem por aí a inventar isto e aquilo, indecisos para trás e para a frente, altos níveis de abstenção e outras coisas mais para justificarem erros crassos e resultados verdadeiramente enganadores. A um mês das eleições só faltava mesmo que as sondagens começassem a repetir empates técnicos a torto e a direito entre o PS e o PSD. A um mês das eleições Legislativas é perfeitamente legítimo começar, desde já, a desconfiar do que aí vem em matéria de sondagens.

António Ribeiro Ferreira, Grande Repórter
publicado por luzdequeijas às 11:43
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Agosto de 2009

REPENSAR A LEI AUTÁRQUICA

nacional

 

Candidaturas independentes vão mudar

<input ... >12 Outubro 2005<input ... >

 

As regras para apresentar candidaturas independentes às câmaras vão mudar. Depois da experiência destas eleições, PS e PSD estão dispostos a apertar o crivo e o assunto vai hoje ser levado a plenário pelo líder da bancada socialista, Alberto Martins. PS e PSD são categóricos quando afirmam que a existência de candidaturas independentes às câmaras "é um bem para a democracia" que é para continuar - existem desde 2001. Mas os maiores partidos admitem mudar a lei de forma a tornar mais exigentes os critérios de elegibilidade dos grupos de cidadãos.

Frescos na memória estão os casos de Isaltino Morais, Avelino Ferreira Torres e Valentim Loureiro, candidatos a contas com a justiça, mas sobretudo o de Fátima Felgueiras, que regressou depois de dois anos no Brasil, em fuga à justiça.

"Não se pode por em causa a lógica das candidaturas independentes porque apareceu um caso que não gostamos", afirma Marques Guedes (PSD). Também Alberto Martins defende a possibilidade de grupos de cidadãos se apresentarem "A democracia não são só partidos."

Mas, partindo desta base, existe disponibilidade para alterar a lei. "Não me furto a fazer uma reflexão a frio sobre o regime de elegibilidades", afirma o líder da bancada do PSD ao DN. Enquanto o socialista também aceita "ajustamentos". Mas segundo Martins, esta matéria só estará na mesa a partir "do fim do ciclo eleitoral", ou seja, de Janeiro. Aí, o PS vai avançar com as discussões das leis eleitorais (autarquias e AR) e da revitalização das comissões parlamentares de inquérito, disse Martins ao DN. "A nossa disponibilidade existe, mas a bola está do lado do PS", acrescentou Guedes. Nos últimos dias Jorge Coelho (coordenador autárquico do PS) e o ex-secretário-geral do PSD Miguel Relvas, apontaram a necessidade de alterar a lei. Ontem, Macário Correia (PSD, Tavira) disse-se "humilhado por ter de sentar-se à mesma mesa com pessoas envolvidas em processos judiciais". E também Ribeiro e Castro (CDS) defendeu mudanças na lei eleitoral autárquica.

Martim Silva

 

PS : Vários artigos podemos ver na internet sobre este tema, alguns pretensiosamente fundamentados, nenhum, porém, levanta a questão da razão de ser de uma candidatura a uma "Junta de Freguesia" independente e desligada de uma candidatura em simultâneo para a Câmara e AM, não beneficiar de qualquer apoio financeiro ofcial ! Porquê ? Se até é aquela que mais se justifica. As outras às (CâmarasIAM e Juntas em simultâneo) são aquelas que até hoje foram submetidas por Presidentes de Câmara em litigio copm o seu partido. São extremamente dispendiosas e, por isso, só possíveis a este nível (?) e nestas condições !!! Final de mandato !

Um candidato a uma Junta de Freguesia não dispõe de recursos para uma tal candidatura ( de 10 mil euros para cima ) e não é subsídiado !!!

publicado por luzdequeijas às 22:43
link do post | comentar | favorito
|

A LEI CARECE DE AJUSTAMENTOS

  

PS E PSD QUEREM MUDAR REGRAS DAS CANDIDATURAS INDEPENDENTES

  

 Autárquicas

por © 2009 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

 
Lei possibilita candidaturas independentes mas impõe regras apertadas
publicado 12:55 13 Março '09
 
 
Porto, 13 Mar (Lusa) - Uma candidatura independente a um órgão autárquico exige um conjunto de condições prévias mais complexo que as apresentadas pelos partidos, nomeadamente um número mínimo de assinaturas e uma especial capacidade financeira por parte da estrutura de apoio.
 
O cálculo de base para determinar o número mínimo de assinaturas, cujo valor absoluto varia de caso para caso, baseia-se numa equação onde o número total de eleitores é dividido pelo triplo dos eleitos locais.Em hipótese, num concelho com cem mil eleitores e 11 membros de um executivo municipal, seriam necessários 3.030 assinaturas (100.000 a dividir por 33), a entregar num prazo a definir após a publicação da data da realização das eleições autárquicas - o que só acontecerá no segundo semestre de 2009.O número de assinaturas necessária desce substancialmente quando falamos de uma candidatura à Assembleia Municipal, já que o número de eleitos é substancialmente maior - no mesmo universo de cem mil eleitores, e face a uma AM com 30 membros, são precisas 1.111 (100.000 a dividir por 90).Os partidos, que se encontram já registados, e que aquando da sua formação tiveram também de apresentar um número mínimo de assinaturas, já não são obrigados agora a esse procedimento, bastando apresentar os nomes dos candidatos.O financiamento de uma candidatura independente é rigorosamente igual ao de uma partidária, mas sem o "guarda-chuva" financeiro em que os partidos normalmente se transformam durante o período eleitoral.Os partidos optam normalmente por contrair um empréstimo global com a banca, entregando logo no arranque da pré-campanha uma determinada tranche a cada candidato.Um candidato independente terá de depender num primeiro momento de um empréstimo que faça a expensas próprias, esperando depois conseguir os apoios e patrocínios necessários para o pagar na totalidade.O Orçamento de Estado atribui uma verba geral para patrocinar candidaturas em cada acto eleitoral, tendo cada município direito a um determinado "bolo".Um quarto desse "bolo" é distribuído de forma igual por todas as candidaturas, sendo os restantes 75 por cento distribuídos de acordo com os resultados eleitorais - pagos apenas após a publicação desses resultados, ou seja, nunca antes de meados do ano seguinte.Uma candidatura independente tem direito a receber donativos como a de um partido, com as mesmas restrições: cada doação está limitada a um máximo legal e só pode ser feita por particulares devidamente identificados, nunca por empresas.Para o efeito, por norma uma candidatura independente é suportada por uma associação ou "movimento de cidadãos" com número fiscal próprio para "passar recibo" a cada donativo efectuado e com quotas pagas pelos respectivos associados - que em alguns casos podem corresponder a centenas ou mesmo milhares de cidadãos.
MSP.Lusa/Fim
publicado por luzdequeijas às 18:01
link do post | comentar | favorito
|

FADO

 

 

publicado por luzdequeijas às 16:00
link do post | comentar | favorito
|

QUEM PODE SER CANDIDATO

  

Só há uma forma de compatibilizar a 'política de verdade' com a inclusão de António Preto nas listas do PSD: é Manuela Ferreira Leite querer que se saiba toda a verdade sobre este assunto. Se não fosse isto, o processo, e as suas peripécias, trapalhadas e sarilhos, estaria agora relativamente esquecido.

Obviamente, até ter uma sentença com trânsito em julgado, António Preto - como todos os outros - é inocente. Mas pode ser candidato? Eis uma questão ética, ou se preferirem (os mais puristas), moral, mas que deve ser ponderada também politicamente.

O único líder que, até hoje, defendeu o afastamento e expurgou das listas todos os candidatos a contas com a Justiça foi Marques Mendes, quando foi presidente do PSD. Manuela Ferreira Leite não é pois uma excepção. É, infelizmente, a regra! O que dela se diz, pode ser dito de todos os líderes, incluindo esse árbitro da honestidade política que é Francisco Louçã.

Se formos ao básico, um candidato - seja a deputado ou à autarquia - pretende usar o poder e o dinheiro dos cidadãos para tomar decisões em nome dos eleitores. Na antiguidade, vestiam-se de toga branca para mostrar a sua candidez (o brilho da pureza, da imparcialidade, da insuspeita) - e daí o termo candidato. Espera-se que não seja um mero 'inocente até prova em contrário', mas um cidadão acima de qualquer suspeita. Infelizmente, quando olhamos para tantos - António Preto, com o seu braço ao peito, Isaltino com a sua condenação à espera de recurso, Fátima Felgueiras com a sua fuga para o Brasil e a sua condenação em recurso, Valentim Loureiro com os casos do futebol, Helena Lopes da Costa com as casas atribuídas por critérios duvidosos, Ana Cristina Ribeiro com os seus licenciamentos em litígio, Avelino Ferreira Torres e os seus inúmeros casos - verificamos que estão longe de cumprir esse requisito exigível a quem vai tratar da nossa vida, decidir sobre o dinheiro dos nossos impostos e pretender dar-nos o exemplo.

E falamos apenas daqueles que já têm processos em curso, calando por decência e imperativo ético aqueles sobre os quais cai a mera suspeita da rua. A suspeição banalizou-se e muitos dos arguidos, pronunciados e mesmo condenados serão eleitos - alguns em ombros.

Dá vontade de emigrar, sempre que se aborda este assunto. Mas ele ilustra o modo como os líderes políticos nos vêem e se vêem.

Depois, há os que se queixam, com razão, de que ser político é um inferno porque as suspeitas abundam e a recompensa é baixa. Mas há uma frase popular que ilustra bem a origem do problema: quem não se dá ao respeito, não é respeitado...

Henrique Monteiro

 

publicado por luzdequeijas às 12:53
link do post | comentar | favorito
|

FREEPORT

27 Junho 2009 - 00h30

Investigação ao licenciamento do outlet de Alcochete

Decisão de retirar José Sócrates afastada

A possibilidade de ser feito um despacho intercalar no inquérito do Freeport que afaste alguns factos e pessoas da investigação está fora de questão. O CM sabe que a investigação continua a trabalhar no sentido de clarificar a intervenção do primeiro-ministro José Sócrates e que não tenciona efectuar qualquer despacho intercalar, como aconteceu nos casos Portucale, que retirou o ex-ministro Luís Nobre Guedes da mira da investigação, e no da Cova da Beira.
Neste último, foram arquivados liminarmente os indícios que sugeriam o recebimento de ‘luvas’ por parte de José Sócrates, à época secretário de Estado do Ambiente, para viabilizar um negócio de reciclagem de lixos na zona da Cova da Beira.

Este tipo de intervenção, bastante polémico no sector judicial, tem gerado algumas especulações em relação ao Freeport. Esta semana, porém, o CM apurou que tal cenário está completamente afastado do espírito dos procuradores que conduzem a investigação, Vítor Magalhães e Paes Faria.

O caso estará a aproximar-se de uma fase decisiva, com a delimitação final do seu âmbito quanto aos factos ilícitos relacionados com o licenciamento do centro comercial Freeport, arguidos e níveis de responsabilidade. Por isso, algumas das pessoas que foram ouvidas como testemunhas passaram a arguidos e a lista já vai em seis pessoas. Podem, também, surgir novos processos para investigar autonomamente muitos dos factos chegados ao conhecimento da investigação.

ARQUIVAR CASO SÓ COM ORDENS POR ESCRITO

Os investigadores do caso Freeport só aceitarão arquivar o processo com ordens escritas da hierarquia. Tal como o CM já noticiou, sendo os investigadores do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), as ordens terão de ser da procuradora Cândida Almeida ou do próprio procurador-geral da República, Pinto Monteiro.

A investigação ao licenciamento do outlet de Alcochete tem sido alvo de várias pressões, e o Ministério Público abriu mesmo um processo disciplinar ao procurador Lopes da Mota, suspeito de tentar interferir na investigação com o objectivo de arquivar o caso na parte respeitante a José Sócrates. Recorde-se que estão em investigação crimes de corrupção, tráfico de influências, branqueamento de capitais e participação em negócio.

JOSÉ DIAS INOCÊNCIO É ARGUIDO

O antigo presidente da Câmara de Alcochete e ainda vereador foi constituído arguido no processo Freeport. José Dias Inocêncio tinha sido ouvido como testemunha e agora passou a arguido.

Este autarca era presidente do município à data dos factos investigados no caso Freeport. Foi ele quem juntou à mesma mesa José Sócrates, quando era já ministro do Ambiente, os promotores do empreendimento e os intermediários Manuel Pedro e Charles Smith. Com a constituição de Inocêncio como arguido, por suspeitas de corrupção passiva, são já seis as pessoas a quem foi dado este estatuto processual. Manuel Pedro e Charles Smith foram os primeiros a ser arguidos, seguidos do arquitecto Capinha Lopes, o assessor da Câmara de Alcochete, José Manuel Marques, e o então presidente do Instituto de Conservação da Natureza, Carlos Guerra. Rui Nobre Gonçalves, secretário de Estado de Sócrates, é testemunha.

publicado por luzdequeijas às 12:36
link do post | comentar | favorito
|

O ATAQUE AOS MENOS POBRES !!!!!!

 

 

 

 

 

José Sena Goulão/Lusa  O Boletim Estatístico da instituição liderada por Vítor Constâncio regista um aumento das saídas de dinheiro de Portugal para offshoresO Boletim Estatístico da instituição liderada por Vítor Constâncio regista um aumento das saídas de dinheiro de Portugal para offshores
                                                                      23 Agosto 2009 - 00h30

Offshores recebem 6,1 mil milhões

Portugueses metem milhões lá fora

Os portugueses aplicaram, no primeiro semestre deste ano, em produtos financeiros sediados em offshores 6,1 mil milhões de euros, valor que representa um aumento de 13,4 por cento face a igual período de 2008. Com a pior fase da crise financeira internacional já ultrapassada, o dinheiro aplicado em paraísos fiscais, entre Janeiro e Junho de 2009, já corresponde a 70 por cento do montante total de dinheiro colocado em paraísos fiscais no ano passado.

Saiba mais pormenores na edição de hoje do jornal 'Correio da Manhã'.

 

publicado por luzdequeijas às 12:26
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Agosto de 2009

O RIVAL DO MAGALHÃES

 A marca que mais anda na boca dos portugueses

 FONTE : O INSURGENTE

 

 Arquivado em: Diversos — Rodrigo Adão da Fonseca @ 16:27
 

Há quem diga que o PS e o Governo puseram o Magalhães na boca dos portugueses. Andei a investigar e conclui que a marca que os socialistas mais difundiram entre os nossos conterrâneos é também ela um clone, não da Intel, mas da Apple. O iphodase é, sem dúvida, a grande inovação em Portugal, motivo de orgulho, certamente, da nossa governação, que tanto tem investido em tecnologia.

 

 

publicado por luzdequeijas às 23:40
link do post | comentar | favorito
|

MILHÕES EM PROMOÇÕES

 

"Quando se gasta milhões em programas de promoção, como o Allgarve, convinha que não se deixasse morrer a galinha dos ovos de ouro por inanição"

Eduardo Dâmaso, "Correio da Manhã", 22-08-2008

publicado por luzdequeijas às 23:28
link do post | comentar | favorito
|

A NOSSA CRISE FICA

A CORAGEM NECESSÁRIA

Todos os dados estatísticos, nomeadamente os últimos relativos ao desemprego, demonstram que Portugal se confronta hoje com uma das crises mais graves desde que se tornou um país democrático.

Esta crise é diferente das outras - mais complexa, mais ampla e mais profunda. É, antes de mais uma crise estrutural, interna, mais complexa porque nos atinge num momento em que os benefícios da integração europeia já não bastam. É mais ampla porque agravada pela conjuntura internacional grave. E é mais profunda porque é também uma crise social, uma crise de credibilidade da política e de confiança na justiça.

É uma crise que encontra o país sem serenidade e com grande crispação em muitos grupos sociais.

O país precisa, além de alterar o rumo da política económica, de se apaziguar e de voltar a acreditar que só a força mobilizadora de todos, o pode tirar do declínio em que se encontra.

Mas só com a plena consciência da situação actual é que será possível enfrentar este combate com sucesso.

Por isso, a situação não se resolve apenas com debate político, mas com a avaliação consciente e responsável da situação, a única forma que permite um compromisso com as soluções de que o nosso país precisa.

Expresso   22-08-2009  

publicado por luzdequeijas às 19:53
link do post | comentar | favorito
|

COMPETITIVIDADE

 

1) Estamos no meio da maior crise económica internacional, que se cruzou, entre nós, com uma prolongada crise estrutural da economia portuguesa;

2) Parte da nossa crise deve-se à sucessiva perda de competitividade da economia, o que significa que a sua “taxa de câmbio real” (i.e. o preço relativo  da sua produção nos mercados internacionais) está sobrevalorizada;

3) Os indicadores que habitualmente comprovam a perda de competitividade e a sobrevalorização da “taxa de câmbio” são os custos unitários de trabalho (custos salariais deduzidos da produtividade) que crescem acima dos concorrentes, e o aumento mais rápido do preço dos bens não transaccionáveis, face ao preço dos bens transaccionáveis (ou, se quiserem, a maior rentabilidade do sector não transaccionável, face ao sector transaccionável). Ambos os indicadores aplicados a Portugal comprovam indubitavelmente as conclusões de 2;

4) Como resultado combinado da falta de competitivdade com a redução da procura mundial originada pela crise, muitas empresas do sector transaccionável (nomeadamente multinacionais) têm vindo a fechar, com o consequente desemprego dos seus trabalhadores, e as que ainda não fecharam estão em grandes dificuldades. 

5) No entanto, em cima disto verifica-se:

   a) as empresas do sector não transaccionável continuam a apresentar lucros historicamente muito elevados;

   b) os trabalhadores do sector estatal, incluindo das empresas que vivem cronicamente em défice, foram aumentados muito acima da inflação prevista e num ano onde é previsível que a produtividade, pelo menos, estagne;

   c) serviços do sector não transaccionável anunciaram aumentos de preços acima da inflação prevista.

 

É impressão minha, ou há qualquer coisa estranha nesta sequência?

NÃO PERCEBO

Publicado por VB a 20:06 em Artigos Gerais, Economia

publicado por luzdequeijas às 19:13
link do post | comentar | favorito
|

ÁGUA DO MAR

O futuro de Portugal, passará por muitas iniciativas criadoras de riqueza, pela sua originalidade e competitividade. Ninguém poderá ignorar que um país como o nosso, com uma enorme extensão marítima à sua responsabilidade, que o seu futuro pode estar desligado do MAR. Esta é a nossa vocação de sempre. 

Certamente que se outro país se adiantar, só nos resta apoiar, mas, sempre no intuito de tornar este caminho, uma aposta da qual não podemos fugir. Pelo mar que temos e pela previsível escassez de água potável a curto ou médio prazo.

A proposta da multinacional alemã,  líder na energia eólica, implicou um investimento inicial de cinco milhões de euros.

É um projecto pioneiro em Portugal continental: a multinacional alemã Enercon, instalada em Viana do Castelo, já apresentou à câmara local uma proposta para captar, tratar e introduzir na rede pública de abastecimento água do mar, tratada pela própria empresa, que lidera o cluster eólico instalado na capital do Minho.

Inicialmente avaliado em cinco milhões de euros, o projecto desta central dessalinizadora previa apenas satisfazer as necessidades de água do complexo da Enercon instalado no Parque Empresarial da Praia Norte, em Viana do Castelo, mas acabou por evoluir no conceito. “É um projecto-piloto e pioneiro em Portugal. Estamos a falar de um bem que vai ser muito importante nos próximos anos. Neste processo, tal como a energia eólica se injecta na rede nacional, com a água pretendemos fazer o mesmo”, explicou Francisco Laranjeira, administrador do grupo Enercon em Portugal.

É também um projecto extracontrato, no âmbito do consórcio Eólicas de Portugal, que prevê a instalação de uma potência eólica superior a 1000 MW. “Já iniciámos testes à bombagem de água salgada. Vamos captar água do mar e tratá-la, para ser utilizada no processo produtivo. Numa segunda fase, iremos injectá-la na rede”, acrescentou o responsável.

Para além disso, a Enercon vai avançar ainda com a instalação de dois aerogeradores no complexo da praia Norte, para assegurar as necessidades eléctricas próprias e “vender” sempre que possível. “Já apresentamos o projecto para estes dois aerogeradores de 2MW, totalmente produzidos em Viana. Esperamos a breve prazo ter uma resposta favorável”, sustentou Francisco Laranjeira.

A multinacional alemã tem a funcionar, desde 2007, uma fábrica de pás de rotor para a energia eólica E lançou já a construção, em Lanheses, de uma nova unidade.

publicado por luzdequeijas às 18:53
link do post | comentar | favorito
|

LISBOA EM RUÍNAS

Alexandre Homem Cristo

10:00 Sábado, 22 de Ago de 2009

Já escrevi aqui e aqui    sobre o problemático estado da habitação em Lisboa, sobretudo acerca da necessidade de reformar a 'lei das rendas'. Não regressarei à explicitação do tema, pois desenvolvi-o antes, e sobretudo porque não é uma questão que surpreenda alguém pela novidade. Contudo, o problema ganha contornos ainda mais evidentes se tivermos em conta alguns dos números e dos factos envolvidos:

- 60.000 fogos vazios na capital, de acordo com um estudo da Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL), que dariam habitação a pelo menos 80.000 pessoas;

- 2.000 prédios em Lisboa à espera de licenciamento da CML;

- só a Avenida da Liberdade, artéria principal da cidade, tem mais de 60.000 metros quadrados devolutos;

- os senhorios não estão protegidos: as acções de tribunal para casos de despejo são excessivamente longas.

Conclusão: não é hoje possível reabilitar as habitações, os senhorios não têm dinheiro para pagar as obras e os inquilinos mantêm-se sem condições para viver nos apartamentos que arrendam. Compete a quem assumir a CML enfrentar este problema que tem vindo a matar a cidade e a manter os jovens longe do centro histórico. Há quem não o entenda , mas é fundamental que na CML exista uma consciencialização que culmine em pressão política junto dos partidos. É cada vez mais importante reformar a lei fracassada do mandato de José Sócrates, que em 2006 lançou uma nova 'lei das rendas' que nada veio alterar.

Como o sugere Monteiro de Barros (antigo Presidente da Associação Lisbonense dos Proprietários), a solução passaria forçosamente por dar garantias ao proprietário que o seu capital tem um rendimento compatível com o rendimento em qualquer outra aplicação, i.e. garantir que os senhorios não só não perdem dinheiro como ganham como se investissem o seu capital numa outra aplicação. Os problemas sociais, que existem e que são graves, devem ser respondidos pelo Estado, e não pelos proprietários, cujo papel não é social.

É uma reforma difícil mas necessária, que devemos ter coragem política de realizar.

 

publicado por luzdequeijas às 15:27
link do post | comentar | favorito
|

UM PAR DE CHIFRES

EXPRESSO   22-08-2009

O ex-ministro foi o convidado de honra de um jantar em sua homenagem, promovido por empresários

 

Em férias "não li jornais, não vi televisão, portanto descansei muito", disse o ex-ministro da Economia, que garante não ter saudades da política que se faz em Portugal.  

10:15 Terça-feira, 28 de Jul de 2009
[1062 visitas]
É incerto o futuro das Pirites Alentejanas e em Aljustrel o gesto polémico de Manuel Pinho reacendeu uma guerra que parecia esquecida

 

Ex-ministro esteve no campo do Aljustrelense a anunciar um donativo de €5000 da EDP. E ainda criticou o árbitro do jogo. (Oiça o áudio do ex-ministro no final do texto).

Palavras-chave  Manuel Pinho  Aljustrel  donativo  EDP  jogo futebol
13:55 Quinta-feira, 16 de Jul de 2009
[133 visitas]
Áudio: Pinho e o Aljustrelense

 

Ainda enquanto ministro da Economia, Manuel Pinho foi a Aljustrel. Numa entrevista à rádio local TLA, anunciou um patrocínio de €5000 para o clube e criticou a arbitragem no jogo do Aljustrelense. Oiça as declarações do então ministro e do treinador que aproveitou o momento. Leia na página 10 da edição em banca do Expresso o texto "Pinho foi mesmo a aljustrel anunciar patrocínio".

10:30 Sábado, 11 de Jul de 2009
[1542 visitas]
Manuel Pinho: Ascensão e queda de um ministro pueril

 

Até à meia-noite de quinta-feira passada tinha recebido 250 SMS. À saída da SIC , onde fora explicar-se, parecia um homem feliz.

Palavras-chave  Manuel Pinho  ministro  demissão  gafes
20:10 Quarta-feira, 8 de Jul de 2009
[3128 visitas]
O suicídio visual de Manuel Pinho, que por pouco menos de três meses não cumpriu a legislatura

 

O ex-ministro enfureceu-se quando Bernardino Soares lhe lembrou a história do donativo da EDP que Pinho levou ao clube Aljustrelense.

19:59 Quarta-feira, 8 de Jul de 2009
[1447 visitas]
publicado por luzdequeijas às 11:07
link do post | comentar | favorito
|

A CULPA MORRE SOLTEIRA ?

Como é que o Sócrates também é culpado desta?
lord byron (seguir utilizador), 2 pontos (Interessante), hoje às 8:04
Deixa lá ver como é que o Sócrates também é culpado desta…
”Os sinais de perigo não impediam os banhistas de
usar a sombra da rocha, tendo mesmo
arrancado uma fita de interdição. Uma
especialista de risco afirma que a praia
“devia ter sido fechada”.”

Se não respeitaram a fita de interdição, porque é que iam respeitar o fecho da praia quando o mesmo é desrespeitado por todo o país?
Existem sempre estes “especialistas” (este ao que parece em queda de calhaus) para dizer aquilo que toda a gente sabe e ninguém cumpre!
A Arrábida está toda assim a estrada esteve fechada e ninguém ligava (eu incluído), e quando acontecem estas coisas queremos assacar responsabilidades a alguém quando esse alguém somos nós que nos fomos encostar a uma falésia que quem conhece sabe perfeitamente que já podia ter acontecido há muito mais tempo!

Para que não digam que não sabiam: o Meco têm zonas onde o mesmo pode acontecer, como tal acham que adianta interditar a praia
 

 

 

EXPRESSO    22-08-2009

publicado por luzdequeijas às 10:59
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

O NÍVEL DOS ENTREVISTADORES

 

A entrevista de Ferreira Leite

Arquivado em: Comentário, Media, Política, Portugal — Bruno Alves @ 23:00 INSURGENTE
 

(também publicado aqui)

Vi ontem a entrevista de Ferreira Leite a Judite de Sousa, e muito rapidamente me arrependi. Não por causa de Ferreira Leite, que disse o que eu esperava (e queria) que ela dissesse, mas por causa de Judite de Sousa, uma péssima entrevistadora que, vá-se lá saber como, chegou onde chegou. Sempre que vejo uma entrevista conduzida pela jornalista da RTP, perco a cabeça, irrito-me, grito insultos em direcção à televisão. Judite de Sousa até já conseguiu pôr-me a simpatizar com Sócrates, de tal maneira as suas entrevistas me põem fora de mim.

Ontem, por exemplo, disse em tom indiginado que o programa do PSD “não pode ser só uma folha A4″. Manuela Ferreira leite disse que não seria, mas e se fosse? mais vale uma folha A4 de compromissos que as pessoas compreendam e sejam para cumprir, do que 200 páginas de propaganda que ninguém lê e não são para levar a sério. Um pouco mais à frente, mostrou a sua surpresa por Ferreira Leite dizer que o programa a ser apresentado daqui a uns dias não seria diferente do que ela tem vindo a dizer. Judite de Sousa logo se mostrou surpresa por o programa não ter “uma novidade”. Não lhe ocorre, claro, que os programas não servem (ou não devem servir) para ter “novidades”, mas para submeter aos eleitores a visão que um determinado partido ou candidato tem do país: se um programa tem muitas “novidades”, o candidato ou está a mentir ou nem tem visão nenhuma (ou, no caso de Sócrates, ambas as coisas).

Só mesmo a obsessão dos jornalistas portugueses com as “novidades”, as “caras novas”, as “ideias novas” (há uns dias, no DN, até a parvoíce da bandeira do 31 da Armada passava por uma demonstração de que “há uma direita com ideias”), que passam por “boas” independentemente da qualidade só porque são “novas” (às vezes nem isso, como se vê pelo caso de Passos Coelho, que não só é uma nulidade, como já o é há muitos anos), explica o choque com que Judite de Sousa olhou para a ausência de “novidades” no programa do PSD.

Já mais perto do final da entrevista, Judite de Sousa perguntou a Ferreira Leite qual era o compromisso da líder do PSD em relação ao crescimento económico. Aqui, só mesmo a ignorância explica a pergunta de Judite de Sousa, que não compreende (e Ferreira Leite, coitada, bem tentou explicar-lhe) que nennhum político se pode comprometer com o que quer seja em relação ao crescimento económico, porque o Governo não é o responsável pelo crescimento económico, que depende de muitos factores que nenhum Governo pode controlar. Pedir a Manuela Ferreira Leite que se comprometa com um qualquer valor para o crescimento económico seria o mesmo que pedir-lhe que diga se promete a qualificação da selecção nacional de futebol para o Mundial de 2010: em ambos os casos, ela nada tem a ver com isso. Aliás, com tantos assuntos acerca dos quais Judite de Sousa queria saber a opinião de Ferreira Leite, não me espantaria nada que a dada altura lhe tivesse perguntado o que é que ela pensava acerca do trabalho de Jorge Jesus no Benfica, dos méritos ou deméritos do losango de Paulo Bento, ou se é ou não “fácil expulsar o Hulk”. São questões tão apropriadas para alguém que pretende exercer o cargo de Primeiro-Ministro como algumas das que Judite de Sousa lhe colocou.

Agosto 21, 2009

publicado por luzdequeijas às 23:26
link do post | comentar | favorito
|

APAGAR; APAGAR .....

 

No meio de tanto
apagão, que não se
apague o decoro
democrático, mas
provavelmente já
estamos numa fase
em que é pedir muito.
Ele há apagões
selectivos, ai isso há.
Muito selectivos e
convenientes. Apagam
inconveniências e
insuficiências.
 

.........

       Frases: Galileo Galilei
 
Todas as verdades são fáceis
de perceber uma vez descobertas  
publicado por luzdequeijas às 19:36
link do post | comentar | favorito
|

OEIRAS MERECE MUITÍSSIMO MELHOR

 

Sábado, 30 de Maio de 2009

Helena Lopes da Costa avança para Oeiras!

 
"O melhor do partido"

"Estou pronta para avançar, tenho o melhor do partido comigo", garante Helena Lopes da Costa. Segundo apurámos, entre os sociais-democratas que poderão apoiá-la incluem-se o deputado Henrique de Freitas - e Vítor Reis, ex-vereador em Lisboa. Marco Almeida, vice-presidente da Câmara de Sintra e Carlos Reis, Ex-presidente da secção da Amadora, é outro dos seus eventuais apoiantes. declarações quando se candidatava a presidente da distrital.

lopes da Costa é sem duvida um nome de peso para enfrentar o PS em Oeiras!

Disposta a acabar com guerras internas e a unir o partido, inclusive esquecer o passado e aqueles que tentaram com as ultimas noticias onde é acusada de dar casas de forma menos clara e ilegal.

efeitoplacebo: Sinceramente acho que Helena Lopes da Costa até poderia vencer Oeiras, visto que sendo Santanista e trabalhando com os mesmos métodos e as mesmas equipes, tudo fariam para vencer.
Mas meus senhores acho que todos os membros do PSD que estão envolvidos em casos menos claros ou são arguidos em processos crimes "como é o caso de Helena Lopes da Costa" não deveriam ser candidatos a nenhum cargo publico, mas se Manuela Ferreira Leite apoia...só posso dizer que afinal está tudo na mesma!
publicado por luzdequeijas às 19:27
link do post | comentar | favorito
|

VIDAS PARTIDÁRIAS

A líder da Secção social-democrata de Algés, Helena Lopes da Costa, pediu ao partido, esta segunda-feira, a anulação das listas sociais-democratas à Assembleia Municipal e a três freguesias de Oeiras. O pedido fez-se depois das listas não terem sido votadas na Comissão Distrital do partido, liderada por Carlos Carreiras.

 

 

 

Numa reacção às declarações de Helena Lopes da Costa, o presidente da Secção de Oeiras do PSD, Alexandre Luz, considerou que «a sua atitude não beneficia apenas o Dr. Isaltino Morais mas essencialmente o Partido Socialista». 

 

 A Secção de Oeiras do PSD acusou esta quarta-feira a líder da Secção de Algés daquela estrutura local do partido de querer «beneficiar» Isaltino Morais e o PS, nas autárquicas, ao pedir a anulação de algumas das listas apresentadas, avança a agência Lusa. 

 

Já Helena Lopes da Costa explicou esta terça-feira que as listas foram aprovadas «sem votação» na Comissão Distrital de Lisboa do PSD, porque o presidente daquela estrutura, Carlos Carreiras, teve «vontade de beneficiar a candidatura de Isaltino Morais [candidato independente e actual líder da autarquia]».

Helena Lopes da Costa «está mais preocupada com a sua candidatura à Distrital do PSD do que com a Candidatura do PSD e da Dra. Isabel Meirelles à Câmara Municipal de Oeiras», acusou, por sua vez, Alexandre Luz.

«Helena Lopes da Costa quer concorrer novamente à Distrital de Lisboa» e, por essa razão, «quer fragilizar Carlos Carreiras», acrescenta.

O líder da secção de Oeiras acrescentou ainda não perceber «como é que se criticam candidaturas sociais-democratas que trabalharam com Isaltino Morais [Helena Lopes da Costa criticou a escolha do número dois da lista do PSD, Pedro Paulo, por ter sido assessor do actual presidente da autarquia], quando o próprio marido entrou nas listas do IOMAF [movimento independente de Isaltino] em 2005».

O pedido de anulação das listas à Assembleia Municipal e a três Juntas de Freguesia foi para o Conselho de Jurisdição Nacional do PSD e o caso encontra-se nas mãos do secretário-geral do partido, Marques Guedes.

publicado por luzdequeijas às 19:07
link do post | comentar | favorito
|

OPINIÕES

As lições de Isaltino

Todas as revelações vindas a lume durante o julgamento de Isaltino Morais convergiam, há muito tempo, para uma conclusão lógica. O autarca de Oeiras era o arguido ideal para aliviar um pouco a pressão dos cidadãos sobre a Justiça e para contrariar a ideia feita - e comprovada... - de que não há condenações por crimes de colarinho branco, em Portugal. Isaltino desbobinou, de forma cândida, em tribunal, várias confissões e pormenores sórdidos sobre a sua actuação como autarca. Como o acórdão viria a enfatizar, revelando uma "total ausência de consciência crítica como cidadão e como detentor de cargo político". Ou seja, Isaltino fez o que fez, e ainda se gaba. Este era, portanto, o cordeiro ideal para imolar. Ele próprio desconfiou disso, tarde de mais, à saída do tribunal, insurgindo-se contra o facto de poder estar a servir de "bode expiatório" para a sanha que por aí vai contra os políticos. Graças a ele, a Justiça "funcionou". E o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, nem sequer se deu ao trabalho de disfarçar: "Como se vai comprovando, a Justiça funciona e o sentimento de impunidade que existia em certos sectores está a acabar", opinou, ainda com o "cadáver" quente.
Isaltino tem outra fragilidade decisiva: a sua condenação não compromete nenhum partido. Tornou-se, mesmo, uma ameaça para o PSD e para o PS, porque um independente com carisma é sempre um concorrente temível. Desde que foi "despedido" por Marques Mendes - e, em vez de acatar a decisão, desafiou o partido com uma candidatura marginal - que está, por assim dizer, por conta própria. Contrariar a partidocracia paga-se caro.

O "comício" de Isaltino, à saída do tribunal, protestando contra a sentença, teve laivos de crime de desobediência. Noutro país, um juiz tê-lo-ia mandado prender imediatamente, para responder de novo, desta vez por desrespeito ao tribunal. E a sua tese de que a política não tem a ver com o caso judicial, e por isso se mantém na corrida para Oeiras, esperando o "julgamento" dos oeirenses, é uma ária desafinada de um político de opereta, numa república de bananas. Só se enterrou mais, reforçando, na opinião pública, a sensação de que a sentença só não foi mais justa porque foi benévola...
Esta condenação, que devia ser uma boa notícia para o PSD, favorece mais José Sócrates do que Manuela Ferreira Leite. Ela acontece na própria semana em que a líder do PSD, contrariando o discurso de transparência, insistia em incluir nas listas para deputados dois famosos arguidos. António Preto está indiciado por fraude fiscal e falsificação. E Helena Lopes da Costa por abuso de poder, no processo da entrega de casas, pelo município lisboeta. Esta atitude contrasta, pela negativa, com a posição coerente de Marques Mendes que, antes mesmo deste desfecho, dizia que as candidaturas políticas de arguidos eram "uma vergonha".

Ferreira Leite recusa rever a lei das candidaturas, alegando que é um assunto demasiado sério para ser discutido em véspera de eleições. Por esta ordem de ideias, os portugueses devem ignorar tudo o que for dito, por "não ser sério", na pré-campanha e na campanha eleitoral. Especialmente, o que for dito por ela.

 

 

 

 

 

 

 
 Visão - ‎6 de Ago de 2009‎
 

 

publicado por luzdequeijas às 18:49
link do post | comentar | favorito
|

TRABALHO VOLUNTÁRIO PRECISA-SE

Opinião

 

 

Os comediantes

 

Os comediantes

Ao pedir a um cunhado médico que lhe engessasse o braço antes de uma prova judicial de caligrafia que o poderia incriminar, António Preto mostrou ter um nervo raro. Com este impressionante número, Preto definiu-se como homem e como político. Ao tentar impô-lo ao país como parlamentar da República, Manuela Ferreira Leite define-se como política e como cidadã. Mesmo numa época de grande ridículo e roubalheira, Preto distinguiu-se pelo arrojo e criatividade. Só pode ter sido por isso que Manuela Ferreira Leite não resistiu a incluir um derradeiro arguido na sua lista de favoritos para abrilhantar um elenco parlamentar que, agora sim, promete momentos de arrebatadora jovialidade em São Bento.

À tribunícia narrativa de costumes de Pacheco Pereira e à estonteante fleuma de João de Deus Pinheiro, vai juntar-se António Preto com o seu engenho e arte capazes de frustrar o mais justiceiro dos investigadores. Se alguma vez chegar a ser intimado a sentar-se no banco dos réus, já o estou a ver a ir ter com o seu habitual fornecedor de imobilizadores clínicos para o convencer a fazer-lhe um paralisador sacro-escrotal que o impeça de se sentar onde quer que seja, tribunal ou bancada parlamentar.

Se o convocarem para prestar declarações, logo aparecerá com um imobilizador maxilo-masséter-digástrico que o remeterá ao mais profundo mutismo, contemplando impávido com os olhos divertidos de profundo humorista os esforços inglórios do poder judicial para o apanhar, enquanto sorve, por uma palhinha apertada nos lábios, batidos nutritivos com a segurança dos imunes impunes.

Em dramatismo, o braço engessado de Preto destrona os cornos de Pinho. Com esta escolha, Manuela Ferreira Leite veio lembrar-nos que também há no PSD comediantes de grande calibre capazes de tornar a monotonia legislativa no arraial caleidoscópico de animação que está a fazer do Canal Parlamento um conteúdo prime em qualquer pacote de Cabo.

Que são os invulgares familiares de José Sócrates, o seu estranho tio ou o seu temível primo que aprende golpes de mão fatais na China, quando comparados com um transformista que ilude com tanta facilidade a perícia judiciária? António Preto é mesmo melhor que Vale e Azevedo em recursos dilatórios e excede todos os outros arguidos da nossa praça com as suas qualidades naturais para o burlesco melodramático.

Entre arguidos, António Preto é um primo inter pares. Ao fazer tão arrojada escolha para o elenco político que propõe ao país como solução para a nossa crise de valores, Manuela Ferreira Leite só pode querer corrigir a percepção que o eleitorado possa ter de que ela é uma cinzentona sem espírito de humor e que o seu grupo parlamentar vai ser o nacional bocejo.

A líder social-democrata respondeu às marcantes investidas de Pinho com as inimitáveis braçadas de Preto. Arguidos na vida política há muitos, mas como António Preto há só um. Quem o tem, tão fresco e irreverente como na primeira investigação judicial, é Manuela Ferreira Leite e o seu PSD. Karl Marx, na introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel, escreve que "a fase final na história de um sistema político é a comédia". Com estas listas do PSD e com a inspiração guionística de António Preto, Ferreira Leite está a escrever o último acto.

publicado por luzdequeijas às 15:36
link do post | comentar | favorito
|

MENTES MAQUIAVÉLICAS

E SE NOS DEIXÁSSEMOS DE TRETAS...
publicado por José Pacheco Pereira em 15 Ago 2009, às 11:35

…e se percebêssemos este simples, claro, meridiano facto de que ter mais quatro anos de governo PS - Sócrates é um desastre nacional, um desastre nacional que pode deixar o país estragado para muitos e muitos anos. E se percebêssemos este simples, claro, meridiano facto de que, nem que seja apenas para inverter algumas políticas perversas, que os socialistas irão continuar porque não sabem fazer doutra maneira até o país falir, sem imaginação, nem fôlego, nem dinheiro, já prestamos um grande serviço a Portugal.

Não há razões máximas, gloriosas, teoricamente atractivas, "ismos" perfeitos, não há equipas a reluzir de novo, saídas não se sabe bem donde, não há governos-maravilhas, mas apenas governos-possíveis, não há regenerações de varinha mágica? Talvez. Mas também não há milagres a aparecer pelas esquinas. Não estão cá os nossos amigos, não está cá a nossa tribo, estão cá alguns inimigos figadais? Paciência. Está quem está. E está o país, Portugal, que precisa bem mais da nossa vontade do que das nossas distracções.

Há erros, mesmo erros graves? Certamente que há. Tem que se engolir alguns sapos, para usar a terminologia culinário-diabólica que por aí anda? E depois? Também tive que engolir os meus, mas não me esqueço deste simples, meridiano, claro facto: de que o país está numa situação muito difícil e a mera inversão de algumas políticas que sabemos hipotecarem o futuro, já é um excelente resultado.

Não vos agrada a pessoa A e B, tirariam a pessoa A e B, entendem que A e B são prejudiciais ao partido e que foi um erro de Manuela Ferreira Leite tê-los lá colocado? Acham que eu também concordo, que também gosto, que eu não acho mal? Mas não me esqueço deste simples, claro, meridiano facto de que um novo governo Sócrates significaria um incremento da instabilidade social e um arrastar do país para um cada vez maior endividamento, até o dia em que se vão embora, sem sequer fechar a luz porque são desperdiçados, e deixam uma factura que só com muitos sacrifícios se pode cobrar. Ainda se vai a tempo de travar, depois será muito tarde e com um elevado preço a pagar pelos mais pobres e os que mais precisam. Que são também os que mais precisam de um Bom Governo, mesmo que não seja o Perfeito. Não gostam de Manuela Ferreira Leite? E depois, gostam mais de Sócrates?

Não há razões autárquicas que se sobreponham às nacionais que estão em jogo nas legislativas, não há razões intra-partidárias, questões, questiúnculas, amizades, inimizades, que possam servir de pretexto a que não se tenha em conta a frase de Sá Carneiro que fica bem nas paredes das sedes, mas que se esquece na primeira volta: é o país que está primeiro, e o partido só depois e subordinado ao primeiro. Estamos numa altura em que as mais mínimas das razões são também máximas, se nos desviarem a atenção do que é central em Setembro: mudar o governo, retirar o PS e José Sócrates do poder. No fundo é simples, claro, meridiano, até também é simplex.


(url)

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 15:12
link do post | comentar | favorito
|

MAGOARAM MUITA GENTE

SOL  21-08-2009

 

Pacheco Pereira quebrou o silêncio sobre a controvérsia em torno das listas do PSD para as legislativas e em dois textos publicados no blogue Jamais admitiu que António Preto é “uma ferida em aberto” nas listas sociais-democratas.

Num “post” publicado a 17 de Agosto e titulado “Só faltava que fosse proibido falar das ‘suspeitas’ sobre o Governo”, o cabeça de lista pelo círculo de Santarém classifica o “caso” de António Preto, acusado de fraude fiscal e falsificação de documento, incluído nas listas às legislativas por escolha de Manuela Ferreira Leite, como “uma ferida em aberto nas listas do PSD”.

Dois dias antes, num outro texto (“E se nos deixássemos de tretas...”), o historiador escreveu sobre a polémica originada pelas inclusões de António Preto e Helena Lopes da Costa (arguida num processo judicial) nas listas, embora nunca os nomeie explicitamente. “Há erros, mesmo erros graves? Certamente que há. Tem que se engolir alguns sapos, para usar a terminologia culinário-diabólica que por aí anda? E depois? Também tive que engolir os meus (...)”. Contudo, logo a seguir, o candidato social-democrata justifica esta atitude com a necessidade de “inverter” as políticas que ameaçam o “futuro”, levadas a cabo por um Governo liderado por um primeiro-ministro que é “um desastre nacional” – “um desastre nacional que pode deixar o país estragado para muitos e muitos anos.”

Embora sem identificar Preto e Lopes da Costa, Pacheco Pereira prossegue: “Não vos agrada a pessoa A e B, tirariam a pessoa A e B, entendem que A e B são prejudiciais ao partido e que foi um erro de Manuela Ferreira Leite tê-los lá colocado? Acham que eu também concordo, que também gosto, que eu não acho mal?”.

Porém, a polémica criada pelas escolhas de Preto e Lopes da Costa para a lista por Lisboa (oitavo e décimo lugares, respectivamente) são menores perante “o facto de que um novo governo Sócrates significaria um incremento da instabilidade social e um arrastar do país para um cada vez maior endividamento”.

Notando que o país precisa de um “Bom Governo, mesmo que não seja o Perfeito”, Pacheco Pereira escreve que “não há milagres a aparecer pelas esquinas”. “Não estão cá os nossos amigos, não está cá a nossa tribo, estão cá alguns inimigos fidagais? Paciência. Está quem está. E está o país, Portugal, que precisa bem mais da nossa vontade do que das nossas distracções.”

A 14 de Agosto, Paulo Marcelo, membro da Comissão Política Nacional do PSD e também um dos autores do Jamais, manifestou publicamente a sua discordância sobre a integração de António Preto nas listas de candidatos a deputados, explicando que votou contra a escolha de Ferreira Leite. Apontando que Preto “não tem condições” para integrar as listas às legislativas, o dirigente do PSD justifica que o candidato à Assembleia da República “não tem, nem terá no futuro próximo, condições pessoais e políticas para exercer com dignidade o mandato de deputado, prestigiando os eleitores que o elegeram e a própria instituição parlamentar”.

Opinião publicada no blogue Jamais
Pacheco Pereira considera Preto uma “ferida em aberto” nas listas do PSD 
21.08.2009 - 13h21 Maria José Oliveira
publicado por luzdequeijas às 15:03
link do post | comentar | favorito
|

MAS DADA AGORA

Santarém

PS : Bom filho à casa torna. Se é que alguma vez saíu. Nas negociações prolongadas, como as "compensações" para a "saída" do Aeroporto da Ota, Santarém não fica com razões de queixa. A razão das compensações, mais parecem benesses políticas para quem as merece !!!!.

Moita Flores atribui medalha de ouro a José Sócrates

A Câmara Municipal de Santarém vai atribuir a medalha de ouro da cidade ao primeiro-ministro, quando este assinar o protocolo que passa o convento de S. Francisco para a posse da autarquia. Moita Flores, eleito pelo PSD,  mas que admite votar PS nas legislativas, diz que a condecoração foi decidida há meses
publicado por luzdequeijas às 14:49
link do post | comentar | favorito
|

Á FRENTE SE VERÁ

 

 

O secretário de Estado Adjunto Governo :
Risco de défice ficar acima de 5,9% é «baixo»
O secretário de Estado Adjunto e do Orçamento reiterou hoje a meta de atingir um défice de 5,9% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2009. Na apresentação da execução fiscal até Julho, Emanuel Santos, garantiu que a «despesa está controlada» e que houve «melhorias» na receita fiscal o Orçamento reiterou hoje a meta de atingir um défice de 5,9% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2009. Na apresentação da execução fiscal até Julho, Emanuel Santos, garantiu que a «despesa está controlada» e que houve «melhorias» na receita fiscal

 

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 14:37
link do post | comentar | favorito
|

CONTAS DO PIOR MF DA UE

SOL   21-08-09

 

 

Economistas esperam Orçamento rectificativo e duvidam da meta do défice

 

Os economistas ouvidos hoje pela agência Lusa consideram que será necessário fazer um Orçamento rectificativo, uma possibilidade afastada pelo Governo na quinta-feira, e duvidam que o défice fique nos 5,9 por cento, a previsão do Governo

OE 2009
publicado por luzdequeijas às 14:32
link do post | comentar | favorito
|

A IMPUNIDADE DOS PARTIDOS

 

Opinião
‘Partidos pactuam com impunidade’, Marques Mendes

«Basta de hipocrisia», clama Marques Mendes em artigo de opinião. o ex-líder do PSD diz que o objectivo de impedir candidaturas de políticos acusados de crimes graves foi colocado na agenda política em 2005. Mas não avançou porque «os partidos teimam em fazer vista grossa à ética, faltando-lhes coragem para pôr cobro a práticas de impunidade»

 

SOL _ 21-08-2009

publicado por luzdequeijas às 12:56
link do post | comentar | favorito
|

MENOS UMA GOTA DE SUOR

Auto-estradas
EP cancela adjudicação de novas auto-estradas

A empresa Estradas de Portugal prepara-se para cancelar a adjudicação dos concursos das duas auto-estradas (Pinhal Interior e AE Centro) que dariam a liderança do sector das concessões rodoviárias à Mota e Companhia – empresa liderada pelo socialista Jorge Coelho, que assim ultrapassaria a Brisa, avança a edição do SOL desta sexta-feira (21-08-2009)
 
publicado por luzdequeijas às 12:51
link do post | comentar | favorito
|

CRIME OU CASTIGO

 

Crime, disse ela

                    Por favor srª ministra , abandone tantos estúdios de televisão e vá aos hospitais conhecer realidade.                  

                                                             

Criar alarme social é crime previsto e punido.

Primeiro os policias, juizes,contribuintes,professores foram todos uns malandros e agora são os doentes que segundo esta srª pretendem propagar as suas doenças.

 Quem será o realizador desse seu filme ?

Vá aos hospitais conhecer a realidade.

Não perca os dias inteiros em estúdios de televisão enquanto os portugueses sofrem.

publicado por amadoran@sapo.pt às 07:42
 

 

publicado por luzdequeijas às 12:43
link do post | comentar | favorito
|

PORTUGAL E A AMÉRICA LATINA

Saúde
Governo contratou 44 médicos cubanos, quase todos para o Alentejo e Algarve

O Ministério da Saúde anunciou hoje a contratação de 44 médicos cubanos que, durante três anos, vão exercer em nove centros de Saúde do Alentejo, cinco do Algarve e um da região de Lisboa e Vale do Tejo
SOL  - 21-08-2009 
publicado por luzdequeijas às 12:39
link do post | comentar | favorito
|

FREEPORT

 

 Caso Freeport
Depósitos avultados por explicar nas contas de Carlos Guerra

Excerto do artigo

 

<input ... >Hoje   A investigação judicial ao caso Freeport descobriu depósitos de 200 mil euros, em 2002, nas contas bancárias de Carlos Guerra, ex-presidente do Instituto de Conservação da Natureza, então dependente do ministro do Ambiente, José Sócrates, avança a edição do SOL desta sexta-feira

   

Os investigadores do ‘caso Freeport’ encontraram nas contas bancárias do arguido Carlos Guerra, ex-presidente do Instituto de Conservação da Natureza (ICN), diversos depósitos em numerário ou por transferência, efectuados durante e após o processo de viabilização do centro comercial.

 

 

 Os depósitos – feitos em várias tranches, totalizando cerca de 200 mil euros – não estão justificados e para a investigação indiciam que poderão ser contrapartidas pecuniárias pelo licenciamento do outlet de Alcochete.

Segundo o SOL apurou, Carlos Guerra alegou, nas declarações já prestadas no processo, que o dinheiro se referia a partilhas antecipadas que o sogro foi obrigado a fazer após a falência de uma sua empresa – uma explicação considerada frágil.

felicia.cabrita@sol.pt 

publicado por luzdequeijas às 12:30
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

DEPOIS DO PÂNTANO O DESERTO

A MELHOR DEFINIÇÃO DE SOCIALISMO

 

                       

publicado por luzdequeijas às 23:21
link do post | comentar | favorito
|

RECOMENDA-SE A LEITURA

SÃO MUITOS OS TRAÍDOS PELOS QUE AMAM MAQUIAVEL. O SEU FIM É TRISTE.

 

 

 

publicado por luzdequeijas às 19:40
link do post | comentar | favorito
|

A PENSAR NO INTERESSE DO PAÍS ? ( I )

 

 

 

PORTUGAL ENCURRALADO

 

                   PARTE I

Ricardo Rodrigues exalta-se: "Oh, Bruno, desliga o telefone a esse gajo! Ou ele traz as listas completas e toda a documentação ou não há mais conversa! Desliga! Desliga!"

Ângelo Pereira fica a falar sozinho.

O CDS e o PPM são também incansáveis na procura de alternativas à sabotagem de Algés.

Ricardo Rodrigues, grande timoneiro, apoiado na sua pequena mas grande equipa, afirma:

"Os gajos querem-nos tramar, os gajos não vão apresentar nada, querem tramar-nos, não querem que o PSD apresente candidatos às freguesias deles. Pensam que somos totós, vão-se lixar!"

Agarra no telefone e liga para Alda Lima, a descartada Presidente da Junta de Freguesia de Algés:

"Alda, os gajos querem-nos lixar. Não vão apresentar candidatos a Algés e às outras. O nome do Prof. Elísio Gouveia para te substituir é "bluff", é treta, é mentira. Já enganaram o Tiago Cartaxo, que ia ser o candidato ao Dafundo e passaram a perna à Susana, da Jota. Fala com o nosso pessoal leal ao PSD e faz equipa para Algés. O CDS e o PPM também nos disponibilizam pessoal. Não falhes."

 

Na Sede continua a trabalhar-se afincadamente. O discernimento já não é o melhor. De vez em quando tem de se vir à rua apanhar ar fresco, lá dentro o calor é insuportável (se vissem as condições em que a candidatura trabalha teriam mais respeito por eles).

Madrugada dentro vão acontecendo os telefonemas, acordando a Isabel Sande e Castro, a Elisabete Mota, ambas do CDS, liga-se para a Isabel Meirelles a dar-lhe contas dos últimos detalhes, nomeadamente as alternativas para tornear a TRAIÇÃO da Secção algesense. A candidata da Coligação "MAIS OEIRAS", Isabel Meirelles decide dar uma última oportunidade a Algés:

"Ricardo, quero a Susana Santos na lista da Vereação. Ela está a ser manipulada, é boa moça, inteligente, nota-se que está a ser pressionada. Se ela aceitar, que traga a papelada para fecharmos as listas. Se até às 7 horas as listas não estiverem nas suas mãos e nas do Bruno, faça o que acordamos. 7 horas é a "dead line".

Bruno Pires liga para Susana Santos, que afirma aceitar o convite para a Vereação e compromete-se a pôr a Jota de Algés a trabalhar para a candidatura.

Susana vai confidenciar com Ângelo Pereira que, alarmado, terá ligado para Helena Lopes da Costa. Esta fica preocupada e diz ao seu peão de brega para "embalar" a Presidente da JSD.

Na Sede da "MAIS OEIRAS" alguém consegue acordar três militantes do PSD, há algum tempo afastados das lides partidárias. Postos ao corrente da situação e da TRAIÇÃO de HLC e ACP aceitam ser candidatos a Carnaxide e Queijas. Um dos elementos do "staff" sai pelas 4.30 horas, leva os termos de candidatura já preenchidos, retirados do AUDIMA, e vai ao encontro destes GRANDES MILITANTES que, sem rebuço, assinam o requerimento a solicitar a Certidão de Eleitor e o Termo de Candidatura. Trazem-se os seus cartões de eleitor e BI para serem fotocopiados. Às 5.15 horas já os documentos de identificação já lhes foram devolvidos.

DOMINGO, 16 DE AGOSTO, 6.58 horas: alguém alerta: "está a chegar um mail de Algés." Ricardo Rodrigues, extenuado grita: "Bruno, abre isso depressa, vê lá o que os gajos dizem."

A mensagem é aberta e a réstea de esperança numa possível UNIDADE esfuma-se:

"É a lista, mas em vez da Susana eles indicam o Ângelo para a Vereação. Estes tipos andam a gozar connosco. Mesmo assim, nada dizem sobre a documentação."

Bruno Pires ainda esboça uma tentativa de ligar para Ângelo Cipriano, sendo impedido pelo Director de Campanha:

"Acabou. Não ligas nada. Vou ligar à Dra. Isabel Meirelles e pô-la ao corrente."

DOMINGO, 16 DE AGOSTO, 7.10 horas: a candidata do PSD/CDS-PP/PPM é acordada (se é que dormiu) mais uma vez pelo seu Director de Campanha. Posta ao corrente da situação determina:

"Ricardo, deixamos de ser bonzinhos. Conclua as listas com as pessoas dispostas a colaborar, VAMOS APRESENTAR CANDIDATOS A TODAS AS FREGUESIAS!"

Extenuados mas cheios de "alma até Almeida" todos os envolvidos nesta árdua tarefa decidem regressar às suas casas, levando as pastas das candidaturas.

DOMINGO, 16 DE AGOSTO, 21.30 horas: está reunida a Comissão Política Distrital de Lisboa, presidida por Carlos Carreiras, para tomar posição sobre as listas de Lisboa, Sintra e Oeiras.

A Secção de Algés está em força: Helena Lopes da Costa, Ângelo Pereira, Armando Soares, Susana Santos e João Annes, entre outros.

A Secção de Oeiras está representada por Alexandre Luz, Bruno Pires e Ricardo Rodrigues.

Lá dentro, Helena Lopes da Costa tenta destruir o trabalho feito pela equipa de Ricardo Rodrigues. HLC consegue convencer alguns elementos da Distrital, mexendo nas listas e incluindo alguns militantes "seus", sem contudo apresentar a indispensável documentação (Certidão de Eleitor e Termo de Aceitação de Candidatura). A Distrital, quiçá pressionada pela Nacional, onde Helena tem grandes apoios, cede.

Com ar triunfante e com o seu maquiavélico plano na mente (não é por acaso que Helena Lopes da Costa cita constantemente Nicolau Maquiavel e a sua obra "O Príncipe") vem para a Rua da Junqueira e começa a fazer vários telefonemas. Todos os outros algesenses - Armando Soares, João Annes, Susana Santos e Ângelo Pereira - a imitam. Vê-se que estão nervosos, andam dum lado para o outro, desligam e fazem nova chamada.E continuam por vários minutos a ligar e a desligar.

São 22.45 horas quando Helena Lopes da Costa abandona o local no Toyota conduzido por João Annes, com Armando Soares atrás.

Ricardo Rodrigues observa o ambiente e chama o Bruno Pires:

"Bruno, temos de ir já para a Sede. A Helena está a preparar algo. O ar de triunfo com que saiu não me agrada nada. Ela tem alguma na manga."

Alexandre Luz fica a acompanhar a Assembleia, que se prolongaria madrugada dentro.

(continua...)

 

publicado por luzdequeijas às 19:30
link do post | comentar | favorito
|

A PENSAR NO INTERESSE DO PAÍS ? (II)

 

PORTUGAL ENCURRALADO

 

Quarta-feira, 19 de Agosto de 2009

Autárquicas Oeiras 2009: História duma Traição!

                         PARTE II
 
Segunda-Feira, 17 de Agosto, 1.00 horas: Susana Santos, Presidente da JSD de Algés, chega à sede da candidatura de Isabel Meirelles. Perante o Director de Campanha e do Mandatário concelhio, Ricardo Rodrigues e Bruno Pires, tenta defender-se, dizendo que Helena Lopes da Costa não a deixou concorrer. Sendo-lhe dito que era uma opção sua e a convite da Dra. Isabel Meirelles e com apoio da Distrital e da Nacional, se entregasse naquele momento a documentação obviamente faria parte da lista.
Desatou a chorar, que os papéis estavam na posse de HLC, que queria participar na campanha, mas que vinha sendo pressionada para não o fazer. Que andavam constantemente a vigiá-la, que os telefonemas e as pressões eram constantes.
 
Foi uma autêntica bomba! Era isto que Ricardo Rodrigues temia e que a Distrital menosprezara, não acreditando no maquiavelismo de HLC!
Isabel Meirelles é avisada.
A azáfama reinstala-se. Há homens e mulheres que não vão à cama há 48 horas, que apenas dormitam. É necessário refazer a listas.Telefona-se a pedir reforços.
Está-se a menos de 8 horas do fecho do Tribunal de Oeiras e da hora-limite (16 horas) para a entrega das listas.
Os nomes propostos por Algés são retirados. É feita nova conferência dos documentos.
 
Pede-se a colaboração de alguns dos presentes para irem a algumas Juntas obter certidões de eleitor para candidatos a candidato que tinham ficado de "reserva" caso esta situação viesse a ocorrer.
O tempo corre, inexorável, indiferente à pressão que homens e mulheres da coligação sofrem cada minuto que passa. O tempo é controlado e conclui-se que já não é possível fazer a entrega no Tribunal às 14 horas.
Começa-se a desesperar. A correria é enorme, fora e dentro, documentos que saem, documentos que entram, até que Ricardo Rodrigues grita:
 
"Onde estão os documentos do Barroco? Onde páram os documentos do Barroco?
 O Presidente da Junta de Freguesia de Linda-a-Velha está de férias no Algarve.
Tinha entregue a documentação a HLC, que a não enviara para o Mandatário!
Entra-se em contacto telefónico com Barroco. Consegue por artes mágicas que alguém "saque" os seus documentos da Secção de Algés e cerca das 13.55 horas dão entrada na Sede de Campanha onde são minuciosamente conferidos.
O tempo continua a sua marcha. São constantemente perguntadas as horas. Alguém constata que faltam certidões pedidas à Junta de Freguesia de Oeiras. Liga-se ao Norberto Machado com a indicação de as ir levantar e seguir para o Tribunal. São 15.00 horas, falta 1 hora para o encerramento do Tribunal. A tensão é enorme, TODOS acreditam que vai ser possível.
Segunda-Feira, 17 de Agosto, 15.10 horas: as pastas são contadas uma a uma - Vereação, Assembleia Municipal, Algés, Cruz Quebrada-Dafundo, Linda-a-Velha, Carnaxide, Queijas, Barcarena, Porto Salvo, Oeiras, Paço de Arcos e Caxias.
Os carros saem velozmente da Rua do Alto do Lagoal em direcção ao Tribunal de Oeiras. Se tem aparecido a Polícia a missão "Entrega da Candidatura" seria impossível.
Junto ao Tribunal uma agradável surpresa: alguém, MUITO ESPECIAL, dá um forte abraço à candidata e elogia quantos tornaram possível a candidatura do PSD, CDS-PP e PPM à Câmara Municipal de Oeiras, Assembleias Municipal de Oeiras e a TODAS as Juntas de Freguesia!
Segunda-feira, 17 de Agosto, 15.30 horas: as listas são depositadas no Tribunal da Comarca de Oeiras!
A terminar, disse-me o meu amigo:
"TENHO A CERTEZA QUE VAMOS GANHAR!"
 (continua... certamente no dia 12 de Outubro, antes disso se se justificar)
 
A candidatura trabalhou toda a noite para incluir os nomes que a Distrital decidiu incluir nas Juntas de Freguesia propostos por Algés, até que...pelas 8.00 horas é recebido um telefonema de alguém que usa o nome da mulher de Napoleão Bonaparte a dizer que fulano, cicrano e beltrano, proposto por Algés para as freguesias de Algés, Cruz Quebrada-Dafundo, Carnaxide e Queijas e aceites pela Distrital, já não queriam fazer parte das respectivas listas ! Saiu lavada em lágrimas, qual Maria Madalena.
publicado por luzdequeijas às 19:24
link do post | comentar | favorito
|

A VERDADE NÂO ESTARÁ LONGE

 

PORTUGAL ENCURRALADO

Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

Emocionado e sensibilizado

 
Estou emocionado e sensibilizado com tanta preocupação devido ao meu fugaz desaparecimento. Não, não vieram nenhuns capangas ter comigo, apenas descortinei duas ameaças anónimas no Oeiras Local.
Processo judicial? Querem que me retrate? Nem por sombras! Quem tem de mudar de vida, quem tem de reencontrar o caminho da ÉTICA e da LEALDADE são alguns senhores e algumas senhoras da Secção Política de Algés do Partido Social Democrata!
Sejam coerentes como o Paulo Vistas, que escolheu estar ao lado de Isaltino Morais, opção respeitável e que respeito, não sejam como o Ângelo Pereira que de manhã é PSD e à tarde IOMAF! Sejam coerentes, escolham um dos lados, não se pode estar com Deus e com o Diabo (provérbio popular, não estou a dizer que o PSD é Deus e IOMAF Diabo), não se pode agradar a gregos e a troianos.
O que aqui foi descrito na 3.ª pessoa sobre as traições e chantagens provenientes de alguns elementos de Algés, com a sua Presidente à cabeça, noutras situações enviando os seus "peões", foram relatadas pelo Carlos Carreiras na noite e madrugada de domingo! Leiam as declarações de Helena Lopes da Costa, leiam a contra-resposta do Presidente da Distrital:
"A secção fez chantagem para apresentarmos um nome elegível para a vereação que é apoiante de Isaltino Morais, dizendo que não entregavam as listas das cinco freguesias de sua responsabilidade [Algés, Cruz Quebrada-Dafundo, Carnaxide, Linda-a-Velha e Queijas]".
Os militantes de Algés foram utilizados e descartados por Helena Lopes da Costa, devido ao ódio de estimação que tem a Alda Lima e ao próprio Carreiras, que a derrotou nas últimas eleições para a Distrital!
Há mais para contar sobre as peripécias da formação da coligação MAIS OEIRAS, liderada pela Dra. Isabel Meirelles ( e não duvidem, lidera mesmo). Em tempo oportuno, que será após 11 de Outubro, se não me chatearem, caso contrário "vomito" tudo o que me foi dito e alguns militantes de Algés não ficarão bem na foto, bem como um ou outro de Oeiras.
Em que país pensam que vivem esses senhores (?) e essas senhoras (?)?
Portugal, os portugueses, o povo com enormes dificuldades no dia a dia e apenas pensam no TACHO?
Apenas pensam em lixar, em fornicar o próximo?
O que vai nessas cabeças?
Vaidades pessoais?
Não conseguem pensar nos outros, na comunidade, só pensam em si?
O que vos move na política?
Os interesses?
Devem todos ter lido "O Príncipe", de Nicolau Maquiavel, quando para vocês os fins justificam os meios!
Que belo exemplo deram a Oeiras e ao país: compreende-se, o TACHO de alguns de vocês está assegurado na candidatura do Dr. Isaltino!
Assumam a vossa incompatibilidade com o Partido, sejam honestos convosco, suspendam a militância ou demitam-se! Sejam coerentes!
Diz Helena Lopes da Costa que a Lista à Câmara é composta por homens de Isaltino: desaforo desavergonhado! Diga onde estão os seu 2 vice-presidentes, diga onde está o Presidente da Mesa?
Digo mais uma vez: o Nuno Costa é Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara Municipal, o Armando Soares é Assessor do Presidente e o Ângelo Pereira tem uma avença no Gabinete do Vice-Presidente, embora dependa directamente do Presidente!
Quem controla os bairros sociais? Sou eu, não? Ângelo Cipriano! E no dia 11 de Outubro lá vamos vê-lo nos bairros a "enxotar" aqueles que recebem os cabritos, os frangos, os porcos, os garrafões de vinho, indicando-lhe o caminho das mesas de voto!
Desaparecido em combate? MIA (Missing In Action)? Nem por sombras! Estou aqui para lutar pelo que acredito, leal para com quem é leal, sacana para quem me sacaneia!
O "anónimo", nome de baptismo dos desleais e desprovidos de ÉTICA (pensava que Maria, António, João e José eram nomes mais populares e usuais), que me ameaça com processo judicial faça o que tem a fazer, que eu farei o mesmo. Provavelmente será a Lenita Gentil, perdão a Lenita da Costa.
Vá em frente, encontramo-nos onde a Justiça determinar.
Quem saiu mal nesta fotografia toda foi você e acredite, o pior que lhe pode acontecer é Isabel Meirelles e a coligação ganharem a Câmara Municipal, aí você ficará lixada de todo!
A "História duma Traição", a propósito da novela autárquica de Oeiras não é ficção, Helena Lopes da Costa, Susana Santos, Ângelo Pereira, Armando Soares, João Annes e Cª. Lda. sabem-no bem. Alguns factos não terão ocorrido naquele local e naquela hora? Claro, há que proteger algumas pessoas, mas aconteceram!
Voltando ao princípio (2008): Oeiras apresenta à Distrital Pedro Simões, Algés diz que não; Oeiras pede a Algés para avançar um nome, que poderia ser o própria Helena (pensava que o Santana a levava), Algés refugia-se no silêncio.
Reunião da Distrital em Abril, salvo erro: Oeiras avança novamente com o nome de Pedro Simões, que é levado a votação (a tal votação que para umas coisas serve para a Helena e para outras não) e de forma esmagadora o seu nome é proposto à Nacional.
O resto sabem vocês. E sabem que a Secção de Algés e a sua Presidente Helena Lopes da Costa NUNCA, NUNCA, MAS NUNCA, apresentaram um nome alternativo ao de Pedro Simões! Nem o dela, sequer!
Quem trabalhou para pôr a campanha de Isabel Meirelles é que está ao serviço de Isaltino?
Assuma, Sra. D. Helena, que você NUNCA teve a intenção de apresentar candidaturas às "suas" freguesias, ASSUMA que ia "entalar" o José Barroco, você pretendia e pretende que o Grupo IOMAF seja maioritário nas 10 freguesias, na Assembleia Municipal e na Câmara Municipal!
Ainda não deu conta que já não tem futuro no PSD, que esse seu plano digno de Maquiavel (não importam os meios para atingir os fins ou todos os meios são válidos para atingir os fins - PODER) caiu por terra e que você TEME uma vitória da coligação liderada por Isabel Meirelles?
Se o IOMAF ganhar que seja com métodos limpos, claros, democráticos (para que conste, não acredito que o Presidente Isaltino, Paulo Vistas, Madalena Castro, Elisabete Oliveira ou Ricardo Barros apoiem a sua estratégia suicida), você e os seus apaniguados são mais papistas que o Papa.
Pode ser que 11 de Outubro lhe traga uma surpresa.
De cabeça levantada vou continuar, a minha LEALDADE, ainda como simples militante de base do PSD, que não vai a assembleias por não ter tempo para as mesmas, vai continuar a ser para com o PSD. Faça o mesmo ou passe para o "outro" lado, certamente será mais respeitada.
A minha "fonte" terá exagerado alguma coisa? É possível, eu não estava lá para ver ou ouvir!
A minha "fonte" é fidedigna? É, SEM DÚVIDA!
Ter-me-á contado tudo? Acho que não, fiquei com a impressão que há pormenores políticamente escabrosos que omitiu!
Terá exagerado num ou noutro pormenor? Também acredito que sim.
Em termos globais o que me relatou é FIÁVEL? As notícias vindas a lume, nos jornais, internet, rádio e televisão o demonstram: juntam-se as pontas e vê-se que há fumo e fogo!
Portugal está encurralado por Sócrates, eu não estou. Penso por mim, a Liberdade de pensamento e opinião existe, ainda que a ERC nos queira amordaçar.
Caríssimo "anónimo" do OL não ameace com processos judiciais, intente-os!
 
 
 
 
publicado por luzdequeijas às 19:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 19 de Agosto de 2009

OUTROS TEMPOS

PODEM ACREDITAR QUE EM NADA ERA INFERIOR AO ACTUAL "MAGALHÃES". SÓ QUE NOS OBRIGAVA A FAZER CONTAS E A ESCREVER; RAZÃO PELA QUAL, TODOS SABIAM LER, ESCREVER E CONTAR, O QUE HOJE, COM O MAGALHÃES, NÃO ACONTECE ! HÁ; TAMBÉM ENSINAVA A PENSAR, OUTRA COISA QUE SE ESQUECEU.

 

 

 

 

EU TAMBÉM TIVE UM SALAZAGALHÃES !!

 

QUE ERA A VELHINHA PEDRA NEGRA ENCAIXILHADA

 

 

 

 

 

 

Solução: Analisado Hoje : Com Magalhães não se chega a lado nenhum, com a pedra e usando a cabeça que sabia pensar, vamos ver como era :
A mãe tem hoje Y anos
O menino tem hoje X anos
Portanto com a mãe 21 anos mais velha : Y = X + 21
Daqui a 6 anos : ( Y + 6 ) e ( X + 6 )
Portanto com a mãe 5 vezes mais velha que filho : Y + 6 = 5 ( X + 6)

Resolvendo:

Y + 6 = 5 X + 30
Y = 5X + 24

Dai, substituindo na primeira equação = X + 21 teremos:
5X + 24 = X + 21

Logo:

- 4X = 3
X = -3/4

O menino tem hoje -3/4 anos, ou seja, - 9 meses (menos nove meses!!!).

A resposta é lógica :

Se o menino tem exactos menos 9 meses, ele nascerá daqui a nove meses,
então:
Resposta do problema proposto:
-
O pai agora está a  'fazer amor' com a mãe, enquanto você quebra a cabeça !!!


Brilhante !!!!!!!!!!!!

publicado por luzdequeijas às 22:26
link do post | comentar | favorito
|

HÁ MUITO TEMPO

Andam a brincar aos caciques em Oeiras no PSD de Meirelles

Carlos Carreiras devolveu as acusações de favorecimento do candidato independente à presidente da estrutura local do partido: "A secção fez chantagem para apresentarmos um nome elegível para a vereação que é apoiante de Isaltino Morais, dizendo que não entregavam as listas das cinco freguesias de sua responsabilidade [Algés, Cruz Quebrada-Dafundo, Carnaxide, Linda-a-Velha e Queijas]".
O vice-presidente da autarquia de Cascais sublinhou que "foi Helena Lopes da Costa que andou a recolher assinaturas de apoio à candidatura de Isaltino Morais. E isso toda a gente sabe, há fotografias que o comprovam", questão que também é salientada pela candidata social-democrata a presidente da Junta de Freguesia de Algés, Alda Lima.
 

NOTA: COM PROVAS NA MÃO E TESTEMUNHAS,  É PRECISO LEMBRAR QUE HÁ ANOS , AS LISTAS DO IOMAF E DO PSD, FORAM FEITAS COM GENTE ESCOLHIDA POR ELA. OS CRITÉRIOS SÃO SEMPRE OS MESMOS, FIDELIDADES AO CLÃ !!!!!

publicado por luzdequeijas às 21:55
link do post | comentar | favorito
|

ELEIÇÕES EM OEIRAS

 

 

 

 
PSD: Helena Lopes da Costa acusada de beneficiar Isaltino

 

 

Líder da secção de Algés pediu a anulação de algumas listas apresentadas pelo partido

Por: Redacção /RS  |  19-08-2009  20: 30

 

 

Isaltino Morais

A Secção de Oeiras do PSD acusou esta quarta-feira a líder da Secção de Algés daquela estrutura local do partido de querer «beneficiar» Isaltino Morais e o PS, nas autárquicas, ao pedir a anulação de algumas das listas apresentadas, avança a agência Lusa.

A líder da Secção social-democrata de Algés, Helena Lopes da Costa, pediu ao partido, esta segunda-feira, a anulação das listas sociais-democratas à Assembleia Municipal e a três freguesias de Oeiras. O pedido fez-se depois das listas não terem sido votadas na Comissão Distrital do partido, liderada por Carlos Carreiras.

Numa reacção às declarações de Helena Lopes da Costa, o presidente da Secção de Oeiras do PSD, Alexandre Luz, considerou que «a sua atitude não beneficia apenas o Dr. Isaltino Morais mas essencialmente o Partido Socialista».

Já Helena Lopes da Costa explicou esta terça-feira que as listas foram aprovadas «sem votação» na Comissão Distrital de Lisboa do PSD, porque o presidente daquela estrutura, Carlos Carreiras, teve «vontade de beneficiar a candidatura de Isaltino Morais [candidato independente e actual líder da autarquia]».

Helena Lopes da Costa «está mais preocupada com a sua candidatura à Distrital do PSD do que com a Candidatura do PSD e da Dra. Isabel Meirelles à Câmara Municipal de Oeiras», acusou, por sua vez, Alexandre Luz.

«Helena Lopes da Costa quer concorrer novamente à Distrital de Lisboa» e, por essa razão, «quer fragilizar Carlos Carreiras», acrescenta.

O líder da secção de Oeiras acrescentou ainda não perceber «como é que se criticam candidaturas sociais-democratas que trabalharam com Isaltino Morais [Helena Lopes da Costa criticou a escolha do número dois da lista do PSD, Pedro Paulo, por ter sido assessor do actual presidente da autarquia], quando o próprio marido entrou nas listas do IOMAF [movimento independente de Isaltino] em 2005».

O pedido de anulação das listas à Assembleia Municipal e a três Juntas de Freguesia foi para o Conselho de Jurisdição Nacional do PSD e o caso encontra-se nas mãos do secretário-geral do partido, Marques Guedes

 

publicado por luzdequeijas às 21:45
link do post | comentar | favorito
|

UMA VISÃO DA VERDADE

 

Página inicial  >  Opinião  >  Pedro Camacho  >  Manuela vai nua?

Sócrates encheu uma página de razões para os portugueses não votarem PSD. Ferreira Leite foi ainda mais eloquente

O secretário-geral do PS escreveu uma página de opinião no JN de terça-feira, 11. Campanha eleitoral, pura e dura, em discurso directo, onde faz a apologia da governação PS, a executada e a que se propõe para mais quatro anos. Um raciocínio linear, bem ao seu estilo, onde revela não só as coisas que quer que vejamos como também as que aparentemente não consegue ver. Nesta página inteirinha de texto, sem uma única ilustração ­ mas nem por isso cinzenta ­, a leitura vale sobretudo pelas apreciações que faz às alegadas opções políticas do maior partido da oposição. Curiosamente, sem uma única linha dedicada à principal fragilidade actual do PSD, a machadada que Ferreira Leite deu à sua própria credibilidade como líder partidária e candidata a chefe de Governo.
Sócrates enuncia as muitas medidas tomadas nos últimos quatro anos, recorda decisões emblemáticas, mau grado a crise "que veio de fora", e elenca as questões-chave que distinguem socialistas de sociais-democratas na altura de ir a votos: "atitude", "investimento público" e "Estado Social". Antes, lembra o básico, "ter ou não ter programa": o PS tem um, o PSD esconde o seu. No fim, em "Confiança no futuro", diz que "Para Portugal, a alternativa real é entre o PS ser de novo chamado a formar Governo ou regressar a um Governo de direita." Um caminho que é estreito para muitos, porque quem "diz mal do PS" e quem apoia aquela esquerda que se "dispensa da maçada de contribuir com soluções", é porque prefere a direita no poder.

'Ter ou não ter programa': diz Sócrates que o PS tem um e tem ideias; o PSD não o tem e é um vazio de ideias. "Atitude": segundo lembra, o PS não baixa os braços. Foi assim nas reformas no princípio do mandato, e foi o mesmo no último ano, nas acções de resposta à crise; quanto ao PSD, diz que apenas fala de medo.
"Investimento público": o PS fez o que fizeram todas as economias, reforçando o investimento para travar a crise; o PSD, sustenta, continua amarrado aos seus preconceitos, defendendo o corte da despesa pública.
"Estado Social": o PS defende o refor ço das políticas sociais, modernização dos serviços públicos, redução das desigualdades sociais; o PSD, diz, insiste na defesa do Estado mínimo.
Serão as coisas assim, tão a preto e branco? Estão mesmo muito longe de o ser. Mas o ponto, a reter aqui, é que a liderança de Ferreira Leite tem inúmeras brechas, e todas elas estão identificadas no texto de Sócrates. Em bom rigor, desembocam todas no mesmo pecado: a ausência de qualquer mensagem substancial para o eleitorado. Não se sabe o que pensa este PSD de Ferreira Leite. No melhor dos casos, imagina-se. O que, no limite, obriga a que primeiro se lhe invente uma ideia para depois a contestar.
Mas o que de pior aconteceu no principal partido da Oposição não mereceu uma única linha a Sócrates. Não vale a pena perguntar porquê, sabemos a resposta.
A força da líder do PSD assenta na imagem que muitos cidadãos dela fazem: a de uma pessoa séria, escrupulosa, incapaz de colocar interesses e relações pessoais à frente dos interesses institucionais ­ sejam os do Estado sejam os do próprio partido. Essa ideia, com um potencial de mobilização muito grande nos dias que correm, em que existe um desgaste significativo do poder político, ficou seriamente afectada com o processo da escolha dos candidatos eleitorais do PSD.
Ferreira Leite perdeu uma excelente oportunidade para se afirmar como a líder de todo o partido, e não de apenas alguns. Matou, com o seu autoritarismo e sectarismo, o entusiasmo que militantes e simpatizantes tinham ganho com a vitória nas Europeias. Mais grave, ao impor António Preto e Helena Lopes da Costa nas referidas listas deu uma machadada vergonhosa no caminho de moralização política que PS e PSD têm vindo a percorrer, apenas aceitando candidatos que tenham as contas em dia com a Justiça.

Ao impor António Preto ao partido, Manuela Ferreira Leite prestou um mau serviço a si própria, não dignificou a imagem que um candidato a primeiro-ministro deve ter e colocou mais um prego no grande caixão em que a actividade política e a democracia estão a mergulhar. E desbaratou também o seu principal activo enquanto candidata à liderança do Governo. Um activo que lhe permitia afirmar uma diferença capaz de conquistar muitos votos, e que lhe supria também a falta de mensagem que Sócrates caricaturou.
O chefe dos socilaistas encheu uma página de razões para os portugueses não votarem PSD. Ferreira Leite foi muito mais eloquente. É que, sem esse activo de seriedade e autoridade inquestionável, o que tem neste momento a líder do PSD para oferecer aos portugueses?

 9:37 Quinta-feira, 13 de Ago de 2009

Visão

publicado por luzdequeijas às 17:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

CONTRADIÇÕES HISTÓRICAS

 

 

 

Terça-feira, 13 de Maio de 2008

Santana Lopes é a favor da expulsão de militantes que votam contra o PSD!!!!!!!

 


Esta foto foi tirada na campanha de Isaltino Morais para a CM de Oeiras.
O candidato a presidente do PSD era Teresa Zambujo, que perdeu as eleições pela margem mínima........
Efeitoplacebo: Estou totalmente de acordo com Santana Lopes, e a confirmar-se que Manuela Ferreira Leite não votou no PSD isso é grave de facto, contudo e como tenho Manuela Ferreira Leite como uma senhora séria e depois de ouvir as suas declarações até acredito nela....mas neste caso específico vemos na foto Helena Lopes da Costa a fazer campanha com Isaltino Morais. Então aqui sim, há uma prova de alguém que foi Vice de Santana e que concerteza não deve ter votado no PSD.....gostava de ver o Dr. Santana Lopes comentar que atitude tomaria neste caso especifico.
Aproveito para dizer a todos os que me enviam mails com ameaças de vários géneros (que por coincidência, concerteza, defendem a Sra. Helena Lopes da Costa e o Sr. António Preto), que não será isso que me impedirá de continuar a escrever e a colocar aqui neste blogue tudo o que achar do interesse comum e pela verdade na politica, pois é essa a minha intenção. Ou seja, a linha editorial deste blog não será alterada por qualquer ameaça.
 
publicado por luzdequeijas às 15:46
link do post | comentar | favorito
|

QUEM MENTE MAIS ?

 

Autárquicas/Oeiras

Secção de Algés do PSD pede anulação de algumas listas candidatas

por Lusa<input ... >Ontem<input ... >

A secção de Algés do PSD pediu ao partido, segunda-feira, a anulação das listas sociais-democratas à Assembleia Municipal e a três freguesias de Oeiras, depois de estas não terem sido votadas, disse à Agência Lusa a presidente daquela secção.

A líder daquela secção social-democrata em Oeiras, Helena Lopes da Costa, considerou que a aprovação das listas "sem votação", na Comissão Distrital de Lisboa do PSD, se deveu ao facto de o presidente daquela estrutura, Carlos Carreiras, "ter vontade de beneficiar a candidatura de Isaltino Morais [candidato independente e actual líder da autarquia]".

Helena Lopes da Costa explicou que nenhum dos nomes propostos pela secção de Algés para as listas sociais-democratas [à Assembleia Municipal e às Juntas de Freguesia de Algés, Queijas e Cruz Quebrada] para o Concelho de Oeiras foram a votos, sendo substituídos sem votação por nomes apresentados por Carlos Carreiras.

A situação, considerou a também candidata pelo partido à Assembleia da República, "demonstrou que o presidente da distrital só procura prejudicar a candidatura do partido em Oeiras".

"Basta ver quem é que Carlos Carreiras foi buscar: o número dois [Pedro Paulo] foi assessor do Isaltino no Ministério do Ambiente; o quinto é adjunto do vereador Pedro Simões [social-democrata no executivo de Isaltino Morais]", criticou Helena Lopes da Costa.

Confrontado com estas acusações, o presidente da Comissão Distrital do PSD disse à Lusa que estas revelam "má fé e desonestidade" e que as "alterações foram feitas com a líder da secção de Algés".

Carlos Carreiras devolveu as acusações de favorecimento do candidato independente à presidente da estrutura local do partido: "A secção fez chantagem para apresentarmos um nome elegível para a vereação que é apoiante de Isaltino Morais, dizendo que não entregavam as listas das cinco freguesias de sua responsabilidade [Algés, Cruz Quebrada-Dafundo, Carnaxide, Linda-a-Velha e Queijas]".

O vice-presidente da autarquia de Cascais sublinhou que "foi Helena Lopes da Costa que andou a recolher assinaturas de apoio à candidatura de Isaltino Morais. E isso toda a gente sabe, há fotografias que o comprovam", questão que também é salientada pela candidata social-democrata a presidente da Junta de Freguesia de Algés, Alda Lima.

"Já em 2005, membros da actual direcção da secção social-democrata de Algés andaram a fazer campanha contra o PSD e a favor do Isaltino", criticou a candidata, que não obteve o apoio da secção de Algés do partido.

O pedido de anulação seguiu para o Conselho de Jurisdição Nacional do PSD e o caso encontra-se nas mãos do secretário-geral do partido, Marques Guedes.

A jurista e especialista em assuntos europeus Isabel Meirelles é a cabeça de lista às eleições autárquicas de 11 de Outubro no Concelho.

SYP.

Tags

publicado por luzdequeijas às 12:42
link do post | comentar | favorito
|

MILAGRE DOS PEIXES

Orçamento divulgado hoje pela Entidade das Contas

PS prevê gastar 5,54 milhões de euros na campanha para as legislativas 
19.08.2009 - 12h21 Lusa

O PS estima gastar 5,54 milhões de euros com a campanha eleitoral para as eleições legislativas, sendo o partido com o orçamento mais avultado, de acordo com informação hoje divulgada pela Entidade das Contas e Financiamentos Políticos.

Os socialistas, que tinham remetido para a Entidade das Contas a divulgação do seu orçamento de campanha para as eleições de 27 de Setembro, estimam receber 3,13 milhões de euros de subvenção estatal, 1,81 milhões de contribuição do partido e 600 mil euros de donativos e angariação de fundos.

A informação hoje divulgada no seu “site” na Internet pelo organismo que coadjuva o Tribunal Constitucional confirma ainda as estimativas de campanha já avançadas pela generalidade dos partidos, indicando que o PSD prevê gastar 3,34 milhões de euros com a campanha para as eleições de 27 de Setembro (2,85 milhões de subvenção estatal, 350 mil euros provenientes do partido e 140 mil euros de donativos).

Quanto aos restantes partidos com assento parlamentar, o CDS/PP prevê gastar 850 mil euros (a maior parte do financiamento, 807,7 mil euros, proveniente da subvenção estatal, o restante de donativos e angariação de fundos), enquanto o Bloco de Esquerda tem previsto gastar 993,8 mil euros com a campanha eleitoral para as legislativas (900 mil euros de subvenção estatal). A CDU (PCP/PEV) estima gastar 1,95 milhões de euros (cerca de metade, um milhão de euros, de subvenção estatal).

Os orçamentos dos restantes partidos que se apresentam às legislativas é bastante mais modesto, variando entre os 300 euros estimados pelo Partido da Terra e os 355 mil euros orçamentados pelo Movimento Esperança Portugal (MEP), o único sem representação parlamentar a prever receber subvenção estatal (a Lei de Financiamento dos Partidos e das Campanhas eleitorais prevê que a atribuição de subvenção estatal aos partidos que obtenham representação na Assembleia da República ou que obtenham mais de 50 mil votos nas eleições).

Vários partidos apresentam-se a eleições com orçamentos idênticos: o Partido da Nova Democracia prevê gastar 50 mil euros, o PCTP/MRPP 45 mil euros, o Movimento Mérito e Sociedade (MMS) 40 mil euros e a coligação Frente Ecologia e Humanismo (FEH) 25 mil euros.

Durante a campanha para as eleições de 27 de Setembro, o movimento Portugal Pró Vida prevê gastar quatro mil euros, o dobro das despesas previstas pelo POUS: 1.850 euros.

O Partido Popular Monárquico (PPM), o Partido Nacional Renovador (PNR) e o Partido Trabalhista Português (PTP) não entregaram à Entidade das Contas os respectivos orçamentos de campanha.

As eleições legislativas realizam-se a 27 de Setembro e as autárquicas a 11 de Outubro, com as campanhas oficiais a decorrem quase “coladas”: a das legislativas entre 13 e 25 de Setembro e a das autárquicas de 29 de Setembro a 9 de Outubro, segundo o mapa calendário da Comissão Nacional de Eleições.

publicado por luzdequeijas às 12:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

SEM OBRA FEITA

NOVIDADES DE CAMPANHA:

É uma novidade um Primeiro-Ministro apresentar-se em campanha com um chorrilho de novas promessas ao invés de invocar a obra feita. O que o Partido Socialista e Sócrates estão a fazer actualmente é o melhor indicador de que nada têm de relevante para apresentar à população depois do maior período de controle governativo em democracia.

 

posted by VLX on 2:42 AM

publicado por luzdequeijas às 22:23
link do post | comentar | favorito
|

MISTÉRIO

 a frase

Porque raio Ferreira Leite arrisca perder umas eleições por causa de um deputado invisível?"

 

João Miguel Tavares, "Diário de Notícias", 18-08-2009

publicado por luzdequeijas às 20:42
link do post | comentar | favorito
|

VERGONHOSA PROMISCUIDADE

GUERRA ENTRE ALGÉS E DISTRITAL POR LISTA DE OEIRAS

 

A guerra entre elementos da secção de Algés e a distrital de Lisboa está instalada. Nenhum dos nomes da lista que a secção, liderada por Helena Lopes da Costa, aprovou para a candidatura autárquica em Oeiras, foi, sequer, a votos. O mesmo se aplicou para a lista da assembleia municipal e três juntas de freguesia.

O caso já está nas mãos do secretário-geral do PSD, Marques Guedes, e segue para o conselho de jurisdição nacional. Uma providência cautelar está em cima da mesa. A lista para a Câmara do PSD é: Isabel Meirelles, Pedro Afonso Paulo, Júlio Silva, Isabel Sande e Castro, Ricardo Rodrigues e Ricardo Pinho. CM _ 18-08-2009

 

publicado por luzdequeijas às 18:14
link do post | comentar | favorito
|

PAÍS NUMA VERGONHA

d.r.  O cliente paga por responder à mensagem ou, em alguns casos, paga imediatamente por receber as mensagens do serviço a que não aderiuO cliente paga por responder à mensagem ou, em alguns casos, paga imediatamente por receber as mensagens do serviço a que não aderiu
18 Agosto 2009 - 02h00

Alerta aos consumidores

SMS eróticos burlam clientes

As operadoras telefónicas lucram com serviços de valor acrescentado a que os clientes não aderiram e que têm conteúdos pornográficos explícitos. Já há casos de queixas-crimes apresentadas por familiares de crianças que receberam mensagens de conteúdo sexual e que foram cobradas apenas por terem sido recebidas. Na maioria das situações, o utilizador do telefone é obrigado a responder, dada a intimidade das SMS recebidos. E paga nem que seja por tentar perceber quem o está a abordar.
Fique a saber tudo na edição desta terça-feira do jornal 'Correio da Manhã'.  

publicado por luzdequeijas às 18:06
link do post | comentar | favorito
|

PRONTO A COMER

 

 

 

 

 

 
18 Agosto 2009 - 09h00

Opinião

Um desafio

Em sede de balanço dos desafios que os notários enfrentam, é fundamental partir do pressuposto de que o notário é simultaneamente um oficial público, com função pública, e um profissional liberal, com função privada, sendo ambas incindíveis. O notário tem também à sua guarda um arquivo que não é seu, mas do Estado, acessível a qualquer cidadão: o cartório continua, por isso, a ser uma repartição pública.

Os primeiros notários em regime liberal tomaram posse em 15 de Fevereiro de 2005 e o actual Governo foi eleito no dia 20 do mesmo mês. Desde então os ataques à função notarial têm sido permanentes: descredibilização dos notários junto da opinião pública, promoção de imagem de registo barato e moderno (embora os custos para o utente tenham duplicado e a segurança reduzido drasticamente), publicidade ilegal aos produtos do Estado, concorrência desleal, subsidiação cruzada aos produtos do Estado (Casa Pronta, Empresa na Hora, Balcão das Heranças, Balcão do Divórcio com Partilha) e desvio de fundos comunitários para melhor sustentarem essa concorrência desleal do Estado aos privados.

Melhor para quem? Para o Estado não nos parece: a perda de receitas com os saldos praticados pelas conservatórias é tão grande que quase levou à falência do Ministério da Justiça e obrigou a uma subida das taxas de justiça; a fiscalização do crime económico ficou seriamente inviabilizada; a fuga ao fisco, nomeadamente através da constituição de empresas na hora, ficou facilitada; a segurança na contratação é quase nenhuma; o Estado perdeu um fiscal de impostos que os arrecadava gratuitamente, sem receber quaisquer prémios. E para o utente muito menos: empurrado para um contrato de modelo aprovado, formalizado por não juristas, paga-o com língua de palmo depois quando surgem os problemas, e continua a pagar também o registo muito acima do seu justo valor.

A existência da profissão de notário pressupõe que o Estado e os cidadãos valorem os actos notariais e a segurança a estes implícita, pela simples razão de que é o Estado que nos notários delega fé pública e os inclui na administração da Justiça. O desafio que agora se coloca é se o Estado vai finalmente reconhecer esse valor ou se, com o tempo, serão os cidadãos a partir a corda, a exigir mais transparência nos preços, actuação de boa-fé por parte do Estado e, sobretudo, segurança na contratação e no investimento. Esperemos que não demore outros 56 anos…

Carla Soares, Bastonária da Ordem dos Notários

 

publicado por luzdequeijas às 17:52
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Agosto de 2009

La Donna È Mobile

 

 

publicado por luzdequeijas às 23:05
link do post | comentar | favorito
|

NEM TANTO AO MAR .....

ABAIXO DE ..... RATO

Li recentemente no Expresso uma notícia que me deixou absolutamente estupefecto ! "Para salvar um rato, Portugal vai gastar 6,9 milhões de euros !". Num país com milhões de pobres e onde, segundo se diz e lê, que morreram muitos portugueses cancerosos por não serem operados, não seria de aplicar estes milhões na saúde pública ? Os portugueses são tratados abaixo de ... rato.

Manuel Carreira - Expresso

 

PS : Amigo concordo consigo, mas, talvez não seja preciso ser tão rigoroso pois, com esse dinheiro, também se pode estar a salvar algum coelho.

publicado por luzdequeijas às 22:41
link do post | comentar | favorito
|

.Relógio

.Contador

Design Logos

.Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. MUDAR SÓ POR MUDAR.

. CENTRO DE DIA DE QUEIJAS

. ALMOÇO MUITO INDIGESTO

. FUMO BRANCO E NEGRO

. ENDIVIDAMENTO PÚBLICO E P...

. A POLÍTICA COR-DE -ROSA

. OS QUATRO IMPÉRIOS

. O ASSOCIATIVISMO

. DOUTOR DA MULA RUÇA

. A CLASSE MAIS CASTIGADA

. AS VITIMAS DA CIGARRA

. O NOSSO ENTARDECER

. A SACRALIDADE DA PESSOA H...

. SABER TUDO ACERCA DE NADA

. A NOSSA FORCA

. A MORTE ECONÓMICA

. GERAÇÃO DE OURO

. OS TEMPOS ESTÃO A MUDAR

. SEDES DE RENOVAÇÂO “

. 200 000

. DO PÂNTANO A SÓCRATES

. O ESTADO PATRÃO

. A MENTIRA

. O SILÊNCIO DOS BONS

. ARMAR AO PINGARELHO

. ENSINO À DISTÂNCIA

. A CIÊNCIA DO BEIJO

. A VERDADE PODE SER DOLORO...

. COSTA V.S MERKEL

. PROTEGER O FUTURO

. RIQUEZA LINCUÍSTICA

. A MÃO NO SACO

. DOUTRINA SOCIAL CRISTÃ

. GRANDE SOFRIMENTO

. IMAGINEM

. LIBERDADE COM SEGURANÇA

. COSTA CANDIDATO

. DEBATES PARTIDÁRIOS NA TV

. NA PÁTRIA DO ÓDIO

. PORTUGAL, UM PAÍS DO ABSU...

. NÓS, NÃO “PODEMOS”

. CIVILIZAÇÃO Pré-histórica...

. AS REGRAS DA VIDA REAL

. UMA SAUDÁVEL "LOUCURA"

. UMA SOCIEDADE SEM "EXTRAV...

. O MUNDO DOS ANIMAIS

. A CRISE NO OCIDENTE

. O POVOADO PRÉ-HISTÓRICO D...

. AS INTRIGAS NO BURGO (Vil...

. O REGRESSO AOS VALORES

.arquivos

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favorito

. Sejamos Gratos

. OS NOSSOS IDOSOS

. CRISTO NO SOFRIMENTO

. NOTA PRÉVIA DE UM LIVRO Q...

. SEMPRE A PIOR

. MEDINDO RIQUEZAS

. A LÁGRIMA FÁCIL

. LIÇÕES PARA QUÊ?

. POR QUE OS PIORES

. UM DIREITO CONSTITUCIONAL...

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds